segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Por que eu não sou um neo-ateu (texto escrito por um ateu)

Olá leitores.
Apesar de este texto ter sido escrito por ateu, eu achei válidos alguns dos argumentos dele contra a postura neo-ateísta, contra várias ideias que venho combatendo aqui. Por isso eu estou compartilhando o texto aqui.

Obs: Como eu já disse o autor é ateu, por isso não me responsabilizo por 100% do conteúdo do texto, já que nossas posições filosóficas e religiosas são diferentes. Leia de forma imparcial.

Abraços, Paz de Cristo.

1. Ateísmo não é diploma

Descobriu que é ateu ontem? Ótimo. Não precisa usar as palavras “lógica”, “razão” e “argumento” cinco vezes por frase. O fato de ser ateu não te faz mais inteligente, melhor informado ou maior conhecedor da ciência. Na verdade, grandes gênios da humanidade foram crentes até o final de suas vidas e grandes nomes da ciência hoje continuam sendo crentes. Considere que ateísmo, apesar de não ser recente, é uma filosofia minoritária entre as pessoas. A maioria das pessoas é crente e não deixa de desenvolver habilidades fantásticas por causa disso.



O grande problema dos neo-ateus é justamente o proselitismo. A maioria está recém se descobrindo como ateu e precisa se afirmar de um jeito ou de outro. O resultado é um púbere falando besteira e ofendendo os outros porque acha que é um iluminado que descobriu a verdade.

2. Religião não é doença

O neo-ateu acha que foi milagrosamente curado, e acredita que deve curar os outros “doentes”. Insiste que a religião é um mal no mundo e que ela precisa ser eliminada. Na sua cabeça, a religião é instrumento de poder, de dominação, de enganação, etc.

Iludido pela novidade, embarca numa verdadeira pregação do Devangelho. É um dever moral fazer o maior número possível de desconversões.



Não sabe portanto que a religião nunca foi o mal, e sim a repressão religiosa. Repressão religiosa é feita de religião para religião e de ideologias políticas para religiões em geral. Quando sustentamos que a religião é um mal a ser eliminado, estamos perpetuando justamente a repressão religiosa.

3. Ignorância não é força

Caindo na ilusão de que tudo que é contra a religião é “científico”, o neo-ateu pensa que crer em figuras do “ateísmo” é um tipo de ceticismo ou livre pensamento. Repete ipsis literis as besteiras de Sam Harris e Richard Dawkins sem considerar se estas pessoas estão habilitadas para discutir o assunto ou se o que dizem é lógico e faz sentido. Acreditar no que diz Dawkins sobre Teologia é como acreditar no que diz Craig sobre zoologia. Ambos podem emitir opinião sobre o assunto, mas nenhum está qualificado para discuti-lo com propriedade. Dawkins é um excelente zoólogo, e só isso.



Para deixar o estado de credulidade do neo-ateu, é necessário que ele entenda que o ateísmo é uma postura filosófica como as outras, que precisa ser estudada se pretende levá-la à sério. Não se pode discutir religião sem entender religião. E entendê-las não através de esteriótipos desenhados por aqueles que as atacam. Sem conhecer os argumentos do outro lado, jamais se pode ter segurança e convicção da própria posição, mas sim uma opinião escorada na credulidade, como a de um crente fanático  sem conhecimento da própria doutrina religiosa.

É mais fácil ler críticas contundentes à religião em autores que escreveram há séculos como Locke, Paine e Mill, ou até religiosos como Erasmo de Roterdã, do que nos livros de comédia e ficção de nova seita antiteísta.

4. Antiteísmo não é ateísmo

Chame como quiser: neo-ateísmo, ateísmo militante, humanismo secular, fundamentalismo ateu, etc. Antiteísmo não é ateísmo. Ateísmo, com prefixo -a-, indica uma ausência: ausência de crença, de religião, de deus ou deuses. Um ateu não acredita que deuses existem (ou acredita que deuses não existem, dá na mesma), e não segue religião teísta alguma. É só isso. Ateísmo acaba aí.

Hoje em dia pouca gente pensa nisso, mas um ateu poderia acreditar em espíritos, forças sobrenaturais e planos não-materiais. É suficiente para ser ateu que não se acredite em divindades. Nada impede a existência de um espiritismo ateu, por exemplo. De fato, existem até religiões ateístas como o positivismo (religião da humanidade), o humanismo, a cientologia, etc.

Antiteísmo é oposição às religiões teístas e ao pensamento teísta. Na prática, significa que o antiteísta acredita que a religião e a crença em deuses são um mal a ser eliminado. O antiteísmo é portanto tão intrusivo quanto uma religião expansionista, já que busca a conversão. Ou, neste caso, a “desconversão”.

5. Se fosse para pregar, eu seria crente

O antiteísta não se contenta em pregar que a religião é nociva e (des)converter os outros para a sua seita. O neo-ateu também se congrega em igrejas, virtuais ou não. Eles se juntam em congregações como a ATEA, a Liga Humanista Secular, etc.

Se fosse para pregar, ter liturgia, ir numa congregação e ter discurso oficial, eu seria crente. Qual o sentido de se congregar em torno de uma descrença? É como juntar pessoas num clube de não-torcedores do Flamengo, ou numa associação de não-moradores da Vila Cruzeiro. É óbvio que as associações se dão em razão de características comuns e positivas: torcedores do Flamengo e moradores da Vila Cruzeiro. Anticomunistas se associam, antifascistas se associam, anticapitalistas se associam. No caso dos neo-ateus, são antiteístas e antirreligiosos se associando em prol de uma doutrina política antirreligiosa.

O que não falta é religião ateísta. Desde as mais respeitáveis e milenares como Budismo, Taoísmo e Confucianismo às mais recentes e cientificistas Religião da Humanidade, Culto da Razão, Cientologia, etc. É inevitável: quanto mais ateus dogmatizam o próprio pensamento para combater religiões e quanto mais incentivam o “ateísmo organizado”, mais os “ateus” entram em esquemas prontos que formatam seu pensamento numa doutrina religiosa. Se religião fosse um problema, antiteísmo não teria virado uma.

6. O antiteísmo tem um passado imundo (e um presente também)

Toda perseguição religiosa trouxe efeitos devastadores  quando tomou o poder político. Da Guerra Cristera provocada por Plutarco Elías Calles no México aos verdadeiros massacres cometidos na União Soviética, na China, na Albânia e em todo lugar onde o comunismo se instalou ou tentou se instalar, podemos tirar a lição de que o sectarismo ateu não é menos nocivo que o religioso.

Se neo-ateus acham que podem julgar cristãos por causa das Cruzadas ou da Inquisição, desconhecem que a militância ateísta fez coisa semelhante em lugares onde crentes foram fuzilados e a religião, proibida.

É difícil calcular quantas foram as mortes decorrentes da repressão à religião. Mas podemos citar alguns eventos desagradáveis decorrentes dela:

  • A Guerra Cristera provocada por Plutarco Elías Calles, que matou mais de 30 mil cristeros e 50 mil soldados federais.
  • O massacre de religiosos pelos republicanos espanhóis durante a Guerra Civil Espanhola que totaliza umas 6,8 mil pessoas.
  • Campanhas de “reeducação” e campanhas “anti-reacionárias” do Partido Comunista Chinês durante o governo de Mao Zedong. Um exemplo é a Revolução Cultural que matou cerca de 500 mil pessoas, o que inclui muitos religiosos já que a China era e é um Estado Ateu.
  • Os expurgos socialistas na Mongólia para erradicar o Lamaísmo, que custaram entre 30 mil e 35 mil vidas.
  • A repressão religiosa do governo de Enver Hoxha na Albânia.
  • A repressão comunista no Camboja, que mandou para os campos da morte  Chams (cambojanos muçulmanos), cambojanos cristãos e monges budistas.
  • As campanhas antirreligiosas da União Soviética de 1917-1921, de 1921-1928, 1928-1941, de 1958-1964, e de 1970-1990, cujo número de vítimas não é conhecido.
  • A completa repressão religiosa na Coréia do Norte, que impôs o culto ateísta ao Estado (Juche).
  • A repressão religiosa por Estados Ateus como a República Popular da China, o Laos, o Vietnã, e a Coréia do Norte, que resiste até hoje.

7. O neo-ateísmo desrespeita a liberdade de pensamento

Longe de ser um grupo aberto ao diálogo, os neo-ateus são combativos e desrespeitosos. Não admitem diálogo: para eles a religião é uma enganação, e um mal a ser extirpado.

Nesta posição, sua reação é o fechamento ao debate. As verdades estão evidentes e as peças estão dispostas no tabuleiro: de um lado os religiosos fanáticos, do outro os iluminados defensores da razão e da ciência. Incapaz de um diálogo interreligioso, ele resume sua linguagem à mera afronta à doutrina religiosa que escarnece. Não dialoga: xinga; não argumenta: faz deboche; não aceita negociação: ou você está do lado da razão ou você é um crente que precisa ser desiludido.

Não havendo espaço para diálogo, o objetivo dele é um só: calar a boca dos crentes. Ele quer que retirem as cruzes dos tribunais, que retirem a palavra “Deus” da Constituição e das notas de real, que se acabe com o ensino religioso, que se proíba os crentes de manifestar publicamente a fé ou divulgar as suas opiniões e a sua ideologia na mídia. Combatem, assim, não só a liberdade de culto como também a liberdade de expressão.

8. Darwin não é deus e ciência não é religião

A mentira mais repetida por e para neo-ateus é que religião é inimiga da ciência. É claro, se você fingir que a comunidade científica ocidental não nasceu dentro da Igreja Católica e que todo o sistema universitário ocidental não é baseado num modelo acadêmico estabelecido pela Igreja.

Outra idiotice é militar pelo evolucionismo como se fosse a corporificação da ciência e da razão. Uma teoria científica, válida hoje, pode estar refutada amanhã. O que farão se o evolucionismo for posto em cheque? Admitirão que militavam por uma mentira ou vão cair na real, que não existem “fatos científicos”, verdades incontestáveis? Outra é atacar ad nauseam o criacionismo como se todo cristão fizesse interpretação literal do Gênesis, e esquecendo que quem formulou a teoria do Big Bang era um padre. Um indivíduo pode perfeitamente ser crente e lidar com ciências sem problemas.

