sexta-feira, 8 de junho de 2012

50 provas de que Deus é imaginário - REFUTADAS (parte 3)

[Leia a Parte 2]Prova # 13 - Dê uma olhada na escravidão 

Aqui estão dez passagens da Bíblia que demonstram claramente a posição de Deus sobre a escravidão: Gn 17.12; Ex 12.43; 21.1,20,32; Lv 22.10; 25.44; Lc 7.2; Cl 3.22; Tt 2.9.

Sobre passagens como estas, há um texto recente aqui no blog abordando o assunto: A Bíblia e a Escravidão. Não tenho muito o que comentar a respeito do assunto, exceto sobre algumas declarações que o autor faz a seguir:

Por um lado, todos nós sabemos que a escravidão é um ultraje e uma abominação moral. Como resultado, a escravidão é agora completamente ilegal em todo o mundo desenvolvido.

É engraçado como o autor, que possui uma clara tendência neo-ateísta, de repente assume uma espécie de moralismo que só é coerente com o teísmo. Se Deus não existe (como ele defende), não existem valores morais absolutos, então não haveria nenhum motivo para afirmar que algo é correto ou não é. Não se pode, de forma coerente, ao mesmo tempo afirmar o ateísmo e defender um argumento para a existência de Deus baseado na existência de qualquer espécie de mal moral.

Por outro lado, a alegação de a maioria dos cristãos é que a Bíblia veio de Deus. Na Palavra de Deus, o "criador do universo" afirma que a escravidão é perfeitamente aceitável. Bater em seus escravos é bom. Escravizar crianças é bom. Separar famílias escravas é bom. Segundo a Bíblia, todos nós devemos estar praticando a escravidão hoje.

Os cristãos afirmam que a Bíblia foi inspirada por Deus. Mas não há nenhuma afirmação vinda diretamente de Deus que diga, com estas palavras, que a escravidão é perfeitamente aceitável, nem que é bom bater em escravos, ou escravizar crianças, muitíssimo menos que deveríamos estar praticando escravidão hoje em dia. Isto é simplesmente um ataque desonesto do autor. Leia todos os textos que ele sugeriu na Bíblia que você não encontrará nada do que ele falou acima.

Aqui é a coisa que eu gostaria de ajudá-lo a entender: Você, como um ser humano racional, sabe que a escravidão é errado. Você sabe disso. É por isso que cada nação desenvolvida do mundo tornou a escravidão completamente ilegal. Os seres humanos fazem a escravidão ilegal, em desafio direto da palavra de Deus, porque todos nós sabemos com certeza absoluta que a escravidão é uma abominação.

Aqui o autor apela para uma espécie de senso moral no leitor, para forçar ao autor a assumir que existe a escravidão é absolutamente errada. Ironicamente, o que ele está fazendo é dando um argumento A FAVOR da existência de Deus! Lembre-se do Argumento moral: assumindo-se que existem valores morais objetivos, chega-se à conclusão lógica e inevitável de que Deus existe.

Muitos crentes argumentarão que Deus tinha de falar desta maneira no Antigo Testamento, a fim de "encaixar" com a cultura dominante. Isto, naturalmente, é bobagem. Na mitologia cristã, Deus é aquele que criou os seres humanos e da cultura humana. Além disso, um Deus que perdoa o espancamento de escravos e a escravidão de crianças a qualquer momento é uma abominação.

Não nego que Deus criou os seres humanos e a moldou inicialmente a cultura humana. Mas depois que o homem pecou e se corrompeu, o mundo se submeteu aos moldes culturais que o próprio homem foi criando com o tempo. A Bíblia afirma isto, ao contrário do que o autor defende. E, pelo menos para mim, o fato de Deus perdoar escravidão ou qualquer coisa que seja não é uma abominação, mas sim uma expressão da verdadeira bondade e justiça de Deus. Mas lembre-se que Deus só perdoa em dois casos: caso a pessoa seja totalmente ignorante a respeito do princípio que violou ou caso ela se arrependa voluntariamente de suas ações (At 17.30).
É interessante analisar que realmente Jesus não falou nenhuma palavra diretamente acerca da escravidão, nem mesmo os apóstolos posteriormente. Podemos ver daí que Deus, em sua sabedoria, sabia que provavelmente estas palavras na época causariam um efeito mais negativo do que positivo, tanto em relação ao escândalo cultural e a revolta das pessoas, quanto economicamente. Mas não se pode negar que os ensinos de Jesus traziam um senso de valor para o ser humano praticamente inigualável às outras religiões, e isto é tanto verdade que à medida que os povos abraçavam o cristianismo, ia-se percebendo naturalmente o quanto a escravidão era nociva e contrária aos princípios cristãos, sendo por isso abandonada ao longo do tempo (a exceção a isso deu-se apenas depois da Idade Média, com a escravidão dos negros, sendo que a principal justificativa foi econômica e embora careça de fontes, a Igreja aprovou, indo contra os princípios do cristianismo).

Um crente pode dizer: "Bem, todos esses versos são do Velho Testamento e não mais se aplicam por causa de Jesus." Esta linha de racionalização solicita várias perguntas óbvias. Por que o Velho Testamento ainda ser impresso na Bíblia, se Jesus o anulou? A coisa mais importante que esta linha de racionalização perde é que Jesus afirma especificamente que as leis do Antigo Testamento ainda estão de pé. Em Mateus 5 Jesus diz: "Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem uma letra passará da Lei até que tudo seja cumprido. Portanto, quem quebra um dos menores destes mandamentos, e ensina os outros a fazer o mesmo, será chamado o menor no reino dos céus, mas aquele que  os faz cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus."

Bem, existe de fato uma boa parte do Velho Testamento que não se aplica mais aos dias de hoje em se tratando de leis ou obrigações. Por que elas ainda são impressas? Porque a Bíblia não tem como único objetivo ser uma coleção de leis morais, mas também ela contém conteúdo de interesse histórico (em relação ao relacionamento do homem com Deus através dos tempos), conteúdo poético (como os Salmos, por exemplos) e conteúdo profético (algumas profecias ainda estriam para se cumprir). Eu acho que trechos como as leis de Moisés no Velho Testamento são importantes hoje apenas por esse interesse histórico, para sabermos como Deus se relacionou com os homens no passado. E os textos bíblicos deixam claro que aquelas Leis se referiam exclusivamente ao povo hebreu, enquanto vivia em regime teocrático (Êx 12.1,24; Lv 3.17, 16.31; Nm 10.8; 1 Cr 16.17; etc.) e que deixaram de valer após a ressurreição de Jesus (Rm 10.4; Gl 2.16,21; 3.10,23-25, 5.1-7; Ef 2.15). Quanto ao texto de Mateus, note que Jesus fala "(...) até que tudo seja cumprido (consumado)"; e, uma de suas últimas palavras antes de morrer, na cruz, foram "Está consumado!" (Jo 19.30).

