segunda-feira, 19 de agosto de 2013

A Falácia do Contexto Bíblico


A wiki Teonismo disponibiliza um grande acervo de material relacionado à apologética cristã. Recentemente vi lá algo que me chamou a atenção, e que é um problema recorrente nos debates entre o cristianismo e não-cristianismo (outras religiões ou o ateísmo). Trata-se da Falácia do Contexto Bíblico.

O nome foi criado pela própria wiki, como sendo uma falácia lógica não oficial, uma mistura da falácia do espantalho com a citação fora de contexto. Infelizmente, este é um dos métodos mais utilizados por neo-ateus para dar descrédito a certas verdades cristãs, alegando supostas contradições e incoerências bíblicas quando na verdade não se usa as ferramentas adequadas para o contexto bíblico.

A Falácia

O que normalmente ocorre é o fato de considerar-se alguns versículos da Bíblia sobre algum tema e ignorar-se os demais, acabando por causar incompreensões. Trata-se de uma mesclagem das falácias do espantalho (diminuir o valor real do argumento para tornar mais fácil de refutá-lo) e da citação fora do contexto (neste caso, todo o contexto bíblico).

Na minha visão, ocorrem dois problemas principais. O primeiro problema é ignorar o conceito cristão da complementaridade da Bíblia. O cristão lê a Bíblia como um documento único, não considerando trechos isolados dela como a palavra final para algo, sem considerar o que o resto da Bíblia diz sobre isso. Um exemplo disto é a Lei de Talião: "Olho por olho, dente por dente", enunciada em Êxodo 21.24. Dizer que a Bíblia é repulsiva porque apoia a vingança ou coisa do tipo, mas se olharmos a Bíblia como um todo, vemos que Jesus cerca de 1500 anos depois revogou essa lei, dando um entendimento mais perfeito aos homens: "Vocês ouviram o que foi dito: ‘Olho por olho e dente por dente’. Mas eu lhes digo: Não resistam ao perverso. Se alguém o ferir na face direita, ofereça-lhe também a outra. E se alguém quiser processá-lo e tirar-lhe a túnica, deixe que leve também a capa. Se alguém o forçar a caminhar com ele uma milha, vá com ele duas. Dê a quem lhe pede, e não volte as costas àquele que deseja pedir-lhe algo emprestado". (Mateus 5.38-42) Alguém aí poderá reclamar dizendo que isso é uma contradição da Bíblia, mas isso é desconsiderar o contexto em que estas duas coisas foram ditas. Voltarei a este assunto mais adiante.

O segundo problema, como eu já mencionei antes, é a falta de uso das ferramentas necessárias para a interpretação do texto bíblico. Assim como qualquer outro texto, a Bíblia está sujeita às regras básicas de interpretação de texto. E por se tratar de textos antigos, os procedimentos são mais criteriosos ainda em alguns aspectos.

Um panorama do texto bíblico

A Bíblia é um conjunto complexo de textos, escritos num período de cerca de 1400 a.C. a 90 d.C., por mais de 40 autores diferentes, com línguas diferentes (grego, hebraico e aramaico), e gêneros literários diferentes, que vão desde documentos oficiais de reis até poesias e hinos, passando por narrações, parábolas, epístolas, profecias, legislação e códigos morais. Não se lê uma poesia da mesma forma que se lê um relatório oficial, assim como não se lê uma narração histórica de um fato da mesma forma que uma parábola. Também não se pode analisar um texto escrito há milhares de anos utilizando o nosso pano de fundo cultural como guia. A mente das pessoas daquela época não é igual à nossa.

Além disso, muitas vezes não são esses detalhes históricos que são importantes para o cristão, mas sim a essência da mensagem bíblica, que consiste no relacionamento de Deus com o homem, centrado no ministério de Jesus Cristo quando veio à Terra. Todos os livros da Bíblia estão ligados direta ou indiretamente a este fato. Em Gênesis, vemos a raça humana sendo corrompida pelo pecado e Deus escolhendo uma um homem para formar a nação na qual um dia Jesus nasceria. Nos livros seguintes, Deus está preparando espiritualmente esta nação, aos poucos. No Novo Testamento a obra redentora de Deus para a humanidade é consumada e é contada a história dos primeiros seguidores de Jesus e das primeiras igrejas. Esta linha histórica deve ser clara na mente de quem deseja extrair informação pertinente do texto bíblico.

Ferramentas de interpretação

"A Hermenêutica é um ramo da filosofia que estuda a teoria da interpretação, que pode referir-se tanto à arte da interpretação, ou a teoria e treino de interpretação. A hermenêutica tradicional - que inclui hermenêutica Bíblica - se refere ao estudo da interpretação de textos escritos, especialmente nas áreas de literatura, religião e direito" (Wikipédia). Existe todo um conjunto de conhecimentos relacionados a como se deve interpretar um texto. A hermenêutica bíblica possui algumas regras:
Regra Fundamental (Primeira Regra):  Scriptura sacra sui ipsius interpres, isto é, a Escritura Sagrada é a sua própria intérprete. Muitas vezes o próprio texto bíblico explica o seu sentido. 
Segunda Regra: É necessário tomar as palavras no sentido que indica o conjunto da frase.
Terceira Regra: É necessário tomar a frase no sentido indicado no contexto, a saber, os versículos que precedem e seguem ao texto que se estuda.
Quarta Regra: É preciso tomar em consideração o objetivo ou desígnio do livro ou passagem em que ocorrem as palavras ou expressões obscuras.
Quinta Regra: É necessário consultar as passagens paralelas. Para conseguir a ideia completa e exata do que ensina a Escritura neste ou naquele texto determinado, talvez obscuro ou discutível, consultam-se não só as palavras paralelas, mas os ensinos, as narrativas e fatos contidos em textos ou passagens aclaratórios que se relacionem com o dito texto obscuro ou discutível. Tais textos ou passagens chamam-se paralelos de idéias.
Ás vezes, quando para a aclaração e correta interpretação de determinadas passagens que não são suficientes os paralelos de palavras e idéias, é preciso recorrer ao teor geral, ou seja, aos ensinos gerais das Escrituras.
É importante também estudar as figuras de linguagem ou de retórica (que aliás é tema obrigatório no ensino médio no Brasil), para entender quando os textos não são ditos literalmente. Isto é considerar a gramática na interpretação. Além disso, outro fator importante é o cenário histórico, ou seja, os eventos da narrativa, a quem é dirigida e como foi compreendida na época.

Voltando ao exemplo da Lei de Talião, se desconsiderarmos o contexto histórico da situação e olharmos para ela a partir dos dias de hoje, quando temos declarações de direitos humanos, etc.,  não vamos ver sentido naquelas palavras, e vamos supor que a Bíblia recomenda um padrão retrógrado de moralidade. Mas se olharmos esta passagem no sentido histórico e entendermos como alguém daquela época via este texto, perceberemos que ele se constituía em um grande avanço para a época. Deus estava ensinando a justiça para o seu povo, que estava acostumado a ser tratado injustamente por 400 anos, sendo escravizado no Egito, e desconheciam princípios básicos de justiça. A Lei de Moisés também continha o amor como um princípio complementar à justiça: "Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o Senhor." (Levítico 19.18). Jesus veio e mostrou que na verdade o amor é superior à justiça, ou seja, completou o ensinamento de Moisés, revelou mais uma parte da verdade, fez mais um avanço para os dias da época, e de fato os padrões morais de Jesus são um avanço até para os dias de hoje, tendo em vista os ensinamentos como "amem os vossos inimigos e (...) orem por aqueles que vos perseguem" (Mateus 5.43).

Para complementar nossa visão, vamos falar um pouco mais de "amor". A frase bíblica "Deus é amor" (1 João 4.8) é muito conhecida. Aqui poderia se cometer o erro de pensar que Deus é "puro amor", que não existe nada mais em Deus além de amor romântico. Aliás há confusão até no conceito de amor aqui. O texto original em grego, usa a palavra agape, que é a tendência em se sacrificar para o benefício de outra pessoa, como os pais fazem com os filhos; não é o amor romântico ou sentimental. Além disso, o contexto mostra que João estava escrevendo uma carta para as igrejas cristãs do primeiro século d.C., e o assunto deste capítulo não era um "tratado sobre o amor de Deus", mas sim uma advertência contra os falsos ensinos que se proliferavam naquela época (v. 1), ressaltando que o amor (agape) era a marca do cristão verdadeiro (v. 7). Ampliando mais a nossa visão para abranger toda a Bíblia, descobriremos que o amor não é a única parte da essência de Deus, mas também há a santidade, justiça, fidelidade, graça, misericórdia, bondade, onipotência, onipresença, onisciência, etc. Uma vez que Deus é Santo, ele não tolera a corrupção e a maldade. Não se pode amar a verdade sem odiar a mentira; não se pode amar a pureza sem odiar a corrupção. Deus também odeia (Salmo 11:5).

As supostas contradições

Façamos um breve estudo de caso, quanto às desonestidades intelectuais proferidas por neo-ateus em desconsiderar o contexto bíblico. Um exemplo comum é o da apologia da Bíblia à escravidão. Veja a imagem abaixo:


Uma citação descontextualizada do apóstolo Paulo serve para afirmar que ele apoiava a escravidão, ou pior, afirmar que a Bíblia apoia a escravidão? Vamos lembrar dos elevados padrões morais bíblicos: o próprio Paulo disse uma vez que "nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus" (Gálatas 3.28). Acho que vocês não tem noção do quanto esta frase é impactante para os padrões da época. Num contexto onde a exploração das mulheres e a escravidão eram regra, esta pérola moral surge dos ensinamentos de Paulo: todos são iguais perante Deus, o homem não é maior que a mulher, o senhor não é maior que o escravo. Ninguém na história havia dito isto antes, e de fato, este princípio moral é tão a frente de seu tempo que só foi absorvido pela cultura geral ocidental muitos séculos mais tarde com as declarações de direitos humanos. É isto que os textos paralelos nos esclarecem.

Olhando o contexto histórico, vemos que a escravidão praticada naquela época era em muito diferente da que estamos acostumados a pensar, da imagem a qual o cartaz nos remete enganosamente. Para isso basta ler um pouco de História. Além disso, a escravidão era uma realidade social existente há milhares de anos, que não poderia simplesmente ser mudada de uma hora para a outra, pois acarretaria em danos econômicos irreversíveis ao Império Romano, dentre outras coisas.  Por isso a solução pragmática de Paulo para aquele momento era procurar meios de tornar essa mesma realidade menos penosa para os escravos. Por isso recomendou um tratamento mais humano para os escravos e para que os mesmos fossem obedientes e comportados, evitando razões para serem castigados. O resultado histórico é que o padrão moral cristão aos poucos mudou esta realidade no Império Romano, fazendo com que muitos anos depois a escravidão fosse abolida naquela cultura. (Para saber mais sobre a Bíblia e a Escravidão, leia aqui no blog: A Bíblia e a Escravidão e Refutação # 13 - godisimaginary.com).

Por mais assustador que possa, parecer, existem sites neo-ateus especializados em cometer este tipo de falácia. O conhecidíssimo Why Won't God Heal Amputees? (Por que Deus não cura amputados?) é um belo exemplo disso, e o seu primo God is imaginary consegue ser ainda pior. Para quem não sabe, eu escrevi uma refutação completa deste último site, que você encontra aqui no blog: 50 "provas" que Deus é imaginário REFUTADAS.

Epílogo

Boa parte do conteúdo da Bíblia contém verdades de caráter espiritual, isto é, que visam atingir o nosso espírito, para aplicarmos em nosso relacionamento com Deus. Por isso a Bíblia deixa claro que é necessária a iluminação dada pelo Espírito Santo para a compreensão destas verdades no texto (1 Coríntios 2.10-16). Por isso o cristão acredita que não só a hermenêutica deve ser respeitada, mas também o relacionamento com Deus é importante para poder entender e aplicar as palavras espirituais como lições de vida. A atitude do cristão ao ler a Bíblia é a mesma que a oração do salmista: "Desvenda os meus olhos, para que eu contemple as maravilhas da tua lei" (Salmo 119:18).


Referências para estudo:

E. LUND - Hermenêutica: regras de interpretação bíblica. Disponível em:

Hermenêutica.com: princípios, estudos, mensagens e ilustrações

158 comentários :

  1. Muito bom esse texto, que Deus continue te iluminando e dando entendimento para combater as mentiras ou falta de conhecimento de muitos que preferem criticar e não crer em Deus do que buscar à fundo uma explicação ou relacionamento real com o Senhor.
    Também estou nesta luta, porém, infelizmente não tenho muito tempo como gostaria pra dedicar a Palavra de Deus, mas o que posso estou fazendo, e com esse tipo de artigo que escreveu, agrego mais conhecimento para minha caminhada evangelizadora.
    Que nosso Senhor e salvador Jesus Cristo esteja ao seu lado hoje e sempre.

    Meu site: www.raciociniocristao.com
    Minha página: www.facebook.com/raciociniocristao

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve Allison.

      Gostei muito do teu blog.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
  2. Falácia anacrônica.
    Gostaria de ver os ateus mostrarem um país cristão atualmente que pratica a escravidão baseada na Bíblia...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehe, acho muito difícil eles conseguirem mostrar isso.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    2. Isso só mostraria que a moral cristã se molda de acordo com a realidade da sociedade.
      Antes era permitido, hoje não pode. Mas não por causa da Bíblia e sim pelas regras da sociedade. Então, essa moral vem de onde?
      Isso parece fruto do famoso "pick and choose".

      Excluir
    3. Rodrigo,
      a moral cristã tem como base o Novo Test. senão, teríamos que ainda sacrificar bodes, ovelhas, bois e seguir várias regras, leis e preceitos do Antigo Test. dos quais se inclui o sistema de escravidão judaico (por sinal o mais justo da época!). Leis essas, que nem os judeus seguem mais!
      A revelação de Deus foi progressiva e hoje atinge o mundo todo pelo NT.

      Mas mesmo que não houvesse o NT, Deus já escreveu sua lei moral em nossos corações.
      Esse conhecimento íntimo em nós desse "padrão moral" nos permite julgar por ex. que os nazistas e o Holocausto eram maus. Porém, jamais esta lei moral (além da cognição, pensamentos, idéias, inteligencia etc) surgiriam de meras reações químicas/físicas impessoais, irracionais, amorais, às cegas de elementos químicos de matéria inanimada, como quer o naturalismo darwinista. Logo, isso nos remete a um Agente Moral Inteligente Causador.

      "Não há nação tão bárbara, nem raça tão bruta, que não esteja impregnada com a convicção de que há um Deus. O senso de divindade está tão naturalmente gravado no coração humano que até os depravados são forçados a reconhecê-lo" - Calvino.



      Excluir
    4. O NT jamais foi considerado literatura inspirada, em tempo algum. Seu textos eram apenas chamados de memórias dos apóstolos e nada mais. SOMENTE O VELHO TESTAMENTO ERA CONSIDERADO LITERATURA ISNPIRADA, obviamente hoje sabemos que não passa de uma coleção de besteirol primitivo de gente primitva e ignorante. O NT é uma farsa, copia e modifica mais de 400 trechos do VT para tentar passar a ideia de que foi previsto e é continuação daquele. NADA MAIS FAJUTO, JÁ QUE QUALQUER IDIOTA PODERIA ESCREVER UM LIVRO 1000 ANOS DEPOIS E FORÇAR A COMBINAÇÃO COM O MAIS ANTIGO >>> EXATAMENTE O QUE FOI FEITO COM O NT, MAS NÃO SEM CENTENAS DE ERROS GROSSEIROS, MENTIRAS E PROFECIAS INVENTADAS SOBRE O TAL JESUS. PURA TROLLAGEM DE IDIOTAS.

      Excluir
    5. Engraçado... será que qualquer idiota (Jesus) teria como se encaixar nas 313 profecias sobre sua pessoa, inclusive eventos que não tinha controle como local de nascimento e ancestralidade??? (foi 400 anos e não 1000 anos tá Sr. Fábula).

      Excluir
    6. O NOVO TESTAMENTO FOI ESCRITO (ENTRE SÉC 2 E 4)DEPOIS DO VELHO (ESCRITO ENTRE OS SÉCULOS 6 E 8 AEC), ENTÃO SUAS PROFECIAS NÃO VALEM NADA, POIS O VELHO TESTAMENTO JÁ ESTAVA ESCRITO, SUA ANTA, ERA SÓ LER O VT E IR INVENTANDO AS PROFECIAS ... KKKKKKKKKK ... FOI EXATAMENTE O QUE FIZERAM. ISSO ATÉ MEU CACHORRO SABE FAZER ... KKKKKK PEGAR UM LIVRO BEM MAIS VELHO E IR INVENTANDO PROFECIAS EM CIMA DELE ... KKKKK

      VEJA ALGUNS PROBLEMINHAS: >>>

      • TROLLANDO CRENTES BOBOS COM A FARSA DO NASCIMENTO DE JESUS CRISTO >>>
      • http://www.scribd.com/doc/47781251/Colecao-Fabulas-Biblicas-Volume-9-A-Farsa-Do-Nascimento-De-Jesus-Cristo

      Excluir
    7. Sr. Fábula Risonha, vc faz jus ao nome ao propagar fábulas fantásticas!
      Só mesmo vc para datar o NT após o séc 2 quando até mesmo críticos como o teólogo da "morte de Deus" John A.Robinson datam o NT dentro do séc. 1.
      E Moisés já escreveu o Pentateuco em torno de 1440 AC data aproximada do Exodo.
      "Moisés escreveu todas as palavras do Senhor,... " Ex 24:4. Se não escreveu é uma fraude. Josué seu sucessor disse que Moisés escreveu a Lei.
      As profecias gerais cumpridas e a cumprir, não só as de Cristo que recaíram exatamente nele, comprovam a veracidade bíblica.
      Anta?? (já está se esperneando quando falta argumento, apelando pro Argumentum ad hominem!).

      Excluir
    8. Não existe uma nação hj que pratica a escravidão baseado na bíblia, mas há mais ou menos 150 anos existiu, aliás, existiram. Já assistiram "Lincoln"?

      Excluir
  3. Textos paralelos = eu escolho o sentido que deve ter de acordo com o que eu gostaria que fosse verdade. As afirmações não devem se anular a não ser que mostrem isso explicitamente.
    Do contrário, se somam e podem sim se se contradizer ou reforçar uma ideia.

    "Além disso, a escravidão era uma realidade social existente há milhares de anos, que não poderia simplesmente ser mudada de uma hora para a outra..."
    Isso dá a entender que a moral de Deus se ajusta aos costumes do povo. Ta mais parecendo moral de Deus segundo os homens da época, como ainda parece ser hoje.

    "é necessária a iluminação dada pelo Espírito Santo para a compreensão destas verdades no texto..."
    Ou seja, desprover-se se senso crítico e analítico e deixar a emoção perturbar os sentidos. Assim o indivíduo inconscientemente entende e lembra somente o que convêm, ou seja condis com seus valores reconhecidamente positivos já preestabelecidos.

    ResponderExcluir
  4. O engraçado é que Deus sempre faz a vontade do crente e não o contrário. Deus precisa se adaptar à realidade do crente, pois se o crente fizer a vontade Deus vai parar atrás das grades rapidinho, pois tudo o que Deus prega na Bíblia já é crime.

    A escravidão, adorada por Deus, é crime.
    O sacrifício humano, adorado por Deus, é crime.
    O assassinato em massa, adorado por Deus, é crime.
    O assassinato de descrentes, adorado por Deus, é crime.
    A humilhação da mulher, adorada por Deus e Jesus, é crime.
    Queimar pessoas em fogueiras em nome de Deus é crime.
    Assassinar o filho para “salvar” a humanidade, é crime.
    Perseguir outras religiões, adorado por Deus, é crime.
    O estupro em massa, adorado por Deus, é crime.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fantásticas falácias!
      Se Deus fosse capacho dos crentes; o inferno não estaria lotado... pois o homem adora ir contra Deus. :-D

      Excluir
    2. POR QUE DEUS CRIOU SERES QUE ADORAM IR CONTRA ELE???
      INCOMPETENTE???

      Excluir
    3. Deus é Perfeito.
      E uma das qualidades da Perfeição é justamente dar liberdade de escolhas às suas criaturas; não somos robôs.
      Deus criou as criaturas boas com uma qualidade chamada livre-escolha, e é bom ser livre, mas com a liberdade vem a possibilidade do mal, então Deus é responsável por tornar o mal possivel, mas as criaturas livres são responsáveis por torná-lo REAL.
      Por acaso seria justo forçar você, a crer e seguir a Deus? Somente pelo seu próprio interesse de conhecê-lo que é a forma justa.

      Além disso, os humanos são capazes de reconhecer a Deus pelas evidências da criação e da consciência (intelecto, cognição, moral).
      Contudo, apesar de cada pessoa saber claramente por meio da razão que Deus existe, a depravação, o orgulho, o egoísmo a e rejeição insensata humana; suprime, bloqueia, impede esta revelação no coração.

      O problema não é que os céticos não estejam cientes da existência de Deus; mas que não querem aceitá-lo por causa das implicações morais que isso teria em suas vidas. Eles conhecem a Deus na mente mas o rejeitam no coração.
      "Diz o tolo em seu coração: Deus não existe" Sl 14.1.