O pior não é ver alguém militar pelo “evolucionismo”, mas ver que o mesmo sujeito não entende a Teoria da Evolução: diz que “animais passam por mutações” ou que “o homem descende do macaco”. Para piorar, louva este ou aquele cientista e sua teoria como se fossem santos e padroeiros da ciência. Darwin, Newton e Einstein foram importantes, mas fazer desta pessoas e de deturpações de suas teorias uma bandeira de militância é idiota, deturpa a visão das pessoas da ciência, tornando-a cada vez mais impopular entre crentes.

Por fim, o cientificismo. A idéia idiota de derivar padrões morais da ciência. A ciência, assim como a filosofia e a religião, tem um escopo, um campo limitado de atuação. Ciência serve para descobrirmos coisas novas e acumular conhecimento, e não ditar como devemos empregar o conhecimento. Podemos usar energia nuclear para iluminar cidades inteiras ou para fazer armas de destruição em massa. O que determina o que fazer com os avanços científicos depende de um padrão moral extrínseco à ciência: vem de uma doutrina política, filosófica ou religiosa.

9. O ateísmo não propõe coisa alguma

Você propõe alguma coisa? Fale por si. O ateísmo não propõe coisa alguma. Ateísmo é não acreditar em deuses e religiões teístas. Ponto. Qualquer coisa além disso é parte de uma doutrina, ideologia e filosofia pessoal sua. Não existe medida científica para o bem e o mal e não vai ser você quem vai inventar.

Se você defende a política X ou Y, você fala de um conjunto de idéias políticas suas. Ateísmo é outra coisa.

10. O antiteísmo sabota a causa da razão.

Qual o sentido de difamar algo que não existe? Que tipo de pessoa escreve livros, faz vídeos e dá palestras para criticar algo que não existe? Das duas uma: ou esta pessoa quer ganhar dinheiro de trouxas, ou ela está conduzindo uma cruzada contra a lógica. Você conhece alguém que escreve livros ou faz vídeos para contestar a existência de duendes, de fadas do dente, do coelhinho da páscoa ou do papai noel? Então porque seria menos ridículo alguém que escreve para contestar a existência de deuses ou espíritos?

Dentre os males causados pelo neo-ateísmo, podemos mencionar:
  • Emperra o diálogo interreligioso.
  • Inculca nos crentes o ódio pela ciência, em vez de estimular a sua apreciação.
  • Deturpa as ciências pela propagação de versões caricaturizadas de teorias científicas.
  • Cria um tumulto em torno de um ente que não existe, provocando mais militância de ambos os lados.
  • Desvia o foco do estudo das ciências de questões mais proveitosas para questões que tem pouca aplicação prática.
  • Pseudoceticismo: fomenta a blindagem cerebral ao aceitar credulamente qualquer coisa com o rótulo de “científica” e ao rejeitar qualquer coisa com o rótulo de “religiosa”.
  • Dogmafobia. O medo de ter princípios morais  e fazer o julgamento da realidade com base em princípios, em vez de fins. O resultado é que o sujeito ataca qualquer coisa “moral” e defenderá qualquer coisa imoral que tenha a pecha de “científica”.
  • Tornar-se um pé no saco. O sujeito começa a evitar igrejas, grupos de amigos, foge quando alguém reza antes do almoço, critica até a avó porque ela lê a Bíblia, quer discutir com pastor, etc.

Conclusão:

Se você ainda está na fase de contestar os dogmas, mitos e tradições religiosas da sua sociedade para afirmar-se, esqueça esta militância. O ateísmo não é um fenômeno novo, não apresenta nenhum tipo de avanço ou progresso da sociedade moderna. É mais provável que ele seja anterior a qualquer religião que tenha existido, e é portanto mais antigo do que qualquer tradição religiosa. Não se preocupe em desconverter as pessoas, preocupe-se em transmitir os valores que tornam a sociedade melhor: a tolerância, o diálogo, a liberdade individual, a liberdade de expressão. As verdades, “científicas” ou não, cedo ou tarde vão sendo descobertas.

63 comentários :

  1. Excelente postura desse ateu. Ateístas e teístas deveriam ter postura semelhante, claro que cada um dentro de sua crença.

    Deus abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por postar aqui esse texto excelente!!!!

      Excluir
    2. Só que tem um detalhe, Guilherme: ateísmo não é crença.

      Excluir
    3. Isso depende.
      Alguns ateus simplesmente não acreditam em Deus, enquanto outros acreditam que Deus não existe, estes últimos possuem uma crença, enquanto os primeiros uma descrença...

      Excluir
    4. Alexandre Bee,

      Não.

      Ateísmo é a falta de crença em deuses. Não interessa como vc coloca - ateus não acreditam na existência de deuses ou acreditam que deuses não existem - no fim das contas é uma falta de crença ou descrença. Dá no msm.

      Falar que alguns ateus possuem uma crença é o mesmo que dizer que algumas pessoas praticam um esporte ao não jogar futebol.

      Excluir
    5. Michelle,
      você á estudou filosofia a fundo alguma vez na sua vida? Se não eu até recomendo a você, eu pelo menos gosto muito. Enfim, tem uma parte da filosofia chamada epistemologia, que é a teoria do conhecimento. Na epistemologia se aprende que todo o nosso conjunto de cognições são na verdade crenças. Essas crenças podem ser fundamentadas ou não, e existem aquelas que precisam ser fundamentadas e as que não precisam (estas últimas se chamam crenças básicas). Nenhum sistema de conhecimento possui todas as suas doutrinas demonstráveis e possíveis de serem provadas, sempre há um conjunto de verdades iniciais (axiomas ou premissas) que precisam ser admitidos.

      Por isso, é algo sem sentido dizer que algum ser humano neste mundo não possui crenças. Eu posso aceitar que ateu não possui religião (embora há controvérsias), mas não que não possua crença.

      É claro que existe uma diferença entre acreditar que Deus ou deuses não existem e não acreditar que deuses existam. No primeiro caso é óbvio que há uma crença envolvida. No segundo caso também há, mas não é tão óbvio. Todo ser humano precisa de algo para se fundamentar, então esta pessoa deve acreditar numa coisa, nem que seja em si mesmo, ou na Natureza cósmica, ou no poder da ciência, seja lá o que for. Os ateus do último século querem passar a imagem de que são os únicos seres racionais, que não possuem superstições ou crenças sem fundamento. Mas isso é utópico demais para ser verdade.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    6. David Sousa

      >> "você á estudou filosofia a fundo alguma vez na sua vida?"

      Sim. Eu leio td que cai nas minhas mãos sobre filosofia desde a primeira vez que entrei em contato com ela no segundo grau e isso faz mais de 10 anos. Eu tenho uma porrada de livros sobre filosofia, já li todos várias vezes e isso sem contar os livros que pego emprestado na biblioteca pública da minha cidade.

      >> "Por isso, é algo sem sentido dizer que algum ser humano neste mundo não possui crenças. Eu posso aceitar que ateu não possui religião (embora há controvérsias), mas não que não possua crença."

      Um ateu pode possuir crenças em várias coisas. Só que essas coisas não incluem divindades. Tem ateus que acreditam em espíritos. Tem ateus que acreditam em vidas passadas, reencarnação, paranormalidade, ufologia, etc. Ser ateu tem a ver apenas com a descrença (ou falta de crença) em divindades. Apenas isso.

      Eu - sendo atéia - não acredito em deuses. Mas tb não acredito em nada dito sobrenatural. Não acredito em espíritos, vidas passadas, reencarnação, carma, paranormalidade, ufologia, etc. Mas acredito (não no sentido de ter fé, pois fé não é baseada em evidências, é dogmática e não permite questionamentos) em um monte de coisas que eu sei que existem pois são baseadas em evidências concretas. Eu acredito no universo e nas leis que regem td que há nele; acredito na natureza, acredito na raça humana e nas coisas boas e más que ela é capaz de fazer; acredito nos sentimentos e emoções (sejam eles bons ou ruins); acredito na minha capacidade de criar coisas novas; acredito na música, na arte em geral, etc. Acredito em mim mesma tb.

      Posso ficar aqui até o fim da semana que vem digitando coisas em que acredito. O ser humano precisa de algo pra lhe dar forças, de um porto seguro, de algo que o ajude a vencer os obstáculos...mas não tem que ser necessariamente uma ou mais divindades imaginárias. No meu caso por exemplo, o que me ajuda é a música e literatura. Ouvir música e escrever poemas é o meu porto seguro. Assim como ler livros, assistir filmes ou admirar os quadros dos meus pintores favoritos. Sem isso, nem sei o que seria de mim hj. Assim sendo, eu acredito no poder terapêutico da arte na minha vida.

      >> "Os ateus do último século querem passar a imagem de que são os únicos seres racionais, que não possuem superstições ou crenças sem fundamento. Mas isso é utópico demais para ser verdade."

      Na verdade isso não é assim tão utópico. Eu sou atéia e não acredito em superstições. Não acredito - além dos mencionados acima ( espíritos, vidas passadas, reencarnação, carma, paranormalidade, ufologia,etc) - em astrologia, quiromancia, piromancia, búzios, milagres, santos, demonologia, previsão do futuro, clarividência, telepatia, telecinese, homeopatia, radiestesia, bruxaria, etc. Não preciso de acreditar em superstições e ter crenças sem fundamento, justamente por elas serem sem fundamentos; por elas não terem nenhuma utilidade prática.

      Não condeno quem acredita nessas coisas. Cada um sabe o que é melhor pra si, mesmo que seja pura fantasia. Mas pra mim crer em superstições e mitos não tem utilidade nenhuma pra mim. Tem coisas que são bem reais e que são fundamentadas que me ajudaram (e me ajudam ainda) e são bem melhor do que qualquer superstição, crença religiosa, mito, etc.

      Excluir
    7. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    8. David Sousa,

      >> "Os ateus do último século querem passar a imagem de que são os únicos seres racionais, que não possuem superstições ou crenças sem fundamento. Mas isso é utópico demais para ser verdade."

      Talvez isso seja utópico para pessoas que acreditam em mitos e/ou superstições que não tem fundamento algum. Essas pessoas estão tão acostumadas em acreditar em superstições e mitos que elas acham inconcebível que tem pessoas que não acreditam nessas coisas e que estão bem assim.

      Dou até um exemplo que acontece na minha casa com o meu pai. Embora ele respeite o fato de eu ser atéia, ele não consegue imaginar como pode haver uma pessoa se dar bem na vida e ser feliz na medida do possível sem usar deus como muleta ou porto seguro. Ele não consegue entender como uma pessoa pode enfrentar as dificuldades que aparecem ao longo da vida sem ter crença em deus. Isso pq ele está mto acostumado com a idéia de que "sem deus não somos nada e ninguém", "sem deus não podemos fazer nada", etc.

