segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Homossexualismo existe entre os animais?

Olá, leitores.

Confesso que fiquei um pouco receoso de postar algo sobre o tema "homossexualismo", visto que não faz parte diretamente do escopo do blog, e pode me gerar mais polêmica do que eu posso gerir. Enfim, eu apenas achei este texto muito interessante, o encontrei por acaso no blog "Descontradizendo Contradições" (ver na aba lateral da página), que por sua vez tinha copiado do blog "Não quero ser gay". O texto não é repleto de achismos, e traz uma argumentação no mínimo consistente sobre um tema que é campeão de motivação de debate entre cristãos e ateus: o homossexualismo é ou não algo natural? Uma das principais argumentações do pró-homossexualismo consiste em justificar o ato como natural baseado na observação de tal comportamento entre os demais animais. O artigo a seguir pretende descartar este mito.

AVISO: Antes que começe a polêmica e as acusações de homofobia (hoje em dia está perigoso falar sobre  o assunto), quero lembrar que o objetivo deste blog é divulgar e questionar conhecimento científico que corrobora o cristianismo ou que refuta o ateísmo. Não é minha intenção causar danos morais a ninguém, muito menos ofender ou acusar de 'pecador'. Minha intenção é justamente mostrar a inconsistência de um dos argumentos que sustentam a doutrina pró-homossexual.

O mito do "homossexualismo animal"
Luiz Sergio Solimeo

Em seu esforço para apresentar o homossexualismo como normal, o movimento homossexual(1) virou sua atenção para a ciência para provar três maiores premissas:

  1. Homossexualismo é genético ou inato;
  2. Homossexualismo é irreversível;
  3. Na medida em que animais se engajam em comportamento sexual do mesmo sexo, o homossexualismo é natural.

Entusiasticamente sabedora de sua inabilidade em provar a primeira das duas premissas,(2) o movimento homossexual firma suas esperanças em uma terceira, a "homossexualismo animal".(3)

Animais fazem, assim é natural, correto?

O argumento por trás da teoria da "homossexualismo animal" pode ser resumida como se segue:

  • Comportamento Homossexual é observável em animais.
  • Comportamento animal é determinado pelos seus instintos.
  • A natureza requer que animais sigam seus instintos.
  • Portanto, o homossexualismo está de acordo com a natureza animal.
  • Desde que o homem também é animal, o homossexualismo deve também estar de acordo com a natureza humana.

Essa linha de raciocínio é insustentável. Se aparentemente os atos "homossexuais" entre animais estão de acordo com a natureza animal, então a matança paterna da prole e devora entre espécies estão de acordo com a natureza animal. Induzir o homem ao interior da equação complica as coisas mais adiante. Nós estamos para concluir que o filicídio e o canibalismo estão de acordo com a natureza humana?

Em oposição a essa linha de raciocínio, esse artigo sustenta que:

1. Não há "instinto homossexual" em animais,

2. A ciência é pobre em "ler" motivações humanas e sentimentos no interior do comportamento animal, e

3. Comportamento irracional animal não é parâmetro para determinar o que é comportamento moralmente aceitável para homem racional.

1. Não há instinto homossexual em animais

Qualquer pessoa empregada na mais elementar observação animal é forçada a concluir que "homossexualismo" animal, "filicídio" e "canibalismo" são exceções ao comportamento normal animal. Conseqüentemente, eles não podem ser chamados de instintos animais. Essas observáveis exceções ao comportamento normal animal resultam de fatores além de seus instintos.

Confrontando estímulo e Instintos Animais Confusos

Para explicar esse comportamento anormal, a primeira observação deve ser o fato que os instintos animais não são restritos pelo determinismo absoluto das leis físicas governando o mundo mineral. Em graus variantes, todos seres viventes podem se adaptar às circunstâncias. Eles respondem a estímulos internos ou externos.

Segundo, cognição animal é puramente sensorial, limitada ao som, odor, tato, gusto e imagem. Assim, aos animais falta a precisão e clareza da percepção intelectual humana. Portanto, os animais freqüentemente confundem uma sensação com outra ou um objeto com outro.

Terceiro, instintos de um animal dirigem-se rumo ao seu fim e estão de acordo com sua natureza. Porém, o impulso espontâneo pode sofrer modificações conforme cumpra seu curso. Outras imagens sensoriais, percepções ou lembranças podem agir como novo estímulo afetando o comportamento animal. De mais a mais, o conflito entre dois ou mais instintos pode algumas vezes modificar o impulso original.

No homem, quando duas reações instintivas se confrontam, o intelecto determina o melhor curso a seguir, e a vontade então retém um instinto sob controle enquanto encoraja o outro. Com animais faltam esse intelecto e vontade, quando dois impulsos instintivos se confrontam, o mais favorecido pelas circunstâncias em prevalência.(4)

Em tempos, esses estímulos internos ou externos afetando impulsos instintivos de um animal, resultam em casos de "filicídio", "canibalismo" e "homossexualismo animal".

"Filicídio" e "Canibalismo" Animal

Sarah Hartwell explica que gatos matam sua cria depois de receber "sinais misturados" de seus instintos:

A maioria dos gatos fêmea podem alternar entre o "modo brincar" e o "modo caçar" com vistas a não danificar sua prole. Em gatos isso essa troca por "modo caçar" pode ser incompleta e, quando eles se tornam altamente estimulados pela brincadeira, o instinto de "caça" vem com força e eles podem matar os gatinhos. O instinto de caçar é tão forte, e tão duro para trocá-los quando a presa está presente, que o desmembramento e até comer o gatinho pode se suceder.