      Excluir
    4. SE DEUS É PERFEITO E NÃO CONSEGUE DEMONSTRAR SUA EXISTÊNCIA DE MANEIRA SIMPLES, DIRETA E INQUESTIONÁVEL, SEM INTERMEDIÁRIOS COBRADORES DE
      DÍZIMO, >>> OS CÉTICOS PERCEBEM CLARAMENTE QUE SE TRATA DE UMA FRAUDE.

      PONTO PARA OS CÉTICOS.

      Excluir
    5. O próprio deus mitológico bíblico afirma ser o criador direto de todos os males, sejam morais, reais ou naturais.

      Ou é criador de tudo ou é um deus meia boca.

      "Por acaso seria justo forçar você, a crer e seguir a Deus?"

      NA INQUISIÇÃO CATÓLICA E PROTESTANTE AS PESSOAS ERAM QUEIMADAS VIVAS POR USAREM O LIVRE ARBÍTRIO TENDO OUTRAS CRENÇAS. E NO PRIMEIRO MANDAMENTO, DEUS PROIBE USAR O LIVRE ARBÍTRIO PARA TER OUTROS DEUSES. DEUS E JESUS EXIGEM ADORAÇÃO EXCLUISVA, CONDENADO AO INFERNO QUE NÃO CRER NELES, PORTANTO, É EXPRESSAMENTE PROIBIDO USAR O LIVRE ARBÍTRIO SEGUNDO A BÍBLIA.

      DEUS É A FONTE DE TODOS OS MALES: MORAIS, REAIS E NATURAIS >> ELE MESMO AFIRMA NA BÍBLIA

      • http://es.scribd.com/doc/76896728/Colecao-Fabulas-Biblicas-Volume-6-Deus-e-a-Fonte-do-Mal

      Excluir
    6. Deus é auto-manifestado nas obras da criação e na consciência e intelecto exclusivos nos humanos. Mas sua Glória e Ser em Essência visíveis não dá e não revela a ninguém.
      A própria idéia de Deus não nos seria possível se Ele não existisse pra infundi-la em nossa mente. Não somos mera matéria orgânica impessoal, amoral, irracional de elementos químicos inanimados. Mesmo ateus clamam por Ele!
      O ateu francês existencialista Albert Camus disse:"Nada pode desencorajar o apetite pela divindade no coração do homem."

      A Perfeição de Deus implica em dar liberdade as suas criaturas. Satanás caiu porque quis. Assim como nós também não somos OBRIGADOS a pecar.
      Mas o mal surgiu por causa do homem e suas escolhas infelizes (por isso o mundo está doente e sofre) e não quer pagar por isso?! jogando a culpa em Deus egoistamente?! mas colhe-se aquilo que se planta, pois toda escolha tem um preço.

      Quem obstinadamente rejeitou a Cristo nesta vida, sabe que lá no inferno dirão a si mesmo "Eu mereço este lugar terrível, como fiz força para estar aqui, por isso odeio mais a Deus ainda!"
      Os homens são punidos quando fazem o mal, em leis de trânsito ou leis municipais e federais, leis diversas, mesmo assim as pessoas escolhem (em sã consciência), o erro, o sofrimento, o mal ao próximo, o egoísmo, e não querem pagar por isso?

      Se sofremos consequencias severas ao desobedecer autoridades constituidas dos homens. Por que seria diferente da Autoridade Máxima do Universo?
      Seria terrível para as pessoas Deus forçá-las a fazer somente o que Ele desejasse. Seria escravidão e não liberdade. Ele não mexe em nossa personalidade.

      Jonathan Edwards disse:”Parece-te incrivel que Deus seja tão absolutamente negligente com o bem-estar do pecador, a ponto de mandá-lo para um abismo ou sofrimento infinito? Isso te choca? E não é chocante para ti que sejas tão absolutamente negligente como tem sido para com a honra e a glória do Deus infinito?”
      "Não parece nem um pouco cruel da parte de Deus infligir sofrimento a criaturas extremamente cruéis e perversas." - Gerstner.

      E já que os incrédulos querem ficar longe de Deus agora, certamente esse será o estado que passarão na eternidade. Deus respeita nossas escolhas.
      Ora, ninguém gosta de ficar perto de pessoas que não nos querem. Vc moraria numa casa onde todos te rejeitassem? Assim Deus nos deixa livre para segui-lo ou não.
      Roubar dos homens sua liberdade e dignidade, levando-os à força para o céu e a contra gosto seria um "INFERNO" pra eles, já que não pertencem ao lugar onde todos adoram e amam a Pessoa que eles mais queriam evitar!

      Não somos culpados e nem Deus se tentarmos alimentar uma pessoa morrendo de fome, mas ela se recusar a comer e morrer.
      No final só haverá dois tipos de pessoas: aquelas que dizem a Deus “que seja feita a tua vontade” e aquelas que Deus diz: ”que seja feita a tua vontade”.

      Excluir
    7. A EXISTÊNCIA DE DEUS COMO CRIADOR ABSOLUTO DE TUDO TORNA ELE RESPONSÁVEL ABSOLUTO POR TUDO QUE ACONTECE EM SUA PRÓPRIA CRIAÇÃO.

      A CRIAÇÃO NÃO TEM CULPA DE NADA E NEM PEDIU PARA SER CRIADA. A CULPA É 100% DO ARQUITETO RESPONSÁVEL. SE EXISTEM DEFEITOS, FORAM PROJETADOS POR ELE OU ELE NÃO CONSEGUIU PREVER OS DEFEITOS E EVITÁ-LOS, LOGO, É 100% CULPADO POR TUDO OU É UM INCOMPETENTE.

      COMO DEUS É UMA INVENÇÃO DA MENTE DE GENTE RETARDADA E IGNORANTE, PRECISAM DEFENDÊ-LO PORQUE ELE NÃO CONSEGUE - OBVIAMENTE - SE DEFENDER SOZINHO. SERES IMAGINÁRIOS NÃO PODEM SE DEFENDER, POR ISSO OS ATEUS PODEM TROLLAR OS CRENTES ETERNAMENTE SEM NENHUM TIPO DE RECEIO. A PRÓRPIA BÍBLIA DEIXA ISSO CLARO:

      Eis que estes são ímpios, e prosperam no mundo; aumentam em riquezas. Salmos 73:12

      Até quando os ímpios, Senhor, até quando os ímpios saltarão de prazer? Salmos 94:3

      Até quando julgareis injustamente, e aceitareis as pessoas dos ímpios? (Selá.) Salmos 82:2

      ACREDITAR EXIGE FÉ CEGA, CONHECIMENTO EXIGE SABER. QUEM ACREDITA, NÃO SABE. QUEM SABE, NÃO PRECISA ACREDITAR.

      Excluir
    8. SE DEUS É ONIPRESENTE, COMO PODEM OS ÍMPIOS OU QUALQUER COISA SE AFASTAR DELE?

      SE DEUS SE AFASTA PROPOSITALMENTE DE ALGUMA PARTE DE SUA CRIAÇÃO, DEIXA DE SER ONIPRESENTE.

      Isso são contradições com as características impossíveis de um deus inventado. Inventaram demais e não podem mais explicar os absurdos.

      Excluir
    9. Sr. Trollador Fabuloso
      Está certo! vamos culpar a Deus por todas as nossas crueldades, erros e maldades, pois assim fica mais fácil se isentar de responsabilidade e temos uma desculpa pra nossa consciência!

      Então um Deus Perfeito não poderia punir? dar liberdade à suas criaturas é uma das caracteristicas dessa Perfeição. Mas lembre-se, liberdade envolve responsabilidade. Não somos punidos neste mundo por desobedecer certas leis, preceitos, regras, normativos?? seria justo deixar só vc furar o sinal vermelho no trânsito, ou ir num banco ou loja roubar dinheiro ou ferir e matar as pessoas e sair impunemente??

      E por que das leis reguladoras na sociedade? Pra que andar na "linha" se somos apenas matéria e não haverá julgamentos e nem prestação de contas após a morte né?!
      A questão principal é esta: se não houvesse uma lei moral já gravada em nós, então não seríamos capazes de detectar o mal ou a injustiça de qualquer tipo. Sem justiça, a injustiça não tem sentido. Do mesmo modo, a não ser que exista um padrão imutável de bem/moral/justiça, não existe essa coisa de mal objetivo. Contudo, uma vez que todos nós sabemos que o mal existe, então também existe a lei moral.
      Nenhum povo considera o estupro, assassinato, preconceito, crueldades como virtudes.

      Se Deus não existe, então o que Hitler fez foi simplesmente uma questão de gosto pessoal ou tinha apenas moléculas em reações químicas; sendo os elementos materiais os únicos responsáveis pela moralidade; mas isso não faz sentido…. Hitler gostava de matar pessoas, e Madre Teresa gostava de ajudá-las. A não ser que exista um padrão Moral além de Hitler e de Madre Teresa, ninguém está realmente certo ou errado, ou elementos químicos determinam esses princípios??? Leis morais absolutas exigem um Criador transcendente dessa lei.

      Ou que mal há no aborto? um presidente americano disse certa vez:
      "Percebi que todos aqueles que são favoráveis ao aborto realmente nasceram".
      De fato, TODOS se tornariam contra o aborto se pudessem voltar ao ventre materno.

      As aparentes bem-aventuranças dos ímpios não significa que sempre serão bem-aventurados...
      De fato, a maioria já recebe a punição de seus atos pagando nesta vida, ou então, pagarão lá no inferno!
      Como eu disse, a Bíblia defende a Bíblia, por que não complementasse os Salmos com estes textos:
      "E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo." Mt 10:28
      "O Senhor é Deus zeloso e vingador; o Senhor é vingador e cheio de furor; o Senhor toma vingança contra os inimigos." Na 1:2.
      "Como labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo;" 2Ts 1:8.

      Excluir
    10. A Onipresença Divina, é o seu caso típico Fábula Troll. Vc se afasta de Deus, mas ele ainda mantém sua vida e respiração... para vc desprezá-Lo!
      Mas: "Eis que os caminhos do homem estão perante os olhos do Senhor, e ele pesa todas as suas veredas." Pv 5:21.

      Excluir
    11. CRIADOR = RESPONSÁVEL POR SUA OBRA

      PERFEIÇÃO = CONTRADITÓRIO COM PUNIÇÃO, POIS EXIGE ERRO DO CRIADOR.

      CRIADOR = CONTRADITÓRIO COM LIBERDADE, POIS A CRIATURA É INCAPAZ DE AGIR CONTRA A VONTADE DO CRIADOR.

      Excluir
    12. RESPONSÁVEL POR SUA OBRA

      Então muitos pais bons, deveriam ser presos por seus filhos assassinos cruéis.

      CONTRADITÓRIO COM PUNIÇÃO, POIS EXIGE ERRO DO CRIADOR.

      A criatura é que tornou-se imperfeita por escolha; e não o Criador.

      CONTRADITÓRIO COM LIBERDADE, POIS A CRIATURA É INCAPAZ DE AGIR CONTRA A VONTADE DO CRIADOR.

      É o que exatamente estás fazendo agora...! Sr. Trollador Enrolador.

      Excluir
    13. Então muitos pais bons, deveriam ser presos por seus filhos assassinos cruéis.

      SEGUNDO DEUS, SIM.

      eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso (CIUMENTO, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam. Deuteronômio 5:9

      Excluir
    14. A criatura é que tornou-se imperfeita por escolha; e não o Criador.

      POR ESCOLHAS PRÉ-PLANEJADAS POR DEUS, LOGO POR ESCOLHA ANTECIPADA DE DEUS.

      Excluir
    15. Visitar, nem sempre significa punir, mas a punição virá somente "daqueles que me odeiam".
      A alma que pecar essa morrerá.
      "Os pais não morrerão pelos filhos, nem os filhos pelos pais; cada um morrerá pelo seu pecado." Dt 24:16.

      Se Deus escolhesse, salvaria a todos levando-os pro céu. Mas muitos não querem, e Deus respeita essas escolhas.

      Excluir
    16. Este deus judaico-cristão, se existe não é onipotente. Ou seja, não é, e nunca foi, perfeito: Perfeição é PERFEIÇÃO. Ou seja, não existir em NADA do que este SER PERFEITO faz a mera POSSIBILIDADE de algo dar errado. Se o mal é uma OPÇÃO do ser humano, é fácil entender que este ser perfeito, que CRIOU TUDO, saberia ANTECIPADAMENTE DE TUDO O QUE IRIA ACONTECER. Como um ser perfeito não saberia, MESMO ANTES DE CRIAR O UNIVERSO de que os trouxas, Adão e Eva, iriam começar a pecar? Como um ser PERFEITO pode REAGIR A ALGO se ele é a coisa mais perfeita que existe a ponto de SABER (e simplesmente saber TUDO, pois ele é dono (criador) de cada segundo que compõe a ETERNIDADE)?
      Seres perfeitos não REAGEM, não ficam com "raivinha", não "castigam", pois eles simplesmente têm poder total de fazer o universo, além de ser uma criação deles, ser perfeito e desprovido de qualquer coisa que poderia "um dia" vir a se tornar ruim (seres humanos).

      Este é o meu conceito de um ser supremo fodão. Ou seja, perfeito em tudo e literalmente "impecável" em todos os aspectos. Um ser que NUNCA criaria seres pra que eles evoluíssem (e neste processo cometessem barbaridades), mas um ser que, se criasse algo, este algo já seria apenas um reflexo da sua perfeição.
      E pelo que observamos, este ser "perfeito", não é perfeito ou não existe. Pois se existe, ele gosta de deixar que suas criações se matem e façam muita merda só pra se divertir e se surpreender assistindo a tudo. Mas daí eu me pergunto: um ser perfeito assistindo algo? Mas este ser é onisciente! Como um ser onisciente se surpreende? faz planos divinos? Gasta "tempo" (6 dias) pra construir um universo (ou seja: tudo que existe) e fica "cansadinho" e descansa no sábado? Realmente, este ser não é onipotente, nem onisciente nem onipresente. É uma ideia furada criada por espertos há séculos pra enganar tolos. Felizmente hoje há mais pessoas racionais do que naquela época.

      Excluir
  5. A FARSA DA INTERPRETAÇÃO BÍBLICA

    A grande desculpa dos crentes, A "INTERPRETAÇÃO BÍBLICA".

    Vejamos certos detalhes:

    Quando o crente cristão diz que se deve interpretar a Bíblia, a que especificamente ele está se referindo? Por exemplo, a Bíblia tem várias direções narrativas, uma delas são os eventos específicos, os quais são situações pontuais em que o escritor bíblico narra um evento ou uma história particular, como "a crucificação de Jesus" ou "O Dilúvio Universal"... Porque certos cristãos dizem que a crucificação é um fato literal e o dilúvio não? O que torna um fato literal e outro não? Você, caro leitor cristão certamente já passou por isso, certo? Claro que você nunca disse que a crucificação deve ser "interpretada", ou que não deve ser tomada literalmente, mas certamente você já disse que os cadáveres ambulantes que saíram das tumbas quando Jesus morreu ou o Dilúvio Universal são algumas dessas coisas "simbólicas ou interpretativas."

    Exemplos não faltam.

    Conheço muitos crentes que opinam que a criação do universo em seis dias é uma dessas coisas que se deve “Interpretar” e que não deve ser tomada como literal. Por quê? Em nenhum momento o escritor insinua que o fato está sob interpretação pessoal. Claro, dizem que a criação não é literal porque é SIMPLESMENTE IRRACIONAL. Simples assim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. -E quem disse que o Dilúvio foi "simbólico"???
      Evidências do Dilúvio Universal (e não uma simples enchente local) estão espalhos pelo mundo:

      1. Em TODAS as altas montanhas do mundo há vários fósseis de baleias, tubarões, animais marinhos, mamíferos, répteis e dinossauros juntos cimentados em calcita, inclusive com tecidos orgânicos neles; o que caracteriza que morreram num evento rápido e violento de soterramento: tipo o Dilúvio.

      2. A rápida fossilização por deposição de materiais orgânicos, como mostram as descobertas de tecidos moles em vários fósseis indica que não poderiam ter "milhões de anos", mas foi algo recente.

      3. Outra prova do dilúvio é que fósseis de animais; e das plantas que deviam ter servido como seu alimento, freqüentemente não aparecem juntos como era de se esperar. Esse fato é observado em todo continente americano, a exemplo dos dinossauros encontrados na Patagônia.

      4. Um dos maiores depósitos de madeira petrificada está em Holbrook, Arizona, onde existem cerca de 10.000 árvores enormes petrificadas naquele local. Só um evento rápido e poderoso como o dilúvio; seria a causa de tamanho depósito.

      5. A explicação para a existência de grandes depósitos de gás e petróleo devido ao acúmulo e subseqüente enterro de enormes quantidades de material orgânico (plantas e animais) por violenta pressão e queima.

      6. Outra prova é o Talude Continental que é um declive acentuado abrupto no oceano, após a plataforma continental. Se a Terra tivesse bilhões de anos não existiria Talude pois os sedimentos dos rios nivelariam de forma proporcional os oceanos depois de tanto tempo.

      7. Fósseis tridimensionais (raros) de animais apresentam uma evidência clara de um sepultamento ainda em vida, ou imediatamente após a morte.
      8. Organismos foram sepultados em seus habitats naturais enquanto as águas varriam a Terra, produzindo assim a sucessão de fósseis.
      9. O Dilúvio explica a presença de amonites (invertebrados marinhos) em grandes altitudes, como na Cordilheira dos Andes ...etc, etc.
      10. Obviamente os descendentes de Noé repassaram esse mega-evento oralmente, por isso as similaridades dos vários relatos antigos sobre esse evento.

      -Também a Bíblia não diz que os cadáveres entraram "caminhando" na cidade, mas simplesmente apareceram...

      -E quem diz que a criação não é literal mas sim IRRACIONAL; vc?? e como provas?? será que foi o deus nada, o deus acaso regido por forças cegas que fez todo incrível e complexo universo e vida orgânica inteligente aqui??
      Deus poderia fazer todo o universo em menos de 1 segundo, se quissesse.
      A Bíblia defende a Bíblia; ela diz:
      "Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia." 2Pe 3:8.

      Excluir
    2. ESSE VERSÍCULO É UMA RESPOSTA "ENROLATION" PARA ESTE:

      E dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação. 2 Pedro 3:4

      Se isso é certo, Jesus vai ressuscitar só no terceiro milênio (terceiro dia= 3.000 anos) certo?

      E se Adão viveu 930 anos, isso equivale a mais de 300 milhões de anos.

      Ou a regra só se aplica à volta impossível de Jesus e não ao resto da Bíblia? kkkk

      O PLÁGIO DESCARADO DO DILÚVIO >>> 10. http://www.scribd.com/doc/47638479/Colecao-Fabulas-Biblicas-Volume-33-O-Plagio-descarado-do-mito-de-Noe

      Excluir
    3. Por falar em Pedro, quem escreveu os livros de João, Pedro e o Apocalipse, já que a Bíblia diz que eram analfabetos?

      Então eles, vendo a ousadia de Pedro e João, e informados de que eram homens sem letras e indoutos, maravilharam-se e reconheceram que eles haviam estado com Jesus. Atos 4:13

      Excluir
    4. "A Bíblia defende a Bíblia" = ARGUMENTO CIRCULAR (não vale nada).


      Excluir
    5. VEJA OUTRAS CRIAÇÕES TÃO "RACIONAIS" COMO A PLAGIADA PELA BÍBLIA:

      A FARSA DA CRIAÇÃO DIVINA
      http://www.scribd.com/doc/82624185/Colecao-Fabulas-Biblicas-Volume-29-A-Bobagem-da-Criacao-Divina

      Excluir
    6. Sr. Fábula Falaciosa,
      O versículo mostra que Deus não está subordinado e limitado ao tempo humano (cronos). Para ele não existe, passado, presente, futuro pois Ele mesmo criou o tempo como sabemos e medimos.
      Assim, o tempo de Deus e seus propósitos é diferente do nosso tempo intra-universo.

      Não me admiro os crentes ateus fundamentalistas obtusos negarem as inúmeras descobertas científicas e paleontológicas evidenciando o mega-evento do Dilúvio.

      Indoutos e sem letras, em comparação aos escribas e rabinos obviamente.
      Se Pedro e João não soubessem ler e escrever não poderiam ter feito aquele discurso inicial da Igreja expondo as Escrituras antigas e também diante do Sinédrio quando todos ficaram surpresos por tais palavras, sabendo que Pedro e João eram pessoas simples sem “formação teológica” e "cultura religiosa" como diríamos.

      Excluir
    7. ISSO É UMA SIMPLES INVENÇÃO PARA EXPLICAR UMA MENTIRA: O RETORNO DE JESUS. POIS, ASSIM COMO HOJE, AS PROMESSAS ERAM COBRADAS DOS RELIGIOSOS MENTIROSOS E ELES PRECISAM INVENTAR DESCULPAS IDIOTAS COMO ESSA.

      LEIA O CONTEXTO: RECLAMAÇÃO PELA VOLTA FRACASSADA DE JESUS >>>

      • FRAUDE CRISTÃ: JESUS CRISTO NÃO VOLTA
      • http://es.scribd.com/doc/50263608/Colecao-Fabulas-Biblicas-Volume-52-Jesus-Cristo-Nao-Volta


      A VIDA DE RELIGIOSO SE RESUME A INVENTAR DESCULPAS PARA AS MENTIRAS QUE PREGA. E COMO HÁ CADA VEZ MENOS IDIOTAS, ELAS COLAM CADA VEZ MENOS E ELES SÃO TROLLADOS CADA VEZ MAIS.