      Na cabeça do meu pai, ele iria pirar se não fosse pela crença de que deus está lá em cima dando uma forcinha pra ele. Eu já passei por algumas coisas na minha vida que meu pai nem sequer imagina e que eu consegui superá-las graças ao meu esforço e - em certos casos - com a ajuda de algumas pessoas. Nunca passei a acreditar em deus ou em astrologia pra ter uma força pra enfrentar o que eu tive que enfrentar.

      Eu respeito o fato de que meu pai acredita em deus e tal. Mas o que eu sempre digo pra ele é que a força que ele tem pra enfrentar as dificuldades que aparecem vem dele mesmo; essa força sempre esteve lá...dentro dele desde o início. Acontece que ele dá crédito dessa força pra pessoa errada.

      Excluir
  2. Gostei muito do Texto, identifiquei-me com o autor. Esses neo-ateus me irritam bastante pois eles falam mal dos cristãos, dizem que os cristãos não pensam, que os cristãos são uns iludidos, ou seja eles simplesmente não respeitam os outros, e acham-se muito superiores. Embora eu seja Agnóstica teísta , acho que cada um deve respeitar a religião dos outros.

    Por vezes, eu acho que eles agem assim só para chamarem a atenção, afinal de contas, não custa nada ser ateu e ficar de boca calada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agnóstica teísta? Fiquei curioso em saber o que isso significa, Patrícia, rsrs.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    2. Significa que ela esta em cima do muro! hahahaha!

      Excluir
    3. Agnosticismo, teísmo e ateísmo - embora possam ser usados juntos - são coisas diferentes.

      Agnóstico é aquele que não sabe se deuses existem ou não. Ateísmo é a falta de crença em deuses e teísmo é a crença em deuses.

      A Patrícia - ao falar que é agnóstica teísta - quer dizer que ela acredita em deus (teísta), apesar de não ter certeza sobre sua existência (agnóstica).

      Eu sou atéia agnóstica: não tenho certeza sobre a existência de deuses(agnóstica), mas não acredito que eles existam. (atéia).

      Excluir
    4. Patrícia

      As pessoas tem que respeitar a liberdade dos outros de ter a religião que bem entender ou de não ter nenhuma se assim quiserem.

      Quanto à respeitar as religiões, isso não é obrigatório.

      Excluir
    5. "Quanto à respeitar as religiões, isso não é obrigatório."
      Obrigatório mesmo é o combate a toda e qualquer forma de humanismo secular.

      Excluir
    6. Reinaldo,

      >> " Obrigatório mesmo é o combate a toda e qualquer forma de humanismo secular."

      Porque?

      Excluir
    7. Não existe motivo para me aprofundar na resposta, visto que você não fundamentou o porquê "não devemos respeitar as religiões".

      Excluir
    8. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    9. Reinaldo

      Então sem uma justificativa do pq o combate ao humanismo secular é necessário(talvez devido à sua incapacidade ou preguiça de aprofundar no assunto?), o seu "argumento" é inválido. Próximo!

      Excluir
    10. Permita-me parafraseá-la: Então, sem uma justificativa do porquê não devemos respeitar as religiões...o seu "argumento" é inválido. Próximo!

      "(talvez devido à sua incapacidade ou preguiça de aprofundar no assunto?)"
      Ad Hominem!!! Mais fácil atacar a pessoa do que defender sua posição. Claro, atitude típica de gente "intelectual".

      Excluir
    11. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    12. Reinaldo,

      Querido...se é uma justificativa que vc quer o pq o respeito às religiões não é obrigatório, eu vou te dizer:

      1 - Pq religiões - assim como qualquer coisa pertencente ao campo das idéias - não são imunes às críticas. Idéias não tem que ser respeitadas, pessoas sim.

      2 - pq respeito não é incondicional. Se as religiões querem respeito, ok. Então mostrem respeito primeiro.

      3 - pq fica difícil respeitar uma religião que incita preconceito, violência e discriminação contra pessoas que não fazem parte dela; fica difícil respeitar uma religião que coloca seus dogmas obsoletos acima dos direitos humanos e civis; fica difícil respeitar uma religião que se considera acima da lei; etc.

      4 - Por exemplo: eu não respeito o cristianismo por causa da ficha suja que ele tem ao longo da história: Cruzadas, Reforma Protestante; Inquisição, perseguição contra os judeus; indulgências; a Noite de São Bartolomeu. Isso sem contar que essa religião é contra os direitos humanos mais básicos só pq estes contrariam seus velhos dogmas. Isso sem contar o empecilho que essa religião é em relação aos avanços científicos que podem salvar vidas. Hj eu agradeço o fato de vivermos em uma sociedade contemporânea onde instituições religiosas não mandam na comunidade científica, já que essas instituições podem esbravejar até ficarem roxas contra a pesquisas com células-tronco, isso não vai impedir essas pesquisas de acontecerem.

      Não respeito o islamismo, algumas correntes do judaísmo e o hinduísmo pelo mesmo motivo. O islamismo por causa da violência que os extremistas fazem em seu nome, isso sem contar os maus-tratos contra as mulheres e contra qualquer pessoa que não seja islâmica. Isso sem contar que os muçulmanos lutam até entre si (vide sunitas X xiitas); não respeito algumas correntes do judaísmo pq elas são hiper conservadoras e vão contra os direitos humanos. O hinduísmo tb pq vai contra os direitos humanos.

      Se essas três religiões querem respeito, que façam por onde merecê-lo.

      O que merece respeito é a liberdade da pessoa ter a religião de sua escolha (ou de não ter nenhuma), de acreditar no deus que quiser (ou de não acreditar em nenhum). O que merece respeito é a liberdade da pessoa exercer a sua religião (ou a falta dela) e de manifestar a sua crença (ou a falta dela) publicamente. Esses direitos são inalienáveis.

      Ou seja, respeito a liberdade que vc tem de acreditar em deus (caso vc seja teísta) e de ser religioso (caso vc siga uma religião). Mas não significa que sou obrigada a respeitar a sua religião.

      Bom, aí está a minha justificativa.

      Agora, cadê a sua justificativa do pq o humanismo secular tem que ser combatido?

      Excluir
    13. 1. Ele prega o ódio antirreligioso.
      2. Ele é anticientifico e prejudica o desenvolvimento da ciência.
      3. Prega a distorção da realidade através da propagação de mentiras.

      Existem mais, mas de início está ótimo.

      "Ou seja, respeito a liberdade que vc tem de acreditar em deus (caso vc seja teísta) e de ser religioso (caso vc siga uma religião). Mas não significa que sou obrigada a respeitar a sua religião."
      Eu respeito sua liberdade de não crer, mas não espere que um religioso respeite sua descrença. E não sou teísta, não creio em deus.

      Excluir
    14. Reinaldo,

      >> "Eu respeito sua liberdade de não crer, mas não espere que um religioso respeite sua descrença."

      E o kiko? Se o religioso não quer respeitar a minha descrença, direito dele. Não fico nem sequer azul de preocupação com isso. Contanto que ele não tente me converter, tá beleza.

      >>"1. Ele prega o ódio antirreligioso./2. Ele é anticientifico e prejudica o desenvolvimento da ciência./3. Prega a distorção da realidade através da propagação de mentiras."

      Vc disse isso sobre o humanismo secular? Se for, vc não sabe do que ele se trata.

      Caso vc não saiba, vou te explicar:

      1 - O humanismo secular é um campo da filosofia que dá importância à razão humana, a ética, a justiça social e o naturalismo filosófico e rejeita dogmas religiosos, o sobrenatural, pseudociências e superstições como formas de guiar a nossa moralidade e tomada de decisões.

      2 - O humanismo secular (ou laico) visa o uso da razão e do método científico e de evidências concretas no lugar de fé e de mitos para buscar formas de solucionar as questões humanas; ele entende que dogmas, ideologias, tradições religiosas, políticas e sociais devem ser discutidas, avaliadas e testadas em vez de serem aceitas apenas por fé; se preocupa com a realidade e a adota como forma de entender melhor quem somos; procura entender melhor o mundo através de experiências e uma busca constante por conhecimento e entende que o uso da razão e da empatia é o melhor jeito de se fazer deste mundo um lugar melhor pra se viver.

      O humanismo secular não é anticientífico, tanto que tem cientistas que são humanistas seculares: Carl Sagan, Bertrand Russel, Dawkins,Niels Bohr,Einstein, Brian Cox, etc. Bônus: Giordano Bruno que era teólogo e frade era tb um secular humanista. Pena que ele foi condenado pela ICAR a ser queimado vivo.

      E tem eu: sou atéia agnóstica e humanista secular. ^^

      Excluir
    15. "1 - O humanismo secular é um campo da filosofia que dá importância à razão humana,"
      Sua atitude é ingênua. Vladimir Lenin cunhou a expressão “idiotas úteis” para designar aqueles ingênuos que, nas sociedades capitalistas e democráticas, ardendo em aspirações de estratosférica utopia, eram facilmente manipulados e conduzidos à vara pelos ativistas comunistas, em atividades contra os seus próprios interesses como cidadãos dos respectivos países, e que favoreciam os interesses soviéticos. “Idiotas” porque relativamente estúpidos e “úteis” porque a sua estupidez era aproveitável por pessoas mais espertas. A função dos ateus humanistas é implementar subversão. Estes (militantes) de hoje são os velhos idiotas úteis do comunismo de sempre. Eles acham que podem salvar a humanidade através da eliminação da religião. Eles dizem não serem comunistas e muitos nem fazem ideia do que é isso mesmo. Mas, idiotas úteis que são, seguem exatamente a risca a cartilha dos comunistas. O humanismo é, HOJE, uma RELIGIÃO POLÍTICA composta por fanáticos mais extremistas que muitos islâmicos.


      "...a ética, a justiça social..."
      Começou a piada. Ética? Como o ateísmo pode fundamentar moral? Pela ciência CERTAMENTE não é! Foi Richard Dawkins que, quando "debateu" com Francis Collins, disse que não acreditava existir algo por aí chamado BEM e algo chamado MAL. No livro The Evolution of Ethics, o biólogo evolucionista Edward O. Wilson e filósofo Darwiniano Michael Ruse afirmam que a ética, como a conhecemos, é uma ilusão com que nossos genes nos enganam para que cooperemos. Não existe saída objetiva para o ateísmo.