Compare o tamanho, som e atividade de gatinhos com tamanho, som e atividade da presa. Ambos são pequenos, tem vozes berrantes e movem-se com movimentos rápidos e instáveis. Tudo isso desperta o comportamento de caça. No gato, o comportamento maternal sempre exceed o comportamento de caça e ela banqueteia os gatinhos exatamente da mesma forma que ele banquetearia a pequena presa. Seus instintos são confusos.(5)

A respeito do canibalismo animal, a Revista Iran Nature and Wildlife registra:

O canibalismo é mais comum entre vertebrados mais baixos e invertebrados, freqüentemente devido a um animal predatório errando uma de sua própria espécie como presa. Mas também ocorre entre pássaros e mamíferos, especialmente quando a comida é escassa.(6)

Animais Carecem de Meios pra Expressar suas Situações Afetivas

Em estimular e confrontar instintos, porém, nós devemos acrescentar um outro fator: expressando suas situações afetivas, um animal é radicalmente inferior a um homem.

Posto que aos animais carece a razão, seus meios de expressar suas situações afetivas (medo, prazer, dor, desejo etc.) são limitados. Aos animais carece a riqueza de recursos na disposição humana para expressar seus sentimentos. Os homens podem adaptar seu modo de falar, escrever, observar, gesticular em caminhos enormes. Os animais não. Conseqüentemente, os animais freqüentemente expressam suas situações afetivas ambiguamente. Eles "copiam" assim o falar, as manifestações do instinto de reprodução para manifestar os instintos de dominação, agressividade, medo, sociabilidade e por aí vai.

Explicando Aparentemente Comportamento "Homossexual" Animal

Bonobos são um típico exemplo dessa "cópia". Esses primatas da família chimpanzé se engajam em comportamento aparentemente sexual para expressar aceitação e outras situações afetivas. Assim, Frans B. M. de Waal, que gastou centenas de horas observando e filmando bonobos, afirma:
Há duas razões para acreditar que atividade sexual seja a resposta dos bonobos a evitar conflito.


Primeiro, qualquer coisa, não somente comida, que estimula o interesse de mais do que um bonobo em um tempo tende a resultar em contato sexual. Se dois bonobos aproximam-se de um caixa de papelão atirada no interior de sua área, eles brevemente montarão um no outro antes de brincar com a caixa. Tais situações conduzem a disputas na maioria das outras espécies. Mas os bonobos são totalmente tolerantes, talvez porque eles usam o sexo para desviar a atenção e para difundir tensão.


Segundo, o sexo bonobo freqüentemente ocorre em contextos agressivos totalmente sem ligação com a comida. Um macho desconfiado poderia seguir um outro longe da fêmea, depois o que os dois machos se reúnem e se engajam em fricção escrotal. Ou depois que uma fêmea golpeia uma jovem, a mãe da segunda pode empurrar o agressor, uma ação que é imediatamente seguida por fricção escrotal entre os dois adultos.(7)

Como bonobos, outros animais montarão em outros do mesmo sexo e se engajarão em aparentemente comportamento "homossexual", embora sua motivação possa diferir. Cachorros, por exemplo, habitualmente fazem isso para expressar dominação. Cesar Ades, etólogo e professor de psicologia na Universidade de São Paulo, Brasil, explica que "Quando dois machos se emparceiram, o que está presente é uma demonstração de poder, não de sexo."(8)

Jacque Lynn Schultz, Diretor de Projetos Especiais de Ciências Animais da ASPCA, explica mais adiante:

Usualmente, um cachorro macho não esterilizado montará em um outro cachorro macho como uma exibição de dominação social – em outras palavras, como um caminho de permitir o outro cachorro saber quem é o chefe. Embora não seja freqüente, um cachorro fêmea poderia montar pela mesma razão.(9)

Cachorros montarão também em um outro por causa da veemência de sua puramente reação química ao cheiro de um cio fêmeo:

Não surpreendentemente, o cheiro de um cachorro fêmea no cio pode instigar um frenesi de comportamentos de montar. Até outras fêmeas que não estão no cio montarão naquelas que estão. Machos montarão em machos que tenham estado somente com estro fêmea se eles ainda reproduzem seu odor…. E machos que capturam o vento do odor de estro pode montar na primeira coisa (ou pessoa azarada) que eles se envolvam em contato.(10)

Outros animais se engajam em aparentemente comportamento "homossexual" porque eles falham em identificar o outro sexo propriamente. Nas espécies mais baixas no reino animal, a mais tênue e difícil em detectar são as diferenças entre os sexos, conduzindo a mais freqüente confusão.


Animais "Homossexuais" Não Existem

Em 1996, o cientista homossexual Simon LeVay admitiu a evidência assinalada a atos isolados, não o homossexualismo:

Embora o comportamento homossexual seja mais comum no reino animal, parece ser muito incomum que animais em particular tenham uma predisposição permanente em se engajar em tal comportamento à exclusão de atividades heterossexuais. Assim, uma orientação homossexual, se alguém pode falar de tal coisa nos animais, parece ser uma raridade.(11)

A respeito das aparências "homossexuais" de algum comportamento animal, esse comportamento não deriva de um instinto "homossexual" que é parte da natureza animal. Dr. Antonio Pardo, Professor de Bioética na Universidade de Navarra, Espanha, explica:

Propriamente falando, o homossexualismo não existe entre animais…. Por razões de sobrevivência, o instinto reprodutivo entre animais é sempre dirigida rumo a um indivíduo do sexo oposto. Portanto, um animal nunca pode ser homossexual com tal. Todavia, a interação de outros instintos (particularmente a dominação) pode resultar em comportamento que parece ser equacionado com uma "homossexualismo animal". Tudo isso significa que o comportamento sexual animal abrange aspectos além daqueles da reprodução.(12)