Outros crentes racionalizam que Deus não escreveu essas passagens sobre escravidão na Bíblia. A Bíblia foi de alguma forma corrompida por homens escravistas. Nesse caso, a pergunta óbvia é o seguinte: Se a Bíblia foi corrompida, como podemos saber que partes da Bíblia vieram de Deus e que as quais foram inseridas por homens primitivos? Você não tem absolutamente nenhuma maneira de saber.

Como eu não afirmo nem nunca afirmei isto (e acredito que nenhum cristão sério afirmaria), ignoro este ponto.
Por fim, há um artigo externo que também faz uma ótima exposição sobre o assunto. Você pode acessá-lo aqui.

Prova # 14 - Examine os milagres de Jesus 

Se alguém viesse hoje para você e disser: "Eu sou Deus!", O que você faria? Sim, você iria imediatamente pedir uma prova. Claro que você faria. E você não iria querer uma prova idiota, mas sim uma prova sólida, tangível.

Bem, se alguém viesse hoje para mim e dissesse "Eu sou Deus", eu nem acreditaria. 

Por que seria diferente com Jesus? Jesus era um homem que alega ser Deus. Se ele é Deus, então ele deve ser capaz de provar isso de uma maneira real e inimitável. Se ele não puder provar, então, muito claramente, ele não é Deus.
Jesus nunca ficou anunciando aos quatro ventos que era Deus. Os evangelhos o mostram como alguém sempre humilde e discreto, que muitas vezes constrangia as pessoas que ele curou a não contarem para os outros quem os tinha curado (Mt 8.4, Mc 1.44, Lc 5.14). Além disso, Jesus deu provas inescusáveis aos que conviveram com ele, talvez a maior de todas seja a sua própria ressurreição. Estão todas registradas nos evangelhos.

1. Todo mundo já viu todos os tipos de "curandeiros" que podem "curar" os doentes. E todos nós sabemos que este tipo de "cura" é charlatanismo. Se fosse verdade, então não precisaríamos de médicos, hospitais ou medicamentos de prescrição. 

2. Transformando água em vinho... Isso não soa como algo que um truque de segunda feito em um ato de boate? Há uma dúzia de maneiras que você poderia encenar as coisas para aparentemente "transformar" água em vinho. Não há nenhuma razão para que uma pessoa normal aceite um truque de mágica como prova de que alguém é Deus.
A Bíblia fala sobre episódios de cura de cegos de nascença, surdos, paralíticos... eu nunca vi algum charlatão fazer este tipo de cura. E talvez haja jeitos de simular a transformação de água em vinho, mas não do jeito como o relato foi contado no texto. Não foi numa taça, mas sim em vários galões ao mesmo tempo. O que dizer de algo como a multiplicação dos pães por exemplo? Eu não vejo jeito de como coisas como estas serem algum charlatanismo. A acusação do autor é infundada. No máximo, ele pode argumentar que o que está escrito lá é mentira. Ou aquilo realmente aconteceu, ou foi inventado. Mas não há possibilidade de que tenham sido truques.

3. Nenhum desses milagres pode ser testado cientificamente hoje. Nenhum dos milagres de Jesus deixou qualquer evidência tangível para os cientistas estudarem.

Mas isto de modo nenhum prova que Deus não existe. Como a cura de um cego há 2000 anos atrás poderia ser provada cientificamente hoje em dia? Isto simplesmente não faz sentido, é óbvio que não existem provas deste tipo para estes fatos. Seria estranho se houvesse.

Deus, supostamente, já escreveu um livro chamado Bíblia. E Deus, supostamente, já fez todos os tipos de coisas de acordo com esse livro. Deus, supostamente, dividiu o Mar Vermelho, esculpiu os dez mandamentos na pedra, foi para o trabalho de encarnar-se, etc. Então, por que Jesus não (...) deixou para trás evidência real e tangível para que todos vessem?

Jesus não tinha nenhuma obrigação de deixar tais evidências para trás. Na verdade, ele ordenou aos discípulos que anunciassem suas mensagens e que, se fosse preciso, fizessem as mesmas ações que Ele fez (curar os doentes, expulsar demônios, etc.). Que eu saiba, isto tem sido feito até hoje pelos cristãos. É claro que existem casos de charlatanismo, mas não há motivo para afirmar que todos os casos de cura no mundo efetuados por cristãos são falsos. E note que, como eu disse em uma das primeiras provas, estas curas não podem ser estudadas cientificamente porque (1) não são eventos regulares e reprodutíveis e (2) não são uma habilidade ou "super-poder" do curador, mas sim uma manifestação do poder de Deus, que depende da vontade dEle para acontecer; portanto, por uma questão de limitação do método científico.
Só um parêntese: o fato de Jesus curar e nos sancionar a fazer o mesmo não significa que devemos ignorar toda a tecnologia médica existente hoje em dia, o uso de remédios ou qualquer coisa do tipo. As curas são uma ferramenta para fortalecer a fé das pessoas, e não uma forma de erradicar as doenças físicas no mundo. Deus nos deu inteligência e meios para estudar o corpo humano ao longo dos tempos. Muito da medicina e farmacologia moderna foi desenvolvida por cristãos, as primeiras faculdades de medicina da história foram fundadas por cristãos. E cremos que dEle vem o conhecimento de todas estas coisas, e que é uma atitude irracional e inadequada orar para pedir uma cura de algo simples, quando temos totais condições de ir simplesmente à farmácia da esquina e comprar um remédio.

Prova # 15 - Examine a ressurreição de Jesus 

A ressurreição de Jesus depois de sua morte é a prova definitiva da divindade de Jesus. Quase todo mundo conhece a história, que é resumida no Credo dos Apóstolos. Jesus foi crucificado, morreu e foi sepultado. Ele desceu ao inferno. No terceiro dia ele ressuscitou dentre os mortos. Ele subiu ao céu e está sentado à direita de Deus Pai Todo-Poderoso.

Há apenas um caminho para Jesus para provar que ele ressuscitou dos mortos. Ele tinha que aparecer para as pessoas. Portanto, vários lugares diferentes da Bíblia descrevem aparições de Jesus após sua morte. (...) Quando olhamos para estas passagens bíblicas, há uma pergunta que vem à mente - por que Jesus parou de fazer essas aparições? Por que Jesus não aparece hoje?