      Excluir
    16. "e o naturalismo filosófico e rejeita dogmas religiosos, o sobrenatural, pseudociências e superstições como formas de guiar a nossa moralidade e tomada de decisões."
      O máximo que eu posso aceitar (pois lhe dou a vantagem da dúvida) é que você siga isso mesmo. Quanto aos dogmas, os ateus gostaram tanto que eles COPIARAM dos religiosos. Você sabia que já existe a PRIMEIRA IGREJA do ateísmo. Eles tem ordenamento, podem realizar sacramentos, como casamento, além de não poder faltar a contribuição do dízimo: Charles Darwin é o caminho, nós somos o pedágio! Veja:
      firstchurchofatheism.com/

      Quanto a pseudociências, a memética de Dawkins mandou lembrança, só faltam as evidências!!!!


      E quanto a "formas de guiar a nossa moralidade", Sam Harris é o melhor fraudador que existe. Em The Moral Landscape ele afirma que a ciência, em princípio, pode determinar nossos valores morais. Pena que o que faltou a ele foi PROVAR SE a ciência tem condições de determinar os valores morais. Essa SUPERSTIÇÃO tola, humanistas como ele, Dawkins, Dennett e Hitchens aceitam sem qualquer tipo de evidência. Engraçado é que Harris teve a oportunidade de PROVAR (ahahaha) seu "argumento", quando debateu com William Lane Craig, mas preferiu ficar repetindo "ad nauseam" que cristãos são imorais...claro, esse julgamento "objetivo", vindo de um relativista moral como ele só não provocou risos no Craig porque ele tem um defeito: é cristão demais!


      "2 - O humanismo secular (ou laico) visa o uso da razão e do método científico"
      As evidências mostram o oposto. Quando afirmei que o humanismo era anticientifico, ele o é porque sua pregação se dá através do uso de mentiras e de cientificismo barato que trazem prejuízos a popularização da mesma. Um bom exemplo é o pateta Dawkins, que insiste em MENTIR e dizer que a ciência refutou deus e que se você defender o evolucionismo, você não pode ser cristão. Isso gera uma indisposição ao aceite da TE. O ateu Michael Ruse já percebeu o problema. Ele disse: Uma parte principal do ataque ateísta é que a ciência tem demonstrado que a hipótese Deus é tola. Suponhamos que isso seja verdade — que se você for darwinista, então você não pode ser cristão. Então como que alguém responde ao criacionista que faz objeção ao ensino do darwinismo nas escolas? Se vale para um, vale para o outro. Se teísmo não pode ser ensinado nas escolas (nos Estados Unidos) porque viola a separação da Igreja e o Estado, por que então deve ser permitido o darwinismo? Se o darwinismo leva ao ateísmo, isso também não viola a separação da Igreja e o Estado? No mínimo, Dawkins e companhia deveriam estar mostrando mais responsabilidade. Se eles estiverem certos, então que seja. Eu não desejaria ocultar o fato. Mas vamos enfrentar as consequências dos argumentos. Explique para nós em que base alguém pode agora legitimamente ensinar a evolução nas escolas. Eu acho que alguém pode, porque não vejo o elo entre o darwinismo e o ateísmo.....

      Excluir
    17. "e de evidências concretas no lugar de fé e de mitos para buscar formas de solucionar as questões humanas; ....se preocupa com a realidade e a adota como forma de entender melhor quem somos; procura entender melhor o mundo através de experiências e uma busca constante por conhecimento e entende que o uso da razão"
      Aqui você citou o óbvio do que a ciência pode fazer e de como o método cientifico funciona.

      " e da empatia é o melhor jeito de se fazer deste mundo um lugar melhor pra se viver."
      Aqui outra fraude. Você deve entender o que a ciência é e o que ela não é. "Empatia" é algo PESSOAL e a ciência é IMPESSOAL. Outra fraude é "MELHOR". Também é PESSOAL, pois não foi definido um valor numérico comparativo. Em teoria dos jogos, por exemplo, existem estratégias onde o "olho por olho" é a melhor solução para a resolução de um problema. Agora vamos a parte crítica. Você se lembra que eu disse que o humanismo prega o ódio antirreligioso? Se alguém ler o primeiro capítulo de “A Morte da Fé” (2004), o "Atheist Manifesto" (2005) e as primeiras partes do "The Moral Landscape" (2010), todos do Harris, vai notar "historinhas" de horror onde atrocidades são cometidas por religiosos. O principal objetivo dessas histórias é causar uma sensação de raiva no leitor, pois a sensação de raiva é grande motivador para a ações militantes antirreligiosas.
      Você diz que o humanismo prega a "empatia". Engraçado mesmo é ver a empatia BIZARRA que os humanistas tem em direção a, por exemplo, Bento XVI. Outra demonstração da "empatia" humanista foi a postura de Sam Harris, ao atacar a candidatura de Francis Collins para chefe do NIH,EXTREMAMENTE DOGMÁTICA. Ele disse: Dr. Collins escreveu que a ciência não oferece respostas para as questões mais contundentes da existência humana e que as alegações do ateísmo materialista devem ser resistidas prontamente. Resta só esperar que estas convicções não afetem o seu julgamento nos institutos de saúde…
      Não passa, é claro, de preconceito a Collins pelo fato deste ser religioso! Guardei o melhor exemplo para o final: o SEU! Você disse que eu era incapaz ou preguiçoso. Linda "empatia". Você, Michelle, MENTE MUITO!!!


      "ele entende que dogmas, ideologias, tradições religiosas, políticas e sociais devem ser discutidas, avaliadas e testadas em vez de serem aceitas apenas por fé;"
      Desde que o objeto de estudo esteja dentro do escopo da ciência, ok. Já deus, bem, esse está fora.
      E me ocorreu um insight...se as ideologias e tradições religiosas podem ser estudas pela religião, o humanismo também pode!!!


      "Bônus: Giordano Bruno que era teólogo e frade era tb um secular humanista. Pena que ele foi condenado pela ICAR a ser queimado vivo."
      Que loucura! O humanismo se baseia, como disse antes, em mentiras e distorções da realidade. Giordano não era humanista secular, e sim um frade dominicano. O que eu concordo é que, de fato, ele defendeu alguns interesses da parcela secular, como um bom CRISTÃO!
      Realmente, ele foi condenado, não pela ICAR, mas pelo papa, porque está claro que a ICAR representa mais do que um homem. Qualquer pessoa honesta admite tal coisa. Faltou a segunda parte da história. Ele foi entregue as AUTORIDADES SECULARES! Isso eu chamo de ironia.
      Se tiver interesse, recomendo: SINGER, DOROTHEA WALEY, Giordano Bruno, His Life and Thought, Henry Schuman, 1950.
      Bônus: Você sabia que foram os ateus que inventaram o colete bomba? Os Tamil Tigers, ateus, foram um grupo terrorista. No ano de 1991 eles inventaram o famigerado colete-suicida. Em virtude do seu pioneirismo, eles têm mais atentados com homens-bomba em seu currículo do que o Hamas.


      "E tem eu: sou atéia agnóstica e humanista secular. ^^"
      E o kiko?

      Excluir
    18. Reinaldo,


      >> "Vladimir Lenin cunhou a expressão “idiotas úteis” para designar aqueles ingênuos que, nas sociedades capitalistas e democráticas, ardendo em aspirações de estratosférica utopia, eram facilmente manipulados e conduzidos à vara pelos ativistas comunistas, em atividades contra os seus próprios interesses como cidadãos dos respectivos países, e que favoreciam os interesses soviéticos."

      And? Eu deveria me importar com o que Lenin disse? E falácia do apelo à autoridade...tsc tsc tsc.

      >> "A função dos ateus humanistas é implementar subversão. Estes (militantes) de hoje são os velhos idiotas úteis do comunismo de sempre. Eles acham que podem salvar a humanidade através da eliminação da religião. Eles dizem não serem comunistas e muitos nem fazem ideia do que é isso mesmo."

      É aí que vc não entende porcaria nenhuma de humanismo e humanismo secular. Caso vc não saiba, humanismo secular, humanismo e ateísmo não são mutuamente exclusivos. Há teístas que são humanistas ou humanistas seculares.
      Um humanista secular não visa eliminar as religiões; ele apenas quer que as religiões se mantenham separadas do estado (daí que vem o secularismo) e que respeitem os direitos humanos e civis.

      Eu - apesar de ser atéia e humanista secular e não respeitar algumas religiões - eu não quero que as religiões sejam eliminadas da face da Terra. Eu não sou antiteísta ou anit-religião. Até pq sei querer que todas as religiões deixem de existir é ingênuo e completamente utópico. Eu - como secular humanista - respeito a liberdade de credo religioso das pessoas. Acontece que - como secular humanista - as religiões saibam o seu lugar. Que elas se preocupem mais em oferecer conforto espiritual às pessoas do que ficar empurrando dogmas antigos e que vão contra os direitos humanos e civis; que parem de querer mandar na vida particular das pessoas; que parem de querer converter td mundo na base da força, chantagem emocional ou cansaço; que parem de querer que os governos laicos sigam suas diretrizes baseadas no que essas religiões pregam e acham que é correto; que parem de querer barrar o progresso científico e que parem de agir como se estivessem acima da lei. Não é pedir mto, é?

      Eu sou a favor da coexistência pacífica. Mas isso ainda está looooooooooongeeeeeeeeeee de acontecer.


      >> "Mas, idiotas úteis que são, seguem exatamente a risca a cartilha dos comunistas."

      Vc sequer sabe o que é comunismo?

      >> "O humanismo é, HOJE, uma RELIGIÃO POLÍTICA composta por fanáticos mais extremistas que muitos islâmicos."

      Claro! Os "humanistas fundamentalistas" saem por aí explodindo pessoas em atentados à bomba; derrubam prédios; apedrejam até a morte mulheres que foram estupradas, acusando-as de adultério; condenam à morte pessoas que cometem o "crime" de blasfêmia por não seguirem o humanismo; ameaçam de morte cartunistas e criadores de desenhos animados por estes fazerem piadas com o humanismo. #sarcasmo.


      >> "Começou a piada. Ética? Como o ateísmo pode fundamentar moral?"