2. É não-científico "ler" motivação e sentimento humanos no comportamento animal

Como muitos ativistas dos direitos dos animais freqüentemente "lêem" motivação e sentimento humano dentro do comportamento animal. Enquanto isso, aproximação antropopático aproveita cidadania completa nos reinos da arte, literatura e mitologia que faz pela pobre ciência. Dr. Charles Socarides do National Association for Research and Therapy of Homosexuality (NARTH) observa:

O termo homossexualismo deveria ser limitado a espécies humanas, porque em animais o investigador pode certificar-se somente de comportamento motor. Tão logo ele interprete a motivação animal, ele está aplicando psicodinâmica humana -- uma arriscada, se não apressada aproximação científica.(13)

O etologista Cesar Ades explica a diferença entre relações sexuais humana e animal:

Seres humanos têm sexo de uma forma, enquanto animais tem de outra.


Sexo humano é uma questão de preferência onde alguém escolhe a pessoa mais atrativa para ter prazer. Isso não é verdadeiro com animais. Para eles, isso é uma questão de acasalar-se e reprodução. Não há prazer físico ou psicológico….O cheiro é decisivo: quando uma fêmea está no cio, ela emite um odor, conhecido como feromônio. O odor atrai a atenção do macho, e faz com que ele queira acasalar-se. Esse é o intercurso sexual entre animais. É a lei da natureza.(14)

Até o biológo Bruce Bagemihl, cujo livro Exuberância Biológica: homossexualismo animal e Diversidade Natural foi citado pela Associação Psicológica Americana e a Associação Psiquiátrica Americana em seu resumo amici curiae em Lawrence v. Texas e é angariado como prova que o homossexualismo é natural entre animais, é cuidadoso a incluir em uma advertência:

Qualquer descrição de homossexualismo e animais transgêneros é também necessariamente uma descrição de interpretações humanas a esses fenômenos.…Nós estamos no escuro a respeito da experiência interna dos participantes animais: como resultado, os preconceitos e limitações do observador humano –tanto na reunião como na interpretação de dados- vêm a frente nessa situação.….Com pessoas nós podemos falar diretamente a indivíduos (ou ler descrições escritas)….Com animais em contraste, nós podemos freqüentemente diretamente observar seus comportamentos sexuais (e associados), mas somente podemos inferir ou interpretar seus significados e motivações.(15)

A interpretação do Dr. Bagemihl, porém, por toda o seu livro de 750 páginas favorece sem vergonha a teoria da "homossexualismo animal". Suas páginas são preenchidas com descrições de atos animais que teriam uma conotação homossexual em seres humanos. Dr. Bagemihl não prova, porém, que esses atos tenham o mesmo significado para animais. Ele simplesmente lhes dá uma interpretação homossexual. Não surpreendentemente, esse livro foi publicado pela Stonewall Inn Editions, "uma impressão da St. Martin's Press dedicada aos livros de interesse de gays e lésbicas."

3. Comportamento irracional animal não é plano para o homem racional 

Alguns pesquisadores estudando comportamento "homossexual" animal extrapolam do reino da ciência ao interior daquele da filosofia e moralidade. A razão desses estudiosos da premissa que se animais fazem isso, está de acordo com sua natureza e assim é bom para eles. Se é natural e bom para animais, eles continuam, é também natural e moralmente bom para o homem. Porém, a definição da natureza humana pertence não ao reino da zoologia ou biologia, mas da filosofia, e a determinação do que seja moralmente bom para o homem pertence à ética.

Dra. Marlene Zuk, professora de biologia na Universidade da Califórnia em Riverside, por exemplo, declara:

Sexualidade é um termo muito mais largo do que as pessoas querem pensar. Você tem essa idéia que o reino animal é estrito, católico romano antiquado, que eles têm sexo para procriar. … Repressão sexual significa mais do que fazer bebês. Por que nós estamos surpresos? Pessoas são animais.(16)

Simon LeVay se entrete com a esperança que o entendimento do "homossexualismo" animal ajudará mudanças nos costumes sociais e crenças religiosas a respeito do homossexualismo. Ele declara que "parece possível que o estudo do comportamento sexual em animais, especialmente em primatas não-humanos, contribuirá para a liberalização das atitudes religiosas rumo a atividade homossexual e outras formas de sexo não-procriativo. Especificamente, esses estudos desafiam um particular senso do dogma que o comportamento homossexual seja 'contra a natureza': a noção que é única àquelas criaturas que, experimentando a fruta da árvore do conhecimento, tem somente se tornado moralmente culpável".(17)

Outros pesquisadores sentem-se compelidos a apontar a impropriedade de transpor comportamento animal ao homem. Embora muito favorável à interpretação homossexual do comportamento animal, Paul L. Vasey, da Universidade de Lethbridge no Canadá, todavia previne:

Para algumas pessoas, o que os animais fazem é um parâmetro do que é e não é natural. Eles fazem um salto em dizer se isso é natural, isso é moralmente e eticamente desejável. Infaticídio é freqüente no reino animal. Para se aventurar em dizer que é desejável não faz nenhum sentido. Nós não deveríamos estar usando animais para esculpir políticas morais e sociais para as espécies de sociedades humanas que nós queremos viver. Animais não tomam cuidado com os idosos. Eu não penso particularmente que deveria ser uma plataforma para fechar casas de assistência.(18)

O reino animal não é lugar para o homem procurar um padrão para moralidade humana. Esse padrão, com o bioeticista Bruto Maria Bruti registra, deve ser procurado no próprio homem:

É um erro freqüente para as pessoas contrastar comportamento humano e animal, como se os dois fossem homogêneos. …. As leis governando o comportamento humano são de uma natureza diferente e elas deveriam ser procuradas onde Deus as inscreveu, em outras palavras, na natureza humana.(19)

O fato que o homem tenha um corpo e uma vida sensitiva em comum com animais não significa que ele seja estritamente um animal. Nem significa que ele seja metade animal. Um homem racionalmente impregna a totalidade de sua natureza de forma que suas sensações, instintos e impulsos não sejam puramente animais, mas tenham aquele selo de racionalidade que os caracteriza como humano.


