segunda-feira, 2 de abril de 2012

A "verdade" é relativa? A religião deveria ser algo pessoal e individual? [Resposta a leitor]



Pergunta feita por Eric Izzo:
30/03/2012 na nossa página no Facebook

Existem muitas ramificações no cristianismo, e algumas tem ideias contrárias às suas. Você não acha que "deus" cada um interpreta da sua maneira? Cada pessoa deveria ter seu lado espiritual sem expor seus pensamentos aos outros. Na minha opnião, religião deveria ser a coisa mais pessoal possivel, cada um tem sua verdade, sendo assim nao haveriam conflitos entre as religiões.

Respostas ao Ateísmo:

Me diga um coisa, antes de mais nada, Eric, só para eu tentar entender seu pensamento. Você é ateu ou religioso? Dependendo da sua cosmovisão, você terá pensamentos e pressupostos diferentes, que poderão te levar a conclusões diferentes. Deixa eu dar um exemplo pra você entender melhor. Suponha que eu seja um ateu, mas que não seja contra as religiões. Daí, eu não acreditaria em divindades nem na importância objetiva disto na vida de ninguém, mas contanto que uma determinada pessoa se sinta bem com uma crença, isso será bom para ela. Será a verdade dela.

Na minha opinião, esse pensamento de que cada um tem a sua verdade é algo perigosamente falacioso. A não ser que você pense como a pessoa do exemplo acima. Se você não acredita em Deus ou em religiões, não faz a mínima diferença o caminho que a pessoa escolhe, contanto que aquilo a faça se sentir bem e não faça mal aos outros. Agora, SE Deus existe, então certamente existe algum meio de chegar até Ele, de se relacionar com Ele. Mas se você disser: "todos os caminhos levam a Deus" ou "todas as religiões tem algo de bom para ensinar" você está entrando em contradição com a afirmação "religiões ou ramificações do cristianismo ensinam ideias contrárias entre si", por uma simples questão de lógica! Se existe o Deus do cristianismo, mesmo que cada um o interprete da sua maneira, o ecumenismo é certamente uma inverdade, exatamente por essa questão de ideias contrárias. Ideias contrárias não podem levar ao mesmo ponto, necessariamente uma é verdadeira e a outra não é.

Agora, perceba que com "ideias contrárias" eu estou querendo dizer ideias mutuamente excludentes, e questões centrais sobre a natureza de Deus ou nossa obrigação moral. A maioria das divergências entre as ramificações do cristianismo dizem respeito a hábitos e costumes, que são irrelevantes. Mas os pontos doutrinários centrais, como a existência de Deus e a necessidade de adorá-lo, a divindade de Cristo e seu sacrifício pela humanidade, etc. são aceitos pela maioria esmagadora destes grupos, e na minha opinião, grupos que rejeitam estas premissas, como os testemunhas de Jeová, igreja messiânica e afins, não podem ser chamados de cristãos, baseando-se na minha construção lógica do parágrafo anterior.


Para concluir, eu concordo que religião deve ser uma coisa pessoal, isto é, que não deve ser imposta à força para ninguém. Mas impor à força é totalmente diferente de expor pensamentos. E, se existe uma verdade, e eu conheço essa verdade, é um dever moral meu fazer com que os outros também alcancem esta verdade. Entende o que eu quero dizer? Partindo do ponto de que Deus existe, eu concluo que existe uma verdade objetiva, ou seja, que não pode ser relativizada. Agora, se você não acredita em Deus, a verdade para você é relativa e você não tem nenhum dever moral de expor seu pensamento. Por isso, a questão que mais importa em toda esta discussão é "Deus existe?" Este é o tema central deste blog, aqui você pode pensar e tirar suas conclusões.

Abraços, Paz de Cristo.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...