      Vc tem dificuldade em interpretar textos e de prestar atenção no que lê? Eu não estava falando sobre ateísmo e sim sobre humanismo secular. Leia de novo qtas vezes forem necessárias até vc entende: "1 - O humanismo secular é um campo da filosofia que dá importância à razão humana, a ética, a justiça social e o naturalismo filosófico e rejeita dogmas religiosos, o sobrenatural, pseudociências e superstições como formas de guiar a nossa moralidade e tomada de decisões."

      Onde está ateísmo aqui, filhinho? Eu por acaso mencionei ateísmo nesse parágrafo? Por acaso eu mencionei ateísmo em qualquer outro lugar desse meu último comentário e do que ele se trata? Vc vai ganhar um pirulito se achar. ^^

      Excluir
    19. Reinaldo,

      >> Eu não ligo para o que Dawkins diz sobre deuses, religião, moralidade, etc. Pra mim o que importa é o que ele diz sobre biologia evolutiva, já que essa é a área dele.

      >> "Você sabia que já existe a PRIMEIRA IGREJA do ateísmo. Eles tem ordenamento, podem realizar sacramentos, como casamento, além de não poder faltar a contribuição do dízimo"

      And?

      >> "Charles Darwin é o caminho, nós somos o pedágio"

      Darwin era agnóstico.


      >> "Se teísmo não pode ser ensinado nas escolas (nos Estados Unidos) porque viola a separação da Igreja e o Estado, por que então deve ser permitido o darwinismo?"

      O que vc não sabe - jênio - não é o teísmo que os criacionistas querem que seja ensinado nas escolas públicas americanas. Eles querem que o criacionismo seja ensinado nas aulas de ciências juntament com a evolução e o Big Bang, usando como desculpa de que os alunos terão o direito de escolher qual versão da criação do universo e da origem da vida aceitar como verdadeiras.

      Se querem ensinar criacionismo, ok. Que ensinem nas aulas de ensino religioso já que o criacionismo é baseado em mitos. Não se pode ensinar uma mentira que não tem fundamento algum nas aulas de ciências. Seria o mesmo que ensinar alquimia nas aulas de química ou astrologia nas aulas de física.

      E darwinismo não é religião. Para algo ser considerado religião, tem que ser um sistema de crença onde haja a crença em um ou mais deuses e onde os fiéis demonstram obediência, comprometimento. união e confiança à deus ou deuses através de rituais e cerimônias.


      >> "Aqui outra fraude. Você deve entender o que a ciência é e o que ela não é. "Empatia" é algo PESSOAL e a ciência é IMPESSOAL."

      De novo: vc tem dificuldade em interpretar textos e de prestar atenção no que lê? Eu não estava falando sobre ciência e sim humanismo secular: " O humanismo secular (ou laico) visa o uso da razão e do método científico e de evidências concretas no lugar de fé e de mitos para buscar formas de solucionar as questões humanas; ele entende que dogmas, ideologias, tradições religiosas, políticas e sociais devem ser discutidas, avaliadas e testadas em vez de serem aceitas apenas por fé; se preocupa com a realidade e a adota como forma de entender melhor quem somos; procura entender melhor o mundo através de experiências e uma busca constante por conhecimento e entende que o uso da razão e da empatia é o melhor jeito de se fazer deste mundo um lugar melhor pra se viver."

      >> "O principal objetivo dessas histórias é causar uma sensação de raiva no leitor, pois a sensação de raiva é grande motivador para a ações militantes antirreligiosas."

      Nenhum autor ateu ou secular humanista precisa de escrever sobre as atrocidades cometidas por alguns religiosos pra causar sensação de raiva no leitor. As religiões mesmo já fazem isso sozinhas. Elas adoram dar tiros nos próprios pés.
      Qualquer pessoa que tenha pelo menos um pingo de empatia, moral e ética se sente indignada com as atrocidades nos quais a ICAR e a Reforma Protestante foram responsáveis na Idade Média (os casos de sempre: a Inquisição, as cruzadas, a tortura e assassinato de milhares de pessoas, perseguição contra os judeus, a Noite de São Bartolomeu, etc) e nos dias de hj a conivência e cumplicidade da ICAR com padres estupradores de crianças; alguns pastores evangélicos que adoram aproveitar da fragilidade emocional das pessoas pra passar a perna nelas; os fundamentalistas islâmicos e seus atentados terroristas. A pessoa tem que ser mto psicopata pra não se sentir indignada com isso.

      Excluir
    20. Reinaldo,

      >> "Guardei o melhor exemplo para o final: o SEU! Você disse que eu era incapaz ou preguiçoso. Linda "empatia". Você, Michelle, MENTE MUITO!!!"

      Eu não disse que vc era preguiçoso ou incapaz. Vc sabe a função do sinal de interrogação? É um sinalzinho colocado no final da frase qdo esta indica uma pergunta. Isso sem contar o advérbio de possibilidade talvez colocado no início da frase. E foi o que eu fiz. Eu não disse que vc era preguiçoso ou incapaz e sim fiz uma pergunta: "Então sem uma justificativa do pq o combate ao humanismo secular é necessário( talvez devido à sua incapacidade ou preguiça de aprofundar no assunto?), o seu "argumento" é inválido. Próximo!"

      Será que - talvez - vc esteja precisando de reforçar as aulas de português? (coloquei ênfase no talvez e no ponto de interrogação pra vc não confundir o advérbio de possibilidade com algo que conota certeza e no ponto de interrogação pra vc não achar que fiz uma afirmação)

      >> "Desde que o objeto de estudo esteja dentro do escopo da ciência, ok. Já deus, bem, esse está fora."

      O dia que aparecer evidências concretas e verificáveis de que deuses existem aí elas poderão ser estudadas e avaliadas pelo método científico. Até lá - enqto deuses forem apenas entidades que existem apenas na cabeça dos teístas - sim, eles estão fora.

      >> "Giordano não era humanista secular, e sim um frade dominicano."

      Não diga que Giordano Bruno era um frade dominicano!!! #sarcasmo

      Vc viu o que eu escrevi no meu comentário? Não? Aqui vai: "Bônus: Giordano Bruno que era teólogo e frade era tb um secular humanista. Pena que ele foi condenado pela ICAR a ser queimado vivo."

      Uma coisa que vc não entende é que humanismo secular não é algo mutuamente exclusivo do ateísmo. Não precisa ser ateu pra ser humanista secular. Se teve até padre que era ateu e materialista (pesquisar sobre Jean Meslier se vc tiver interesse) e tem pastor que é assumidamente ateu (Klaas Hendrikse) pq não haver um frade dominicano humanista secular?

      Excluir
    21. "And? Eu deveria me importar com o que Lenin disse? E falácia do apelo à autoridade...tsc tsc tsc."
      Nossa, que dó! Falso apontamento de falácia. A falácia do apelo a autoridade é uma tentativa que se caracteriza pela EXTENSÃO DA ESPECIALIDADE ou NOTORIEDADE de alguém ALÉM de sua RECONHECIDA ÁREA de COMPETÊNCIA. Em outras palavras, eu não posso aceitar um diagnóstico médico baseado na opinião de um físico de partículas. Isso seria falácia do apelo a autoridade. Por outro lado, se tenho um problema cardíaco, com certeza vou respeitar a autoridade de um cardiologista sobre um diagnóstico. De forma análoga, Lenin conhecia idiotas úteis...tais como humanistas. Objeção FAIL!


      "É aí que vc não entende porcaria nenhuma de humanismo e humanismo secular. Caso vc não saiba, humanismo secular, humanismo e ateísmo não são mutuamente exclusivos. Há teístas que são humanistas ou humanistas seculares. Um humanista secular não visa eliminar as religiões; ele apenas quer que as religiões se mantenham separadas do estado (daí que vem o secularismo...
      Uma coisa que vc não entende é que humanismo secular não é algo mutuamente exclusivo do ateísmo. Não precisa ser ateu pra ser humanista secular.
      ...pq não haver um frade dominicano humanista secular?"
      É você quem parece não entender o que é teísmo. Eu sei o que é humanismo, e por isso AFIRMO que ele é INCOMPATÍVEL com o TEÍSMO. SOMENTE ateus, agnósticos e deístas podem ser humanistas. Existem teístas humanistas?!? Se houver, estão em desacordo com o teísmo (pelo menos o judaico-cristão). Esses nem contam. São "cristãos vira-lata" ou "cristãos self-service". Uma rápida leitura na bíblia já refuta qualquer tentativa de conciliação entre teísmo e humanismo, visto que deus dos cristãos estabeleceu várias leis cíveis e religiosas que regulavam a vida e a sociedade do seu povo. Isso pode ser visto, no antigo testamento, através de Moisés. No novo testamento, ao ler livros como Reis e Crônicas fica claro que o deus cristão atua ativamente na política do seu povo, depondo e ordenando reis. Por esses motivos é que o teísmo é incompatível com qualquer forma de humanismo!

      "Que elas se preocupem mais em oferecer conforto espiritual às pessoas do que ficar empurrando dogmas antigos e que vão contra os direitos humanos e civis; que parem de querer mandar na vida particular das pessoas; que parem de querer converter td mundo na base da força, chantagem emocional ou cansaço; que parem de querer que os governos laicos sigam suas diretrizes baseadas no que essas religiões pregam e acham que é correto; que parem de querer barrar o progresso científico e que parem de agir como se estivessem acima da lei. Não é pedir mto, é?"
      Na verdade é. Isso é uma OPINIÃO PESSOAL sua. Os religiosos acham que as leis do seu deus é correta, mas não querem luta de classes, aborto, liberação de drogas, liberação de bandidos das prisões antes do tempo, lei da mordaça gay, retirada de crucifixos de locais públicos ou outras besteirinha humanistas antirreligiosas.

      Excluir
    22. "Vc sequer sabe o que é comunismo?"
      Você sabe o que é uma religião política? Bem, se você responder a minha pergunta, automaticamente responderia a sua. Se tiver interesse, procure um livro chamado "Religiões Políticas", de Eric Voegelin. Tem um belo apanhado de informações, mas vai ser dificil acha-lo. Por outro lado, o livro Straw Dogs – Thoughts on Humans and Other Animals do filósofo ateu John Gray mira especialmente na besteirinha chamada Humanismo Secular. Ele não amacia muito nas criticas. O livro é meio caro. Se tiver sem $$, recomendo um blog ateu:
      http://lucianoayan.com/2010/05/10/humanismo-secular-nada-e-mais-ridiculo/

      "Darwin era agnóstico."
      Corrigindo, Darwin morreu agnóstico, mas a maior parte da vida, incluindo a época em que escreveu a Origem das Espécies, ele foi teísta...