Assim, o homem é caracterizado não pelo que ele tem em comum com os animais, mas pelo que o diferencia deles. Essa diferenciação é fundamental, não acidental. O homem é um animal racional. A racionalidade do homem é o que faz a natureza humana única e fundamentalmente distinta da natureza animal.(20)

Considerar o homem estritamente como um animal é negar sua racionalidade e, portanto, seu livre arbítrio. Da mesma forma, considerar animais como se eles fossem humanos é atribuir-lhes uma não existente racionalidade.

Da Ciência para a Mitologia

A pesquisa de Exuberância Biológica do Dr. Bagemihl revela seu fundamental descontentamento com a ciência e o entusiasmo pela mitologia aborígene:

A ciência Ocidental tem muito a aprender sobre as culturas aborígines a respeito dos sistemas de gênero e sexualidade …(21)



Para a ciência Ocidental, homossexualismo (tanto animal quanto humana) é um comportamento anômalo e não esperado sobre tudo o que requer algum tipo de 'explicação' ou 'causa' ou 'raciocínio.' Em contraste, para muitas culturas indígenas ao redor do mundo, o homossexualismo e transgênero são uma rotina e ocorrência esperada tanto nos mundo humano quanto animal …(22)

A maioria das tribos nativas americanas formalmente reconhecem –e honram- homossexualismo e transgenêro humanos na função da pessoa de 'dois-espíritos' (algumas vezes conhecido formalmente como berdache). Os 'dois-espíritos' é um homem ou mulher sagrado que mistura categorias de gênero para vestir roupas de sexos opostos ou de ambos…. E freqüentemente se engajando nas mesmas relações sexuais. … Em muitas culturas nativas americanas, certos animais são também simbolicamente associados com duas-energias, freqüentemente na forma de mitos da criação e lendas de origem relacionados ao primeiro ou "supernatural" dois-espíritos….Uma história da criação Zuni relata como as primeiras criaturas dois espíritos que eram nem macho nem fêmea, ainda que ambos ao mesmo tempo fossem as doze descendências de um par irmão-irmã mítico. Algumas dessas criaturas eram humanas, mas uma era um morcego e outra um velho veado.

Dr. Bagemihl aplica esse mito andrógino, tão espalhado no movimento homossexual hodierno, ao reino animal com a ajuda de mitologia indígena e aborígene. Ele convida o Ocidente a adotar "um novo paradigma:"

No fim das contas, a síntese de visões científicas representadas pela Exuberância Biológica nos traz um círculo fechado pra trás do caminho de olhar para o mundo que esteja de acordo com algumas das mais antigas concepções indígenas de variabilidade de gênero sexual animal (e humana). Essa perspectiva dissolve oposições binárias….Exuberância Biológica é…uma visão de mundo que é uma só vez primitiva e futurística, em que gênero é caleidoscópico, sexualidades são múltiplas e as categorias de macho e fêmea são fluídas e transmutáveis.
Conclusão

Em conclusão, o movimento homossexual tenta estabelecer que o homossexualismo esteja de acordo com a natureza humana, provando sua teoria do "homossexualismo animal", baseada mais em crenças mitológicas e errôneas doutrinas filosóficas do que em ciência.
__________________

1. A expressão movimento homossexual é usada para designar uma vasta rede organizações, grupos de pressão, intelectuais e ativistas que aspiram impor mudanças nas leis, costumes, moralidade e mentalidade, de forma que o homossexualismo não seja somente tolerada mas também aceita como sendo boa e normal. Portanto, ativistas homossexuais pressionam a sociedade para legalizar tanto a prática e as manifestações públicas de homossexualismo, tais como "casamento," do mesmo sexo enquanto com crueldade atacam aqueles que defendem a moral tradicional.

2. Para um breve resumo da evidência desvendando o "está nos genes" e a irreversibilidade das teorias de orientação homosexual, veja o boletim de propaganda "Not Genetic! Not Irreversible! Not Natural!"

3. Cf. Simon LeVay, Queer Science: The Use and Abuse of Research into Homosexuality (Cambridge, Mass.: MIT Press, 1996). Bruce Bagemihl, Biological Exuberance: homossexualismo animal and Natural Diversity (New York: St. Martin's Press, 1999).

4. Cf. Régis Jolivet, Traité de Philosophie, (Lyon-Paris: Emmanuel Vitte, Éditeur, 1950), Vol. 2, pp. 306-396.

5. Sarah Hartwell, Cats that kill kittens, at http://www.messybeast.com/kill_kit.htm (grifos nossos)

6. "Cannibalism in Animals."(Our emphasis.)82-88,www.songweaver.com/info/bonobos.html. (grifos nossos)

7. Frans B. M. de Waal, "Bonobo Sex and Society," Scientific American, Mar. 1995, pp.

8. "Cachorro Gay?" Focinhos Online, www2.uol.com.br/focinhos/petsnodiva/index.shtml.