      A INFORMAÇÃO É CLARA: 1 DIA=1.000 ANOS. APLIQUE AO RESTO DA BÍBLIA E PERCEBA A FRAUDE.

      2 PEDRO É CONSIDERADO APÓCRIFO. NEM TEM EM MUITAS BÍBLIAS.


      Excluir
    8. NÃO DEIXE DE LER:

      O PLÁGIO DESCARADO DO DILÚVIO

      http://www.scribd.com/doc/47638479/Colecao-Fabulas-Biblicas-Volume-33-O-Plagio-descarado-do-mito-de-Noe

      Excluir
    9. Como sempre, a maior trollagem dos religiosos ateus fundamentalistas fanáticos é descontextualizar um texto inventando pretextos; como vc fez classicamente com 1Co 4:6,... mas interessante! um versículo anterior a este - 5 - diz assim:
      "Portanto, nada julgueis antes de tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o louvor." 1Co 4:5.

      Onde neste versículo ohh... sr. trollador, vemos alguma data específica com dia, mês, ano da 2ª volta de Cristo???
      Está me parecendo que no seu caso, receberás o louvor da MENTIRA!

      Pelo número de conversões ao Cristianismo que vemos só no Brasil (fora no mundo), temos cada vez mais pessoas menos idiotas e ateus obtusos.

      Se 2Pedro fosse apócrifo não estaria nas Biblias. Em quais não estaria?

      Excluir
    10. Trollador,
      As suas referências para leitura, certamente seguem o mesmo padrão das óbvias descontextualizações, em mutilar, distorcer, comparar, arrazoar fábulas e fantasias fantásticas fabulosas com muitas falácias. A não ser que especifique alguma suposta "contradição" sobre o tema, não lerei e nem tenho tempo para isso.
      Mas já lhe adianto na questão Noé-Arca o seguinte:

      O conceito moderno de "espécie" não é o mesmo que um "TIPO" da bíblia que é bem mais abrangente. Talvez haja uns 73 mil tipos diferentes de animais terrestres. Como o tamanho médio deles é menor que um gato, menos da metade da Arca (equivalente a 570 vagões de trem) seria suficiente para guardar em torno 160 mil animais. Insetos, anfíbios tomam pouco espaço. Os animas marinhos ficaram no mar. E Noé certamente pôs casais de filhotes ou ovos e não adultos.

      Noé não teve de levar na arca por exemplo um casal de urso de cada espécie. Noé apenas teve de levar representante do “tipo” urso… o gênero Ursus ou, ao nível da família Ursidae. O mesmo exercício serve para os outros animais, que depois por HIBRIDAÇÃO geraram os vários tipos deles. A “especiação” – formação de novas espécies – não passa de recombinação de material genético e não criação de algo novo.
      O mais certo é que todos estes animais descendam de um mesmo animal, que representa o “tipo” bíblico. É variação dentro do mesmo tipo.

      A melhor maneira de nos referirmos ao “tipo” bíblico é tendo em consideração a informação genética e não a morfologia dos animais. Devemos ter em conta que a variação entre os animais acontece, como vemos todos os dias. Mas a variação que vemos não é o tipo de variação que esteja no caminho de transformar lobos em baleias ou peixes em camelos.
      Com o passar do tempo, a diversidade genética dos animais seria menor. Assim, a formação de diferentes “espécies”, são animais cujo antepassado teria tido uma maior diversidade genética com um pool genético, mais completo e poderoso.

      Submetidos ao ambiente escuro e frio, passam por hibernação ou torpor: estado de sonolência e inatividade dos animais, em que as funções vitais do organismo são reduzidas ao absolutamente necessário à sobrevivência.

      Excluir
    11. • FRAUDE CRISTÃ: JESUS CRISTO NÃO VOLTA
      • http://es.scribd.com/doc/50263608/Colecao-Fabulas-Biblicas-Volume-52-Jesus-Cristo-Nao-Volta

      Excluir
    12. Se Ele prometeu, cumprirá, pois tudo que disse cumpriu-se e fez-se.

      Excluir
    13. 1 PEDRO
      A maioria dos estudiosos críticos são céticos de que o apóstolo Simão Pedro, o pescador no mar da Galiléia, realmente escreveu a carta, por causa do estilo de cultura urbana do grego e da falta de qualquer detalhe pessoal sugerindo contato com o Jesus histórico de Nazaré. A carta contém cerca de trinta e cinco referências à Bíblia hebraica, os quais, no entanto, vem da tradução Septuaginta, uma fonte improvável para o histórico Pedro, o apóstolo, mas adequada para um público helenizado, assim, o uso da Septuaginta ajuda a definir o público. A Septuaginta foi uma tradução grega que tinha sido criado em Alexandria para o uso dos judeus que não podiam facilmente ler o hebraico e aramaico do Tanakh e prosélitos. Um judeu histórico na Galiléia não teria ouvido as Escrituras desta forma.

      Excluir
    14. 2 PEDRO
      Embora 2 Pedro internamente pretenda ser uma obra do apóstolo, a maioria dos estudiosos bíblicos conclui que Pedro não é o autor, e consideram a epístola como pseudepigráfica. As razões para isso incluem suas diferenças linguísticas em relação a 1 Pedro, seu uso visível de Judas, possíveis alusões ao gnosticismo do século 2, o incentivo de uma parusia atrasada, e apoio externo fraco além disso, passagens específicas oferecem novas pistas de apoio à pseudepigrafia, ou seja, o pressuposto do autor que o público está familiarizado com várias epístolas paulinas (2 Pedro 3:15-16), sua implicação de que a geração Apostólica passou (2 Pedro 3:04), e sua diferenciação entre ele e os "apóstolos do Senhor e Salvador" (2 Pedro 3:2).

      Excluir
    15. TODOS OS LIVROS DO NT SÃO FAJUTOS. TEXTOS ANÔNIMOS QUE NÃO VALEM O PAPEL EM QUE ESTÃO ESCRITO.

      Excluir
    16. Jesus continua fazendo inúmeros milagres hoje ao redor do mundo.
      Mas como provas que são todos falsos?

      1 PEDRO
      É ridículo achar que Pedro e Jesus não se conheciam. Me prove que existiu Cleópatra e Marco Antonio. DUVIDO QUE EXISTIRAM! Se não mostrares os fósseis deles não crerei!!
      O grego era o idioma internacional na época.
      Em 1Pe 5:12 é citado Silvano, judeu, profeta, cidadão romano, companheiro de Paulo e amanuense de Pedro. Isto explica o excelente grego da carta.

      2 PEDRO
      O autor se identifica como Simão Pedro no v.1. Se não fosse, seria uma mentira e nada seria confiável nessa carta.
      Ele alega estar no monte da transfiguração com Cristo 1:16-18.
      Ele tinha escrito uma outra carta as pessoas sendo esta a segunda. 3:1
      Ele usa várias palavras e frases semelhantes as encontradas em 1Pe.
      Ele usa um estilo e tom diferente em duas cartas com diferentes propositos e diferentes épocas.
      Ele está cônscio dos escritos do apostolo Paulo e o chama de "o nosso irmão amado Paulo", logo inclui-se na expressão "apóstolos do Senhor e Salvador".
      "a geração Apostólica passou " é sua invenção desonesta. No versículo diz "pais" que se refere aos patriarcas.

      Fajutas são as suas falácias! Se o NT fosse fajuto não faria tanto sucesso e não traria tantos benefícios pras pessoas do mundo inteiro, desde a época dos apóstolos!

      Excluir
  6. Você já percebeu que os crentes cristãos dizem que se deve "interpretar" somente os eventos mais implausíveis e que vão contra a ciência e a razão? Os cristãos só tomam como fatos literais os eventos cientificamente prováveis e possíveis, o resto é considerado simbólico ou mal interpretado. Eu sei que muitos cristãos acreditam que a criação do universo em seis dias é uma das coisas que temos de "interpretar" e não ser tomada como literal. Por quê? Em nenhum momento o escritor sugere que o evento está sob a interpretação pessoal. Claro, dizem que a criação não é literal porque é simplesmente irracional. É simples assim. Quanto mais absurdo e ilógico seja o versículo, mais “interpretação bíblica” necessitará. Com os mandamentos e leis bíblicas não é diferente. O Antigo Testamento está cheio de leis e estatutos verdadeiramente absurdos. O exemplo clássico é o livro do "Levítico". Pouquíssimos cristãos têm em conta as leis do Levítico (só quando lhes convém como as Testemunhas de Jeová na questão do sangue), na verdade Levítico produz uma espécie de "alergia" para muitos cristãos.

    ResponderExcluir
  7. Agora, se você se dignou a ler algo do levítico, verá que em muitas ocasiões o próprio Deus diz que esses estatutos são "perpétuos e eternos", isto é, eles não devem ser abolidos ou descartados. Como você explica isso amigo cristão? Como você se atreve a dizer que essas leis estão abolidas ou necessitam de interpretação quando o próprio Deus disse que eles eram eternos e perpétuos? Vamos cair na mesma coisa: só são interpretáveis os mandamentos que vão contra a moral, a virtude, ou simplesmente são bárbaros e arcaicos. Por que os crentes não dizem que a frase "Amar ao próximo como a ti mesmo" precisa ser interpretada e que não é literal? Acho que eles só gostam de "interpretar" os versos que os incomoda e contradizem sua crença particular. As ordens diretas de Deus não deveriam ser “interpretadas”. A enorme quantidade de religiões ou divisões cristãs se deve precisamente a isso: cada uma dessas religiões dá à Bíblia uma interpretação diferente. Mas como sabemos qual é a interpretação verdadeira? Qual é a interpretação que Deus aprovaria? Imaginam o crente ao chegar ao Juízo Final e Deus ou quem quer que vá avaliá-los dizer: "sinto muito interpretastes mal este versículo". Seria uma situação muito interessante. Eu nunca conseguia entender, mesmo quando ele era um cristão devoto, por que se Deus é perfeito e soberanamente inteligente, permitiu que seu livro sagrado fosse escrito com tantas ambiguidades e simbolismos? Por acaso Deus não sabia que esses problemas poderiam acontecer? Por que não fez a Bíblia mais direta e sem tanta enrolação? ... Ok, eu sei o que você está pensando... "os caminhos de Deus são misteriosos". Portanto, amigo cristão, a partir de agora quando você ler suas frases da Bíblia como "Deus é amor" ou "Ama o teu próximo", pergunte a si mesmo: estou interpretando isso direito?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr. Fábula,
      A ciência, história, arqueologia, paleontologia e medicina defendem A Escritura magistralmente. Já que o assunto é Levítico então...

      O estudo meticuloso dos escritos de Moisés revela conceitos médicos e princípios sanitários muito avançados em relação aos que prevaleciam em seus dias. Um característico exemplo disso é seu conceito perfeitamente "moderno" quanto à função do sistema circulatório.
      "A vida da carne", escreveu ele, "está no sangue". Levítico 17:11.
      A ciência moderna levou literalmente milhares de anos para descobrir que o sangue é o veículo da vida.

      E os filhos de Israel eram também proibidos de ingerir sangue.
      - Qualquer homem ... que comer algum sangue, contra ele Me voltarei e o eliminarei do seu povo. Porque a vida da carne está no sangue. Eu vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pelas vossas almas: porquanto é o sangue que fará expiação em virtude da vida." Levítico 17: 10, 11.
      Esta prescrição mosaica, também, repousa sobre sadia base fisiológica. O sangue constantemente transporta impurezas que se acumulam no tecido muscular dos animais, e visto como as enfermidades no reino animal estão aumentando em proporção realmente alarmante, o sangue acha-se carregado de germes de muitas espécies. Onde obteve Moisés o avançado conhecimento que a fisiologia levou milhares de anos para descobrir? A Bíblia nos diz que ele o recebeu do onisciente Criador, o Deus de Israel.

      Não só a ingestão de sangue foi proibida sob a lei mosaica, mas também a gordura animal. Veja-se Levítico 7:23, 24. Dispensa-se comentários sobre os malefícios da gordura amplamente comprovados hoje!

      Moisés dedicou dois capítulos inteiros (13 e 14) de seu livro de Levítico a um tratado médico sobre a lepra - o flagelo do Oriente. Esses capítulos contêm precisas e circunstanciadas instruções sobre a maneira de isolar ou pôr de quarentena o leproso. Explanam também como imunizar a habitação e as vestes da vítima contra uma possível reinfecção e como confirmar a cura do doente. Todas essas instruções médicas e sanitárias foram escritas por Moisés há mais de 3.000 anos, em época em que se mantinham as mais extravagantes idéias, e eram correntes as mais supersticiosas noções acerca da enfermidade e sua cura. A ciência médica moderna levou três milênios ou mais para alcançar Moisés no que concerne a esses princípios.

      Assim, podemos considerar tais revelações como estatutos "perpétuos e eternos" não é mesmo Dr. Fábula! :-)

      Excluir
    2. VOCÊ ESQUECEU DE DIZER QUE SEGUNDO A SANTA BÍBLIA, AS CASAS TAMBÉM PEGAM LEPRA ... KKKKKKKKKKKKK

      MEDICINA BIBLICA CURA DA LEPRA

      http://www.scribd.com/doc/41977458/COLECAO-FABULAS-BIBLICAS-VOLUME-45-MEDICINA-BIBLICA-CURA-DA-LEPRA

      GENÉTICA BÍBLIA - JACÓ E AS VARAS

      http://es.scribd.com/doc/76918507/Colecao-Fabulas-Biblicas-Volume-46-Genetica-Biblica-Jaco-e-a-Genetica-das-Varas

      Excluir
    3. FICA A PERGUNTA:

      POR QUE DEUS CRIOU A LEPRA, OS VÍRUS, BACTÉRIAS E PARASITAS QUE MATAM MILHÕES DE PESSOAS TODOS OS ANOS?

      OU ELES SÃO O RESULTADO DA EVOLUÇÃO CEGA? KKKKKKKKKK

      Excluir
    4. Vc é o típico Trollador fabuloso mesmo! quando é refutado num ítem, apela para outros indefinidamente!

      Na época o bolor, mofo, podridão, lismo de fungos numa casa era chamado também de praga da lepra.
      Hoje sabemos que muitas doenças são devido a bactérias, fungos se multiplicarem em ambientes favoráveis de umidade e escuridão. O notável é que antes dos homens saberem isso, Deus já tinha providenciado as regras de higiene para tais situações!

      No caso de Jacó e as varas, obviamente foi uma intervenção sobrenatural de Deus agindo na genética dos animais, abençoando justamente seu servo.

      Excluir
    5. Há bactérias benéficas em nosso organismo e nos servem em muitas funções; inclusive como defesa.
      Pela inteligência do homem manipulamos bactérias para o mal ou bem.
      As bactérias estão todas praticamente dominadas e controladas pelo homem. Muitas são necessárias e benéficas a nossa manutenção. Elas são nossas servas. Mas muitas não sobrevivem a mudanças bruscas de temperaturas. Elas também tem muitas fraquezas na verdade e podem ser aniquiladas totalmente.

      Porém, muitos desses organismos se tornaram letais devido a Queda e a degeneração do homem em poluir, contaminar, destruir tudo e todos com o agravante de radiação, testes nucleares, pesquisas maléficas biológicas etc.

      O Dr. Robert Clark PHD em bioquímica pela universidade Cambridge, declarou no seu livro; “Universo, plano ou acidente?”
      “É impossível quando você olha para química, física, astronomia, biologia entender o universo como obra do acaso. Mas sim, entendê-lo como uma obra projetada com engenhosidade e projeto deliberado.”

      Excluir
    6. No caso de Jacó e as varas, obviamente foi uma intervenção sobrenatural de Deus agindo na genética dos animais, abençoando justamente seu servo PILANTRA, TRAPACEIRO E DESONESTO.


      QUANDO É UM ABSURDO EVIDENTE ONDE NEM A INTERPRETAÇÃO É POSSÍVEL É UM MISTÉRIO DE DEUS ... KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      Excluir
    7. “É impossível quando você olha para química, física, astronomia, biologia entender o universo como obra do acaso. Mas sim, entendê-lo como uma obra projetada com engenhosidade e projeto deliberado.”


      "DEUS" PROJETOU TODAS AS ESTRELAS PARA EXPLODIREM (OU ESPANDIREM-SE) TORRANDO QUALQUER HUMANIDADE DO UNIVERSO. TODAS AS ESTRELAS SÃO BOMBAS H GIGANTES COM HORA MARCADA PARA ANIQUILAR TUDO À SUA VOLTA.

      O SER HUMANO TEM 25 ÓRGÃOS INÚTEIS, CLARO RESULTADO DA EVOLUÇÃO CEGA, ALÉM DE 300 DOENÇAS GENÉTICAS.

      UM DESSES DEFEITOS GENÉTICOS OBRIGA A ESPÉCIE HUMANA A COMER ALIMENTOS QUE POSSUAM VITAMINA C OU MORRE DE ESCORBUTO. SÓ MAIS DUAS ESPÉCIES POSSUEM ESSE DEFEITO DA NATUREZA. TODAS AS OUTRAS PRODUZEM INTERNAMENTE SUA PRÓPRIA VITAMINA C.

      QUALQUER ENGENHEIRO HUMANO TERIA FEITO MELHOR QUE ESSE CRIADOR FAJUTO.

      Excluir
    8. Você não tem noção de como é complexo o metabolismo humano. Eu estudo bioquímica na faculdade. Hoje em dia a tecnologia humana está no nível de modificar duas ou três reações metabólicas, e apenas em organismos simples, como bactérias ou leveduras. Nenhum engenheiro humano, como você diz, seria capaz de fazer melhor com a tecnologia dos dias de hoje, e é dificil imaginar se um dia será capaz.

      Além disso, o ser humano aprende com o que observa da natureza, e não o contrário. O ser humano não cria, só copia o que já osbervou.

      Excluir
    9. ESTAMOS FALANDO DE PROJETO BÁSICO DE DESIGN:

      ENTÃO LEIA "O RELOJOEIRO CEGO" DE DAWKINS (QUE É BIÓLOGO) E PERCEBA A ABSOLUTA INCOMPETÊNCIA DO CRIADOR E AS CAGADAS QUE FEZ NO PROJETO HUMANO.

      O PROJETO HUMANO, LONGE DE SER PERFEITO, APRESENTA MILHARES DE FALHAS QUE QUALQUER ENGENHEIRO HUMANO EVITARIA. COMO A INCAPACIDADE DE PRODUZIR VITAMINAS, O ESCROTO FORA DO CORPO TOTALMENTE DESPROTEGIDO

      Excluir
    10. O SER HUMANO É CRIADOR. CRIOU O AÇO, QUE NÃO EXISTE NA NATUREZA. EM POUCOS ANOS CRIARÁ VIDA 100% ARTIFICIAL. INICIALMENTE BACTÉRIAS PARA A INDÚSTRIA, INVENTANDO SERES INEXISTENTES NA NATUREZA. A CRIAÇÃO DE SERES MULTICELULARES É APENAS QUESTÃO DE TEMPO E MAIS NADA.

      AO CURAR DOENÇAS GENÉTICAS O HOMEM ESTÁ CONSERTANDO O PROJETO CHEIO DE FALHAS DE DEUS.

      HOJE O CONHECIMENTO DE UMA CRIANÇA DO ENSINO BÁSICO É MUITAS VEZES SUPERIOR AO DO DEUS PRIMITIVO DOS CRENTES, QUE NEM MESMO SABIA QUE ERA A TERRA QUE GIRA EM TORNO DO SOL.

      EXEMPLO DE CONHECIMENTO DIVINO:

      “Afirmar que a terra gira em torno do sol é tão errôneo quanto afirmar que Jesus não nasceu de uma virgem”.

      Cardeal Bellarmino, 1615, durante o julgamento de Galileu.

      Excluir
    11. A Bíblia é repleta de milagres maravilhosos. As varas de Jacó é apenas mais um...

      E quando foi que um estrela aniquilou a terra???

      Tu mentes descaradamente! NENHUM órgão do corpo humano é sem função.

      Qual o problema? não só vitaminas, mas minerais, proteínas, lipídios e outros nutrientes os humanos retiram dos alimentos,... então deveríamos ser auto-sustentáveis ou movidos a energia solar? ainda assim, a vitamida D só é sintetizada pelo sol. Quantas falácias... vc é cômico!

      Excluir
    12. Ora, o próprio Dawkins, o profeta do ateísmo (ele é apenas zoólogo, não biólogo!) neste livro menciona: “a biologia, o estudo de coisas complicadas que dão a aparência de terem sido criadas com algum propósito.” p.1,18.
      E aqui ele em DELÍRIO tentando justificar o injustificável! numa pergunta simples dirigida a ele, tornou-se hilário! veja:
      http://www.youtube.com/watch?v=vnuY11H1zxc

      A verdade é que muitos crentes naturalistas darwinistas já duvidam que houvessem macromutações capazes de fazer um réptil evoluir para um pássaro; ou mamíferos terrestres evoluíram para baleias!! pois não há nenhuma evidência empírica e concreta científica de tais “fatos” (mito).

      Cara, vc é muito honesto! arroja falácias e ignorâncias e nem sabe! veja aqui porque o escroto é do lado externo:
      http://pt.wikipedia.org/wiki/Escroto
      Mais uma vez o Designer foi Perfeito!

