terça-feira, 16 de julho de 2013

Os seis tipos de ateus


De quantas maneiras existem para acreditar em Deus?

Pelo menos seis, de acordo com um novo estudo.

Dois pesquisadores da Universidade do Tennessee, em Chattanooga descobriram que ateus e agnósticos podem ser de ativistas anti-religiosos até a apenas não-crentes que ainda sim observam algumas tradições religiosas.

"A principal constatação é que a descrença é uma comunidade ontologicamente diversa", escreve o doutorando Christopher Silver e o estudante de graduação Thomas Coleman.

"Essas categorias são a primeira tentativa para isso," Silver disse ao site Raw Story. "Em 30 anos, podemos estar  olhando para uma tipologia de 32 tipos." Silver e Coleman derivaram seus seis tipos de crentes de 59 entrevistas:

1) Ateu / agnóstico intelectual: Este tipo de descrente busca informações e estímulo intelectual sobre o ateísmo. Eles gostam de debater e discutir, especialmente em sites populares da Internet. Eles também são bem versados ​​em livros e artigos sobre religião e ateísmo, e propensos a citar estas obras com freqüência.

2) Ativista : Esses tipos de ateus e agnósticos não se contentam com apenas descrer em Deus, pois eles querem dizer aos outros porque eles rejeitam a religião e por que a sociedade seria melhor se todos nós fizéssemos o mesmo. Eles tendem a se pronunciar sobre causas políticas, como os direitos dos homossexuais, o feminismo, o meio ambiente e o cuidado dos animais.

3) Agnóstico "investigador" (seeker): Este grupo é formado por pessoas que não têm certeza sobre a existência de um Deus, mas mantêm uma mente aberta e reconhecem os limites do conhecimento e da experiência humana. Silver e Coleman descrevem este grupo como pessoas que questionam regularmente as suas próprias crenças e "não têm uma posição ideológica firme". Isso não significa que esse grupo é confuso, dizem os pesquisadores. Eles só abraçam a incerteza.

4) Anti-teísta: Este grupo fala regularmente contra a religião e as crenças religiosas, em geral, posicionando-se como "diametralmente opostos à ideologia religiosa," Silver e Coleman escreveram. "Anti-teístas veem a religião como ignorância e veem qualquer pessoa ou instituição associada a ela como retrógrada e socialmente prejudicial", escreveram os pesquisadores. "O Anti-teísta tem uma clara e - em sua opinião, superior - compreensão das limitações e perigos das religiões ." Anti-teístas são francos, dedicados e - às vezes - confrontadores sobre a sua descrença. Eles acreditam que "falácias óbvias da religião e de crença devem ser agressivamente abordados de uma forma ou de outra."

5) Não-teísta: O menor grupo entre os seis são os não-teístas, as pessoas que não se envolvem com qualquer religião ou anti-religião. Em muitos casos, isto aparece como apatia ou desinteresse. "O não-teísta simplesmente não relaciona a si mesmo com a religião," Silver e Coleman escreveu. "A religião não desempenha nenhum papel ou problema na consciência ou visão de mundo da pessoa, nem ele tem preocupação alguma sobre o movimento ateu ou agnóstico." Eles continuam: "Eles simplesmente não acreditam, e no mesmo direito, a sua ausência de fé significa a ausência de qualquer religião, de qualquer forma em seu espaço mental."

6) Ateu ritualístico: Eles não acreditam em Deus, eles não se associam com a religião, e eles tendem a acreditar que não existe vida após a morte, mas o sexto tipo de descrente ainda acha útil os ensinamentos de algumas tradições religiosas. "Eles vêem estas coisas mais ou menos como ensinamentos filosóficos de como viver a vida e alcançar a felicidade do que um caminho para a libertação transcendental," Silver e Coleman escreveram. "Por exemplo, esses indivíduos podem participar em rituais específicos, cerimônias, oportunidades musicais, meditação, aulas de yoga ou feriados tradicionais." Para muitos desses descrentes, a sua adesão ao ritual pode decorrer de tradições familiares. Para outros, é uma relação pessoal, ou o respeito, o "profundo simbolismo" inerente em rituais religiosos, crenças e cerimônias, de acordo com os pesquisadores.

Por Dan Merica, CNN
Traduzido por David Sousa / Google

20 comentários :

  1. Entendo que não existem ateus descrentes... pois seu ardor, esforço e militância em provar a inexistência de Deus já é evidência de Sua Existência! por que não se preocupam, se perturbam e lutam em tentar provar a inexistência de papai noel, fadas, sereias, zeus, unicórnios?

    Mas quando se trata do Deus judaico-cristão então a luta é ferrenha e implacável como se vê em sites, blogs, movimentos, conceitos, ideologias etc e vivem uma verdadeira obsessão contra O que não têm, contra O que não acreditam.… demonstrando notoriamente a crença NELE! principalmente dos tipos 1 a 4.