9. Jacque Lynn Schultz, "Getting Over the Hump," ASPCA Animal Watch, Summer 2002, www.petfinder.org/journalindex.cgi?path=/public/animalbehavior/dogs/1.2.36.txt&template. (grifos nossos)

10. Ibid. (grifos nossos)

11. LeVay, p. 207.

12. Antonio Pardo, "Aspectos médicos de la homosexualidad," Nuestro Tiempo, Jul.-Aug. 1995, pp. 82-89.

13. "Exploding the Myth of Constitutional Homosexuality," National Association for Research and Therapy of Homosexuality, www.leaderu.com/orgs/narth/exploding.html. (grifos nossos)

14. "Cachorro Gay?"

15. Bagemihl, p. 2. (grifos nossos)

16. Dinitia Smith, "Love That Dare Not Squeak Its Name," The New York Times, Feb. 7, 2004. (grifos nossos)

17. LeVay, p. 209.

18. Quoted by Dinitia Smith, "Love That Dare Not Squeak Its Name."

19. Bruto Maria Bruti, Domande e risposte sul problema dell'omosessualità, www.paginecattoliche.it/domande_omosessualita.htm. (grifos nossos)

20. "O homem é corretamente definido como um animal racional; animal refere-se ao gênero próximo; racional refere-se à diferenciação específica." Joannes di Napoli, Manuale Philosophiae (Turin, Italy: Marietti Editori, 1961), Vol. II, p. 165.

21. Bagemihl, p. 5.

22. Ibid., p. 215.

Fonte: http://eunaoquerosergay.blogspot.com/2011/08/o-mito-do-homossexualismo-em-animais.html

32 comentários :

  1. Parabéns pelo post.
    Há muito estava à procura de uma matéria desta natureza.
    Há uns tempos vi um documentário que focava muito este argumento do homossexualismo entre animais e confesso na altura que trouxe-me alguma confusão embora cresse que nem todo o comportamento animal deveria ser transposto para as atitudes humanas.
    Sem dúvida este artigo ajudou-me bastante. Preciso de o reler (lol)

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Que bom que o conteúdo lhe foi útil, Duarte Rego.

    Outra coisa boa foi você ter me lembrado de citar a devida fonte da postagem original!

    Abraços, Paz de Cristo.

    ResponderExcluir
  3. Não é incrível que os textos científicos que vc menciona não apoiem sua idéia ?

    Seu blog, sempre continua sendo uma grande piada !!!!

    Fique no amor e na paz dos pôneis malditos!!!!

    ResponderExcluir
  4. "Não é incrível que os textos científicos que vc menciona não apoiem sua idéia ?"

    Por isso seria um problema? Porque deveriamos desconsiderar tais textos como um todo apenas por não concrdarmos com muito do que eles alegam?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então você diz ser certo ter uma ideia e criar um texto com ideia opostas a sua para defender algo que você acredita (a bíblia, cristianismo)?

      Excluir
    2. Caro anônimo,

      primeiro, o objetivo deste texto não é defender a Bíblia nem o Cristianismo (aliás, este não é nem o objetivo do blog). O objetivo deste texto é mostrar o caráter falacioso do argumento de que se existe homossexualidade entre os animais, logo o homossexualismo é algo natural.

      E quanto as fontes que eu usei, mesmo que os autores não concordem com a minha conclusão, é um fato que os trechos que citei deles corroboram a minha ideia. Se não, por favor peço que mostre no texto onde eu me equivoquei.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    3. Blog de merda.. não existe um ser imaginário que vive no céu otário... você não disse nada, apenas fez joguinhos de palavras.. qualquer criança de 5 anos faria melhor. kkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
    4. Caro Wellington.

      Por favor, não repita a atitude de alguns que visitam o meu blog apenas para postar comentários "trolls". Se você quer fazer qualquer tipo de crítica, elogio, reclamação ou comentário, indique especificamente sobre qual parte do meu texto você está se referindo, aponte onde e quais teriam sido as minhas falácias, e por favor, evite queixas ofensivas e comparações desnecessárias. Se você quer ser tratado civilizadamente, seja civilizado.

      Abraços, Paz de Cristo e volte sempre.

      Excluir
    5. Como esses neo ateus digitam merda!O texto nada tem a ver com religião,e sim com essa falácia de tratar o homossexualismo como natural por causa dos animais que demonstram esse comportamento.

      Excluir
  5. "Seu blog, sempre continua sendo uma grande piada !!!!
    Fique no amor e na paz dos pôneis malditos!!!! "

    Você que é uma grande piada, entra aqui apenas para jogar ofensas ad hominem baratas e tentativas de ridicularização, atitudes dignas de uma criança birrenta de 5 anos e de um perfeito troll

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Blog muito chato, tá longe de ser uma piada mesmo.

      Excluir
    2. Caro Anônimo,

      obrigado pela participação e opinião. Quando quiser e puder, faça uma crítica mais específica, pois será mais proveitoso para o meu trabalho.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
  6. Olha o Tu quoque aí gente : vc, troll, copia um artigo de um sujeito de uma organização conservadora sem NENHUMA fundamentação científica e chama isso de ciência, e ainda me acusa de ad hominem.

    Cresça, trollzinho conservador MENTIROSO. ;)

    ResponderExcluir
  7. "Porque deveriamos desconsiderar tais textos como um todo apenas por não concrdarmos com muito do que eles alegam?"

    Pq vc MENTIU quando disse que "O texto não é repleto de achismos", quando realmente ele é só repleto de achismos.

    Pode voltar a sua cruzada conservadora tola, caro troll CRENTE mentiroso.