      O aço é de materiais pré-existentes! ohh... poço de desonestidades!

      Por que não fala dos formidáveis mecanismos de reparação do DNA (feitos pelo Designer) apesar do homem poluir e contaminar com radiações etc, atingindo fortemente a cadeia genética dos seres vivos.

      A Bíblia, e não homens religiosos tem base científica.
      A Bíblia já dizia a 730 A.C que a terra era arredondada pelo profeta Isaias em 40:22, e que paira sobre o nada (espaço) em Jó 26.7 bem antes de Galileu/Kepler.
      E nunca disse que o sol gira em torno da terra.

      Excluir
  8. UM VERSÍCULO OCULTO DOS CRENTES

    1 Corintios 4:6
    6 - E eu, irmãos, apliquei estas coisas, por semelhança, a mim e a Apolo, por amor de vós; para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito, não vos ensoberbecendo a favor de um contra outro.

    • Onde o importante é a frase:

    “não ir além do que está escrito”.

    • ENTENDIDO AMIGO CRENTE CRISTÃO?

    Paulo nos dizia muito claramente que NÃO devíamos ir além do que está escrito na Bíblia, ou seja, NÃO interpretar além do que diz ali.

    Obedecer e crer no que “está escrito” e não ir mais além com vãs e confusas interpretações e simbolismos fantasiosos. Inclusive no final do versículo o próprio Paulo advertia que essas vãs “interpretações” fariam com que “vos ensoberbecendo a favor de um contra outro” … é fácil ver o exemplo disso nas diferentes e infindáveis denominações cristãs competindo por suas “interpretações” além do que está escrito.

    “Não ir além do que está escrito”.

    Graças Paulo por nos esclarecer isso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sr. Falacioso Trollador, o importante é todo o verso e não isolar uma parte dele (prática comum de vós ateus militantes fundamentalistas), ainda mais com conexão óbvia sobre do que são "estas coisas" e quem era e por que foi citado Apolo.

      Havia uma disputa entre os seguidores de Paulo e os seguidores de Apolo, mas não entre os dois - Apolo e Paulo - por isso a advertência: "não vos ensoberbecendo a favor de um contra outro."
      Os seguidores estavam perigosamente fugindo da doutrina básica ensinada por Paulo e Apolo, podendo surgir heresias ou seitas por pura competição e orgulho entre eles. O que mancharia o evangelho santo dos apóstolos (como sei, ocorre em muitas denominações hoje; por isso a salvação é pela Palavra e não seguir religiões/igrejas instituidas de homens) daí a advertência "não ir além do que está escrito".
      Paulo incita tais seguidores de Corinto a analisar suas motivações e razões para ver se eram justas e boas em gerar tais conflitos.

      Deus ao criar a razão humana nos convida a raciocinar com ele e não aceitar tudo cegamente, mecanicamente.
      - Is 1:18 - "vinde e argui-me"
      - 1Pe 3:15 - "razão da esperança"
      - Is 41:1 "cheguemo-nos juntos a juízo."
      - Is 41: 20,21 "Para que todos vejam, e saibam, e considerem, e juntamente entendam que a mão do Senhor fez isto, e o Santo de Israel o criou.
      Apresentai a vossa demanda, diz o Senhor; trazei as vossas firmes razões, diz o Rei de Jacó."

      Excluir
    2. Caro Fábulas Bíblicas,

      vou ignorar as trollagens e os red herrings por enquanto, mas se continuar desse jeito terei que tomar providências para manter o blog organizado. Vou comentar algumas coisas que você falou, afinal responder tudo seria impossível.

      "O NT jamais foi considerado literatura inspirada, em tempo algum. Seu textos eram apenas chamados de memórias dos apóstolos e nada mais."

      É mentira. Leia 2 Tm 3.16, onde Paulo afirma a autoridade do que ele está escrevendo: "Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça". E antes que você diga que "Escritura" se refere ao VT, veja que em 1 Tm 5.18, Paulo cita Dt 25.4 (VT) e Lc 10:7 (NT), e se refere a ambos como "Escritura".

      Veja também o testemunho dos primeiros cristãos a respeito disso: Justino Mártir (c. 150 AD) escreveu que era costume nas congregações cristãs, quer na cidade quer no campo, ler tanto o N.T. como o A.T. cada domingo. Embora a lista oficial só tivesse sido fechada no 4º século, até essa data a grande maioria dos livros do NT eram aceitos por todas as igrejas.

      "O NT é uma farsa, copia e modifica mais de 400 trechos do VT para tentar passar a ideia de que foi previsto e é continuação daquele."

      Isso você tão somente está dizendo.

      "NA INQUISIÇÃO CATÓLICA E PROTESTANTE AS PESSOAS ERAM QUEIMADAS VIVAS POR USAREM O LIVRE ARBÍTRIO TENDO OUTRAS CRENÇAS."

      Isso é outra mentira, mas essa é perdoável porque essa é tão difundida desde os tempos do Iluminismo que quase "virou verdade", hahaha. Primeiro, a Insquisição não é isso tudo que dizem por aí. Basta dar uma pesquisada a fundo para ver que grande parte do que falam foram mentiras inventadas pelos iluministas para destruir a reputação da Igreja Católica. Segundo, a Inquisição estava mais preocupada com hereges dentro da Igreja do que com pessoas de fora.

      "E NO PRIMEIRO MANDAMENTO, DEUS PROIBE USAR O LIVRE ARBÍTRIO PARA TER OUTROS DEUSES. DEUS E JESUS EXIGEM ADORAÇÃO EXCLUISVA, CONDENADO AO INFERNO QUE NÃO CRER NELES, PORTANTO, É EXPRESSAMENTE PROIBIDO USAR O LIVRE ARBÍTRIO SEGUNDO A BÍBLIA."

      Se for assim também é proibido usar nosso livre-arbítrio nas leis humanas, porque é proibido matar, roubar, desrepeitar autoridades, etc., mesmo se tivermos vontade de fazer isso. A questão não é que Deus proíbe o livre-arbítrio, mas o mal traz em si suas próprias consequências. Deus, por ser juiz do Universo, tem a obrigação de fazer justiça aos que praticam o mal.

      "SE DEUS É ONIPRESENTE, COMO PODEM OS ÍMPIOS OU QUALQUER COISA SE AFASTAR DELE? SE DEUS SE AFASTA PROPOSITALMENTE DE ALGUMA PARTE DE SUA CRIAÇÃO, DEIXA DE SER ONIPRESENTE."

      Onipresença é um conceito que me parece meio confuso, talvez não seja a palavra mais adequada. Deus não é físico, logo Ele não ocupa lugar no espaço, não pode "estar" em nenhum lugar. O que acontece é que Deus de certa forma envolve todo o Universo, porque Ele é "maior" que o Universo, está além dEle. Assim nada foge ao seu alcance. "Se afastar de Deus" é uma linguagem figurada, não quer dizer ficar fisicamente longe de Deus, mas sim moralmente longe dEle, fazer o que Ele reprova.

      (continua)

      Excluir
    3. (continuação 1)

      "CRIADOR = RESPONSÁVEL POR SUA OBRA"

      Deus não tem obrigações para cumprir com ninguém. Deus não é como um engenheiro que se não construir um prédio direito tem que pagar indenização para algum órgão do governo. Aliás Ele nem precisa disso, porque é perfeito. Logo essa responsabilidade não faz sentido pra Ele.

      "PERFEIÇÃO = CONTRADITÓRIO COM PUNIÇÃO, POIS EXIGE ERRO DO CRIADOR."

      Punição não exige erro do criador. Se Deus propositalmente cria seres capazes de errar, isso não quer dizer que Deus errou. Estava no propósito dEle desde o princípio.

      "CRIADOR = CONTRADITÓRIO COM LIBERDADE, POIS A CRIATURA É INCAPAZ DE AGIR CONTRA A VONTADE DO CRIADOR."

      Esse ponto é polêmico, porque a teologia cristã meio que se divide aqui. Mas existem dois fatos que biblicamente são inquestionáveis: (1) Deus é criador e Soberano sobre as criaturas; (2) Os humanos são responsabilizados por seus atos. Como esses dois fatos são conciliados, isso depende da visão teológica, é uma questão mais profunda.

      "Conheço muitos crentes que opinam que a criação do universo em seis dias é uma dessas coisas que se deve “Interpretar” e que não deve ser tomada como literal. Por quê? Em nenhum momento o escritor insinua que o fato está sob interpretação pessoal. Claro, dizem que a criação não é literal porque é SIMPLESMENTE IRRACIONAL. Simples assim!"

      Interpretar não é o contrário de ser literal. Analisar literalmente é em si uma forma de interpretação. Palavras literais são quando o autor escreve de forma objetiva, descritiva ou (nem sempre) narrativa. Gênesis 1 é escrito na forma de um "hino", usando recursos poéticos do hebraico. O contexto histórico indica que o autor estava mais preocupado em mostrar a superioridade da ideia de um Deus criador ex nihilo (a partir do nada) com uma criação racional e estruturada do que um caos pré-existente organizado por um conjunto de divindades antropomórficas, do que em dizer passo a passo como Deus criou tudo, ao pé da letra. A verdade bíblica é que Deus criou o Universo, enquanto "como Deus criou" é assunto científico, não pertence ao escopo da Bíblia, assim como a primeira afirmação não pertence ao escopo da ciência.


      "Por falar em Pedro, quem escreveu os livros de João, Pedro e o Apocalipse, já que a Bíblia diz que eram analfabetos?

      Então eles, vendo a ousadia de Pedro e João, e informados de que eram homens sem letras e indoutos, maravilharam-se e reconheceram que eles haviam estado com Jesus. Atos 4:13"


      Sem letras = sem estudos. Não quer dizer necessariamente que não sabiam ler ou escrever. E mesmo que não soubessem, poderiam ter ditado para que alguém escrevesse. Simples assim.

      "Você já percebeu que os crentes cristãos dizem que se deve "interpretar" somente os eventos mais implausíveis e que vão contra a ciência e a razão? Os cristãos só tomam como fatos literais os eventos cientificamente prováveis e possíveis, o resto é considerado simbólico ou mal interpretado."

      Não é bem assim, se você leu o texto acima, eu falei exatamente quais são os critérios para que o texto possa ser tomado como literal ou simbólico. São praticamente os mesmos que a gente usa no dia-a-dia. Por exemplo, quando eu digo "a toalha está em cima da mesa" e "aquela mulher é uma gata", você sabe automaticamente qual frase é literal e qual é metafórica. Em outros casos você precisaria analisar o contexto... na Bíblia é a mesma coisa.

      Excluir
    4. (continuação 2)

      "Eu sei que muitos cristãos acreditam que a criação do universo em seis dias é uma das coisas que temos de "interpretar" e não ser tomada como literal. Por quê? Em nenhum momento o escritor sugere que o evento está sob a interpretação pessoal."

      É lógico que não, mas também o escritor não deixa claro que está relatando fatos objetivos, por causa do gênero literário com o qual ele está escrevendo. Aliás, você já leu meu texto sobre a interpretação do Gênesis?

      http://www.respostasaoateismo.com/2011/03/interpretacao-literal-do-genesis_02.html

      Existem muitas pistas no texto que nos levam a concluir que não são 6 dias literais, e isso não é uma interpretação recentes, os teólogos desde o século II já entendiam dessa forma. Na verdade a interpretação literal fundamentalista que é mais recente.

      "Claro, dizem que a criação não é literal porque é simplesmente irracional. É simples assim. Quanto mais absurdo e ilógico seja o versículo, mais “interpretação bíblica” necessitará."

      Mas isso acontece em qualquer literatura... quanto mais difícil um texto, mais interpretado ele precisa ser. Você nunca estudou literatura na escola?

      "Agora, se você se dignou a ler algo do levítico, verá que em muitas ocasiões o próprio Deus diz que esses estatutos são "perpétuos e eternos", isto é, eles não devem ser abolidos ou descartados. Como você explica isso amigo cristão? Como você se atreve a dizer que essas leis estão abolidas ou necessitam de interpretação quando o próprio Deus disse que eles eram eternos e perpétuos?"

      A melhor tradução para a palavra hebraica original nestes textos é "por tempo indeterminado" e não simplesmente "eterna". Além disso o mesmo livro de Levítico diz que essas leis eram só para "os filhos de Israel", os "hebreus". E o Novo Testamento complementa estes ensinos dizendo que a Lei Mosaica cessou com Cristo, que veio para cumprir a Lei e instaurar a salvação pela graça a todos.

      "Por que os crentes não dizem que a frase "Amar ao próximo como a ti mesmo" precisa ser interpretada e que não é literal? Acho que eles só gostam de "interpretar" os versos que os incomoda e contradizem sua crença particular. As ordens diretas de Deus não deveriam ser “interpretadas”. A enorme quantidade de religiões ou divisões cristãs se deve precisamente a isso: cada uma dessas religiões dá à Bíblia uma interpretação diferente."

      Meu caro, não faça confusão. Não existe comunicação sem interpretação. Como eu já disse, entender algo literalmente já é uma interpretação. Quanto às divisões cristãs, elas não dão uma interpretação diferente à Bíblia no geral, para todos os grupos a Bíblia é a palavra de Deus, as divergências estão em alguns detalhes em alguns textos isolados. Os grupos que divergem mais da maioria não são considerados cristãos, por exemplo os testemunhas de Jeová e os mórmons.

      "Mas como sabemos qual é a interpretação verdadeira? Qual é a interpretação que Deus aprovaria? Imaginam o crente ao chegar ao Juízo Final e Deus ou quem quer que vá avaliá-los dizer: "sinto muito interpretastes mal este versículo". Seria uma situação muito interessante."

      No caso dessas pequenas divergências, eles não acarretam em perda da salvação, pois apenas a fé em Cristo e na eficácia da sua morte e ressurreição são suficientes para isso.

      (continua)

      Excluir
    5. (continuação 3)

      "Eu nunca conseguia entender, mesmo quando ele era um cristão devoto, por que se Deus é perfeito e soberanamente inteligente, permitiu que seu livro sagrado fosse escrito com tantas ambiguidades e simbolismos? Por acaso Deus não sabia que esses problemas poderiam acontecer? Por que não fez a Bíblia mais direta e sem tanta enrolação?"

      Simbolismos são de certa forma bons porque transmitem mensagens universais e atemporais. Pense só, se a Bíblia tivesse sido escrita de modo direto, seria direto apenas para os povos daquele tempo, hoje em dia seria praticamente incompreensível. Mas os simbolismos não se perdem com o tempo.

      Além disso, grande parte dos textos da Bíblia são escritos de forma direta. Você mesmo ctiou alguns deles, e aliás estes são os textos que mais interessam do ponto de vista prático, porque são os textos de ensinamentos: "amem ao seu próximo", "não sejam gananciosos", etc.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    6. SE DEUS É PERFEITO, COMO SUA CRIAÇÃO SAIU COM TANTOS DEFEITOS?

      ESTAGIÁRIOS?

      Excluir
    7. FELIZMENTE AQUI NÃO HÁ O QUE DISCUTIR, POIS O PRÓPRIO DEUS CONFESSA SUA ABSOLUTA INCOMPETÊNCIA:

      Então arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem sobre a terra e pesou-lhe em seu coração. Gênesis 6:6

      ELE VIU QUE ERA BOM, MAS DEPOIS PERCEBEU QUE SE ENGANARA.

      FIM DE LINHA PARA O CRIADOR.

      Excluir
    8. MAS O CRIADOR FAJUTO SE ENTERRA MAIS AINDA, POIS A SUA PERFEIÇÃO VIVE FALHANDO:

      Então o Senhor se arrependeu disso. Não acontecerá, disse o Senhor. Amós 7:3

      E nunca mais viu Samuel a Saul até ao dia da sua morte; porque Samuel teve dó de Saul. E o Senhor se arrependeu de haver posto a Saul rei sobre Israel. 1 Samuel 15:35

      Então o Senhor arrependeu-se do mal que dissera que havia de fazer ao seu povo. Êxodo 32:14

      E o SENHOR se arrependeu disso. Nem isso acontecerá, disse o Senhor DEUS. Amós 7:6

      E se lembrou da sua aliança, e se arrependeu segundo a multidão das suas misericórdias. Salmos 106:45

      E Deus viu as obras deles, como se converteram do seu mau caminho; e Deus se arrependeu do mal que tinha anunciado lhes faria, e não o fez. Jonas 3:10

      UM DEUS ONISCIENTE E PERFEITO QUE VIVE SE ARREPENDENDO E MUDANDO SEUS MANDAMENTOS PERPÉTUOS É UMA FRAUDE ÓBVIA PARA TROLLAR IDIOTAS RETARDADOS.

      Excluir
    9. PARA LIQUIDAR COM A PERFEIÇÃO DIVINA E O LIVRE ARBÍTRIO AO MESMO TEMPO:

      Tu me deixaste, diz o Senhor, e tornaste-te para trás; por isso estenderei a minha mão contra ti, e te destruirei; já estou cansado de me arrepender. Jeremias 15:6

      PRONTO: DEUS ESTÁ MORTO POR SUA PRÓPRIA LÍNGUA COMPRIDA E MENTIROSA.

      Excluir
    10. "amem ao seu próximo", "não sejam gananciosos" são plágios do budismo e do hinduísmo.

      Excluir
    11. O arrependimento de Deus é linguagem figurada, antropomórfica, para que todos, em todas as épocas entendam o ensino didático de Yahweh.
      Conforme o homem muda e se arrepende, Deus muda seus propósitos, como no exemplo de Nínive e Jonas.
      A onisciência de Deus representa apenas conhecimento, mas o AGIR DELE depende de nós.
      Quando Israel pecava Deus punia, quando Israel se arrependia, Deus se arrependia do mal que traria.

      "Tu me deixaste, diz o Senhor, e tornaste-te para trás; por isso estenderei a minha mão contra ti, e te destruirei; já estou cansado de me arrepender. Jeremias 15:6"

      Uma declaração profética condicional. Deus não diz que destruiria imediatamente e para sempre. Deus punirá, a menos que o povo responda e se volte pra Ele. Deus oferece todas as oportunidades para que o juízo seja evitado.

      Excluir
  9. A JUSTIÇA DE DEUS CAI SOBRE O INJUSTO COMO DIZ PAULO A ROMANOS.

    A vontade do pai é o Evangelho, é andar em amor, perdão, graça, misericórdia, justiça (CONTRA O INJUSTO) e bondade!

    PORQUE SE O PAI FOSSE APLICAR A SUA JUSTIÇA SANTA CONTRA NÓS, QUEM DE NÓS, HOMENS FRACOS E PECADORES ESTARIA SALVO?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso não é verdade, a base do "evangelho" é esta:

      QUEM CRER SERÁ SALVO, QUEM NÃO CRER SERÁ CONDENADO (ao inferno).

      Excluir
  10. . A idéia de escravidão nada mais era que alguém que estava devendo e não tinha condições de pagar, nesse caso ele oferecia seus serviços para pagar a dívida simples assim. Infelizmente, muitos senhores exploravam seus escravos, criando novas dívidas tão altas que nem a próxima geração poderia pagar, esse costume virou prática e de forma sutil, o que deveria ser uma troca justa virou meio de exploração!

    ResponderExcluir
  11. otimo texto.

    Sim as questões históricas devem ter ajuda das ferramentas de interpretação como a hermeneutica, os conceitos espirituais não! Os conceitos espirituais Jesus mesmo disse:

    Mateus 11:27
    Todas as coisas me foram entregues por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CONCEITOS ESPIRITUAIS SÃO FANTASIAS, ENTÃO. CERTO?

      Excluir
  12. JESUS CRISTO NUNCA EXISTIU

    TROLLANDO CRENTES BOBOS COM A FARSA DO NASCIMENTO DE JESUS CRISTO

    http://www.scribd.com/doc/47781251/Colecao-Fabulas-Biblicas-Volume-9-A-Farsa-Do-Nascimento-De-Jesus-Cristo


    PAULO NUNCA EXISTIU

    PAULO, FALSO APÓSTOLO, MENTIROSO E LADRÃO CONFESSO:

    http://es.scribd.com/doc/85690598/Colecao-Fabulas-Biblicas-Volume-27-Paulo-Falso-Apostolo-Mentiroso


    A FARSA DOS DOZE APÓSTOLOS

    http://www.scribd.com/doc/47745462/Colecao-Fabulas-Biblicas-Volume-51-A-Farsa-dos-Doze-Apostolos


    A ESCRAVIDÃO HUMANA É BÍBLCA

    http://www.scribd.com/doc/53220656/Colecao-Fabulas-Biblicas-Volume-23-A-Escravidao-e-Biblica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então podemos dizer que também não existiram Sócrates, Platão, Aristóteles, Hamurabi, Sargão, Alexandre, Xerxes, Nabucodonosor etc.

      No caso, Cristo é citado historicamente por 42 autores numa sucessão de 150 anos. 9 autores tradicionais do Novo Test. 20 escritores cristãos fora da bíblia, 4 escritores heréticos e mais 9 fontes não cristãs. Enquanto apenas 10 autores mencionam Tibério César imperador de Roma durante a vida de Cristo. A proporção aqui é de 10 para 42. Ou seja Jesus é mais confiável historicamente. Porém não temos nenhuma dúvida do "mito" de Tibério César.