      "O que vc não sabe - jênio - não é o teísmo que os criacionistas querem que seja ensinado nas escolas públicas americanas. Eles querem que o criacionismo seja ensinado nas aulas de ciências juntament com a evolução e o Big Bang, usando como desculpa de que os alunos terão o direito de escolher qual versão da criação do universo e da origem da vida aceitar como verdadeiras.
      Se querem ensinar criacionismo, ok. Que ensinem nas aulas de ensino religioso já que o criacionismo é baseado em mitos. Não se pode ensinar uma mentira que não tem fundamento algum nas aulas de ciências. Seria o mesmo que ensinar alquimia nas aulas de química ou astrologia nas aulas de física."
      O que eu não sei?!? Como você sabe o que eu sei ou o que não sei? Ah, você lê mentes! Leitura mental. Linda fraude. Fantástico! Você entorta talheres também?
      O problema não é se eles querem, mas o que está acontecendo. Claro, culpa de humanistas TOSCOS e MENTIROSOS. Essas distorções já renderam livros criacionistas com desenhos de ovos de dinossauros dentro da arca de nóe!

      Excluir
    23. "E darwinismo não é religião. Para algo ser considerado religião, tem que ser um sistema de crença onde haja a crença em um ou mais deuses e onde os fiéis demonstram obediência, comprometimento. união e confiança à deus ou deuses através de rituais e cerimônias."
      Lindo Hed Herring!!! O argumento era sobre a popularização da TE frente ao discurso IRRACIONAL cientificista humanista e não sobre darwinismo ser religião.

      "Eu não disse que vc era preguiçoso ou incapaz. Vc sabe a função do sinal de interrogação? É um sinalzinho colocado no final da frase qdo esta indica uma pergunta. Isso sem contar o advérbio de possibilidade talvez colocado no início da frase. E foi o que eu fiz. Eu não disse que vc era preguiçoso ou incapaz e sim fiz uma pergunta: "Então sem uma justificativa do pq o combate ao humanismo secular é necessário( talvez devido à sua incapacidade ou preguiça de aprofundar no assunto?), o seu "argumento" é inválido. Próximo!"
      Será que - talvez - vc esteja precisando de reforçar as aulas de português? (coloquei ênfase no talvez e no ponto de interrogação pra vc não confundir o advérbio de possibilidade com algo que conota certeza e no ponto de interrogação pra vc não achar que fiz uma afirmação)"
      O que importa é que ao fazer essa pergunta, você cometeu um Ad Hominem, o que não é empático de forma alguma.

      "O dia que aparecer evidências concretas e verificáveis de que deuses existem aí elas poderão ser estudadas e avaliadas pelo método científico. Até lá - enqto deuses forem apenas entidades que existem apenas na cabeça dos teístas - sim, eles estão fora."
      Seu argumento SOMENTE seria válido para um deus impessoal, o deus deista. Para um deus pessoal, isso já não serviria!

      Excluir
    24. "Nenhum autor ateu ou secular humanista precisa de escrever sobre as atrocidades cometidas por alguns religiosos pra causar sensação de raiva no leitor. As religiões mesmo já fazem isso sozinhas. Elas adoram dar tiros nos próprios pés.
      Qualquer pessoa que tenha pelo menos um pingo de empatia, moral e ética se sente indignada com as atrocidades nos quais a ICAR e a Reforma Protestante foram responsáveis na Idade Média (os casos de sempre: a Inquisição, as cruzadas, a tortura e assassinato de milhares de pessoas, perseguição contra os judeus, a Noite de São Bartolomeu, etc) e nos dias de hj a conivência e cumplicidade da ICAR com padres estupradores de crianças; alguns pastores evangélicos que adoram aproveitar da fragilidade emocional das pessoas pra passar a perna nelas; os fundamentalistas islâmicos e seus atentados terroristas. A pessoa tem que ser mto psicopata pra não se sentir indignada com isso. "
      É verdade. Sempre me esqueço que humanistas são SOCIOPATAS incapazes de qualquer demonstração de empatia e que não precisam mentir nem distorcer fatos para CAPITALIZAR...

      Ainda bem que os religiosos gostam de dar tiros nos próprios pés, pelo menos eles são MORALMENTE SUPERIORES a uma gama de não-religiosos que gostam mesmo é de dar tiros em outras pessoas. Exemplos não faltam: Josef Stalin, Abimael Guzman, Mao Tse Tung, Vladmir Lenin, Fidel Castro, Pol Pot, Nicolae Ceausescu, King Jon Il... todos ateus... QUE COMETERAM CRIMES . A contagem de corpos para os não-religiosos é insuperável.
      Vamos analisar a "empatia" humanista de Christopher Hitchens. Ele sempre argumentou que a religião "matava" pessoas (haha) e citava como um dos exemplos, as cruzadas. Engraçado mesmo foi o próprio Hitchens declarar que considera a possibilidade de o ocidente, digamos assim, ter que MATAR islâmicos em massa. Linda empatia!
      Sam Harris, como bom humanista, acha a fogueira um ato hediondo. No entanto, em seu site, ele publicou que soltar uma bomba atômica em algum "lugar" do planeta está OK! Isso é caso patológico! Basicamente a política do ACUSE-OS DO QUE FAZEMOS. Está claro que o HUMANISMO deve ser combatido pelo bem da humanidade.
      Quanto a "conivência" da ICAR, claro, pena que ateus e humanistas também compactuam com tal conivência, visto que só denunciam casos de pedofilia quando padres estão envolvidos. E as outras vítimas de pedofilia, não merecem justiça também? Em sites antirreligiosos só vemos o binário padre-pedófilo. Again.. ACUSE-OS DO QUE FAZEMOS.

      Claro! Os "humanistas fundamentalistas" saem por aí explodindo pessoas em atentados à bomba; derrubam prédios; apedrejam até a morte mulheres que foram estupradas, acusando-as de adultério; condenam à morte pessoas que cometem o "crime" de blasfêmia por não seguirem o humanismo; ameaçam de morte cartunistas e criadores de desenhos animados por estes fazerem piadas com o humanismo. #sarcasmo."
      Essa sua critica é válida ao Islamismo, mas inócua para o cristianismo.

      Excluir
    25. Caríssimos Michelle e Renato,

      favor evitar "flood" de comentários com debates / discussões, principalmente se não tiverem relação com o assunto da postagem.

      Obrigado e voltem sempre.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    26. Peço perdão por "pixar" seu site, não foi minha intenção. Sinta-se livre para apagar todo/qualquer post meu. Não tornarei a postar aqui. Acho seu trabalho muito bom, mas não encontrei aqui aquilo que procurava.

      Excluir
    27. Reinaldo, o que exatamente você procurava?

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
  3. Ela cre em Deus,porém não sabe se ele existe

    ResponderExcluir
  4. Acho que na verdade todo Teísta deveria pensar e agir exatamente desse jeito talvez, seríamos melhor compreendidos pelos que se professam ateus...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toda pessoa independente de suas crenças pessoais tem o dever de respeitar o próximo. Entretanto, o teísta cristão possui o dever moral de compartilhar suas crenças, pois isto faz parte do próprio sistema de crenças do mesmo.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Zero Kzz,

      respeito é algo fundamental em qualquer sociedade humana. Mas isto não exclui a necessidade dos cristãos de "evangelizar". Isto é um dever moral para um cristão, já que para nós Deus nos deu essa tarefa e sabemos que todos aqueles que rejeitarem a Deus poderão ter um destino não muito bom. Por isso pense no evangelismo como um ato de amor por parte dos cristãos. Mas também é claro que deve ser feito com respeito, forçar alguém a seguir uma religião ou ridicularizar é algo extremamente reprovável.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    2. "Qual o sentido de difamar algo que não existe?"
      Acho que ele quis dizer é que se o neo-ateu acha que tal coisa não existe, pra que difamar algo que para ele não existe?

      Excluir
  6. O neo-ateísmo é tão falho que está se tornando motivos de piadas, em um artigo que publiquei chego a ser irônico com esta classe. Eis alguns pontos:

    Um neo-ateu definiria assim a criação do universo e da vida:

    Não sei e nunca vou saber quando uma força chamada acaso detonou uma grande bomba que foi feita de material vindo do nada e que não teve inicio, mas posso afirmar e provar segundo algumas teorias que esta explosão aconteceu e criou tudo que hoje chamamos de universo, ai parte deste material que não serviu nem para fazer a bomba se organizou dando origem a uma ameba, depois de trilhões e trilhões de anos a descendente mais idiota desta ameba regrediu em capacidade mental e intelectual dando assim origem aos neo-ateus.

    A oração deles deve ser esta:

    Acaso, obrigado por ter feito e detonado do nada a bomba do big bang e organizado tudo de modo tão perfeito ate formar ao que hoje chamamos de universo com suas incontáveis galáxias, com seus incontáveis sistemas, com seus incontáveis planetas com suas incontáveis leis e condições. Sou-lhe grato por ter colaborado para que se formasse uma ameba dos rejeitos da matéria desta grande explosão, ainda bem senhor acaso que colaborastes para que a descendente mais burra desta ameba regredisse ao ponto de formar uma classe desprezível que são os neo-ateus, pois sabemos oh senhor acaso que uma única ameba por mais burra que seja tem mais cérebro, inteligência e espiritualidade que todos os neo-ateus do mundo, amém.

    Continua ......................

    Link: http://www.edigarcaires.com.br/neo_ateismo_seita_satanica.php

    Fiquem na paz

    Edigar caires

    ResponderExcluir
  7. Muito bom o texto!
    David Souza, parabéns pela iniciativa de criar o blog!
    A Paz de Cristo!

    ResponderExcluir
  8. por que tanta raiva?
    deve ser a tal ira divina que a bíblia escrita por pastores de ovelhas ensina!