    ResponderExcluir
  8. Anônimo, saiba que há pessoas que estão aptas a ouvir sua posição e é exatamente isso o que eu gostaria de fazer. Você tem zombado do texto em vão, por favor, exponha sua posição e uma refutação adequada ao texto, se não o fizer, não vejo motivos para levar em conta suas palavras. Trollagem não leva ninguém a lugar algum.

    ResponderExcluir
  9. Anônimos,
    briguinhas não são bem-vindas aqui. Muito menos entre anônimos.

    Pessoalmente, sou contra o anonimato na rede. Por isso prezo pela transparência. Mas prefiro deixar as pessoas terem o direito de pensarem diferente de mim, permitindo a publicação de posts anônimos. Entretanto se isso só servir como uma máscara para poder ficar fazendo acusações ou trollagens aqui, posso a qualquer momento desativar a publicação anônima.

    Em seguida responderei a seus comentários,
    abraços,
    Paz de Cristo.

    ResponderExcluir
  10. "Não é incrível que os textos científicos que vc menciona não apoiem sua idéia ?"

    Eu não tenho ideia nenhuma. Não sou o autor do texto. O texto é para ser lido imparcialmente e para que as pessoas tirem as suas próprias conclusões. Além disso, os artigos científicos não apoiarem a ideia geral deste texto é irrelevante, apenas foi usado algumas ideias presentes neles para formular um argumento.

    "Seu blog, sempre continua sendo uma grande piada !!!!"

    Obrigado pela acusação gratuita. Tenho o direito de "oferecer a outra face" e receber qualquer ofensa sua ficando calado, mas sinceramente acho que seria melhor se fossem dadas apenas críticas construtivas, dotadas de argumentação coerente.

    "Fique no amor e na paz dos pôneis malditos!!!!"

    Mesmo que nem você nem eu mereçamos, eu te desejo o Amor e a Paz de Cristo, que excedem todo o entendimento.

    Abraços, Paz de Cristo.

    ResponderExcluir
  11. "Olha o Tu quoque aí gente : vc, troll, copia um artigo de um sujeito de uma organização conservadora sem NENHUMA fundamentação científica e chama isso de ciência, e ainda me acusa de ad hominem.

    Cresça, trollzinho conservador MENTIROSO. ;)"

    Você respondeu ao anônimo que te replicou como se ele fosse o autor do blog, mas ele não é. Aparentemente foi só mais alguém que percebeu a sua ingenuidade em fazer acusações gratuitas e se propôs a fazer justiça anonimamente. Além disso nota-se que o estilo literário dele é completamente diferente do meu.

    1. A fonte do artigo é irrelevante, o que importa é a coerência da sua argumentação.

    2. Eu não chamei de ciência, falei que era um artigo que tinha copiado de um blog, que só publiquei porque gostei da argumentação proposta. O artigo não é científico, nem foi escrito por uma instituição científica.

    3. Não vou responder sobre o "ad hominem" porque obviamente não foi dirigido a mim.

    Abraços, Paz de Cristo.

    ResponderExcluir
  12. "Pq vc MENTIU quando disse que "O texto não é repleto de achismos", quando realmente ele é só repleto de achismos."

    Eu expressei minha opinião quando disse "o texto não é repleto de achismos". Caso não tenha percebido, quase sempre que publico um texto de outra pessoa eu escrevo um prefácio destacado em itálico que expressa a minha opinião sobre o texto. Você tem todo o direito de achar que ele é repleto de achismos, mas eu acho que seria mais honesto da sua parte se você esclarecesse onde estão estes supostos achismos.

    "Pode voltar a sua cruzada conservadora tola, caro troll CRENTE mentiroso."

    Isso foi dirigido ao autor do blog ou ao anônimo que te respondeu? Enfim, como é mais uma acusação, vou me manter no direito de ficar calado.

    Abraços, Paz de Cristo.

    ResponderExcluir
  13. Autor,
    a sua réplica foi perfeita.

    Abraços, Paz de Cristo.

    ResponderExcluir
  14. "1. A fonte do artigo é irrelevante, o que importa é a coerência da sua argumentação."
    Para seu blog não é, já que vc quer dar a base científica nas suas postagens ...
    Ou seja: vc falhou, e foi uma piada como sempre.
    Que tal então, vc ir atrás do que a ciência diz ?

    ResponderExcluir
  15. Anônimo,
    como já tinha explicado acima, parece que a intenção do autor não era dar base científica ao argumento, e sim usar alguns resultados presentes nos artigos científicos para formular um argumento.

    E dizer que a fonte do artigo é relevante é apenas mero preconceito... antes deve-se analisar a coerência do que se está sendo dito. Como até agora só foram acusações e nada de citar nem umazinha contradição do texto, não acho produtivo continuar esta "briguinha". Todos nós temos coisas mais importantes para fazer.

    Abraços, Paz de Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vá em frente, vá matar os homossexuais um por um.

      Excluir
    2. Caro Anônimo,

      releia o aviso que deixei em negrito no final da postagem. Passei longe de falar sobre o homossexualismo e muito mais longe de falar sobre qualquer homossexual. O tema deste artigo foi refutar um argumento que alguns usam para justificar a homossexualidade entre os seres humanos. Eu também não provei que homossexualismo é errado. O que fiz aqui foi algo bem pequeno e imparcial. Se você achou alguma incoerência ou possível ofensa no meu texto, por favor especifique, eu não quero ser ofensivo aqui.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
  16. Primeiro "3. Comportamento irracional animal não é parâmetro para determinar o que é comportamento moralmente aceitável para homem racional." na minha opinião, nao acho os animais irracionais, racional é tudo aquilo que pensa e raciocina, se voce ensinar um comando à um animal, ele vai raciocinar e obedecer, o que eles não possuem é um raciocinio lógico como o nosso. Então dizer que animais, a nivel de pensar e agir, nao pode ser comparados com humanos, para mim, é errado! Dizer que sao IRRACIONAIS, ja tenho vontade de me matar.
    egundo.. "Comportamento Homossexual é observável em animais.
    Comportamento animal é determinado pelos seus instintos.
    A natureza requer que animais sigam seus instintos.
    Portanto, o homossexualismo está de acordo com a natureza animal.
    Desde que o homem também é animal, o homossexualismo deve também estar de acordo com a natureza humana.