      O mesmo acontece com Alexandre que tem apenas 2 biografias mais antigas escritas por Adriano e Plutarco depois de mais de 400 anos após a morte de Alexandre, onde sua história ficou quase intacta nos primeiros 500 anos. Mas ninguém duvida do "mito" de Alexandre que perde bem feio para as citações e comprovações históricas de Jesus.

      E para apagar Cristo da história e os APÓSTOLOS teria que se destruir todo um contexto histórico geográfico social, onde eles teriam habitado e influenciado. Será que os cristãos morreriam por um defunto, uma lenda... até hoje?

      Hoje os únicos que praticam escravidão, são os comunistas-ateus em seus países! vide Coréia do Norte.

      Excluir
    2. Caro Cícero,

      gostei muito dos seus comentários. Você poderia por gentileza me passar seu email ou mandar um pra mim (respostasaoateismo@gmail.com) para que a gente possa conversar?

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    3. O que escreveram sobre Jesus em seu tempo

      Cristãos adoram dizer: “Jesus era muito famoso em seu tempo”. No entanto, apesar dele pregar diariamente no templo, Judas teve que mostrar aos seus supostos ouvintes quem era ele, com o famoso beijo. Mas o que os historiadores famosos de seu tempo falaram sobre ele?

      Flávio Josefo (37-100 d.C) Nada +2 parágrafos falsos
      Filon de Alexandria (10 a.C - 50 d.C) Nada
      Plínio, o Velho (23-79 d.C) Nada
      Arriano (92 - 175 d.C) Nada
      Petrônio (27- 66 d.C) Nada
      Díon Pruseus Paterculus (19 a.C – 31 d.C) Nada
      Paterculus (19 a.C – 31 d.C) Nada
      Suetônio (69-141 d.C) Nada
      Decimus Iunius Iuvenalis (final 1º Século) Nada
      Marco Valério Marcial (38 – 103 d.C) Nada
      Aulo Pérsio Flaco (34 – 62 d.C) Nada
      Plutarco de Queroneia (46 a 126 d.C.) Nada
      Caio Plínio Cecílio, o Moço (62 - 114 d.C) Nada
      Tácito o Pensador ( 55 - 120 d.C) Nada +2 parágrafos falsos
      Justus de Tiberíades (66–70/73) Nada
      Apolônio de Thyana (01-80 d.C) Nada
      M. Fábio Quintiliano (35-96 d.C) Nada
      Marcus Annaeus Lucanus (39-65 d.C) Nada
      Eptectus Hermógenes (55 - 135 d.C) Nada
      Hermògenes de Frígia (25 – 101 d.C) Nada
      Sílio Itálico (25 – 101 d.C) Nada
      Publius Papinius Statius (45-96 d.C) Nada
      Cláudio Ptolemeu (90-168 d.C) Nada
      Apiano de Alexandria (95-165 d.C) Nada
      Flégon de Trales (Século I/II) Nada
      Fedro (Macedônia) (30/15 a.C. – 44/50 d.C) Nada
      Valério Máximo (Século I/II) Nada
      Luciano (romano) (início Século II) Nada
      Pausânias – (geólogo) (115 - 180 d.C.) Nada
      Floro Lúcio de Alexandria (Século I/II) Nada
      Quinto Cúrcio (10 a.C - 54 d.C) Nada
      Aulo Gélio (125 - 180 a.C.) Nada
      Díon Crisóstomo (40 – 120 d.C) Nada
      Columella (Lucius Moderatus) (04 – 70 d.C) Nada
      Valério Flaco (Poeta) (Final Século I) Nada
      Dâmis (discípulo de Thyana) (66 d.C) Nada
      Favorino di Arles (80 – 160 d.C) Nada
      Claudio Lísias (Século I) Nada
      Pompônio Mela (Século I) Nada
      Teão de Smyrna (Século I) Nada
      Estes poderiam ter esbarrado com Jesus no meio da rua:
      Filon de Alexandria (10 a.C - 50 d.C) Nada
      Plínio, o Velho (23-79 d.C) Nada
      Petrônio (27- 66 d.C) Nada
      Paterculus (19 a.C – 31 d.C) Nada
      Apolônio de Thyana (01-80 d.C) Nada
      Sílio Itálico (25 – 101 d.C) Nada
      Quinto Cúrcio (10 a.C - 54 d.C) Nada
      Columella (Lucius Moderatus) (04 – 70 d.C) Nada
      Paulo, o falso apóstolo.
      *Nada

      *Nada pode ser mais suspeito do que Paulo ter vivido no mesmo tempo e lugar de Jesus, perseguindo cristãos e jamais o ter conhecido pessoalmente. Pela sua condição ele teria que ter participado da captura e crucificação de Jesus, mas nada, jamais falou tê-lo visto em carne e osso.

      Excluir
    4. POR QUE JESUS NÃO APARECE HOJE PARA TODO MUNDO, COMO PROMETEU NA BÍBLIA? ELE NÃO É MAIS DEUS?

      Excluir
    5. Será que os cristãos morreriam por um defunto, uma lenda... até hoje?

      Por que não? Quem acredita em cobra e jumenta falante ou em mulher criada de uma costela pode ser trollado com qualquer mentira boba. kkkkk

      Excluir
    6. SE JESUS É DEUS É INADMISSÍVEL QUE PRECISE DE TESTEMUNHOS HISTÓRICOS FALSIFICADOS, QUANDO ELE PODE APARECER PARA TODO MUNDO.


      NÃO EXISTE COMO APAGAR CRISTO DA HISTÓRIA POR QUE ELE NÃO EXISTE PARA A HISTÓRIA. NENHUM HISTORIADOR DE SEU TEMPO OUVIU FALAR DELE.

      JESUS CRISTO NÃO EXISTE NOS LIVRO DE HISTÓRIA, SÓ NOS DE MITOLOGIA.

      Excluir
    7. Caro Fábulas Bíblicas,

      já satisfiz seu ego respondendo alguns dos seus comentários. Peço-te encarecidamente que, se não tiver mais nada a falar sobre O ASSUNTO DO POST, não fale. Eu gosto de manter os comentários organizados e coerentes com o assunto. O que você está fazendo só polui a página e atrapalha os leitores.

      Só respondendo seus últimos devaneios:

      Jesus não era famoso em sua época, nenhum historiador cristão sério diz isso. Os próprios evangelhos dizem que Jesus era discreto e não procurava ficar se promovendo. Demorou três anos para ele incomodar os líderes religiosos a ponto de criarem uma conspiração para matá-lo. Houve um alvoroço em Jerusalém pela sua morte, mas foi apenas algo local. O cristianismo só se tornou importante no cenário mundial vários anos depois, quando já tinha sido espalhado pelo Império através dos apóstolos. Daí vem a falta de escritos dos historiadores da época sobre Jesus. Mas isto não quer dizer que Ele não existiu. A existência do Jesus histórico já é tema resolvido pelos historiadores especializados.

      "Porque Jesus não aparece pra todo mundo, como prometeu?" Ele prometeu voltar e vai cumprir.

      Excluir
    8. Sócrates, Platão, Aristóteles, Hamurabi, Sargão, Alexandre, Xerxes, Nabucodonosor estão nos livros escolares de história, JESUS NÃO.

      Excluir
    9. A existência do Jesus histórico já é tema resolvido pelos historiadores especializados >>> COMO MITO <<<.

      Excluir
    10. "Porque Jesus não aparece pra todo mundo, como prometeu?" Ele prometeu voltar e vai cumprir.

      ARGUMENTO INVÁLIDO, POIS A PROMESSA JÁ EXPIROU:

      JESUS NÃO VOLTA, TÁ NA BÍBLIA
      http://es.scribd.com/doc/50263608/Colecao-Fabulas-Biblicas-Volume-52-Jesus-Cristo-Nao-Volta

      Excluir
    11. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    12. A EXISTÊNCIA HIPOTÉTICA DE UM JESUS HISTÓRIO NEM DE LONGE VALIDA O JESUS DIVINO, ELE SERIA APENAS UM MALAFAIA DO PRIMEIRO SÉCULO E MAIS NADA. O JESUS DIVINO CONTINUA SENDO MITOLOGIA PURA, ASSIM COMO TODOS OS MILHÕES DE DEUSES INVENTADOS PELA IMAGINAÇÃO HUMANA.

      O JESUS HISTÓRICO SERIA APENAS UM HOMEM.
      O JESUS DIVINO APENAS UM MITO.

      Excluir
    13. Os evangelistas foram testemunhas oculares dos eventos que registraram. Todos os livros do Novo T. foram escritos por contemporâneos ou testemunhas oculares da vida de Cristo.
      Mas por que justamente só os textos que citam Jesus deveriam ser falsos/fraudados da história??? Temos:

      Josefo, Tácito, Plínio, Suetônio, Talo, Eusébio, Talmude judaico, Toldot Yeshu, Luciano de Samosata, Mara Bar-Serapion, Atos de Pôncio Pilatos, Flegon, Valentino e vários apócrifos, etc.
      Será então; que TODOS os historiadores da época deveriam citar a Jesus, caso contrário deveríamos duvidar de sua existência??
      Será então que TODOS os registros que mencionam Jesus são falsos ou fraudados? Só vale pra Jesus então?!

      É possível que Paulo tenha ouvido falar de Jesus e daí??? vários outros fariseus ouviram e nem por isso participaram da captura e crucificação de Jesus.
      Paulo começou a perseguição após a ressurreição. (comprovada factualmente).

      Mostre-me onde cobras e jumentos falam hoje. Mas vc sabia que acharam fósseis de cobras com pernas!

      Vcs ateus, são um atraso para a ciência e progresso da humanidade.
      Ainda creem em mitos transformistas de um livro antigo do séc. 19 que alega que amebas em milhões de anos viram camelos, elefantes e GENTE!!
      VC É UMA FÁBULA MESMO!

      Excluir
  13. >>>>>> A FARSA DO PECADO ORIGINAL <<<<<<

    SÓ EXISTE UMA MANEIRA DO PECADO ORIGINAL EXISTIR:

    _____>>>> ERRO DE PROJETO DO CRIADOR.

    _____>>>> UM DEFEITO DE FÁBRICA

    _____>>>> RESPONSÁVEL ÚNICO >>>> O CRIADOR.


    A FARSA RIDÍCULA DO PECADO ORIGINAL

    http://es.scribd.com/doc/76896728/Colecao-Fabulas-Biblicas-Volume-6-Deus-e-a-Fonte-do-Mal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toda escolha tem um preço.
      A criatura ainda continua pecando porque quer... e ainda quer jogar a culpa no Criador!

      Excluir
    2. MAS TODAS AS ESCOLHAS E O PREÇO FORAM DEFINIDOS PELO CRIADOR, OU TEM ALGO QUE ESCAPA AO SEU PODER E CONTROLE?????

      A VONTADE DE PECAR FAZ PARTE DO PLANO DO CRIADOR OU É UM CRIADOR MEIA BOCA.

      SE O CRIADOR EXISTE, A CRIATURA NÃO PODE SER RESPONSABILIZADA POR NADA. A MENOS QUE ELA SEJA SUPERIOR AO CRIADR E POSSA AFRONTÁ-LO.

      Excluir
    3. PODE UM CARRO SER RESPONSABILIZADO PELOS ERROS DE PROJETO DE SEU CRIADOR? NÃO.

      PODE O HOMEM SER RESPONSABILIZADO PELOS ERROS DE PROJETO DE DEUS? NÃO.

      SE EXISTE PECACDO, A CULPA É DO CRIADOR. É UM DEFEITO DE FÁBRICA.

      Excluir
    4. Você está mesmo comparando um homem a um carro? Carros não são agentes morais, não possuem auto-consciência nem senso de responsabilidade.

      Excluir
    5. Seres humanos são robôs de Deus ... mesmo que tenham "inteligência artificial".

      Excluir
  14. Rodrigo Portes,

    desculpa a demora em responder os comentários.

    "Isso só mostraria que a moral cristã se molda de acordo com a realidade da sociedade.
    Antes era permitido, hoje não pode. Mas não por causa da Bíblia e sim pelas regras da sociedade. Então, essa moral vem de onde?
    Isso parece fruto do famoso 'pick and choose'."


    Não de acordo com a realidade da sociedade, mas de acordo com a revelação de Deus que foi dada até o momento. Nos tempos do Velho Testamento era incompleta. Na verdade a moral cristã influenciou a realidade da sociedade através dos séculos. Muitas infuências foram boas e algumas foram ruins, frutos de exageros ou sincretismos. Grande parte da cultura ocidental de hoje em dia é herança do cristianismo, e o que vemos hoje em dia é um movimento modernista querendo relativizar e liberar tudo, e os grupos cristãos mais ortodoxos reagem fortemente contra esses movimentos.

    "Textos paralelos = eu escolho o sentido que deve ter de acordo com o que eu gostaria que fosse verdade."

    A verificação de textos paralelos não é seletiva, todos os textos paralelos devem ser analisados, respeitando os contextos de cada um.

    "Isso dá a entender que a moral de Deus se ajusta aos costumes do povo. Ta mais parecendo moral de Deus segundo os homens da época, como ainda parece ser hoje."

    Embora os padrões morais de Deus não mudem, a forma de Deus cobrar estes padrões das pessoas pode mudar com o tempo. Não que Deus tenha mudado, mas a humanidade mudou, logo não pode ser tratada da mesma forma. É mais ou menos como um pai educando um filho bebê ou um filho adolescente. Obviamente a maneira de tratar deve ser diferente.

    "Ou seja, desprover-se se senso crítico e analítico e deixar a emoção perturbar os sentidos. Assim o indivíduo inconscientemente entende e lembra somente o que convêm"

    Senso crítico é importantíssimo, e a emoção não deve ser descartada, assim como também não deve ser supervalorizada. A iluminação necessária do Espírito para compreender a mensagem é uma garantia de que não é só a razão e o estudo que fazem o relacionamento com Deus, assim Deus também pode falar com as pessoas que tiveram menos condições de estudar a fundo, Ele quer se relacionar com todos os tipos de pessoas.

    Abraços, Paz de Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TRADUZINDO:

      OS PADRÕES MORAIS DE DEUS (HOMENS PRIMITIVOS QUE ESCREVERAM A BÍBLIA) FICAM ULTRAPASSADOS CONFORME A HUMANIDADE EVOLUI E OS CRENTES PRECISAM INVENTAR DESCULPAS IDIOTAS PARA DEFENDER A FÉ EM UM "DEUS" MORALMENTE ULTRAPASSADO.

      Excluir
    2. Fábulas Bíblicas,

      EU AVISEI. Seus red herrings a partir de agora serão ignorados, você está aqui tão somente pra bagunçar o tópico. Se você quer debater seriamente meu e-mail é respostasaoateismo@gmail.com e eu posso até publicar o debate depois, pra que você não pense que estou com medo, mas não vou tolerar mais essa bagunça.

      Tenho respostas para os seus comentários, e aguardo contato, mas se você continuar postando comentários avulsos eles serão apagados.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    3. DURMA COM SEU AMIGUINHO IMAGINÁRIO FANTASMA >>>> A FARSA DO NASCIMENTO DE JESUS CRISTO:

      • TROLLANDO CRENTES BOBOS COM A FARSA DO NASCIMENTO DE JESUS CRISTO
      • http://www.scribd.com/doc/47781251/Colecao-Fabulas-Biblicas-Volume-9-A-Farsa-Do-Nascimento-De-Jesus-Cristo

      Excluir
  15. ISSO AQUI ESTÁ ÀS MOSCAS, SÓ CHEGUEI POR ACASO. QUANDO EU APAGAR O LINK DOS FAVORITOS, SÓ POR ACASO PARA ACHAR DE NOVO ... APAGANDO EM 3 ... 2 ... 1. APAGADO.

    ResponderExcluir
  16. Os anti Cristos de toda espécie acham que apenas a bíblia judaica deveria ser chamada de Bíblia, e separada dos Evangelhos. Outros céticos de plantão "ditos" ateus atacam furiosamente a existência de Jesus Cristo com a "falta de citações dos historiadores da época". Contra esse tipo de materialismo grosseiro e parcial não compensa perder tempo. O problema de negar Jesus Cristo com tanto zelo como se faz é que não há nunca a contrapartida necessária. Isto significa que negar Jesus e não fazê-lo com os patriarcas do Velho Testamento é o mesmo que aceitar a Lei de Talião, "Olho por olho, dente por dente", por exemplo, pois foi Jesus quem deu a outra face ao tapa. E isso é gravíssimo, pois foi o Cristianismo que apaziguou o Ocidente, e não como querem seus detratores impingir uma mancha à essa doutrina religiosa pacífica, acusando-a de fomentar guerras.
    Mal comparando cito a vida de Euclides, grande matemático ptolomaico, pai da Geometria Euclidiana. Se você procurar citações de historiadores famosos verá frases como essas (da Wikipédia) por toda parte: "A data e local de nascimento de Euclides e da data e as circunstâncias de sua morte são desconhecidas." ; "possivelmente grego" ; "há apenas poucas referências a ele" ; "as referências fundamentais sobre Euclides foram escritas séculos depois que ele viveu, por Proclo e Pappus de Alexandria" ; "Proclo apresenta Euclides apenas brevemente" ; "Na outra única referência fundamental sobre Euclides, Pappus mencionou brevemente no século IV que Apolônio passou muito tempo com os alunos de Euclides em Alexandria".
    Junte tudo isso e terá virtualmente nada. No entanto ninguém sai por aí dizendo que Euclides não existiu. E não podemos misturar as coisas: Euclides teve uma minúscula importância para a humanidade se comparado com Jesus Cristo.
    O finado professor Orlando Fedelli dizia muito apropriadamente: "... Certamente, o ódio dos maus não nos faltará. O que nos honra. Desonra é receber elogios dos maus. Desonra é ser bem recebido por Caifás."
    Citando quem bem merece, o rabino judeu Hyman G. Enelow escreveu: “Jesus tornou-se a figura mais popular, mais estudada, mais influente na história religiosa da humanidade.” Enelow também declarou: “Quem pode calcular tudo o que Jesus significou para a humanidade? O amor que ele inspirou, o consolo que deu, o bem que fez, a esperança e a alegria que suscitou — isso não tem comparação na História humana. Entre as grandes personalidades que a humanidade já produziu, ninguém jamais chegou nem perto do carisma e da influência universal de Jesus. Ele se tornou o personagem mais fascinante da História.” (A Jewish View of Jesus - Enelow, H.G. 1920). Recomendo aos mais afoitos que, antes de criticar, se inteirem sobre as "referências" do rabino Hyman G. Enelow.

    ResponderExcluir
  17. A palavra de Jesus contida nos Evangelhos é o que realmente importa.
    O problema de falta de credibilidade crescente do povo de Cristo perante o mundo moderno acontece pelo excesso de divindade que se atribui ao Velho Testamento.
    O arqueólogo israelense Israel Finkelstein, titular da cátedra de Arqueologia na Universidade de Tel Aviv, diz que uma porção substancial da Bíblia é uma obra do século VII a.C. projetada para promover as ambições dinásticas do rei Josias de Judá. O Livro dos Reis do século VI a.C. conta a redescoberta de um antigo livro pelo rei Josias, que seria a parte mais antiga da Torá, em torno do qual os escribas de Josias teriam fabricado o texto restante:
    "Então disse o sumo sacerdote Hilquias ao escrivão Safã: Achei o livro da lei na casa do SENHOR. E Hilquias deu o livro a Safã, e ele o leu." (II Reis 22:8 ACF)
    Mediante os dados arqueológicos e os registros encontrados em antigas bibliotecas egípcias e dos povos antigos do Oriente Médio, os estudiosos passaram a perceber que a realidade fática e geográfica anterior ao sétimo século antes da Era Cristã divergia muito dos relatos da história patriarcal hebraica, dando a entender que foi naquele século que o livro foi criado. Analisando todas as contradições, chegou-se à conclusão de que tudo foi redigido pelos escribas do templo a mando do rei Josias.
    Sob o comando de Josias, haveria então pela primeira vez um estado de Judá unificado, centralizado em torno da adoração de Yaveh com sede no Templo de Jerusalém, com textos retratando o rei Josias como sucessor legítimo do lendário rei Davi e então o governante de Judá por direito. De acordo com esta interpretação, países vizinhos que mantinham muitos registros escritos, como o Egito, Pérsia, etc., não têm quaisquer escritos sobre as histórias da Bíblia ou seus personagens principais antes de 650 a.C. e o registro arqueológico de Israel antes de Josias não suporta a existência de um estado unificado no tempo de Davi. Tais afirmações são detalhadas em Who Were the Early Israelites?, de William G. Dever (2003). Outro livro desse tipo é The Bible Unearthed, por Neil A. Silberman e Israel Finkelstein (2001).
    Josias foi o candidato a assumir a posição de rei unificador. Durante uma reforma no Templo de Jerusalém, em seu governo, foi “encontrado” (na verdade, não há dúvidas de que o livro foi colocado ali de propósito) o livro Deuteronômio, com todos os ingredientes para um ampla reforma social e religiosa. O livro possui até profecias que afirmam, por exemplo, que um rei chamado Josias, da casa de David, seria escolhido por Deus para salvar os hebreus. Ungido pelo relato do livro, o ardiloso Josias consegue seu objetivo de centralizar o poder, mas acaba morto em batalha.
    Israel Finkelstein, ex-Diretor do Instituto de Arqueologia Sonia e Marco Nadler da Universidade de Tel Aviv, Israel, tornou-se em 2005 o titular da Cátedra Jacob M. Alkow de Arqueologia, nas Idades do Bronze e do Ferro da mesma Universidade, e ganhou o prêmio Dan David. É atualmente considerado o maior arqueólogo bíblico vivo.