    ResponderExcluir
  9. Legal o post, ja fui ateu tbm e esses neo-ateus são uma vergonha para os ateus,
    Ja os cometários tem muitas coisas certas e muitas bobagens, como dizer que cristão usa deus como a muleta, sim tem gente que usa mais nada tem a ver com a uma boa teologia cristã, esse é uma erro de ateus por que batem em espantalhos e so, e sim todo mundo tem uma crença, uma cosmovisão, e o fato de as crenças dos ateus serem "fundamentadas" não quer dizer muito ja que oque da fundamento é a ciência, e a ciência não da respostas definitivas.
    Bom como disse ja foi ateu e era um boa pessoas e hoje sou cristão e sabe oque mudou? Nada, so o fato de eu crer em uma deus e saber que so por meio dele que eu posso ter a salvação, quando digo salvação falo de salvação espiritual, porque problemas todo mundo tem eu tenho e ateus tbm, e sim os ateus pode viver muito bem, e se apegar a literatura, artes,psicologia etc, sei disso pois como disse fui ateu, mais agora se você crê em sobrenatural em deus dai não tem jeito não importa a boa pessoa que você é vc ainda sera um pecador perante um deus e so pelo sua misericórdia que somos salvos ;).
    Obs: sai do ateísmo pelo estudo de filosofia,física e teologia, e hoje posso dizer que não a nada mais fácil do que ser ateu.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. ''Você conhece alguém que escreve livros ou faz vídeos para contestar a existência de duendes, de fadas do dente, do coelhinho da páscoa ou do papai noel? Então porque seria menos ridículo alguém que escreve para contestar a existência de deuses ou espíritos?'' Deve ser porque papai noel, fada do dente, coelho da páscoa e duendes não tem seguidores malucos que fazem coisas como:

    Ter bancada cristã no Congresso Nacional;
    Bater sua campainha 7h da manhã de domingo pra falar de Jesus;
    Terem isenção de impostos pra promoverem suas idéias lunáticas;
    Tentarem enfiar sua religião em bebês (que nem sequer sabem o que é religião);
    Tentarem enfiar sua religião em crianças em sala de aula;
    Colocarem, em espaço que é de todos, símbolos religiosos que representam UMA parcela da população;
    Ficarem dando pitaco sobre como os outros devem cuidar de seus cus;
    Ficarem dando pitaco sobre a religião dos outros que não a sua;
    Ficarem dando ideia errada, em cadeia nacional, que uma pessoa não pode ser boa se não seguir sua religião;

    E por aí vai.

    ResponderExcluir
  12. Paceiro eu tenho um blog, e gostaria de sua permissão para postar alguns de seus artigos lá, o blog é: http://scriptorium0.webnode.com/ Você não se preocupe que farei questão de colocar o endereço de onde extrair o artigo. Meu e-mail: eusebio192@hotmail.com se caso estiver interessado é só me contactar, que Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
  13. Eu sou ateia e concordei com o autor em vários momentos do texto, mas tem certas coisas que ficam difícil até de acreditar que ele seja ateu. Como que querer que não tenha cruzes nas repartições públicas, a palavra "deus" no nosso dinheiro e, principalmente, na nossa constituição é querer "calar os crentes"? Como que não querer que o ensino religioso (sabemos que apenas uma religião é ensinada nessa disciplina) seja ensinado em escolas públicas é querer "calar os crentes"? As escolas particulares confessionais, as igrejas, os pais, as escolas dominicais, as aulas de catequese podem ensinar à vontade, ninguém quer se intrometer nisso. Nas escolas públicas não pode mesmo! E não é só o cristianismo não, nenhuma religião deve ser ensinada na escola! Também nunca vi ateus combatendo a liberdade de culto, nunca vi ateus invadindo igrejas e manifestações religiosas, mas basta uma procura rápida no youtube pra encontrar crentes cristão fazendo isso com religiões que eles não gostam. No mais, se o autor acha que as religiões tem todo o direito de manifestarem publicamente suas opiniões, mesmo que discriminatórias, por que opiniões discriminatórias não podem ser proferias contra as religiões?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpem alguns erros de concordância. Escrevi tudo bem rápido e não revisei.

      Excluir
    2. Realmente, essa parte eu não entendi. Ter símbolos religiosos em instituições governamentais, ter uma frase religiosa na moeda nacional, ter menção à deus no preâmbulo da Constituição e fazer do ensino religioso uma matéria obrigatória em escolas públicas é inconstitucional.

      No caso do ensino religioso em escolas públicas, ele é facultativo, isso tb está previsto na CF (não lembro qual artigo). Isso significa que escolas - principalmente as públicas - não são obrigadas a ter essa matéria no currículo escolar e os alunos que estudam em escolas públicas não são obrigados a fazer essa matéria. E caso escolham não fazer a matéria de ensino religioso, não podem ser reprovados e a escola tem a obrigação de fornecer uma alternativa para preencher o horário que seria de ensino religioso.

      Retirar todas essas coisas de instituições governamentais não se trata de calar os cristãos e sim de obedecer a laicidade do Estado prevista no artigo 19 da CF.

      Se - pelo bem do argumento - retirar os símbolos religiosos das instituições do governo, a menção à deus no preâmbulo da Constituição e da nossa moeda e abolir o ensino religioso nas escolas públicas, não irá impedir de direito à liberdade religiosa de nenhum cristão.

      Ele ainda poderá continuar sendo cristão, poderá continuar frequentando cerimônias religiosas, poderá continuar manifestando sua crença publicamente, etc.

      Excluir
    3. Sou ateia tb e defendo a liberdade religiosa, a liberdade de expressão e a laicidade do Estado.

      Mas não concordo qdo alguns religiosos - inclusive os cristãos mais fanáticos - abusam da liberdade religiosa e da liberdade de expressão para discriminar pessoas de outras religiões e sistemas de descrença, inclusive ao ponto de partir para vandalismo e agressões físicas.

      Discriminar pessoas de diferentes religiões e sistemas de descrença, invadir e vandalizar templos religiosos (como já vi vídeos e li notícias de evangélicos fundamentalistas fazendo com centros de umbanda e candomblé, ocas de pajés e igrejas católicas) e agredir pessoas fisicamente (como tb já li notícias sobre isso) não é exercer a liberdade de expressão e de crença religiosa.

      É sim ser uma pessoa preconceituosa que simplesmente comete o crime de intolerância religiosa previsto no artigo 140 do Código Penal.

      Excluir
    4. Caras Fernanda e Michelle,

      obrigado pelas visitas. Gostaria de fazer uns comentários rápidos também:

      "Ter símbolos religiosos em instituições governamentais"

      A qual símbolo você se refere exatamente? Aos crucifixos nos tribunais ou nas estátuas da deusa romana da Justiça? Aposto que é em relação ao primeiro, né? Mas com o segundo ninguém se incomoda, estranho isso.

      Deixando a ironia de lado, eu encaro esses símbolos mais como culturais do que religiosos. Afinal, ter uma estátua da deusa da justiça no tribunal não significa que os adoradores daquela deusa têm julgamentos privilegiados naquele lugar, assim como a presença do crucifixo ali não dá prioridade para cristãos nos julgamentos. A imagem da deusa Justitia é apenas um símbolo para a justiça, e o crucifixo é apenas o símbolo de uma figura histórica que foi julgada injustamente e condenada à morte (Jesus), é um lembrete para os juízes para que isso não ocorra novamente naquele lugar. Simples assim.

      "ter uma frase religiosa na moeda nacional"

      A frase "Deus seja louvado" é genérica. Ela pode se aplicar a cristãos, judeus, muçulmanos, umbandistas, bahai, vodu, wicca, etc. Não há menção específica a qual religião se refere. Portanto, é uma frase laica. Para os ateus, já que eles não acreditam em nenhum deus, essa frase não lhes deveria causar nenhum incômodo. Mas por que causa?

      Aliás, todo mundo reclama da frase minúscula, quase invisível nas notas, mas não fala nada da imagem gigante da deusa-símbolo da República que está nas mesmas notas. Irônico, não?

      "ter menção à deus no preâmbulo da Constituição"

      Tendo em vista todos os casos anteriores, pergunto: qual o problema em haver uma menção a Deus naquele documento? Faz alguma diferença prática na sua vida? O preâmbulo da Constituição é como se fosse um prefácio, uma introdução, e não possui qualquer caráter normativo. Ou seja, você não é obrigado a acreditar em Deus pra seguir a Constituição. Aquilo representa apenas uma expressão subjetiva da pessoa que redigiu o texto. Aliás, cabe lembrar que mesmo o Estado (a entidade abstrata do governo) ser laico, o país em si, isto é, as pessoas que o constituem, são em grande maioria cristãs. Isso tem consequências inegaveis na nossa cultura, por isso coisas como essas que você citou são naturais e fazem parte da expressão da maioria da população. E novamente ressalto que nenhum desses três exemplos que você citou possui qualquer consequência negativa na vida de pessoas que professem outras (ou nenhuma) religião.

      Sobre o ensino religioso obrigatório, eu também sou contra. Aliás eu sou contra qualquer currículo universal definido pelo Estado, mas isso é outra história.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    5. David Sousa,

      >> "A qual símbolo você se refere exatamente? Aos crucifixos nos tribunais ou nas estátuas da deusa romana da Justiça? Aposto que é em relação ao primeiro, né? Mas com o segundo ninguém se incomoda, estranho isso."

      Essa deusa romana tem valor religioso? Não.
      Tem pessoas crentes nessa deusa aqui no Brasil. Acho que não.
      Essa estátua representa a que a justiça deve ser imparcial ou ela tem valor religioso?


      >> "Deixando a ironia de lado, eu encaro esses símbolos mais como culturais do que religiosos."

      Então pq não colocar a Estrela de Davi, o símbolo do islamismo, imagens dos orixás, imagens de entidades do espiritismo, imagens de Buda, imagens de Baphomet, pentagramas, todos os deuses do panteão hindu, imagens de entidades sobrenaturais adoradas por tribos indígenas, etc, nas repartições públicas? Afinal, esses símbolos tb são culturais e fazem parte da cultura desse país. Nada mais justo que eles tb tenham seu espaço em instituições do governo.


      >> "A imagem da deusa Justitia é apenas um símbolo para a justiça, e o crucifixo é apenas o símbolo de uma figura histórica que foi julgada injustamente e condenada à morte (Jesus), é um lembrete para os juízes para que isso não ocorra novamente naquele lugar. Simples assim."

      Então deveriam tb colocar a imagem de um pau-de-arara para lembrar as várias figuras históricas que foram torturadas, exiladas ou até mesmo mortas durante a ditadura para lembrar que isso não ocorra novamente aqui.

      Ou então colocar uma forca em cada instituição governamental para lembrar de Tiradentes - uma figura histórica - que foi presa e morta por tentar lutar pela liberdade da nossa nação.