    Essa linha de raciocínio é insustentável. Se aparentemente os atos "homossexuais" entre animais estão de acordo com a natureza animal, então a matança paterna da prole e devora entre espécies estão de acordo com a natureza animal. Induzir o homem ao interior da equação complica as coisas mais adiante. Nós estamos para concluir que o filicídio e o canibalismo estão de acordo com a natureza humana?"
    Não podemos (não DEVEMOS) fazer tais comparações, ilógicas e generalistas! Um casal homossexual NÃO está fazendo mal algum ao próximo, diferente do canibalismo.

    Terceiro.. "1. Não há instinto homossexual em animais

    Qualquer pessoa empregada na mais elementar observação animal é forçada a concluir que "homossexualismo" animal, "filicídio" e "canibalismo" são exceções ao comportamento normal animal. Conseqüentemente, eles não podem ser chamados de instintos animais. Essas observáveis exceções ao comportamento normal animal resultam de fatores além de seus instintos."

    OK! Não pode ser considerado instinto?! Ok, mas eles continuam fazendo não é!? E o que isso muda pra eles? NADA. eles continuam vivendo, em bando, sociedade, seja lá o que for, não muda absolutamente nada um animal ter uma relação com outro da mesma espécie, porque mudaria para nós, seres humanos, um casal homossexual!? Eles vão transar nas casas deles. Pior os animais, que fazem em qualquer lugar, no meio de tudo e nenhum outro animal se importa. Quem tem que se importar é quem está envolvido no ato sexual.

    Seu texto, realmente, tem carater mentiroso e subliminarmente, preconceituoso, algo que em pleno século XXI, já deveria ser superado.
    Tem muito mais coisas que eu gostaria de refutar desse artigo, mas estou cansada demais para isso, fica aqui minha resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, cara Mariana. Muito obrigado por participar do blog. Vou comentar os seus questionamentos:

      "na minha opinião, nao acho os animais irracionais, racional é tudo aquilo que pensa e raciocina, se voce ensinar um comando à um animal, ele vai raciocinar e obedecer, o que eles não possuem é um raciocinio lógico como o nosso"

      Não sei se você percebeu, mas você se contradisse ness frase. Primeiro você diz que "racional é tudo aquilo que (...) raciocina", depois você diz que o animal "vai raciocinar", depois diz que "eles não possuem (...) raciocínio". Mas deixando isso de lado, vamos pegar o que você disse por último: os animais não possuem raciocínio lógico. Existe outro tipo de raciocínio? Eu acho que não. Veja a definição de racional no dicionário:

      Ra.cio.nal adj. Dotado de razão: o homem é um ser racional.
      Que se concebe segundo a razão.
      Que se baseia no raciocínio: médico racional.
      Que possui como alvo a razão, sua maneira ou suas implicações.
      Que possui coesão, inteligência.
      Que há oportunidades para o uso da razão.
      Que implica ponderação, bom senso.
      (...)
      s.m. Ser, indivíduo que pensa.
      Algo que possui racionalidade, segundo a própria razão.
      Diz-se dos homens em comparação aos demais animais.

      E a definição de raciocínio:

      Ra.cio.cí.nio s.m. Faculdade, ação ou maneira de raciocinar: falhou seu raciocínio.
      Concatenação de proposições deduzidas umas das outras para chegar a uma demonstração: seguir um raciocínio.

      Até onde se sabe pela ciência (essa texto tem a intenção de ser tão científico quanto possível e não de opinião), aniami não possuem a capacidade de processamento lógico e sequencial de ideias, que é o que nós chamamos de raciocínio. Se você se sente ofendida quando eu chamo um animal de "Irracional", só posso pedir desculpas, mas estou fazendo algo que é no mínimo justificado cientificamente. Não estou negando que alguns animais podem ser treinados, adestrados, mas isso é muito diferente de saber o que está fazendo e pensar. A psicologia explica esse comportamento dos animais na forma de "reflexos condicionados", e não como raciocínio.

      Agora, tente entender o que eu quis dizer com "comportamento irracional animal não é parâmetro para determinar o que é comportamento moralmente aceitável para homem racional." Tudo começa com alguns defensores da naturalidade do homossexualismo afirmando "existem animais homossexuais, logo a homossexualidade é algo natural, não é errado". E eu respondo dizendo "só porque animais fazem não quer dizer que devemos fazer". Eu não estou afirmando que homossexualismo seja errado (mesmo que eu acredite dessa forma), o objetivo do texto não é esse, mas tão somente é refutar esse argumento da naturalidade do homossexualismo. (continua)

      Excluir
    2. (continuação)

      "Não podemos (não DEVEMOS) fazer tais comparações, ilógicas e generalistas! Um casal homossexual NÃO está fazendo mal algum ao próximo, diferente do canibalismo."