    ResponderExcluir
  18. Vejamos o que mais diz Filkelstein sobre o Velho Testamento:
    “O consenso arqueológico, pelo menos até o ano de 1990, era de que a Bíblia poderia ser lida basicamente como um documento histórico confiável. Agora é evidente que muitos eventos da história bíblica não aconteceram numa determinada era ou da maneira como foram escritos. Alguns eventos famosos da Bíblia jamais aconteceram inteiramente”.
    “Na década de 1960 havia um grande debate acerca da veracidade do relato bíblico a respeito dos patriarcas Abraão, Isaac e Jacó. O famoso arqueólogo William Allbright defendeu a historicidade dos patriarcas. Hoje, este debate está superado. Nenhum arqueólogo ou historiador atualmente considera o Gênesis como uma descrição de eventos históricos daquela época. Neste ponto, é impossível retroceder. Estamos vivendo um processo de liberação da arqueologia de uma leitura muito conservadora e ingênua do texto bíblico. Isto não poderá ser interrompido ou dramaticamente revertido”.
    “As recentes descobertas da arqueologia têm revolucionado o estudo do antigo Israel e jogaram sérias dúvidas sobre as bases históricas de muitas narrativas bíblicas, como as peregrinações dos patriarcas, o êxodo do Egito e a conquista de Canaã, e o glorioso império de Davi e Salomão”.
    “A Bíblia é uma saga épica, composta por uma surpreendente coleção de escritos históricos, memórias e lendas, contos folclóricos e historietas, propaganda real, profecias e poesia antiga."
    “São inúmeras as contradições entre os achados arqueológicos e as narrativas bíblicas para propor que a Bíblia ofereça uma descrição precisa do que ocorreu de fato”.

    MOISÉS PODE NEM TER EXISTIDO, sugere pesquisa arqueológica. Em
    http://g1.globo.com/Noticias/0,,MUL418821-9982,00-MOISES+PODE+NAO+TER+EXISTIDO+SUGERE+PESQUISA+ARQUEOLOGICA.html

    Disso tudo depreende-se, mais uma vez, a importância das falas de Jesus, essas sim as verdadeiramente importantes e divinamente inspiradas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Platipus,
      A palavra de Jesus contida nos Evangelhos é o que realmente importa.
      O problema de falta de credibilidade crescente do povo de Cristo perante o mundo moderno acontece pelo excesso de divindade que se atribui ao Velho Testamento... MOISÉS PODE NEM TER EXISTIDO, sugere pesquisa arqueológica.


      Vc não pode desvincular a inspiração divina do AT, sob pena de condenar todo o NT. Estão intrinsecamente ligados pela história de Israel, Jesus e a Igreja cristã vindos tais textos da inspiração do Deus judaico-cristão formando o cânon completo.
      Vários pesquisadores judeus e estrangeiros atestam e confirmam o AT. Por que só o judeu I. "Frankstein" estaria certo?! vejamos:

      Amos Frumkin géologo e professor da Universidade Hebraica de Jerusalém, afirma que a bíblia pode ser considerada um dos guias mais valiosos para a pesquisa científica.
      news.nationalgeographic.com/.../0911_030911_SiloamTunnel.html

      "Avraham Biran, arqueólogo do Hebrew Union College, em Jerusalém, encontrou em Tel Dan, no norte de Israel, o fragmento de uma estela (pedra) contendo o registro histórico de um guerra entre os reis da Síria, Israel e Judá. Nesse documento, o reino de Israel é chamado "Casa de Israel", enquanto o reino de Judá é chamado de "Casa de Davi"
      hgb.zip.net/arch2010-02-07_2010-02-13.html

      A descoberta de Adam Zertal arqueólogo da Universidade de Haifa sobre o monte Ebal onde Josué ergueu um altar conforme instruções deixadas por Moisés.
      ebal.haifa.ac.il/ebal06

      A arqueóloga Eilat Mazar da Universidade Hebraica de Jerusalém, afirmou que fortificações antigas (muralha) recentemente escavadas em Jerusalém, algumas estruturas encontradas por ela e sua equipe, datam da época do rei Salomão (1000 a.C.).
      www.archaeologydaily.com/news/201002223373/Ancient-wall-found-in-Jerusalem-probably-from-Solomon-era.html

      Fechando, o renomado Nelson Glueck e outros não menos importantes que ainda hoje são referências em arqueologia, representavam uma escola de pensamento que puseram suas pás a serviço da Bíblia.

      Glueck, por exemplo, escreveu: “Pode-se afirmar categoricamente que até hoje nenhuma descoberta arqueológica contradisse qualquer informação dada pela Bíblia”.
      www.ngsba.org/

      Também uma inscrição do faraó Merneptá no século 13 AC nas paredes de Karnak faz menção a Israel já como um povo de Canaã, cfe. os relatos de Moisés. Assim, já tinham atravessado o mar vermelho.

      Excluir
    2. Note que o próprio Israel "Frankstein" não nega o Gênesis e muito menos diz que é mito, apenas diz que foi escrito em outra época, estando em debate ainda.
      "Finkelstein and Silberman claim that all of these anachronisms indicate that Genesis was composed in the 8-7th century BC. It should be noted that SCHOLARS ARE STILL DEBATING THIS." no livro dele: "The Bible: The Bible Unearthed".

      Leia o livro "E a Bíblia tinha razão" de Werner Keller um ex-ateu arqueólogo alemão, que foi escrever um livro desmentindo a Bíblia e veja no que deu!
      E pesquisadores ateus, agnósticos, como William G. Dever, atestam a credibilidade de boa parte do relato bíblico da história de Israel.

      Na verdade, Moisés reuniu e editou registros desses eventos em torno 1440 AC, sendo homem sábio e inteligente educado da mais alta corte do melhor país da época. Isso não é contrário a prática bíblica. Lucas fez o mesmo no seu evangelho. A história de Gênesis foi escrita originalmente em tabuinhas de argila e passadas de geração em geração a cada líder de clã, e também na forma oral.
      Um forte indicio é a expressão frequente "São estas as gerações de" ou similares. É provável que as familias dos patriarcas guardaram as tabuinhas, e Moisés editou a forma final. Várias passagens do A.T e N.T. confirmam "que está escrito na Lei de Moisés".

      Moisés foi uma testemunha ocular dos eventos do Pentateuco relatando-os de forma singular e vívida.
      Registros rabínicos mais antigos atribuem o Pentateuco a Moisés como o Talmude, assim como obras de autores judaicos como Fílon e Josefo.
      O autor reflete conhecimento detalhado da geografia do deserto. Isso é muito improvável para qualquer pessoa além de Moisés que viveu por 40 anos como pastor.
      Exodo, Deuteronômio citam Moisés como autor dos livros da Lei, e posteriormente vários livros do AT citam Moisés novamente como autor deles.

      Assim, é esmagadora as evidências que foi realmente Moisés que escreveu os 5 primeiros livros da bíblia no séc. 15 AC.
      Lembrando que Jesus deu testemunho de Moisés assim como os apóstolos depois. Caso contrário Jesus e os apóstolos mentiram!!

      Abçs.

      Excluir
    3. Tentei seguir o primeiro link que você postou e já dá "página removida".
      Quanto a Israel Finkelstein, é um professor sério, a biografia dele fala por si só. Não acho legal você ficar fazendo esse trocadilho com Frankenstein. Assim fico desanimado em ler o resto das suas colocações. Por favor corrija os links para que possamos ler "na fonte".

      Excluir
    4. Pra mim está abrindo o da National pondo na caixa do google.
      O 2º está ruim mesmo, mas embaixo tem outro, com outras confirmações inclusive!
      O trocadilho é que vc não é o 1º a crer somente no "monstro" IF desprezando outros conceituados arqueólogos judeus.
      Abçs.

      http://www.lideranca.org/cgi-bin/index.cgi?action=search&task=post&id=4657&forum=teologia&date=12.31.09%20-%2016:41:27&ext=txt

      Excluir
    5. Ok. Cícero, não vão me acusar de ter lido apenas um livro e sair falando besteiras.
      Procurei ler sobre os "arqueólogos bíblicos" que você citou, ainda que um seja um geólogo, outro o diretor de uma escola... Mas, enfim, não me convenceram nem um pouco.
      Bem diferente de Israel Finkelstein. O livro de Finkelstein foi traduzido para o português e teve uma edição brasileira. Está fora de catálogo, mas é possível encontrá-lo, por exemplo, na Estante Virtual. É um verdadeiro tratado (515 páginas), mas é convincente.
      Vamos usar algum método. Vamos começar comparando as biografias:
      http://en.wikipedia.org/wiki/Amos_Frumkin
      http://pt.wikipedia.org/wiki/Avraham_Biran
      http://en.wikipedia.org/wiki/Adam_Zertal
      http://en.wikipedia.org/wiki/Eilat_Mazar
      http://en.wikipedia.org/wiki/Nelson_Glueck
      Os quatro primeiros não têm cacife para nada. Quanto ao rabino norte-americano Nelson Glueck, realmente suas referências são sólidas, mas tendo ele falecido em 1971, faz parte daquela geração que teve boa vontade, mas poucos recursos científicos para embasar suas predições.
      E agora as referências de Israel Finkelstein:
      http://pt.wikipedia.org/wiki/A_Bíblia_não_Tinha_Razão
      http://en.wikipedia.org/wiki/Israel_Finkelstein
      "Como, então, devemos nos posicionar sobre estas descobertas? Por um lado, é preciso ter cuidado para não comprarmos o sensacionalismo especulativo que vemos e lemos e que, infelizmente, às vezes é difundido pelos arqueólogos.
      Por outro lado, não precisamos cair na armadilha de uma hermenêutica automática de suspeita que domina o campo da arqueologia. Vamos esperar pacientemente para analisar todas as provas das escavações que estão a surgir." (Dr. John D. Currid, PhD).

      Excluir
    6. E Cícero, você não falou nada sobre as palavras do rabino Hyman G. Enelow. Você já conhecia? Não achou o máximo um rabino falando aquilo? Eu achei.

      Excluir
  19. Platipus,
    Acrescento que o pesquisador Yosef Garfinkel, cujas descobertas somadas a de Eilat Mazar, mostra que Finkelstein está errado quanto à extensão supostamente pequena do reino de Davi.

    Descobertas de Thomas Levy (Universidade da Califórnia) refutam a alegações de Finkelstein sobre o surgimento tardio dos edomitas e também sobre a grandiosidade dos reinos de Davi e Salomão cfe. novas descobertas vão aflorando.
    Assim, seria uma clara petição de princípio e "non sequitur" afirmar que somente IF estaria correto e todos os outros equivocados!

    Concordo com o rabino Hyman G. Enelow. O fato é que foram 313 profecias do AT direcionadas a Jesus Cristo, o que faz do AT um volume totalmente inspirado e inerrante divinamente.

    Sds.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com toda boa vontade pesquisei sobre o Prof. Yosef Garfinkel, que você citou, tanto na Wikipedia como no seu site pessoal. Sinceramente não vejo condições de comparação com o currículo do Dr. Finkelstein, e também não li em lugar algum que o Professor Garfinkel tenha contrariado ou sequer citado o suposto tamanho do reino de Davi defendido por I. Finkelstein. Creio mesmo que as pesquisas do Prof. Garfinkel são em outras direções, segundo o que se lê na sua página:
      http://archaeology.huji.ac.il/depart/biblical/yosefg/yosefg.asp

      Mas as pesquisas não foram em vão. Conheci o trabalho do Dr. Aren Maeir.
      O Dr. Aren Maeir "põe dúvidas sobre as tais alegações, bem como, sobre as datações de (Eilat) Mazar." E olha que ele tem cacife para tanto! Ele fez seus estudos de pós-graduação na Universidade Hebraica de Jerusalém em 1997 (PhD summa cum laude), e fez pós-doutorado no Instituto Dibner para a História da Ciência e da Tecnologia no MIT (Massashussets Institute of Thecnology). Mas sua biografia é muito mais extensa, como se pode ver em:
      http://en.wikipedia.org/wiki/Aren_Maeir

      Excluir
    2. Ah, e Thomas Levy de U.C.L.A. é um ilustre desconhecido. Ele pode refutar o que quiser, mas não tem valor científico algum.

      Excluir
  20. Caro Cícero,
    Não te conheço e não tenho ideia do que te move a defender teus pontos de vista.
    Da minha parte, te digo que desde muito cedo padeci nas mão de religiosos hipócritas. Nos meus 55 anos bem vividos, já vi de tudo e não acredito mais em 99% do que acreditei um dia. Mas não comi pelas mãos dos outros. Procurei pela verdade em milhares de leituras, e é só o que posso recomendar.
    Eu não quero, e penso que ninguém em sã consciência quer destruir a fé de ninguém, mas é necessário lutar pela verdade. Separar o joio do trigo.
    Estava passeando pelos os canais da tevê e me detive no sermão de um pastor muito conhecido. De vez em quando eu até ouço a pregação dele, mas outras vezes eu fico enojado com as suas falácias, especialmente quando envolve dinheiro.
    Hoje ele fez a seguinte comparação: O sujeito quer alugar uma loja num shopping. O aluguel é exorbitante, mas o proprietário do imóvel faz uma proposta de em vez de receber o valor do aluguel, receber uma participação de x % no lucro bruto da empresa. O locatário aceita. Mas quando fecha o mês, ele vê que mais essa despesa não dá para pagar, então dá um calote no locador, e é despejado.
    A comparação carregada de segundas e terceiras intenções: Segundo o pastor, Deus deixou o mundo para que as criaturas vivessem nele. Tem tudo na natureza, e só o que pede o Senhor em troca é que seja recolhido o dízimo para a "Sua" casa, ou seja, a igreja de Deus - sob direção do safado do pastor, é claro! (Alerta de redundância!)
    Que cara de pau. Mais parece com aquelas máfias que cobram aluguel dos espaços públicos em rodoviárias e calçadas país afora. Mas, se visse as caras dos coitados dos fiéis balançando as cabeças em tom de aprovação... é lamentável. É óbvio que a grande maioria contribui com o dízimo para o bolso desses canalhas que vivem em mansões, jatos e helicópteros, de púlpito em púlpito aumentando exponencialmente os lucros e iludindo os mais humildes e crédulos. E as igrejas ainda não pagam impostos!
    É por essas e por outras barbaridades ainda maiores que acontecem “em nome de Deus” que eu cito aqui essas aberrações da Bíblia. Não quero contribuir para a destruição da "santidade" do livro, mas sim quero mostrar que é um livro que foi compilado por humanos, e que sim, tem erros e incongruências a rodo. E Deus queira que existam lá, também, muitas e muitas palavras santas para compensar o mau uso do livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Platipus,
      Interessante sua mudança de assunto!

      E concordo plenamente contigo.
      Na verdade a entrega do dízimo ou ofertas deve ser algo espontâneo e liberal cfe. diz 2Co 9:7 e não uma OBRIGAÇÃO mensal compulsória.
      Pior que muitos ainda entendem que o dízimo estaria vinculado à salvação, quando na verdade, esta é efetuada unicamente, exclusivamente pela fé, pela graça cfe. Ef 2:8.
      E não vemos nenhum mandamento direto da entrega do dízimo no NT. Não vemos Jesus, Pedro, Tiago, João, Paulo entregarem dízimos.
      A passagem de Mt 23:23 como suposta base no NT, está ligada diretamente aos fariseus, aos escribas cumpridores da lei da qual Jesus ainda estava em vida terrena, sendo o dízimo um elemento da Lei que dura até a morte/ressurreição do Messias, adentrando a Aliança da Graça.

      Na Aliança da Graça sim! vemos muitas passagens no NT (até com promessas de bençãos) exortando, admoestando em ajudar, contribuir, ofertar, auxiliar na variada obra de Deus da Igreja na Terra.

      Mas não se preocupe, pastores e tais, também podem ir pro inferno por vários pecados: financeiros, morais etc.

      Contudo, afirmo a inerrância e inspiração de TODA a Escritura, tendo em vista também, inúmeras confirmações históricas, arqueológica e científicas de seus eventos.

      Abs.

      Excluir
    2. Muito bem Cícero, mas o que você e seus pares chamam de doutrina é, para mim, apenas o que homens imbuídos intenções diversas, algumas de pura dominação, escreveram.
      A principal intenção foi a de unificar o reino em torno de Judá, dando uma sensação de legitimidade às pretensões dinásticas do rei Josias perante o povo semita, seminômade, que vivia na Palestina do século VI a.C.. Tal unificação nunca houve no tempo de Davi, por conseguinte, as histórias dos "Patriarcas", inclusive os "pactos e alianças com Deus" são lendas, ou plágios de histórias babilônicas, egípcias e assírias, de épocas anteriores.
      Não mudei tanto de assunto assim. O assunto é sempre o mesmo - o excesso de divinização do texto bíblico, e é aí que divergimos.
      Construir todo um "destino" da humanidade em cima de escritos lendários foi uma tentação dos poderosos que conduziram os destinos das principais nações ocidentais. Veja que no oriente, na Índia e na China, por exemplo, países extremamente populosos e que estão mudando o equilíbrio geopolítico atual, nesses países é extremamente difícil encontrar uma Bíblia, sequer. Há um solene desconhecimento de toda essa realidade.
      Acredito em Deus Nosso Senhor Jesus Cristo, mas, abaixo Dele, em ninguém, muito menos em igrejas e religiosos. Não me fio em aliança de Deus com Abraão, ou em lenda de um povo escolhido por Deus. Isso me cheira a intrujice, apenas.
      Portanto dispenso essas complicações e me identifico com o modo simples, humilde e até mendicante de Jesus e dos apóstolos.
      Se fosse dar crédito a uma "aliança" improvável do antigo testamento, teria que condescender com todo o resto, e então não poderia mais pensar livremente com o cérebro que Deus me deu para essa finalidade. E não estaria hoje aqui livre para discordar, mas é claro, tenho a real noção de quanto essa liberdade é odiada pelo "establishment".
      Quanto à "doutrina" essa é uma palavra da qual eu sempre tive desconfiança. Mais ainda ajuntada a "pactos" e "alianças".
      Doutrinar envolve sempre o coitado do doutrinado, geralmente, um pequenino e humilde ser, ou uma massa de seres de cultura rasa, mas cheios de fé e esperança, que nem conseguem imaginar o que é uma doutrina, muito menos no que a doutrinação vai transformá-los.

      Doutrina da Aliança da Graça - fico pensando cá com meus botões: Que será que Jesus acharia dessas doutrinas, alianças, pactos, seitas, teólogos, historietas, plágios e de todo o poderoso comércio adjacente?

      Cícero,
      Vejo que você é um homem culto que gastou um bom tempo da sua vida se dedicando à religião, porém, malgrado sua boa intenção, eu continuo vendo na religião o ópio do povo, e de há muito larguei esse vício.

      Excluir
    3. Platipus,

      Tal unificação nunca houve no tempo de Davi, por conseguinte, as histórias dos "Patriarcas", inclusive os "pactos e alianças com Deus" são lendas, ou plágios de histórias babilônicas, egípcias e assírias, de épocas anteriores.

      Lamento se vc prefere crer apenas no IF, desprezando vários outros arqueólogos judeus e estrangeiros atestando a grandiosidade do reino de Davi, Salomão. É direito seu. Para vc ter uma idéia deste mega-reino, existiam 4 mil instrumentos musicais na orquestra de Davi, que posteriormente tocavam no Templo de Salomão. Este simples dado já atesta a magnitude deste reino cobiçado por vários inimigos.

      Veja que no oriente, na Índia e na China, por exemplo, países extremamente populosos e que estão mudando o equilíbrio geopolítico atual, nesses países é extremamente difícil encontrar uma Bíblia, sequer. Há um solene desconhecimento de toda essa realidade.

      Estás bem equivocado. Estão havendo inúmeras conversões ao cristianismo no oriente. Só na Índia por ex. estão 2 das 10 maiores igrejas cristãs do mundo!
      Na China, estão os maiores números de conversões diárias. O governo comunista não sabe mais o que fazer para deter tantas conversões para a Igreja subterrânea perseguida de lá. Obviamente esses governos não citam em suas estatísticas esses dados. Não são igrejas oficiais, mas comunidades cristãs que se reunem escondidos em casas, florestas, cavernas etc.

      Acredito em Deus Nosso Senhor Jesus Cristo, mas, abaixo Dele, em ninguém, muito menos em igrejas e religiosos. Não me fio em aliança de Deus com Abraão, ou em lenda de um povo escolhido por Deus. Isso me cheira a intrujice, apenas...
      Quanto à "doutrina" essa é uma palavra da qual eu sempre tive desconfiança. Mais ainda ajuntada a "pactos" e "alianças".