    Assim,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É TAO BOM QUANDO GENERALIZAM QUALQUER ASSUNTO!
      sou ATEU.... sem deus, isso não faz com que eu queira que tu não acredite, para mim se isso te faz bem acho otimo, se me fizesse sentir melhor eu acreditaria, porem por algum motivo nao me acrescenta da msm forma que para você, só sou contra generalizar, pois com esse tipo de pensamento posso tambem julgar que todo religiosos esta disposto a praticar uma nova inquisição contra aqueles que nao seguem seus ensinamentos.
      na realidade o unico motivo que ainda brigo é a intolerância, e preconceito, religioso ou de qualquer tipo.
      se te ofendi realmente peço desculpa, nao foi a intenção.
      OBS: espero um dia poder conversar sobre religião e nao ter que brigar por ela por ser um debate interessante.....

      Excluir
    2. Lucas,
      pois com esse tipo de pensamento posso tambem julgar que todo religiosos esta disposto a praticar uma nova inquisição contra aqueles que nao seguem seus ensinamentos.

      Note que "religiosidade" não significa santidade. Os que mais perseguiam a Jesus, eram justamente os religiosos da época. Cristo não era religioso e sim revolucionário no sentido espiritual em dar nova vida, nova esperança, nova realidade e novo futuro às pessoas, fazendo-as cidadãs celestiais e não meras criaturas de Deus.

      Os movimentos de perseguição como inquisição, cruzadas etc foram praticados por sistemas religiosos de homens em nome de "deus"; que estavam bem longe dos ensinos de amor, justiça, bondade explanados no Novo Test. por Jesus e os apóstolos.
      Abçs.

      Excluir
    3. CÍCERO, parabéns. Você matou a pau. Eu penso como você. Para que se preocuparem se para eles Deus não existe. Eu acho que desses 6 tipos de ateus, podemos resumi-los para 3.
      1. O ateu que foi reprimido pelo pais religiosos quando criança e depois que se viram livres partiram para o ateísmo vingativo. Ateu vingativo;
      2. O ateu verdadeiro. Faz parte de um grupo de pessoas inteligentíssimas que não têm a mínima intenção de discutir o seu ateísmo com religiosos por saber que é perda de tempo. Normalmente são pessoas realmente cultas e muito benéficas à sociedade - Cientistas, Médicos...
      3. Ateu de Internet. Esse grupo é variado: Quase todos são filósofos mequetrefes, que dizem provar a inexistência de Deus, tentando denegrir a inteligência dos crentes. Para isso usam e abusam de falsos silogismos. Esse grupo tem uma característica comum: Todos são egocentristas.

      Excluir
    4. "por que não se preocupam, se perturbam e lutam em tentar provar a inexistência de papai noel, fadas, sereias, zeus, unicórnios?"

      Será que é por ninguém andar a queimar pessoas vivas por causa de papai noel ?

      Pense devagar, vai ver que está relacionado.

      Excluir
    5. Pedro, e onde Jesus ordena queimar pessoas vivas????

      Excluir
    6. "Entendo que não existem ateus descrentes... pois seu ardor, esforço e militância em provar a inexistência de Deus já é evidência de Sua Existência! "
      Então posao dizer que seu Deus não existe pois oa religiosos como você fazem de tudo para provar que ele existe, então se ele existe porque perde tempo querendo provar que ele existe? O seu ponto de vista pode ser facilmente usado contra vc msm, tente outro argumento ok

      Excluir
  2. Cicero,

    Sabe que não é possível provar a inexistência de algo que se diz metafisico e fora da compreensão por definição, não é?
    A discussão se dá em torno do comportamento gerado por essa crença e o questionamento das bases da crença.
    Não se fala em Papai Noel e fadas, apenas porque não repercutem e mudam tanto a vida das pessoas e da sociedade.
    Eu não preciso crer no bule de chá orbitando em Júpiter para argumentar contra essa alegação.

    Imagino que seja difícil conceber a não necessidade de fé em divindades, pois vc mesmo não consegue e nem quer imaginar isso. Isso é cultural. Mas, de fato, ela é realidade. É como não sentir vontade de comer chocolate. Eu não tenho. Não é do senso comum, mas possível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo,
      Mas já sabemos 100% que o bule "voador" é uma peça de porcelana da Terra que não poderia estar orbitando, a não ser que um humano o tenha lançado lá.
      Não são meras crenças; mas sim evidências racionais e lógicas, inclusive científicas para um Ser Inteligente dar Início a tudo:

      Uma explosão amoral, impessoal, irracional, sem intenção, sem direção, sem ordem material ter dado origem a seres morais, pessoais e inteligentes. Do nada ao tudo, do caos a ordem, do sem sentido ao sentido.
      Na origem e ordem da vida, em leis delicadas e precisas, nas fartas evidências empíricas materiais/não materiais ao nosso redor corroboram um Criador Pessoal Inteligente.

      O descobridor da radiação pós-explosão, o astrônomo Robert Wilson ganhador do Nobel disse:
      "Certamente houve alguma coisa que fez tudo funcionar. Se você é religioso, é certo que não posso pensar numa teoria melhor da origem do Universo do que aquela relatada no Gênesis".