      >> "A frase "Deus seja louvado" é genérica. Ela pode se aplicar a cristãos, judeus, muçulmanos, umbandistas, bahai, vodu, wicca, etc. Não há menção específica a qual religião se refere. Portanto, é uma frase laica. Para os ateus, já que eles não acreditam em nenhum deus, essa frase não lhes deveria causar nenhum incômodo. Mas por que causa?"


      Vc é assim tão ingênuo?

      Aquele deus mencionado na moeda é o judaico-cristão. Não é o deus muçulmano, afinal Alá e o deus que vc acredita não são a mesma divindade, já que Alá era um deus pagão da Lua, que era chefe de um panteão de 300 deuses de uma religião pagã anterior ao Islamismo. Tb não é o mesmo deus da Wicca, já que essa religião é politeísta e pagã e os deuses principais que essa religião adora é o Deus Cornífero (não confundir com o capeta) e a Mãe Terra.

      Vodu tb não é uma religião. O hoodoo é que é uma religião não-cristã (e obviamente não tem nada ver com o deus judaico-cristão). Vodu é a magia praticada por feiticeiros do hoodoo.

      E tb vc tem que levar em consideração que uns 90% da população brasileira é cristã. E José Sarney que teve a ideia de colocar essa frase na moeda brasileira qdo era presidente da República é cristão. Então fica mto difícil de acreditar que esse deus mencionado na moeda seja de uma outra religião que não seja a cristã.

      Sorry, kid.

      Excluir
    6. David Souza (cont)

      >> "Aliás, todo mundo reclama da frase minúscula, quase invisível nas notas, mas não fala nada da imagem gigante da deusa-símbolo da República que está nas mesmas notas. Irônico, não?"

      Mas essa deusa não tem valor religioso, a frase na moeda sim.


      >> "Tendo em vista todos os casos anteriores, pergunto: qual o problema em haver uma menção a Deus naquele documento? Faz alguma diferença prática na sua vida? O preâmbulo da Constituição é como se fosse um prefácio, uma introdução, e não possui qualquer caráter normativo."

      Não sei, talvez pq viola o artigo 19 da CF, como o STF disse no ano 2000 qdo decretou que o preâmbulo não é normativo e que portanto a menção à deus nesse preâmbulo não é obrigatório, que pode ser retirado desse preâmbulo? E que justamente por não ter valor normativo, não é uma clausula pétrea e que portanto - em grau de importância - está abaixo do artigo 19 da CF?

      Faça direito a sua pesquisa antes de falar bobagens, querido.



      >> "Aquilo representa apenas uma expressão subjetiva da pessoa que redigiu o texto."


      Mas documentos normativos são objetivos e por isso não deveriam ser baseados em pontos de vista ou posições ideológicas e/ou religiosas das pessoas que o redigem.


      >> "Aliás, cabe lembrar que mesmo o Estado (a entidade abstrata do governo) ser laico, o país em si, isto é, as pessoas que o constituem, são em grande maioria cristãs."

      Apelo à maioria não é argumento e mto menos justificativa pra permitir coisas que violam a laicidade do Estado.

      Aliás, vc viria com esse mesmo argumento se a maior parte da população do Brasil fosse hindu e colocasse no preâmbulo da CF menção à Brahma? Que houvesse na nota do real, Brahma seja louvado? Que houvesse em repartições públicas, imagens de Ganeesha, Vishnu, Brahma, Kali e dos outros milhares de deuses do panteão hindu?



      >> "Sobre o ensino religioso obrigatório, eu também sou contra. Aliás eu sou contra qualquer currículo universal definido pelo Estado, mas isso é outra história."

      Mas o ensino religioso não é obrigatório. A CF mesmo diz que ele é facultativo. O que acontece nas escolas públicas que optaram por ter o ensino religioso em sua grade curricular, é que elas só ensinam a religião cristã...apenas a doutrina católica, para ser mais exata. Isso já é doutrinação religiosa, não ensino religioso. E doutrinação religiosa em escola pública é inconstitucional.

      Se fosse realmente ensino religioso, a escola colocaria para ser ensinada todas as religiões e sistemas de descrença que existe nesse país não com o intuito de doutrinar os alunos e sim de mostrar à eles a variedade cultural, religiosa e não-religiosa que existe no Brasil.



      Agora, matérias como português, matemática, geografia, história, química, física, biologia, inglês, informática, literatura, etc, são obrigatórias e são definidas pelo MEC, vc gostando ou não. Sorry, again.


      PS: Que a força esteja com vc. Vida longa e próspera. There's no place like home. The winter is coming. Saving people, hunting things, the family business. ;)

      Excluir
    7. Cara Michelle,

      "Essa deusa romana tem valor religioso? Não.
      Tem pessoas crentes nessa deusa aqui no Brasil. Acho que não.
      Essa estátua representa a que a justiça deve ser imparcial ou ela tem valor religioso?"


      Pouco importa se ela tem valor religioso ou se existem ou não crentes dela. O que eu disse é que esses símbolos são culturais. Somos tão herdeiros da cultura greco-romana quanto da cultura cristã.

      "Então pq não colocar a Estrela de Davi, o símbolo do islamismo, imagens dos orixás, imagens de entidades do espiritismo, imagens de Buda, imagens de Baphomet, pentagramas, todos os deuses do panteão hindu, imagens de entidades sobrenaturais adoradas por tribos indígenas, etc, nas repartições públicas? Afinal, esses símbolos tb são culturais e fazem parte da cultura desse país. Nada mais justo que eles tb tenham seu espaço em instituições do governo."

      Eu me recuso a acreditar que você ache que esses símbolos possuem a mesma IMPORTÂNCIA cultural que a imagem de Jesus... pelo menos em relação aos budas, pentagramas ou hindus. Eles não tem NADA A VER com a cultura brasileira, são elementos estrangeiros. Mas veja só, eu não me oporia a colocar um símbolo ou outro, desde que fosse justificado o seu valor cultural. Mas essa lógica de "se colocou um tem que colocar todos" em nome de uma pretensa 'justiça' não faz sentido. O cristianismo é sim, CULTURAMENTE mais importante que as outras religiões, tanto no Brasil quanto no resto do mundo ocidental, e isso não tem nada a ver com o Estado, mas com a cultura.

      "Então deveriam tb colocar a imagem de um pau-de-arara para lembrar as várias figuras históricas que foram torturadas, exiladas ou até mesmo mortas durante a ditadura para lembrar que isso não ocorra novamente aqui."

      Não me oporia a isso, novamente.

      "Aquele deus mencionado na moeda é o judaico-cristão."

      A frase é subjetiva. Não importa a intenção que a pessoa que a colocou teve. Os cristãos identificam seu Deus pelo nome genérico, mas esse nome "Deus" é aplicável a qualquer outra religião. Isso NÃO quer dizer que os deuses sejam equivalentes, apenas que "deus" é ao mesmo tempo uma palavra genérica e uma palavra do contexto cristão. E valendo-se dessa ambiguidade é que eu considero essa frase válida.

      "Não sei, talvez pq viola o artigo 19 da CF, como o STF disse no ano 2000 qdo decretou que o preâmbulo não é normativo e que portanto a menção à deus nesse preâmbulo não é obrigatório, que pode ser retirado desse preâmbulo? E que justamente por não ter valor normativo, não é uma clausula pétrea e que portanto - em grau de importância - está abaixo do artigo 19 da CF? (...) documentos normativos são objetivos e por isso não deveriam ser baseados em pontos de vista ou posições ideológicas e/ou religiosas das pessoas que o redigem."

      Documentos normativos são objetivos. Mas o preâmbulo não é normativo, logo ele pode ser subjetivo sim, pelo menos é minha opinião.

      Além disso não tem como uma pessoa extrair sua subjetividade para redigir um documento, principalmente em se tratando de um documento de cunho político como a constituição. O próprio conceito de constituição depende de um ponto de vista político, de que o poder deve ser limitado para não haver abusos (a constituição historicamente foi criada na Inglaterra, se não me engano, para limitar os poderes do Rei). E o caráter das leis que são expressas dependem de conceitos políticos que são subjetivos... por exemplo, o artigo 5º da constituição fala de direitos que são invioláveis, isso é jusnaturalismo, uma teoria de alguns autores políticos como John Locke. Já o artigo 6º fala de direitos sociais, que vem de uma corrente de autores políticos. O próprio conceito de jusnaturalismo é meio que um herdeiro do cristianismo e da teologia cristã, que dá um valor intrínseco à vida humana. Então temos aí uma consequência direta do cristianismo na nossa cultura, que está na constituição. E, obviamente, ninguém reclama.

      Excluir
    8. "Aliás, cabe lembrar que mesmo o Estado (a entidade abstrata do governo) ser laico, o país em si, isto é, as pessoas que o constituem, são em grande maioria cristãs."

      Apelo à maioria não é argumento e mto menos justificativa pra permitir coisas que violam a laicidade do Estado.

      Meu Deus, entenda! Isso não é "apelo à maioria" (seja lá o que você quis dizer com isso) muito menos violação da laicidade do Estado. O Estado é a entidade abstrata. A entidade abstrata Estado não possui religião oficial. Mas as pessoas, ou pelo menos a maioria delas no Brasil, são cristãs. Entendeu? Os brasileiros NÃO SÃO o Estado Brasileiro. E os brasileiros cristãos expressarem sua hegemonia cultural NÃO é violação ao "Estado laico".

      "Aliás, vc viria com esse mesmo argumento se a maior parte da população do Brasil fosse hindu e colocasse no preâmbulo da CF menção à Brahma? Que houvesse na nota do real, Brahma seja louvado? Que houvesse em repartições públicas, imagens de Ganeesha, Vishnu, Brahma, Kali e dos outros milhares de deuses do panteão hindu?"

      Eu respeitaria, se faz parte da cultura do país. Aliás isso acontece (ou deve acontecer, não sei) nos países com outras tradições religiosas, onde os cristãos são minoria, e você não vê eles lá reclamando, não é?

      "Agora, matérias como português, matemática, geografia, história, química, física, biologia, inglês, informática, literatura, etc, são obrigatórias e são definidas pelo MEC, vc gostando ou não."

      Eu sei disso, mas acredito que isso é um desserviço ao país. Não essas matérias especificamente, mas o fato de o Estado regular a educação. Isso dá portas a ele controlar ideologicamente a população da maneira que ele quiser. O MEC é uma instituição altamente enviesada ideologicamente. Acredito que seria melhor para todos se a educação fosse mais livre, isto é, livre da regulação do Estado. Mas enfim, não quero discutir política nesse blog, não é o foco aqui.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...