A ressurreição de Jesus, além de ser a prova definitiva da divindade de Jesus, é o tema central da Bíblia e do cristianismo. Este tema é tão importante que S. Paulo afirma que se Jesus não ressuscitou, toda a fé cristã é sem sentido e em vão (1 Co 15.14). Eu não acho, no entanto, que seja necessário que Jesus apareça fisicamente a todos os seres humanos para que eles acreditem. Primeiro, porque existem milhões de pessoas que acreditam e acreditaram, mesmo sem vê-lo fisicamente. Segundo, porque a Bíblia afirma que quem recebe a Jesus como Salvador recebe a confirmação interna de sua presença através do Espírito Santo. E terceiro, porque existem meios históricos para investigar se a ressurreição física de Jesus é provável ou não.
O teólogo e filósofo cristão William Lane Craig desenvolveu um extenso trabalho neste assunto, examinando os fatos históricos disponíveis a serem investigados hoje em dia e chegando à conclusão que há boa base histórica para afirmar que a ressurreição de Jesus realmente aconteceu. Se quiser saber sobre as evidências acerca da ressurreição de Jesus, veja a transcrição do debate entre William Craig e Bart Ehrman aqui ou leia o livro O Jesus dos Evangelho: Mito ou realidade?

Prova # 16 - Contemple as contradições 

Uma pessoa racional que pensa sobre Deus não pode deixar de notar algumas contradições surpreendentes. Eles estão em toda parte se você olhar.

Aqui está um exemplo muito simples. No dia em que Moisés desce do Monte Sinai com as tábuas de pedra contendo os Dez Mandamentos, ele descobre que os israelitas criaram um bezerro de ouro. Para castigar o povo, Moisés reúne um grupo de homens e toma a seguinte ação no livro de Êxodo, capítulo 32: 
"Então ele [Moisés] disse-lhes: Isto é o que o Senhor, o Deus de Israel, diz: Cada um carregue uma espada e e passem pelo campo de porta em porta, cada um mate seu irmão e amigo e vizinho.  Os levitas fizeram como Moisés tinha ordenado, e naquele dia cerca de três mil pessoas morreram."
Então... um minuto temos Deus escultura em pedra, "Não matarás". Em seguida, no minuto seguinte temos Deus dizendo a cada homem desembainhe uma espada e tire a vida de milhares de pessoas. Você não esperaria que o governante todo-poderoso do universo fosse um pouco mais consistente do que isso? Três mil pessoas mortas, trata-se um monte de quebra de mandamento. Obviamente que é uma contradição total. A razão pela qual você encontra contradições como que na Bíblia é porque Deus não existe.

Esta é uma contradição aparente, sobre a qual existem muitos modos de explicá-la. Por exemplo, naquele tempo, o povo de Israel era governado diretamente por Deus, assim Deus o usava como um instrumento para fazer operar a sua justiça. O mandamento "não matarás" foi dado aos homens porque nenhum homem tem o direito de tirar a vida de outro, já que a todos a vida foi dada gratuitamente, e a mesma não pode ser comprada. Somente Deus, por ser o juiz supremo de todo o mundo, e por ser o autor da vida, possui o direito de tirá-la. Naquele momento, Deus deu a sua autoridade de fazer isto aos levitas, apenas naquele caso e por aquela razão. Eles estavam literalmente "matando em nome de Deus". É óbvio que isto não justifica que qualquer um por aí saia matando homens, dizendo estar fazendo isto em nome de Deus.

De acordo com a Bíblia, Deus é um torturador [porque manda pessoas para o inferno]. Infelizmente, de acordo com a Revista Christianity Today, tortura é sempre errado (referência). O fato de um Deus perfeito fazer algo que é sempre errado mostra a contradição. Foi dito por um leitor que o inferno não envolve tortura. "O inferno é nada mais do que uma separação de Deus, não um lugar ardente de tortura", de acordo com o leitor. [Isto está em desacordo com muito textos bíblicos] (Mt 3.12, 13.41,42,49,50)

Este argumento sugere a ideia (errada) de que Deus está sujeito às mesmas restrições e obrigações morais que nós. Isto não é verdade por várias razões. Eu já dei o exemplo no parágrafo anterior, em relação ao assassinato. O mesmo pode ser pensado para algumas outras atitudes. Deus sabe qual é a forma mais justa de punir alguém por uma ofensa tão grande quanto negar ao Deus todo-poderoso. Pode ser que esta forma mais justa seja algo que é proibido ao ser humano fazer por que lhe faltam direitos para isso. Mas Deus possui todos os direitos sobre a vida e a humanidade. Eu não estou falando exatamente de tortura. Na verdade, é correto afirmar que o inferno está relacionado à separação de Deus. Mas ele também está associado à punição pelos pecados. A Bíblia não entra em detalhes sobre como se dará esta punição, pode ser que esta ideia de fogo nos textos bíblicos seja apenas uma metáfora. Leia mais sobre o inferno nos links que se encontram na prova # 21.

Prova # 17 - Pense em Leprechauns 

Muitos crentes dirão: "É impossível para você provar que Deus (Alá, Rá, Vishnu, o que for) não existe. Não há maneira de provar que algo não existe." Este é um argumento bobo pela seguinte razão.

Imagine que temos uma conversa um dia e eu digo a você: "Eu acredito na gerflagenflopple. Você não pode provar que o gerflagenflopple não existe, portanto, existe." Você pode ver que isso é ridículo. (...) Tem de haver alguma evidência de que o gerflagenflopple existe para afirmar a sua existência. Como não existe, é muito fácil dizer que o gerflagenflopple é imaginário.

Nenhum crente (cristão, pelo menos) na história defendeu este tipo de argumento: "É impossível provar que algo não existe; é impossível provar que Deus não existe; logo, Deus existe". Na verdade, o que tem acontecido hoje em dia é justamente o contrário. Uma camada popular de ateus geralmente usa a assertiva "Não se pode provar que algo não existe" para fugir do ônus da prova de justificar o seu ateísmo. Mas esta afirmação é falsa. Veja o artigo Sobre Deus como causa e o ônus da prova para mais detalhes. Agora, é verdade que é impossível provar (cientificamente) que Deus não existe, assim como também que Ele existe. Explicarei melhor a seguir.

Você realmente já ouviu falar de Leprechauns. Há vários livros, filmes e contos de fadas que lidam com Leprechauns. (...) Não há nenhuma evidência física para a existência de Leprechauns.  (...)Portanto, é óbvio para qualquer pessoa normal que Leprechauns são imaginárias. Se você pensar sobre isso, você vai perceber que não há diferença entre Deus e os duendes. Muita gente fala de Deus como se Ele existe, mas não há real evidência para a existência de Deus. Por exemplo:

Não há absolutamente nenhuma evidência indicando que Deus existe. Há uma enorme quantidade de evidências empíricas de que Deus não existe. Portanto, podemos dizer conclusivamente que Deus não existe. Essa é a única coisa que uma pessoa racional pode dizer.
Na verdade aqui no Brasil os Leprechauns não são muito conhecidos. Acima há uma imagem de um para que você possa reconhecê-lo. Leprechauns são algo como duendes, personagens do folclore da Irlanda, que segundo a lenda aparecem quando se acha um trevo de quatro folhas e são guardiões de tesouros escondidos, eventualmente potes de ouro. Mas comparar Deus com um Leprechaun é uma falácia, por uma série de motivos. Deus é definido com um Ser metafísico, enquanto o Leprechaun é um ser físico. Portanto, as maneiras de provar sua existência e o tipo de evidências esperadas para os dois são coisas completamente diferentes. Veja o infográfico Refutando o Argumento do Dragão na Garagem.
Como eu disse anteriormente, é impossível provar pela ciência que Deus existe ou não existe porque qualquer afirmação sobre Deus é feita no plano metafísico, que está fora do escopo do método científico. Mas isto não quer dizer que não há nenhum motivo racional para acreditar em Deus. As "evidências" que possuímos para acreditar em Deus são do mesmo tipo das evidências que temos para acreditar em qualquer outra afirmação metafísica, como por exemplo "existe um mundo real externo aos nossos corpos" ou "o passado é real, não é apenas uma ilusão da minha mente". Para mais detalhes, leia o artigo em três partes "Afinal, existem evidências para a existência de Deus?".