      Noto uma total contradição e falácia non-sequitur em seu argumento. Se cresses em Cristo, crerieis em sua DOUTRINA onde inúmeras vezes atesta e confirma a veracidade e autoridade do AT, vejamos alguns ex.:
      - Jesus citou as Escrituras como a "palavra que procede da boca de Deus", sendo escrita por homens que foram inspirados por Deus (Mt 4:4 7:10).
      - Muitas vezes, uma passagem do AT afirma algo que Deus disse e se confirma no NT ou vice-versa. A Bíblia defende a Bíblia.
      - Referindo-se aos mandamenteos do AT Jesus disse aos fariseus de sua época: "assim vocês anulam a Palavra de Deus por causa da sua tradição" Mt 15:6.
      - Jesus afirmou que o AT era indestrutível - Mt 5:17,18.
      - Afirmou que o AT era inspirado - Mt 22:43, 2Sm 23:2.
      - Afirmou que a Bíblia é infalível - Jo 10:35.
      - Afirmou a autoridade divina do AT - Mt 15;3,6
      - Afirmou a inerrância do AT - Mt 22.29 e conexão com a verdade da Palavra - Jo 17;17.
      - Afirmou a confiabilidade histórica do AT - citando eventos de Adão e Eva, Noé, Dilúvio, Jonas, Mt 19:4,5, 24:37,38, 12;40. Assim como também de Abel, Abraão, Isaque, Jacó, Elias, Moisés, Isaias, Davi, Salomão, Daniel. Citados em Mateus...

      Excluir
    4. ...Os apóstolos atestam depois, a inspiração de TODA a Escritura estando de acordo com a doutrina de Jesus:
      "TODA a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça;" 2Tm 3:16.
      Em toda a bíblia os autores afirmaram estar sob direção do Espírito Santo.
      Pedro ao falar de todo o AT afirma:
      "Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo." 2Pe 1:21.

      Assim, é esmagadora a evidência de que TODA a Escritura - AT, NT - são inerrantes e inspirados divinamente tendo o pleno aval e atestado do Mestre Jesus.

      Doutrina da Aliança da Graça - fico pensando cá com meus botões: Que será que Jesus acharia dessas doutrinas, alianças, pactos, seitas, teólogos, historietas, plágios e de todo o poderoso comércio adjacente?

      Um novo - pacto, concerto, aliança - é ensinado no NT do qual afirmas aceitar e crer!
      "De tanto melhor aliança Jesus foi feito fiador." Hb 7:22
      "Mas agora alcançou ele ministério tanto mais excelente, quanto é mediador de uma melhor aliança que está confirmada em melhores promessas." Hb 8:6
      "Dizendo Nova aliança, envelheceu a primeira. Ora, o que foi tornado velho, e se envelhece, perto está de acabar." Hb 8:13
      "E a Jesus, o Mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão, que fala melhor do que o de Abel." Hb 12:24.

      Vejo que você é um homem culto que gastou um bom tempo da sua vida se dedicando à religião, porém, malgrado sua boa intenção, eu continuo vendo na religião o ópio do povo, e de há muito larguei esse vício.

      Também não sou religioso, pois religiões oficiais não salvam ninguém mesmo! me considero um crente em Jesus e procuro segui-lo e sua Palavra. Mas comunidades cristãs são importantes para nosso crescimento e comunhão com os irmãos. Isso é bíblico.

      Na paz em Cristo!

      Excluir
    5. Com toda boa vontade pesquisei sobre o Prof. Yosef Garfinkel, que você citou, tanto na Wikipedia como no seu site pessoal. Sinceramente não vejo condições de comparação com o currículo do Dr. Finkelstein, e também não li em lugar algum que o Professor Garfinkel tenha contrariado ou sequer citado o suposto tamanho do reino de Davi defendido por I. Finkelstein. Creio mesmo que as pesquisas do Prof. Garfinkel são em outras direções, segundo o que se lê na sua página:
      http://archaeology.huji.ac.il/depart/biblical/yosefg/yosefg.asp

      Mas as minhas pesquisas não foram em vão. Conheci o trabalho do Dr. Aren Maeir.
      O Dr. Aren Maeir "põe dúvidas sobre as tais alegações, bem como, sobre as datações de (Eilat) Mazar." E olha que ele tem cacife para tanto! Ele fez seus estudos de pós-graduação na Universidade Hebraica de Jerusalém em 1997 (PhD summa cum laude), e fez pós-doutorado no Instituto Dibner para a História da Ciência e da Tecnologia no MIT (Massashussets Institute of Thecnology). Mas sua biografia é muito mais extensa, como se pode ver em:
      http://en.wikipedia.org/wiki/Aren_Maeir

      Então meu caro Cícero, vou parar por aqui porque está chovendo no molhado. Não me convenci dos seus argumentos e deixei muitos links e dicas para quem quiser conhecer "na fonte" minhas refutações. O segredo é esse, porque falar até papagaio fala. Tem é que comprovar!

      Excluir
    6. Quanto se aceito o Novo Testamento, mas não o aceito sem ressalvas, na integralidade. Aceito os Evangelhos, mas em Paulo, por exemplo, vejo muita contradição, falácia, muita conversa sobre dinheiro, materialismo e bastante discriminação, especialmente contra as mulheres. Começa sempre revolucionário, mas no final das cartas tem muito de reaça. Por isso repito: "A mente é como o paraquedas, só funciona aberta." Uso-a para julgar o livro e todas as tentativas de doutinação. E igualmente uso meu cérebro para me aproveitar da parte boa e inspirada do texto.

      Quanto a raridade da Bíblia Cristã na Índia digo e repito, com conhecimento de causa. Fui amigo de indianos da família Rama (de sapateiros), e camarada do Professor Navim da Unicamp. Todos me disseram que a Bíblia como literatura sagrada é nula na Índia. É virtualmente impossível comprar uma Bíblia Cristã por lá. O país é dividido entre quatro grandes religiões nativas - o hínduismo, o budismo, o jainismo e sikhismo. Das que penetraram posteriormente o islamismo é o que mais cresceu. Cristãos são uma ínfima minoria perseguida. INFELISMENTE!

      Já o movimento cristão na China é clandestino e insipiente, INFELIZMENTE, mas é um fato. Não representa nem 0,000000001 por cento daqueles bilhões de chineses. A Bíblia Sagrada na China é um livro totalmente desconhecido, e qualquer pessoa medianamente culta e não fanática sabe disso. Deus queira que se propague e cresca de maneira sadia por esses países gigantes, mas sem esses carniceiros que se apoderaram das igrejas no Brasil.

      Excluir
    7. Platipus,
      1.Na NatGeo tem um artigo interessante citando esses arqueólogos, seus estudos e seus posicionamentos sobre o reino de Israel.
      http://ngm.nationalgeographic.com/print/2010/12/david-and-solomon/draper-text

      Sobre as descobertas de Thomas Levy: provável mina de Salomão e civilização Edomita do séc. 10 AC.
      http://ucsdnews.ucsd.edu/newsrel/soc/10-22KingSolomon.asp

      2.Note que Jesus e os apóstolos valorizaram muitos as mulheres, usando-as de forma destacada e inédita em seus ministérios e atividades; numa época de muito preconceito e discriminação contra elas.
      Na questão do dinheiro, veja que o próprio Jesus recebia sustento de certas mulheres e aceitava ofertas, sendo Judas o tesoureiro - Lc 8:2,3.

      3.Veja nesse link 2 das 10 maiores igrejas cristãs do mundo na Índia! Além de muitas entidades missionárias atuando nesses países.
      Para quem realmente deseja, o acesso às bíblias é possível. Naturalmente os governos desses países são contra, escondem o crescimento cristão.
      http://top10mais.org/top-10-maiores-igrejas-do-mundo/

      Calcula-se que na China haja mais de 120 milhões de cristãos! repito: o governo faz de tudo para esconder esses números obviamente!
      Aqui, divulgação da Igreja cristã perseguida nesses países e vários outros pelo mundo.
      http://www.portasabertas.org.br/
      http://www.vozdosmartires.com.br/

      Sds.

      Excluir
    8. No geral concordo com você Cícero.
      E por falar de Nat Geo, que não aprecio, tropecei nesse artigo que elucida um pouco nossa discussão:
      "Em nenhuma outra parte do mundo a arqueologia se assemelha tanto a um esporte de contato", diz um editor da National Geographic. "As alegações e contra-alegações de arqueólogos são usadas para apresentar argumentos a favor e contra a veracidade e autoridade da Bíblia, a favor e contra a validade das reivindicações dos judeus sobre a terra e o grande número de controvérsias relacionadas - todas elas aquecidas e potencialmente explosivas".
      Diz um comentarista sobre o artigo da Net Geo: No entanto, os leitores cristãos da revista podem fazer algumas observações importantes. Em primeiro lugar, esta reportagem de capa documenta o fato de que a arqueologia não é uma ciência exata, e que a disciplina é fortemente influenciada por interesses ideológicos. Reivindicações e contra-reivindicações, muitas vezes têm tanto ou mais a ver com as agendas contemporâneas como o conflito Israel-Palestina do que com o estudo das civilizações antigas.
      Em segundo lugar, os cristãos devem sempre lembrar que a veracidade e autoridade da Bíblia não se baseiam em nenhuma autoridade externa à própria Bíblia. Não há evidência externa obrigando-os a "provar" a veracidade da Bíblia.
      O artigo da Nat Geo é interessante, mas inconclusivo. Ele deixa a maioria das grandes questões levantadas, sem resposta. Significativamente, a revista tenta minar o caso do "minimalismo bíblico" a escola de arqueologia que diz que David e Salomão são "simplesmente personagens fictícios".
      Chestov disse certa vez: "Quem deixa de depositar suas esperanças apenas na razão pode viver a fé que não necessitará se justificar a outra pessoa senão a si mesmo."
      No entanto esse tipo de pensamento cessa qualquer discussão e dispensa qualquer tipo de ciência, portanto é inócuo. Se quisermos discutir com um mínimo de coerência temos que nos apegar às últimas descobertas dos mais insuspeitos e renomados cientistas. É isso que tornará qualquer discussão minimamente relevante perante outras já incansavelmente travadas.

      Excluir
    9. Archaeologists have discovered no significant evidence for Noah's flood, Sodom and Gomorrah, Abraham, Isaac, or Jacob. They don't believe Jews were enslaved in Egypt, wandered in the desert, or conquered the Promised Land. Plenty of evidence has survived about later parts of the Hebrew Bible—the cut-rate monarchs and latecomer generals in the books of Kings—but the great Bible heroes remain stuck in the world of myth.
      Which is why it was so astonishing when Israeli archaeologist Eilat Mazar announced in 2005 that she had discovered what she believes to be the palace of King David, in an Arab settlement just south of Jerusalem's Old City walls. Mazar claimed that the massive walls I'm looking at and the pottery shards found alongside them indicate that a monumental building was erected here around the 10th century B.C., the time of David. This was Israel's most controversial and exciting biblical discovery in many years. To find the house of David, one of the Bible's most vivid heroes, a man who talked to God, killed giants, and unified Israel—that was like winning the Bible lottery. And David's palace has its own spectacular little cameo in the Bible: David is strolling on the roof of his palace when he spies beautiful Bathsheba taking a bath.
      Assuming it is the palace of David, which many archaeologists doubt. My companion for the day, David Ilan, stares through the grate with a skeptical look on his face. "I see walls," says Ilan, who directs the Nelson Glueck School of Biblical Archaeology at Hebrew Union College in Jerusalem. "But the evidence is ambiguous. I look and I see shards and something that seems like a building that may be from the ninth or 10th century, but that is as much as I can tell you. Eilat found what she was looking for. You have a biblical text and an archaeologist who wants to find David's palace, and bang, there it is." Ilan cites evidence that the palace dates from a century after David's death and emphasizes that Mazar did not find written inscriptions or intact pottery vessels that would connect the building to the king.
      "Probably 20 percent of archaeologists would say, yes, it is the palace of David. And 10 percent would say, no, it definitely isn't. And 70 percent of us would say we don't know."
      Artigo completo em: http://www.slate.com/id/2181864/entry/2181915/

      Excluir
    10. William Foxwell Albright, pioneiro da arqueologia bíblica, defendeu teoricamente, entre os anos 1950 e 1960 que Abraão, Isaque e Jacó não foram apenas personagens bíblicos, mas também históricos, e a incursão de José ao Egito foi também um evento histórico. Nas suas palavras: “- Como um todo, a imagem do Gênesis é histórica e não há razões para se duvidar da precisão dos detalhes biográficos".
      Albright, que faleceu em 1971, extrapolou suas afirmações a partir dos achados do Mar Morto, e usou o seu status de "decano dos arqueólogos bíblicos" e "pai mundial da Arqueologia bíblica" para defender essas posições. Nada realmente palpável, nada na arqueologia bíblica histórica moderna dá embasamento a essas suas afirmações. De lá para cá muita coisa mudou.
      Quanto ao livro "E a Bíblia tinha razão" do escritor alemão Werner Keller, trata-se apenas de literatura especulativa compilada por um leigo e não por um especialista. A pouca importância desse autor e de seu livro pode ser aferida pelo fato de não haver sequer um verbete com o seu nome nas principais enciclopédias. O livro contém muita falácia, extrapolações e exageros já exaustivamente desmentidos pelos especialistas. A primeira edição é de 1955, portanto largamente ultrapassada. Em 1978 David Keller, já muito doente, juntou-se ao escritor Joachim Rehork para tentar dar uma repaginada no seu "best seller", agora sob o nome de "A Bíblia como documento histórico", ou "The Bible as history". Trata-se, novamente, de outro livro escrito por leigos. David Keller faleceu em 1980. Os livros como fontes confiáveis de qualquer informação são nulos.
      O livro confiável e realmente interessante é mesmo "E a Bíblia não tinha razão" de Israel Finkelstein, de quem há abundantes referências nas enciclopédias. No entanto foi o livro de Werner Keller que vendeu um milhão de cópias na Alemanha e foi traduzido para mais de 20 idiomas difundindo muita pseudo ciência.

      Excluir
    11. Caro PLATIPUS,

      Na verdade, se negarmos os eventos e personagens do AT como verdadeiros, reais e os considerarmos apenas mitos; isso abre um precedente gravíssimo em relação ao NT onde Cristo e os apóstolos citaram muitas vezes tais eventos e personagens considerando-os naturalmente verídicos. Assim, também devemos supor que Cristo e os apóstolos estavam grandemente equivocados ou mentiram sobre isso!!

      Note que o AT e o NT estão entranhados profundamente, um sendo consequência do outro e um atestando o outro reciprocamente.
      O Fato é que,... entre as pressuposições dogmáticas céticas e preconceituosas antissobrenaturalista de Israel Finkelstein e a Bíblia, ainda prefiro acreditar na Bíblia... e você?

      Abçs.

      Excluir
    12. As citações de Jesus são evidentemente precisas. Os apóstolos foram extremamente bem intencionados, mas longe de mim taxá-los de absolutos ou infalíveis. Quanto ao resto, a maior parte do Velho Testamento, aceitá-lo como você quer é o mesmo que entregar um cheque em branco na mão dos safados que criaram e que continuam criando "igrejas", e que Graças a Deus muitas pessoas estão cada vez mais sabendo quem são e com qual finalidade o fazem.
      Usa-se o Livro como um manual de enganação e extorsão, pronto e sem copyright. Se o texto está correto que se sujeite ao escrutínio científico, como tudo e todos. Se for forjado que se denuncie. Seja qual for o preço a pagar é melhor a verdade. Não vejo outra saída. Quanto às igrejas, já demorou para o estado por a mão nesse bando de canalhas, bandidos, ladrões, enganadores, estelionatários e mais uns vinte qualificativos que se quisessem poderiam usar para enquadrá-los na lei. A começar pelos falsos milagres. "Fé cega, faca amolada!" Tô fora!

      Excluir
    13. Os chefes espirituais de Israel – sacerdotes, escribas e fariseus – são os únicos homens contra os quais Jesus usou palavras veementes, tão ásperas que, por vezes, nos causam espanto. Chamou-os “sepulcros caiados”, “guias cegos conduzindo outros cegos”, acusa-os de “devorarem as casas das viúvas e dos órfãos, a pretexto de longas orações”, de “orarem nas esquinas das ruas a fim de serem vistos pela gente”: na parábola do bom samaritano mostra como dois funcionários da igreja de Israel, o sacerdote e o levita, saturados de liturgia eclesiástica, eram vazios de ética humana.
      Entretanto, a mais veemente objurgatória que o Nazareno lançou aos líderes da sinagoga é a seguinte:
      “Vós roubastes a chave do conhecimento do reino de Deus; vós mesmos não entrais, nem permitis que entrem aqueles que quiserem entrar”.
      Em vez de mostrar o caminho certo, conduziam o povo por trilhos errados. Impossibilitavam, com suas doutrinas humanas, que o povo bem intencionado, porém ignorante, conseguisse entrar no reino de Deus, porque tomavam as teologias dos sacerdotes pela revelação de Deus.

      É essa a maldição de muitos mestres religiosos, através dos tempos; não serem verdadeiros iluminados por Deus, senão apenas ordenados pelos homens.

      O que leva um pseudo-iluminado a se apresentar como iluminado é, quase sempre, a ambição do prestígio, a cobiça do dinheiro ou o orgulho mental.
      Todos eles “roubaram a chave do conhecimento do reino de Deus”. Essa chave consiste numa experiência interna, não condicionada por nenhuma formalidade externa. O poder vem de dentro, a fraqueza vem de fora.

      “A letra mata – mas o espírito dá vida.”

      O ritual dá prestígio externo – o espiritual dá força interna.

      Todas as igrejas e seitas são como outros tantos marcos colocados à beira do caminho da vida, nas encruzilhadas dúbias; quem parasse ao pé desses marcos ou se contentasse com olhar na direção indicada pelas flechas não chegaria jamais ao termo da jornada. O marco não deve ser adorado como fim, deve apenas ser olhado como meio de orientação, e depois ultrapassado. Quem não ultrapassa os marcos dogmáticos da sua seita não cumpre o seu destino.

      A alma do cristianismo não é algo que se possa ensinar ou aprender intelectualmente, num curso de teologia ou exegese; é algo que deve ser vivido e sentido, e até sofrido, em profundo silêncio e fecunda solidão. Podem, na melhor das hipóteses, outros guiar-me até ao limiar do santuário, mas só eu é que posso transpor esse limiar e encontrar a Deus, face a face.

      Todo e qualquer guia que não me prepare para que eu possa, um dia, ter, por mim mesmo e sem ninguém, esse encontro pessoal com Deus é guia cego, não é condutor, mas sedutor.

      http://pt.scribd.com/doc/78193693/Huberto-Rohden-Assim-Dizia-o-Mestre

      Excluir
    14. Caro irmão Platipus,

      Concordo com muito do que disseste, e isto já estava profetizado que haveriam os falsos mestres, orgulhosos, gananciosos e tudo mais...
      Mas vejo que mesmo nessas "igrejas, denominações" (comunidades cristãs por assim dizer) com todos esses problemas, defeitos, escândalos morais, financeiros etc. Ainda assim, vemos Deus operar na salvação, libertação de inúmeros males, curas etc, mesmo no falho homem como sempre foi, Deus o usa em certas situações para sua Glória, seja na palavra, na oração, na assistência, no aconselhamento etc.

      Um exemplo.
      Estava de viagem neste final de semana no interior de SC c/minha esposa e fomos numa dessas igrejas cristãs e lá ouvimos um depoimento marcante de um homem que estava com a vida totalmente destruída em várias áreas e em Janeiro deste ano passou em frente aquela igreja e entrou para ouvir uma palavra de ânimo, de esperança.
      Lá se entregou a Jesus, e a partir daí começou a frequenter regularmente aquela igreja, estudando com muita fome e sede a Palavra de Deus (já leu 2x a bíblia!).
      Nasceu de novo, e agora é uma nova criatura feliz como diz a Palavra e sua vida aos poucos está melhorando/acertando.

      Isto vemos acontecer diariamente nessas comunidades, não importa a situação que a pessoa se encontra, Deus tem sempre uma palavra de fé, de amor, de esperança, de salvação, de perdão.
      Neste sentido acho válido a existência de tais "igrejas"/comunidades, mesmo porque tem base no NT, tais associações/reuniões dos irmãos para comunhão cristã.
      Veja que não seremos nós a separar o joio do trigo (os falsos cristãos/ministos/pastores/padres/mestres) quando Cristo vier buscar os salvos (Igreja invisível Dele) de todas as nações. Isto é tarefa dos anjos.
      Traidores sempre houveram e haverão. Cristo tinha apenas 12 discipulos e um era falso! imagine entre milhões no mundo todo!

      Na paz.

      Excluir
    15. Se formos citar exemplos de conversão e de decepções, não faremos outra coisa. Enfim... Aqui perto de casa tem uma figurinha humilde que tinha uma quitandinha. Ele, a esposa e a filha se esforçavam naquele negócio, e prosperavam aos poucos. De repente eles começaram a frequentar uma “denominação”. Um belo dia eu vejo o “Lambari” (um trocadilho com seu apelido) na TV naquela palhaçada dos empresários, dando testemunho e tal. Ele se empolgou todo e até cresceu bem o comércio dele, com endividamento. Menos de um ano depois ele já estava reclamando do “sistema” da “arapuca”, digo, da “denominação”. Hoje ele tem um boteco de cachaceiros jogado às traças, mas é livre! Como ele eu já vi muitos outros iludidos se acabando. Só que eles não têm horário televisivo para contar seus reveses. Só se fala na parte material, na imensa maioria das denominações. Por absurdo que seja agora lhes resta, enfim, apenas o espiritual, ainda que abalado.