      Eu só usei a comparação pra mostrar como é absurdo justificar uma atitude humana por um comportamento animal. Tenho que lembrar que eu não estou afirmando diretamente no texto que homossexualidade é errada, eu só estou mostrando que esse argumento a favor do homossexualismo é insustentável (mas eu não digo nada sobre algum outro argumento qualquer. Esse texto é tão somente para refutar um argumento específico).

      Sobre o que você afirma, pode até ser que um casal homossexual não esteja fazendo mal a ninguém (não vou nem afirmar nem negar isso), mas isso não tem a ver com o objetivo do texto. O texto não é sobre "como homossexuais fazem mal aos outros", mas sim uma "refutação ao argumento de que a homossexualidade é natural baseada na observação do comportamento animal".



      "OK! Não pode ser considerado instinto?! Ok, mas eles continuam fazendo não é!? E o que isso muda pra eles? NADA. eles continuam vivendo, em bando, sociedade, seja lá o que for, não muda absolutamente nada um animal ter uma relação com outro da mesma espécie, porque mudaria para nós, seres humanos, um casal homossexual!? Eles vão transar nas casas deles. Pior os animais, que fazem em qualquer lugar, no meio de tudo e nenhum outro animal se importa. Quem tem que se importar é quem está envolvido no ato sexual."

      Sinceramente, acho que você não entendeu o objetivo do texto. E eu estou tentando ser bem enfático. Eu em lugar nenhum afirmei que existe algum problema em homossexuais praticarem o que quiserem e onde quiserem. O que o texto tenta provar é que o argumento de que a homossexualidade é algo natural baseando-se na observação do comportamento dos animais é inválido. É só isso. Mais nada. Nenhuma acusação, nenhuma defesa de argumento contrário da minha parte. É só uma refutação desse argumento e pronto. Eu quis ser bem objetivo e tentar não sair nem um pouquinho desse assunto exatamente porque não queria causar polêmica desnecessária. Mas parece que nem assim consegui o que queria, sempre tem alguém que não entendeu o objetivo do texto.


      "Seu texto, realmente, tem carater mentiroso e subliminarmente, preconceituoso, algo que em pleno século XXI, já deveria ser superado."

      Minha cara, é algo anti-ético lançar uma crítica (ou acusação) e não apontar exatamente do que está falando. Onde, exatamente no texto você diz que eu fui mentiroso, ou "subliminarmente preconceituoso" (sic)? Eu não quero contar mentiras nem espalahar preconceitos para os meus leitores, por isso preciso saber. Mas se você só disse isso por dizer, então por favor, não faça isso de novo.

      Mais uma vez obrigado pelo comentário e volte sempre.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    3. Muito bem! consegui entender tudo que você disse e penso da mesma maneira. Abraço!

      Excluir
  17. incrivel como a refutação faz exatamente confirmar que animais tem relações homossexuais. };)
    "Se aparentemente os atos "homossexuais" entre animais estão de acordo com a natureza animal, então a matança paterna da prole e devora entre espécies estão de acordo com a natureza animal. Induzir o homem ao interior da equação complica as coisas mais adiante. Nós estamos para concluir que o filicídio e o canibalismo estão de acordo com a natureza humana?"
    falsa dicotomia. existem grupos humanos onde o canibalismo e o filicidio ocorrem, o que indica que este conceito é mais uma convenção social e cultural do que "natural".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roberto Quintas, eu pessoalmente acredito que mesmo que algo seja uma convenção social, isto não o impede de ser considerado moralmente inaceitável. Bons exemplos são justamente os dois que você deu.

      Além disso meu objetivo não era refutar que existe relacionamento homossexual entre animais, mas sim refutar que isso é uma justificativa para o comportamento homossexual humano. Aliás, que eu saiba, as relações homossexuais que existem nos animais nunca são exclusivas, como o movimento homossexual quer alegar para si mesmo, que eles nasceram assim , que sempre será assim, etc.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
  18. Animais são ilógicos, ninguém deveria cair nesse mito de "homossexualidade animal", eles são predominantemente instintivos, se o macho tá com "fogo", testosterona nas alturas e não tiver um fêmea por perto ele vai meter no primeiro buraco que aparecer pela frente.
    exemplos:
    se for seu cachorro ele vai querer ir na sua perna, travesseiro, almofada, qualquer coisa em que ele consiga alivia o fogo dele.
    Tem vídeo no youtube de um boi "comendo" uma moto ,kk , isso o torna motosexual?? Não,
    eles só estão aliviando o tranco porra, é até lógico de se esperar que machos no reino animal "metam" em outros machos pela falta de fêmeas, ai vai um idiota e diz que ele é gay, kkk, ele é um animal, não pensa, só quer aliviar a tensão.
    Eu nunca vi nenhuma fêmea no reino animal tendo relações lésbicas, não existe isso em lugar nenhum e nem adianta falar que já viu uma "lambendo" a outra, kk, essa é a pior, pois os animais se lambem geralmente para se limpar e já vi vários que limpam uns aos outros em parceria, já teve até um site dizendo que uma leoa estava esfregando a pata na "xana" da outra e esta estava a sentir "prazer".kkkkk esses caras viajam, eu duvido muito disso, isso é coisa da mente pertubada de certas pessoas quem vem "maldades" em tudo, tudo fruto da depravação humana mesmo.
    Eu não tenho nada haver com que faz sexo com o órgão excretor ou deixa de fazer ou daquelas que só ficam no lambe-lambe e na dedada, mais cagar merdas na minha cabeça e na das pessoas, dizendo que é certo, normal só pra justificar seus atos e inventar um monte de mentiras pra elevar sua prática já é demais.
    nem precisa ser religioso pra saber que isso não é normal.

    ResponderExcluir
  19. Não acho que os animais sejam irracionais...

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...