Prova # 18 - Imagine o céu 

Se você conversar com um cristão sobre o céu, você pode entender claramente que a noção de céu e  vida eterna é imaginária. Cada conversa será diferente, mas uma conversa típica pode ser algo assim:

Ateu: As pessoas desaparecem completamente [no arrebatamento]?

Cristão: Sim. Tudo o que é deixado para trás é suas roupas, suas jóias e seus aparelhos auditivos! Os crentes são transportados diretamente para o céu!

Ateu: Seus corpos nus são transportados para o céu?

Cristão: Sim!

Ateu: Há seis bilhões de pessoas no planeta. Cada um deles pesa cerca de 70 quilos ou mais. Você está me dizendo que Deus leva cerca de quatrocentos milhões de toneladas de carne humana fora do planeta em um instante?

Cristão: Absolutamente não! Só os crentes são transportados!

Ateu: OK, cem milhões?

Cristão: Sim!

Ateu: E para onde é que estes cem milhões de toneladas de carne de vão?

Cristão: Para o céu!

Ateu: Para o céu ... onde é isso?

Cristão: É em outra dimensão, é claro! Deus vive no céu!

Ateu: Como todos os corpos chegam a esta "outra dimensão" chamado "céu"? Será que eles flutuam para o céu e, em seguida, viajam através do vácuo do espaço?

Cristão: Não, seu bobo! Eles são desmaterializados e então rematerializados no céu!

Ateu: Então você está dizendo que 100 milhões de toneladas de carne humana nua estão de alguma forma "desmaterializados" fora do nosso universo, e então eles "rematerializam" em "outra dimensão" chamado "céu?" E o processo de "desmaterialização" de alguma forma distingue entre carne humana natural e as coisas não naturais, como roupas e aparelhos auditivos?

Cristão: Sim!

Ateu: Então... que se a pessoa tem válvulas cardíacas artificiais, próteses e duas articulações do quadril de titânio? São as arrancadas de seu corpo e deixadas para trás com suas jóias?

Cristão: Sim!

Ateu: E o que acontece com essa pobre pessoa, cujo coração entra em colapso e cujas pernas estão agora debatendo em torno separado da sua pélvis?

Cristão: O livro realmente não falar sobre isso ... Eu imagino que Deus iria corrigi-los!

Ateu: E sobre todas as pessoas cujos corpos são devastadas com câncer e aids e enfisema?

Cristão: Deus corrige todos eles também!

Ateu: E quanto a todos os corpos decrépitos de oitenta anos de idade ou mais?

Cristão: Deus dá-lhes novos, jovens, belos corpos!

Ateu: E sobre todas as pessoas cujos corpos morreram e decompostos?

Cristão: Deus lhes dá jovens, novos, corpos bonitos também!

Ateu: Então por que se preocupar transportar os corpos dos crentes para o céu? Porque não basta dar a todos um novo corpo, jovem e bonito e deixar os seus antigos na terra?

Cristão: A Bíblia diz que seu corpo é transportado para o céu! Esta é a vontade de Deus!

Ateu: OK, então o céu está cheio de pessoas cujos corpos ou cadáveres ou seja lá o que for que foram "desmaterializados" da terra, e então "rematerializados" no céu. E então os corpos desmaterializados / rematerializados são descartados, e eles são substituídos por novos, jovens e belos corpos?

Cristão: Sim! Agora você entende o poder do Senhor Jesus Cristo!

Ateu: O que acontece depois?

Cristão: Os crentes vivem todos no céu em harmonia, paz e alegria por toda a eternidade!

Ateu: Como é o céu?

Cristão: Nós começamos a reunir com todos os nossos amigos mortos e familiares! Encontramos nossos antepassados ​​pela primeira vez!

Ateu: Sério?

Cristão: Com certeza!

Ateu: E quanto às pessoas como George Washington e Benjamin Franklin?

Cristão: Todo mundo está lá! Você pode falar com qualquer um em toda a história! Além disso, você começa a conhecer Deus e Jesus. Eu mal posso esperar para conhecer Jesus!

Ateu: Isso parece divertido. O que mais?

Cristão: Bem, as ruas são pavimentadas de ouro! Está escrito na Bíblia! E todo mundo tem uma casa grande! E você pode comer o que quiser e não engordar! E realmente, você só faz coisas que te deixam feliz! Todo mundo está sempre feliz!

...E assim por diante.

Depois de ouvir uma conversa como essa, deveria ser óbvio para todos nós: O Céu é imaginário. É tudo completamente imaginário.

Fora o fato de que o personagem cristão do diálogo fictício é extremamente caricaturizado, ele fala muitas coisas que não condizem com o que está escrito na Bíblia, ou seja, o céu do qual ele está falado é realmente algo imaginário! Que veio da imaginação dele, e não da Bíblia.
Para começar, o arrebatamento não é algo que sempre foi ensinado por todos os cristãos. Nem todos os segmentos cristãos pregam a doutrina do arrebatamento. O que é comum ao ensinamento de todos os cristãos em todas as épocas é que Jesus voltará fisicamente à terra num futuro próximo, todos os homens serão julgados e alguns viverão eternamente com Jesus, enquanto outros serão condenados. 
Em segundo lugar, a Bíblia não dá tantos detalhes sobre o "fim do mundo" quanto foi alegado no diálogo. Fora os pontos-chave que eu citei acima, quase todo o resto é pura especulação de como será o céu. Muitas coisas no Livro de Apocalipse estão escritas em uma linguagem altamente simbólica. Por isto, as alegações do personagem cristão são completamente irrelevantes a despeito do que o cristianismo ensina.
Em terceiro lugar, se o cristianismo afirma que Deus é todo-poderoso, não haveria nenhum problema se tudo acontecesse exatamente da maneira que o personagem descreveu. Por mais que pareça implausível, Deus é todo-poderoso, e nada se torna implausível perante Seu poder (embora eu não acredite que será exatamente assim como o personagem descreveu).