      Ora, as provas do Deus-Criador são fartas em vários temas:
      cosmológico, teleológico, ontológico, moral, religioso, o mal, a alegria, causalidade, experiências, histórias-profecias cumpridas, Jesus, mistos, citações de ateus, consciência, razão...etc.

      Até Einstein, apesar de não aceitar diretamente o Deus judaico-cristão admitiu:
      "Deus é a lei e o legislador do Universo. Sem Deus, o universo não é explicável satisfatoriamente."

      Excluir
    2. os ateus nao tentam provar a existencia do papai noeu fadas e etc.. porque a maioria do mundo tem DEUSES e e bem mais comum q fadas doendes unicornios

      Excluir
    3. Unknown,
      Principalmente os ateus!
      A própria mente inteligível do incrédulo é parte da revelação de Deus, testemunhando contra sua defesa irracionalista sem causas inteligíveis, do mundo e da vida originadas pelo puro acaso às cegas.
      Sem o controle soberano do universo e a revelação de Deus a nós, não saberíamos absolutamente nada e ficaríamos numa total ignorância e caos.
      Os céticos pressupõem e aplicam, mesmo inconscientemente (ou até sabendo!) os princípios básicos da cosmovisão teísta cristã para entender o mundo.

      Excluir
  3. Ufa, por pouco rs Os dois lados da moeda não possuiriam pessoas com essas características?

    ResponderExcluir
  4. Prefiro ñ usar a expressão DEUS pq ela está carregada de falácias. Ó DEUS das religiões ñ existe. Geralmente carentes de adoração e com humores humanos, antropomórficos, como no caso do Cristianismo. O monoteísta CRISTÃO apresenta um DEUS TRINO, o judaísmo e islamismo apresentam um DEUS ÚNICO INDIVISÍVEL, mas todos pertencem a mesma tradição semítica, vá entender. Claro q o cristianismo se deixou influenciar pelo conceito grego, egípcio e até dos cananeus. "O DEUS POR NÓS INVENTADO, Ñ É DEUS." Krishnamurti

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. acho os ateus inteligentes, afinal eles acreditam no deus explosão..... muito inteligentes !!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ignorância é enxergar parcialmente algo e tirar conclusões que, por arbitrariedade, não podem ser questionadas.

      Usando seu exemplo fraco, a teoria (T E O R I A) do Big Bang já foi refutada de várias formas, e outras TEORIAS para explicar o desconhecido (origem do universo, por exemplo) surgem a toda hora. Para que se mantenha como possível verdade, toda teoria precisa ser testada e provada constantemente.

      Diferente das crenças, a ciência não vive em função de "achismo" ou de dogmas eternos, mas sim do desenvolvimento de teorias e da busca de confirmação destas, por meio demonstração inequívoca de sua aplicabilidade, não tendo nenhuma "vergonha" em rever ou até mesmo eliminar conceitos quando esses se mostram equivocados.

      Religião é exatamente o contrário, toda vez que algo tido como certo pela religião é demonstrado como inválido, trata-se de tentar descaracterizar a prova da invalidade da crença. Essa é uma definição muito peculiar de inteligência.

      A diferença básica entre ciência e religião é que a religião vem com declarações absolutas que não devem, por princípio básico, serem provadas ou refutadas, enquanto a ciência não possui verdades absolutas, tendo que evoluir a partir de suposições que devem sempre serem provadas ou refutadas.

      Em outras palavras: A ciência não afirma ter conhecimento absoluto sobre qualquer coisa, sempre se questionando sobre suas "verdades". Já a religião alega que tem o conhecimento absoluto da verdade sem necessidade de comprovar nada.

      Excluir
  7. acho que essa discuscurção e sempre a mesma e sempre vai ter esse debate...eu abraço a incerteza porque aquele que me provar com provas concretas de onde nós viemos vou passar a acreditar...mais por enquanto são só argumentos e teorias relacionadas de onde nós viemos..nao dou razão a nenhum dos 2 lados (ciência e religião )

    ResponderExcluir
  8. Bem é o logico que deus não existe se ele existe porque ele não prova as pessoas, matan por um territorio chamado belém ex israel e palestina bém é a quele povo aaa aquele dele quen não come porco mais come carne humana e se ele existe porque teve dinousauro na terra foi encontrado foçel por acaso o foçel não foi examinado quer dizer que eva e adão viveu com dinousauros claro que não

    ResponderExcluir
  9. Bém uma coisa eu sei que uma pessoa que acredita em deus se passase o que eu passo mudaria de idéi!!!

    ResponderExcluir
  10. Não sei se alguém neste espaço poderia me ajudar de alguma forma: De que modo o ateísmo ou qualquer outra crença pode interferir ou contribuir (quem sabe colaborar) com o processo cultural em uma determinada localidade oi nação? Quem quiser me ajudar pode enviar respostas a contato@coloquiomineiro.com / cleitonjuventino@gmail.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...