Há também o absurdo que vem quando você compara os dois pontos de vista das pessoas sobre o céu. Para alguns se trata de harpas, nuvens e auréolas na cabeça. Para outros, envolve virgens atraentes. Para algumas pessoas, o corpo real é transportado magicamente para o céu. Para outros, sua "alma" flutua para fora do corpo em direção a São Pedro. E assim por diante. As pessoas fantasiam qualquer coisa que elas gostam, porque o céu é um lugar completamente imaginário.

O fato de as pessoas imaginarem o céu de formas diferentes é uma consequência direta de haver pouco conteúdo na Bíblia que trate do assunto de forma clara. Todo o resto se torna especulativo, e aí entra a imaginação de cada um. Mas eu acho isto algo bom. O homem sempre é movido pela curiosidade a respeito do que não sabe.  

Prova # 19 - Observe que você ignora Jesus 

Jesus fez uma série de declarações muito claras sobre dinheiro e riqueza na Bíblia. Por exemplo:

Mateus 6:19
Não ajunteis para vós tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde os ladrões minam e roubam, mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não arrombam e furtam. Pois onde estiver o vosso tesouro, aí estará o seu coração também.

Lucas 14:33
Qualquer um de vocês que não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo.

Mateus 6:24
Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se devotará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e ao Dinheiro.

Mateus 19:21-24
Jesus respondeu: "Se você quer ser perfeito, vai, vende seus bens e dar aos pobres, e terás um tesouro no céu. Em seguida, vem e segue-me." Quando o jovem, ouvindo isto, retirou-se triste, porque tinha muitas riquezas. Então disse Jesus aos seus discípulos: "Eu vos digo a verdade, é difícil para um rico entrar no reino dos céus. Outra vez vos digo, é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um homem rico entrar no reino de Deus. "

Mateus 19:28-29
Jesus disse-lhes: "Digo-vos a verdade, a renovação de todas as coisas, quando o Filho do Homem senta-se no seu trono glorioso, vocês que me acompanharam também sentados em doze tronos para julgar as doze tribos de Israel. E todos que tem casas à esquerda ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou filhos ou campos por minha causa, receberá cem vezes mais e herdará a vida eterna.

Lucas 9:23-25
Então ele disse a todos: "Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me Pois quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la, mas quem perder sua vida por mim, esse a salvará. . O que é que é bom para um homem ganhar o mundo inteiro, e ainda perder ou perder a sua auto muito?

Mateus 13: 22
Aquele que recebeu a semente que caiu entre espinhos é o homem que ouve a palavra, mas a preocupação desta vida eo engano das riquezas a sufocam, tornando-a infrutífera.

Hebreus 13:5
Mantenha sua vida livre do amor ao dinheiro e se contentar com o que você tem, porque Deus disse: "Nunca te deixarei,. Nunca te desampararei"

Filipenses 2:3
Não fazer nada por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a si mesmos.

Atos 2:44-45
Todos os crentes viviam unidos e possuíam tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens e os repartiam por todos, conforme tinham necessidade.

A mensagem é clara. Se você quer seguir Jesus, é preciso "vender seus bens e dar aos pobres." É uma mensagem muito simples, e fácil de fazer. Já fez isso? O fato de que você está lendo esta página que indicaria que você não tem. Provavelmente, você possui um computador, paga por uma conexão com a Internet a cada mês, vivem em uma casa ou apartamento, etc. Em outras palavras, você vive uma vida em um nível de riqueza inimaginável no tempo de Jesus. Enquanto isso, bilhões de pessoas no planeta vivem na pobreza. Por que você não vende tudo e seguir Jesus, como ele pede na Bíblia? A razão é simples: Jesus e Deus são imaginários, e você sabe disso. Se Jesus fosse real, você faria o que ele diz.

Note que nenhum dos textos citados acima condena o dinheiro em si. Quando a mensagem é de reprovação, ou aparece a palavra "riquezas" ou "ambição" ou "amor ao dinheiro". Todos vão concordar que isto é claramente condenado pela Bíblia. Mas não há nenhum texto na Bíblia que condene a posse de dinheiro. Pelo contrário, a Bíblia exalta o trabalho e diz que é honra para o homem receber o fruto das suas obras.
O autor argumenta que todos vivem hoje em dia num nível de riqueza inimaginável nos tempos de Jesus, mas isto é irrelevante porque o conceito de riqueza é relativo. O padrão de o que era considerado riqueza naquele tempo não é aplicável aos dias de hoje. Mas eu concordo que um dos problemas mais sérios hoje em dia é a distribuição desigual de fonte de renda entre as parcelas da humanidade. Deveria ser uma missão dos cristãos amenizar este problema no mundo. O último texto que o autor citou é um ótimo exemplo de como os cristãos faziam isto no início, eles repartiam suas posses igualmente entre si. Mas note que eles faziam isto voluntariamente, não há nenhum tipo de mandamento que os tenha obrigado a fazer exatamente aquilo nem que nos obrigue a fazer isto hoje.
Veja mais alguns textos que o autor não citou:
 ‎"(...) o AMOR AO DINHEIRO é a raiz de todos os males." (1 Tm 6.10) (e não a posse do dinheiro ou de bens em si);
"Se alguém tiver recursos materiais e, vendo seu irmão em necessidade, não se compadecer dele, como pode permanecer nele o amor de Deus?" (1 Jo 3.17) (não há nada escrito aqui sobre "vender tudo o que possui");
A parábola do mordomo infiel (Lc 16.1-13): nela, Jesus ensina como os bens materiais e o dinheiro devem ser bem utilizados, em vez de acumulados ou esbanjados em prazeres.

Prova # 20 - Observe a sua igreja 

[Releia as declarações sobre riqueza na prova #19.] 

A contradição é surpreendente. Em nenhum lugar nos ensinamentos de Jesus é sugerido que os cristãos devem comprar terras e construir igrejas. Jesus não sugeriu a acumulação de bilhões de dólares em barras de ouro. Cristãos deveriam supostamente vender tudo e dar o dinheiro aos pobres, de acordo com Jesus. No entanto, congregações religiosas fazer exatamente o oposto em uma base regular. Construir um grande santuário é um exercício de vaidade, egoísmo e orgulho humano. Esses atributos são o oposto das prescrições de Jesus e todos sabem disso.

Congregações e igrejas ignoram deliberadamente os ensinamentos de Jesus, porque eles sabem que Jesus é imaginário.

Há realmente um problema sério dentro de muitas igrejas hoje em dia: ignorando os conselhos de Jesus, pessoas são seduzidas pelo amor ao dinheiro e tornam o evangelho uma maneira acumular capital para si mesmas. Isto é algo totalmente reprovável, e mostra apenas que a Igreja é formada de pessoas, e que todos somos suscetíveis a errar. 
Mas o simples fato de construir um prédio e arrecadar dinheiro, que é o que todas as igrejas fazem normalmente, não é em si errado. É desejável que haja um lugar para os crentes se reunirem, e geralmente o dinheiro arrecadado é utilizado para pagar despesas básicas da igreja, sustentar pastores que se dedicam integralmente ao serviço eclesiástico e membros carentes e realizar obras sociais na comunidade. 
O problema, principalmente no Brasil, é que hoje em dia os evangélicos são conhecidos por causa do que aparece na mídia a respeito deles. E os evangélicos que gostam de aparecer na mídia são justamente os mais famosos por se aproveitarem do dinheiro das pessoas. Existem muitas igrejas por aí, algumas desconhecidas da maioria das pessoas, que usam o dinheiro de forma sábia e transparente (e eu participo de uma destas igrejas). 

Prova # 21 - Entenda o cerne da mensagem de Jesus
Pense por um momento sobre a declaração abaixo:

"Olá, meu nome é Jesus. Eu te amo profundamente. Eu te amei desde que você foi concebido no ventre e eu vou te amar por toda a eternidade. Eu morri por você na cruz porque eu te amo tanto. Eu desejo ter um relacionamento amoroso e pessoal com você. Vou responder todas as suas orações através do meu amor. Mas se você não ficar de joelhos e me adorar, e se você não comer meu corpo e beber o meu sangue, então eu vou INCINERAR você com uma dor inimaginável no fogo do inferno por toda eternidade MUAH HA HA HA HA HA! "

Sim, esta é a mensagem central do cristianismo. Veja João 6:53-54 e Marcos 16:16. Pense sobre essa mensagem. Nós temos um ser que, de acordo com o Modelo Padrão de Deus, encarna o amor. No entanto, se você não ficar de joelhos e adorá-lo, você será fisicamente torturado por toda a eternidade. Que tipo de amor é esse?

Esta "prova" remonta o velho argumento ateísta de que o inferno é incompatível com o amor de Deus. Eu escrevi extensamente sobre este assunto nas páginas do blog. Para entender porque esta descrição do cristianismo é uma caricatura infiel e como o inferno é compatível com a bondade e a justiça de Deus, leia os artigos abaixo:


Prova # 22 - Conte todas as pessoas que Deus quer matar 

Se você olhar na Bíblia, há um número surpreendente de pessoas que Deus quer que seus seguidores o matem. Por exemplo, em Êxodo 35:2 (...)

Em outras palavras, se realmente ouviu o que Deus diz, seria preciso matar, pelo menos, metade das pessoas nos Estados Unidos amanhã. Afinal, Isaías 40:8 diz: "Os erva seca, a flor murcha, mas a palavra de nosso Deus permanece para sempre." A palavra do Senhor nos diz para matar metade da população dos EUA.

Com isto voltamos de novo lá na prova # 13. Todos os mandamentos que o autor citou (eu poupei vocês de ler abobrinhas e cortei uma parte do texto) são aqueles do Velho Testamento que não são mais válidos para hoje. Não são válidos nem levando em conta este texto de Isaías colocado totalmente fora de contexto para justificar o frágil argumento apresentado.

Prova # 23 - Escute a doxologia 

A "Doxologia" é uma canção cantada em milhões de igrejas cristãs em todo o mundo todos os domingos. Ele abre com esta frase:

"Louvai a Deus, de quem fluem todas as bênçãos."

Com essa frase, podemos provar que Deus não existe, assim como Papai Noel. Podemos provar que Papai Noel não existe em uma variedade de maneiras, mas aqui é uma maneira: notamos que ele traz montanhas de brinquedos para crianças ricas, deixando as outras crianças a morrer de fome. Da mesma maneira, podemos provar que Deus não existe, anotando o desequilíbrio de suas bênçãos. Se Deus existisse e distribuiu bênçãos conforme descrito na Doxologia, em seguida, as bênçãos seriam distribuídos uniformemente entre os seus crentes. E os não-crentes receberia nenhum. Como resultado, a mão de Deus, através de suas bênçãos, seria claramente visível para que todos possam ver através de análise estatística.

Vamos supor que Deus é real e que todas as bênçãos realmente fluxo dele. Se for esse o caso, então a extrema injustiça com a qual ele se dispersa suas bênçãos é uma prova positiva de que Deus é ridículo. Se todo o fluxo de bênçãos de Deus, então o fato de que Bill Gates possui bilhões dólares, enquanto 10 milhões de crianças morrerão de fome este ano é especificamente culpa de Deus. Isso é ridículo.

O autor, sob uma perspectiva materialista, interpreta a palavra "bênçãos" como algo puramente material ou financeiro. Mas as bençãos de incluem a própria vida, a saúde, a felicidade e principalmente a esperança da salvação. E certas coisas, Deus dá tanto aos crentes quanto aos não crentes. Leia por exemplo Mateus 5.44-45.

E o fato de Deus ser a origem de todas estas coisas não quer dizer que não temos nenhuma responsabilidade em ganhar o nosso sustento. Nós trabalhamos, nos esforçamos e recebemos o devido salário. Isto com certeza vem de nós, mas também podemos que vem de Deus porque, por exemplo, se não fosse Ele, não teríamos tido saúde para trabalhar ou não teríamos conhecido as pessoas certas para conseguir aquele emprego. Enfim, o que eu quero dizer é que existe uma certa parcela de coisas que depende de nós. Eu acredito que muito deste problema de desigualdade social que existe hoje em dia depende unicamente de nós resolver e somos quase que completamente responsáveis pela situação em que o mundo hoje se encontra.


Prova # 24 - Pergunte por que a religião causa tantos problemas 

Se Deus existisse, você não iria esperar que haja um benefício enorme para aqueles que seguem e lhe obedecem? Por que, em vez disso, vemos o contrário?

Por exemplo, há evidências crescentes de que a ilusão da religião causa disfunção social significativa. A investigação estatística está revelando os problemas que vão com a religião. Por exemplo, um recente artigo no Journal of Religion and Society pontua que a religião está correlacionada com as dificuldades sociais significativas que podemos ver na América. (...)

A visão predominante é que a religião é inofensiva mesmo que seja ilusória. Parece que não seja o caso. Os EUA são o país mais religioso dos estudados no mundo desenvolvido, e que também tem os maiores problemas em termos de coisas como homicídio, mortalidade juvenil e adulta precoce, as taxas de infecção de DSTs, gravidez na adolescência e aborto.

Analisar os problemas acima numa sociedade é algo por demais complexo, para ser creditado unicamente a fatores religiosos. Eu penso que, nos Estados Unidos, o que mais contribui para estas altas taxas é a cultura deles, que é extremamente liberalista, tanto nos costumes, quanto na política e na economia. Estes fatores são independentes da religião.
Me parece que o autor, ao tratar da questão, ignorou vários outros estudos recentes acerca da religião, como por exemplo estes aqui:

Prova # 25 - Compreenda a evolução e a abiogênese 

Recentemente, tem havido uma mudança notável na comunidade cristã: Muitos membros da fé cristã estão abraçando a evolução. (...) O interessante de entender é que quando você aceitar a evolução, o que você está fazendo é automaticamente rejeitando o conceito de uma alma. Aqui está o porquê: Assim que você aceitar que a evolução é verdadeira, você também aceitar que a história da criação na Bíblia é falsa. É mitologia pura. O conceito de "alma", que vem do mesmo livro, é exatamente o mesmo tipo de mitologia.

Basta pensar através da lógica. O que a teoria da evolução diz é que todos os seres vivos neste planeta evoluiu através de um processo totalmente natural. Todas as espécies que vemos hoje é derivada de simples, organismos unicelulares ao longo de centenas de milhões de anos. Em outras palavras, não houve processo de criação sobrenatural para os seres humanos como descrito no livro bíblico de Gênesis.

Aqui está sendo dita muita bobagem. Primeiro, evolução não é o mesmo que naturalismo. A evolução, enquanto teoria científica, precisa pressupor o materialismo, mas não se provou até hoje que a evolução de todas as espécies como vemos hoje possa se originar de um processo totalmente naturalista (isto é, sem a intervenção de forças externas à natureza). Na verdade, a probabilidade de isto ter acontecido é algo tão ínfimo que ultrapassa os limites da nossa compreensão. Veja o artigo do filósofo Alvin Plantinga sobre o assunto: Evolução e Naturalismo - por que eles são como óleo e água.
Segundo, os cristãos não passaram a aceitar a evolução repentinamente, depois de ver que que a ciência não mais se encaixava em suas visões de mundo, como o autor sugere. A Bíblia nunca foi um livro com o objetivo de declarar verdades científicas. O texto escrito em Gênesis sugere de várias formas que ele não seja um relato literal dos fatos, principalmente porque o próprio autor não estava lá para testemunhar o que ocorreu. (Veja o artigo "Interpretação Literal do Gênesis?") E o texto de Gênesis já era interpretado como não-literal desde São Agostinho, por exemplo, que em cerca de 450 d.C. sugeriu um processo de criação que lembrava em muito a teoria da evolução, cerca de 1400 anos antes de Darwin publicar sua teoria! Na verdade só depois que Darwin publicou e se criou uma espécie de guerra intelectual entre ateus e religiosos (que começou por parte dos ateus darwinistas) é que surgiu o fundamentalismo, corrente dentro do cristianismo que rejeita enfaticamente as descobertas científicas e dogmatiza muitos pontos da interpretação bíblica.
Terceiro, mesmo que a teoria da evolução seja verdadeira, ela não afirma nem nega nada em relação a existência de Deus. Como eu disse antes, a probabilidade de acontecer naturalmente é tão baixa que se torna até mais plausível que tal fenômenos tenha sido guiado por uma mente inteligente ao longo das eras. Veja o artigo "Evolução Darwiniana prova a inexistência de Deus?".


De onde surgiu a primeira célula vem? Muitos crentes argumentarão que Deus magicamente criada a primeira célula viva. Isto, naturalmente, é bobagem. O princípio científico que descreve a origem da vida é chamado abiogênese . Da mesma maneira que não há sobrenatural estar envolvido na evolução, não há sobrenatural estar envolvido em abiogênese. Tanto a criação da vida e da evolução das espécies são processos completamente naturais.

"Abiogênese" é simplesmente o termo técnico para vida gerada a partir do não-vivo. O cientista Louis Pasteur comprovou no século XIX que organismos vivos só podem se originar de outros organismos vivos. Mas, para o ateísmo fazer sentido, isto não pode ser verdade. Por isso, os cientistas naturalistas procuram até hoje uma maneira de descrever a vida simplesmente por processos naturais. Até hoje o avanço feito nesta área não é conclusivo.

Muitos crentes dirão: "Isto é simplesmente falso. Mesmo que os seres humanos são o produto da evolução, os seres humanos ainda são especiais aos olhos de Deus. Deus manipulou o processo evolutivo de alguma maneira mágica a divinamente criar seres humanos, e Deus magicamente dá a cada ser humano uma alma no momento da concepção."

Para ver a verdade, você precisa entender que todas as explicações que envolvem " mágica "são falsas. O fato é que Deus não tinha absolutamente nada a ver com a criação da vida neste planeta nem com qualquer parte do processo evolutivo. Assim que você aceitar este fato, você percebe que você não tem alma. Deus é imaginário eo conceito bíblico de vida eterna é um conto de fadas.
Aqui o uso da palavra "mágica" é um trunfo do autor para apoiar o seu argumento. Mas não é bem assim. Mágica é um termo muito pejorativo, e denota claramente algo irreal. Mas mágica e ação transcendente ao Universo são conceitos filosoficamente diferentes. Muitas observações na biologia sugerem que as características dos seres vivos foram projetadas. E isso nos leva sim a concluir que pode haver um projetista por trás da vida, mesmo que não saibamos de que maneira ele colocou em prática suas intervenções. Isto é o mesmo que arqueólogos encontrarem restos de cerâmicas e construções numa escavação. Eles podem seguramente concluir que aqueles objetos se devem a uma ocupação antiga de um povo, mesmo que não façam ideia de quem eles eram ou como chegaram àquele lugar.
O conceito de alma cai na mesma questão. Só porque não sabemos explicar o que é a alma, ou de que tipo de substância é feita, não quer dizer que ela é mágica.
[Leia a Parte 4] 

14 comentários :

  1. Serei honesto com vc esse autor original tem umas ideias bem radicais sobre determinados assuntos, principalmente escravidao, wow sick!

    Se levar em consideração usando todo o contexto e da epoca que foi tirada, ai eu concordaria com ele sobre escravidao, mas fica dificil concordar quando ele utiliza certos termos fora da época.
    Mas fica um ponto muito importante sobre escravidão ou deus mudou sua visão sobre isso ou as pessoas perceberam que escravidão é uma coisa pessima para a sociedade e pararam com essa pratica.
    Veja bem esse ponto independe de deus. As pessoas mudaram, deus gostando disso ou nao. Primeiro isso demonstra que se deus existe ele nao interferi de forma alguma no mundo humano, a historia por si só demonstra esse argumento. Segundo algo que o nosso autor original do texto em ingles nao fez, foi verificar as evidencias que existem sobre a historia da biblia e a historia de deus ate agora em nenhum ponto do racicineo dele, nao vi esses tipos de evidencia ou provas. EStou chocado com isso.

    Sobre jesus e seus milagres tem muitos ponto importante relatados acima, primeiro é importante notar que conforme os evangelhos vao sendo escritos os milagres vão aumentando de proporção.
    Segundo Não é evidenciado fora da biblia principalmente na epoca, relatos fora da biblia que comprovem que jesus realmente fez os milagres que fez, na vdd quando vc olha pra toda a historia que nao esta escrita dentro da biblia, é facil perceber uma grande separação entre a biblia diz e o mundo externo da epoca.
    Outros ponto interessante é que a biblia veio a existir atraves de um consenso de quais livros poderiam ou nao fazer parte dela, baseado no que era lido, acredito eu aos sabados nas sinagogas.
    Não houve deus na historia novamente, as pessoas decidiram o que iria e o que nao iria pra dentro da biblia.
    Nenhum desses fatores é a favor de deus(nao provam a existencia do mesmo), pois demonstra que as pessoas mudaram com o passar do tempo, quero deixar isso bem claro. AS pessoas mudaram a historia, algumas usando o nome deus, outras empregando serem deuses, mas isso nao diz absolutamente nada sobre deus, muito importante notar isso, as pessoas que deram esse nome, e é muito provável pelo decorer da historia as pessoas criaram a ideia e o conceito de deus. Mesmo analisando a biblia é facil notar esses padroes.


    Esse autor do texto como outros autores, principalmente visto em debates, principalmente o atkins, deixam muito a desejar. deixando bem claro é bom resaltar que existem diferentes tipos de ateismo.
    É muito importante notar que quando os debates õu artigos são feitos por ceticos a postura da conversa muda.

    Inclusive se eu fosse fazer um artigo, qualquer artigo que seje, estaria pensando o que a critica poderia dizer, quais arguemntos ela poderia usar para refutar minhas alegações, e atraves desse pensamento iria verificar a maioria das afirmações possiveis que demonstrem que meu artigo possa estar equivocado. O que vejo claramente nao é o que o autor original faz, na vdd é ate facil fazer refutação contra os argumentos dele.

    Vlw abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desta vez você fez uma observação muito interessante, que talvez eu até poderia usar como assunto para um futuro artigo... sobre isso de Deus não aparecer diretamente na história.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    2. cara eu sou meio agnostico mas acho muito interesante seu blog depois vou ler tudo mas e sempre bom ver os dois lados tantos dos ateus quanto os religiosos depois que tiver tempo vou ler continua com isso eu gostei muito dos seus artigos

      Excluir
    3. mas so uma coisa eu acho que voce podia fazer artigos mais pequenas pois mesmoa sendo interesante perde muito tempo lendo eles

      Excluir
  2. Fiquei intrigada sobre um comentário seu : É engraçado como o autor, que possui uma clara tendência neo-ateísta, de repente assume uma espécie de moralismo que só é coerente com o teísmo. Se Deus não existe (como ele defende), não existem valores morais absolutos, então não haveria nenhum motivo para afirmar que algo é correto ou não é.

    Então você afirma que se uma pessoa não acredita em deus, ela não tem moral?
    Esta pessoa não saberia diferenciar o que é certo e o que é errado?


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, cara Anônima.

      Não, não foi isso que eu disse. Eu disse que quem não acredita em Deus não pode ter uma moral absoluta, mas nada impede que essa pessoa acredite em valores morais subjetivos (que dependem da cultura, da época, etc.). A única base possível para uma moral absoluta é algo que seja externo à humanidade e até mesmo ao Universo.

      E além disso, mesmo que a pessoa não acredite em Deus, não quer dizer que ela não possa agir como se existissem valores absolutos. Por exemplo, alguém que não acredita em Deus mas acredita que torturar bebês é errado independente da época ou da cultura. Tal pessoa está apenas agindo de forma incoerente com a sua crença pessoal, pois nega a existência do único ser através do qual pode haver um valor absoluto.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    2. Po velho então matar mulheres não mais virgens que vão se casar, homossexuais, pessoas que trabalham aos sábados é moral absoluta? Pra mim é só a moral subjetiva daquela época.

      Excluir
    3. Essa era a lei cerimonial judaica, Deus tinha propósito simbólicos específicos ao da-la ao povo hebreu (e ele deu essas leis exclusivamente ao povo hebreu e a mais ninguém). Além disso a mesma Biblia diz que depois que Jesus Cristo veio aquelas leis já não eram mais necessárias, pois o propósito simbólico delas já havia se cumprido.

      Excluir
    4. A lei serviu a seu propósito.

      Toda a bíblia deve ser lida a partir de Jesus. Para os Cristãos as palavras da salvação estão apenas no N.t, Jesus citou o V.t o que a seu respeito constava, em Moisés, nos profetas e nos salmos, mas em momento algum ele disse “fique com Moisés” Precisamos, ler o todo da bíblia a partir de Jesus e saber que todos os mandamentos, estatutos e juízos do V.t foram anulados na morte de Jesus que é o cumprimento da profecia. Porque o fim da Lei é Cristo para justiça de todo aquele que nele Crer!

      Excluir
  3. POis é cara, e se existirem valores morais mas não absolutos. Á época em que a bíblia foi escrita era moral a escravização, dessa forma ao passar dos anos a moral foi evoluindo, e hoje na nossa concepção a escravidão não é mais moral.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A escravidão que existia naquele tempo não é a mesma ideia de escravidão que nós temos hoje. Você não pode interpretar um termo usado há 3000 anos pelo sentido que ele tem hoje. Isso se chama "anacronismo".

      Excluir
    2. um significado recente de uma palavra não é o mesmo do usado naquela época, ajuda nos a entender as figuras de linguagem, o contexto histórico e geográfico, porque Jesus disse o que disse, para quem disse, porque disse e quais as circunstancias que o levaram a dizer....

      Por isso existem a Hermeneutica e a exegese.

      Excluir
  4. agora eu perdi aonde estava o topico sobre o machismo....mas vai minha reflexao

    Muito do que Paulo disse foi contextual e específico!! As cartas dele são corretivas (1 Cor 1:11)! Para ajudar nos meninos na fé e iniciantes (1 Cor 3:1) Que estavam no Leite (Cor3:2) "vacilões" sempre caindo nos mesmos erros (Hb 5:12) levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens (Ef 4:14). PAULO MESMO DISSE, DE TUDO QUE ELE DIZIA, Parte era profecia, parte entendimento!(1 Cor 13:9)!

    ASSIM, PRECISAMOS entender que essas orientações de Paulo foram contextuais, especificas e cultural para um dado problema a uma dada circunstancia. Pois ELE MESMO em outras cartas de Paulo, bem como nas epistolas de Pedro eles explicam que todos devemos ser submissos uns aos outros, ao Patrão, as autoridades, aos mais velhos, ou seja, devemos ser respeitosos!! Assim como Jesus foi submisso aos seus tosqueadores, devemos ser submissos uns aos outros.....OU SEJA A MENSAGEM NADA MAIS DIZ QUE: TODOS OS HOMENS DEVEM SER HUMILDES, EM TIMÓTEO PAULO REFORÇANDO A ORIENTAÇÃO PARA AS MULHERES QUE NAQUELE DETERMINADO CONTEXTO NÃO ERAM.

    ResponderExcluir
  5. vai se ferrar, na boa, Deus existe sim, seu sem opnião, essa merda não prova nada ok? SEUS ATEUS DE MERDA

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...