      Estive lendo aí em cima uma resposta tua no dia 19/09: “O arrependimento de Deus é linguagem figurada...”
      Quem inventou mais essa pérola? Nunca tinha ouvido sobre a não literalidade dessa passagem do AT. Tá certo que eu sou leigo no assunto, mas se mais e mais passagens vão sendo consideradas linguagem figurada mina toda a credibilidade, que para mim já é pífia no AT, podendo-se extrapolar que tudo é linguagem figurada, sem exceção.

      Num dos links citados pelo Fábulas (sempre desqualificado) colhi esse trecho de Johann Thoth muitíssimo esclarecedor que exemplifica bem esse problema da linguagem figurada ou literal, e que também é um resumo do que muitos de nós pensamos ao ter que tomar por divinas essas passagens estupidamente violentas do AT (e que os fanáticos continuam insistindo que são palavras divinas oriundas de Deus, ou linguagem figurada).

      Como diz Johann Thoth, e com bastante razão – o Antigo Testamento é cheio de contradições, e a grande maioria das pessoas desconhece isso. A cegueira religiosa é tamanha, que os religiosos transformaram imoralidades, crueldades e atrocidades contidas nos textos bíblicos em episódios aceitáveis e até justificáveis pela fé e pelos ‘desígnios de deus’.

      E só há um jeito de se posicionar eticamente nessas armadilhas: É lendo os textos bíblicos (e extras) de maneira crítica e com liberdade de formar uma opinião.

      Portanto eu não excluo nada nas minhas leituras, e na verdade concordo bastante com o que escreveu Johann Thoth em “O Falso Deus de Israel” (e-Book) em http://pt.scribd.com/doc/177266139/

      “Os religiosos que vão às Igrejas, somente ouvem salmos, ouvem sobre os milagres de Jesus, proferem louvores, falam sobre o amor de Deus, falam sobre salvação, entre outras coisas. Obviamente é também um modo de desviar a atenção da parte podre e menos conhecida, que é a crueldade do deus do Antigo Testamento. É claro que ninguém irá ouvir os padres ou pastores falarem o quão cruel é o deus do Antigo Testamento, pois ninguém quer tocar nesta parte comprometedora, e não é, obviamente, de interesse dos líderes religiosos que as pessoas comentem ou saibam disso.
      As pessoas geralmente não pegam a Bíblia por conta própria para ler e conhecer o que ela diz; elas aceitam passivamente a lavagem cerebral que os padres e pastores fazem. Deste modo, os crentes vão às Igrejas acreditando no deus da Bíblia, sem, contudo, conhecê-lo verdadeiramente, sem estar por dentro da história toda que se passou e sem saber sobre a coleção de atos cruéis e perversos de Números e do Deuteronômio.”

      Excluir
    16. Cícero,
      Vou logo botando o dedo na ferida:

      O Deus Pai piedoso, bondoso e misericordioso - pai de Nosso Senhor Jesus Cristo é o mesmo Deus de Israel do Velho Testamento?

      Para quem realmente leu o AT não é não.

      Ali não tem nada de Paz e Amor!

      E do outro lado da mesma moeda, mas não menos trágico é o fato de que líderes sionistas apostam tudo na “literalidade” desses textos causando enormes desgraças, crueldade e injustiça para com o povo palestino, entre outros povos, que têm suas terras invadidas, espoliadas e até anexadas. Suas casas tomadas, e não raro seus varões presos, por décadas até, por crimes ridículos como atirar pedras contra o invasor armado em tanques de guerra.
      Mas nem poderia ser diferente, pois não há nada no texto bíblico que indique que deva encará-lo como linguagem não literal.

      Então por que deveria eu me render e compactuar com tudo isso, e considerar divino o Antigo Testamento, uma ode às guerras de um povo antigo pela disputa de um minúsculo território desértico? Uma coleção de histórias bizarras de um demiurgo se passando por Deus?
      Levar adiante essa farsa tem uma única finalidade: escravizar os ingênuos e tolos carneiros sedentos de apascentamento. Arrancar-lhes o seu suado dinheiro, suas terras, suas vidas, seus bens (sua pele), sua alma, e guiar seus destinos e suas vontades com cabresto curto. E isso não é nada divino!
      “Assim diz o Senhor acerca dos profetas que fazem errar o povo: os seus sacerdotes ensinam por interesse e os seus profetas adivinham por dinheiro.” Miquéias 3:11
      É isso o que eu espero do meu Deus, e tenho certeza que é isso que Ele quer de mim! Esse trecho de Miquéias é uma denúncia!

      Esse tipo de comportamento de rebanho imbecil que vai para “o culto” com hora marcada, só lê o que o pastor ou o padre permite ou aponta, que não permite pensamento autônomo, e depois passa o resto da semana em erro e esquecimento. Isso interessa somente aos “donos” das igrejas, seus “escolhidos” e seus poderosos “chefes”, aqueles mesmos que Jesus acusou: “Vós roubastes a chave do conhecimento do reino de Deus; vós mesmos não entrais, nem permitis que entrem aqueles que querem entrar”.

      O encontro com Deus é uma experiência pessoal e maravilhosa. Dá sentido à vida! Já o culto a “cego guiando cego” é idolatria!

      Excluir
    17. "O Logos passou da eternidade para o tempo com a única finalidade de ajudar os seres, cuja forma corpórea assume, afim de ajudar os seres a passar do tempo para a eternidade. Afirma o autor do Quarto Evangelho que o Verbo se fez carne; em outra passagem, no entanto, acrescenta que à carne nada aproveita - nada em si mesma, mas aproveita muito, naturalmente como meio de união com o Espírito imanente de Deus."

      "Vede agora o significado destas duas palavras do Cristo. A primeira: 'Nenhum homem chega ao pai senão por mim', ou seja, por meio da minha vida. A outra: Nenhum homem chega a mim senão tiver sido atraído pelo Pai'; isto é, o homem só toma a minha vida sobre si e me segue se for movido e atraído por meu Pai, vele dizer, pelo Bem, simples e perfeito, do qual disse Paulo: 'Quando chegar o que é perfeito, o que for em parte será abolido'."

      Sempre cabe em qualquer discussão uma citação do clássico A Filosofia Perene de Aldous Huxley, na sua melhor tradução para o português (por Octávio Mendes Cajado para o Círculo do Livro).

      "No Ocidente os místicos progrediram um pouco no caminho da libertação do cristianismo da sua malfadada servidão em relação ao fato histórico (ou para sermos mais precisos, às várias misturas de relações contemporâneas com suas inferências e fantasias subsequentes, que têm sido aceitas em diferentes épocas como fato histórico). Apesar disso, o cristianismo continuou a ser uma religião em que filosofia perene pura foi recoberta, ora mais, ora menos pela preocupação idólatra com eventos e coisas no tempo - eventos e coisas não só considerados como meios úteis, mas como fins em si mesmos, intrinsicamente sagrados e efetivamente divinos. Além disso, os "aperfeiçoamentos" da história, feitos no transcurso dos séculos, foram tratados de modo muito imprudente, como se eles mesmos fizessem parte da história - procedimento que colocou uma arma poderosa nas mãos dos controversistas protestantes e, mais tarde, dos racionalistas. Muito mais prudente teria sido admitir o fato perfeitamente confessável de que, quando a severidade de Cristo, o Juiz, foi “indevidamente” destacada, os homens e as mulheres sentiram a necessidade de personificar a compaixão divina numa nova forma, do que resultou que a figura da Virgem, mediadora junto ao mediador, assumiu maior preeminência [do que deveria]. E quando no decorrer do tempo, se sentiu que a Rainha dos Céus se tornava demasiado aterradora, a compaixão foi repersonificada na figura modesta de São José, que se tornou mediador junto à mediadora diante do mediador." (pág. 67)

      Excluir
    18. E assim foram mexendo também nos evangelhos desde Marcião, o primeiro a denunciar.
      Sempre gostei de Marcião de Sinope, desde que soube que ele era contra o casamento, que ele achava que era causa de mais males do que benefícios.
      Marcião também foi o primeiro a denunciar que os escritos de Paulo sofreram acréscimos judaizantes.
      Marcião rejeitava o Antigo Testamento como se o mesmo houvesse sido produzido pelo “demiurgo”, um falso Deus que pôs o seu povo sob o império da lei. Esse demiurgo, em hipótese nenhuma seria o Deus mais alto, era somente o "Deus do Antigo Testamento".
      Já naquela época Marcião considerava Paulo como sendo o único verdadeiro apóstolo de Cristo; e sobre Paulo repousava toda a autoridade da escritura. Somente Paulo pregava o verdadeiro evangelho, fazendo contraste com a versão judaizante dos outros pseudo-apóstolos.
      Marcião pregava que a salvação vinha exatamente da renúncia ao demiurgo e seu tipo de mensagem repleta de ira na lei mosaica.
      Segundo Marcião Jesus nada teria a ver com o Messias anunciado no AT; sua morte era uma ilusão, ainda que tivesse um sentido real. E Deus teria chamado Paulo para pregar esta “verdade”.
      Marcião formou seu próprio cânon do NT que consistia de 11 livros, uma versão ligeiramente diferente do livro de Lucas e dez epístolas de Paulo. Ele colocava por ordem de escritos Gálatas, chamava Efésios de epístola aos Laodicences; rejeitava as epístolas pastorais, a epístola aos hebreus, Mateus, Marcos, João e Atos, as epístolas universais e o Apocalipse. Ele retirou do evangelho de Lucas o nascimento e o ministério de João Batista. Teria cortado os capítulos 15 e 16 de Romanos, e os incorporado ao livro de Éfeso.
      Em 1881, Charles B. Waite sugeriu que o Evangelho de Marcião poderia ter precedido o de Lucas. John Knox, em “Marcion and the New Testament”, também defende esta hipótese.
      No livro de 2006, "Marcion and Luke-Acts: a defining struggle", Joseph B. Tyson defende que não apenas Lucas, mas também os Atos dos Apóstolos seriam uma resposta à Marcião ao invés de o Evangelho de Marcião ser uma montagem sobre o de Lucas. Portanto o Lucas original seria o de Marcião.

      Excluir
    19. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    20. O fato é que o posicionamento de Marcião fez a igreja acelerar a compilação do cânon dos livros do Novo Testamento, e, por causa da reação à Marcião, surgiu o cânon do NT que conhecemos.
      Um dos libelos mais completos contra Marcião foi escrito por Tertuliano em 208 d.C., o “Contra Martionem”. Lendo, ainda que trechos esparsos da obra de cinco volumes, podemos perceber que tanto Tertuliano como a incipiente Igreja Cristã, não penetraram no verdadeiro espírito do pensamento crítico de Marcião. Ou não quiseram fazê-lo publicamente para não dar fôlego ao opositor.
      Tertuliano faz glosa com os dois deuses de Marcião: “O fundo da disputa, toda a disputa afinal, resume-se numa questão de número? É permitido introduzir duas divindades? Dois seres soberanos grandes! A sabedoria já alguma vez imaginou tal situação? Se admite dois seres soberanos, porque não vários? Se há dois devo fazer uma oração a cada um?”
      Mas é amplamente sabido que Marcião não considerava o “deus” do Antigo Testamento como o Deus verdadeiro, senão como um demiurgo, ou falso deus. Como Marcião não tinha acesso às descobertas arqueológicas modernas e nem a história e literatura comparadas, como temos hoje em dia, ficou o dito pelo não dito e o caso deu em nada.
      Marcião estava no centro dos acontecimentos, apenas uma geração após a morte de Jesus.
      Ele foi a Roma ao redor do ano 140 para defender seus pontos de vista perante os bispos da Igreja.
      A igreja que se formava já vislumbrava o grande poder que teria se continuasse atrelada ao Antigo Testamento, e as ideias de Marcião não colaboravam com esse ideal de poder. Muito pelo contrário denunciava-o.
      Marcião não valorizava a história e colocava o cristianismo em conflito com as revelações do Deus de Israel. O zelo por um cristianismo puro levou-o a ser taxado de herético perante a igreja que se formava.
      O historiador Philip Schaff afirma que Marcião era o cara mais honesto, prático e perigoso entre os gnósticos; cheio de energia e zelo pela reforma, incansável e excêntrico.
      Marcião converteu-se e doou suas propriedades para a igreja, mas foi excomungado por seu próprio pai, o bispo de Sinope, talvez por pregar heresias e pelo desprezo à autoridade.
      Durante sua vida Marcião gozou de enorme prestígio, mas, infelizmente, depois de sua morte a pressão esmagadora da Igreja sepultou também sua teologia.
      Hoje em dia Marcião teria farto material contra o Antigo Testamento e o falso deus de Israel, mesmo porque parece que quase todo o texto do AT é falso ou plagiado.

      Excluir
    21. Platipus,
      a Bíblia não esconde nada dos erros e pecados dos homens perversos; e consequente juízo de Deus; se fosse um livro só de historinhas bonitinhas de final feliz seria um livro altamente tendencioso e duvidoso obviamente.

      Os atos e juízos de Deus no passado foram exemplos a serem evitados, Ele não dá sua glória a ninguém e não se deixa escarnecer. Seu próprio povo - os judeus - ainda sofrem devido a desobediência do passado. O homem peca e apronta e não quer colher as consequências?? mas toda escolha tem um preço, não importa o povo, como mostram os eventos do AT onde muitas vezes Deus determinava o juízo.

      Ou deveríamos lamentar e chorar a morte de pessoas cruéis, obstinadas e irreversíveis do passado como eram comparadas tipo: Hitler, Nero, Stalin, Bin Laden?
      Edwards disse:”Parece-te incrivel que Deus seja tão absolutamente negligente com o bem-estar do pecador, a ponto de mandá-lo para um abismo ou sofrimento infinito? Isso te choca? E não é chocante para ti que sejas tão absolutamente negligente como tem sido para com a honra e a glória do Deus infinito?”

      Por isso continua o Livro mais lido, vendido, praticado, amado e odiado do mundo; só isto já é evidência de sua veracidade; se fosse um livro qualquer do passado já teriam esquecido a tempo.

      É muito corrente a linguagem figurada em toda a Bíblia, e pelo contexto sabemos se é literal ou alegórica.
      A 'mão' de Deus, os 'olhos' de Deus, o 'coração' de Deus, a 'mente' de Deus...etc, sendo muito comum no AT.
      Ou seria literal a seguinte passagem:
      "E, se a tua mão (e olho) direita te escandalizar, corta-a e atira-a para longe de ti, porque te é melhor que um dos teus membros se perca do que seja todo o teu corpo lançado no inferno." Mt 5:29,30.

      Não esqueça que a base de Deus é dupla: amor, bondade, perdão mas também é: juízo, justiça, verdade.
      Já citei inúmeras passagens e fatos com plena vinculação e correlação entre os 2 Testamentos.

      Jesus e os apóstolos defenderam a autoridade do AT, mas vemos muito mais juízo severo no NT do que no AT.
      Assim, não há nenhuma incompatibilidade entre o Deus do AT e do NT.

      Quanto as igrejas, denominações, comunidades, não esqueça que Deus pode usar qualquer meio ou pessoas para transmitir a salvação, libertação, curas, milagres, ainda que seus líderes sejam corruptos/pecadores. Quem separará o joio do trigo são os anjos e não nós, quando Ele voltar.

      Excluir
    22. Transcrevo aqui mais um pequenino trecho de Assim dizia o Mestre de Huberto Rohden, por puro “Fair Use”:

      “As sociedades eclesiásticas de todos os tipos pecam invariavelmente pelo egoísmo de querer arvorar os seus dogmas em normas eternas e imutáveis. Pelo fato de terem certas doutrinas provado a sua eficiência, durante séculos, concluem os teólogos que essas doutrinas são imutáveis, a voz de Deus. Não compreendem que toda a doutrina é um auxílio no caminho da evolução, mas, quando mantida para além do tempo necessário, se torna empecilho da própria evolução. Querem perpetuar o casulo e impedem o nascimento da borboleta? Enxergam apenas o bem que certa doutrina prestou em seu tempo, e não percebem que essa mesma doutrina, já ultrapassada pela experiência de muitos, causaria morte por asfixia aos que completaram esse estágio evolutivo e têm de iniciar a próxima etapa.
      É essa a maldição de muitos mestres religiosos, através dos tempos; não serem verdadeiros iluminados por Deus, senão apenas ordenados pelos homens. Decoram as teses e hipóteses da sua teologia escolástica, e servem essa palha seca a seus rebanhos, mantendo-os acintosamente na ignorância da verdade divina; porque no dia e na hora em que o homem chegar a conhecer a verdade, libertar-se-á de todas as pseudoverdades.
      O grosso da humanidade, não há dúvida, necessita ainda – e sabe Deus até quando! – de jardim de infância e escola primária, de muletas e escoras de todo gênero, para se locomover vagarosamente no caminho do progresso espiritual.
      O mal não está nisso; está em que essas sociedades, geralmente, não admitam nenhuma possibilidade de evolução para além das fronteiras das suas doutrinas padronizadas; excomungam, perseguem, difamam, taxam de apóstatas, renegados, ateus, todos os que têm a necessidade e a coragem de ultrapassar as conhecidas doutrinas do passado e aventurar-se pelas ínvias florestas do futuro. Entretanto, são precisamente esses bandeirantes das ignotas florestas do infinito os verdadeiros veículos e pioneiros do progresso espiritual. O maior deles foi, sem dúvida, aquele modesto carpinteiro de Nazaré, que foi crucificado, morto e sepultado pelos teólogos da sinagoga de Israel.”

      Excluir
  21. "O homem que regressou do Nirvana da beatitude verifica que se encontra num teatro de fantoches, que tomam a sério as suas comédias. Ele, porém, resolveu nunca mais subir ao palco dos fantoches... Contempla-os lá da plateia, com profunda pena e comiseração. O profano é fantoche, mas leva muito a sério as suas fantochadas, ao passo que o homem espiritual, obrigado a tomar parte nessa comédia exigida pela nossa civilização, faz como se isto fosse coisa séria, mas, nas profundezas da sua consciência sabe que nada disso tem importância. A mística solidão com Deus lhe conferiu invulnerabilidade ética no meio dos homens." Huberto Rohden

    ResponderExcluir
  22. ... tudo isto é linguagem mitológica, e em se tratando de linguagem mitológica, ela é inverossímil para o ser humano hoje. RUDOLF BULTMANN

    http://en.wikipedia.org/wiki/Rudolf_Bultmann

    As pessoas não querem mais saber o que a igreja A, B ou C pensa de Cristo, mas sim o que Cristo pensava e dizia de si mesmo e demonstrou com suas obras. O que nos interessa não são igrejas e teologias — mas somente o Cristo e seu Evangelho, vividos com toda a pureza e genuinidade em suas próprias fontes. HUBERTO RHODEN

    O principal mal de uma seita é que se considera a si mesma como necessária para a verdade, e a verdade se encontra somente quando se sabe que não é propriedade de seita alguma, senão livre e universal como a divindade de Deus e comum a todas as denominações e povos como o ar e a luz deste mundo. WILLIAN LAW

    Não há uma salvação para o judeu e outra para o cristão e outra terceira para o pagão. Não, Deus é uno, una a humana natureza e uno o caminho para a salvação, que é o desejo de orientar até Deus a alma. WILLIAN LAW

    Escrevo aquilo que me parece ser verdade, se escrevesse o contrário, agiria contra a consciência e – como ensina o Papa Inocêncio III, citado no Catecismo Universal (n.1790) – “agir contra a consciência conduz à danação". POFESSOR ANTONIO FEDELI

    Bem-aventurado aquele que lê... APOCALIPSE 1:3

    A vós que odiais o bem, e amais o mal, que arrancais a pele de cima deles, e a carne de cima dos seus ossos e que comeis a carne do meu povo, e lhes arrancais a pele, e lhes esmiuçais os ossos, e os repartis como para a panela e como carne dentro do caldeirão.
    Assim diz o Senhor acerca dos profetas que fazem errar o povo, que mordem com os dentes, e clamam Paz; mas contra aquele que nada lhes dá na boca preparam guerra.
    Os seus chefes dão as sentenças por suborno, os seus sacerdotes ensinam por interesse e os seus profetas adivinham por dinheiro; e ainda se encostam ao Senhor, dizendo: Não está o Senhor no meio de nós? Nenhum mal nos sobrevirá. MIQUEIAS 3:3-5,11

    Não existe vento favorável para o navegante que não sabe aonde ir. SÊNECA

    Escolho, logo existo. AMIT GOSWAMI

    ResponderExcluir
  23. "A história sangrenta desse último século faz a pessoa mediana desconfiada de novas idéias e desiludida com a tradição do passado em que a nossa civilização está baseada; com o cérebro toldado pelos teólogos pregando doutrinas surradas e os cientistas ameaçando a vida humana com artefatos cada vez mais letais, ela sente que seu mundo estaria melhor sem eles.
    O homem comum raciocina com uma lógica sólida, não deformada pelas questões que perturbam a teologia e a ciência; quando olha o céu esplendoroso, sente a maravilha do universo e sabe que Deus não criou essas estrelas brilhantes apenas para os homens as olharem. Como seus antepassados na antiguidade, ele sente que toda a criação palpita de vida e sente que, seja o que for que os astrônomos possam dizer, naquelas profundezas estreladas do espaço vivem seres sábios e apaixonados, fracos e pecadores, humanos como ele mesmo." Raymond Drake

    ResponderExcluir
  24. Cicero, lhe parabenizo pelas respostas precisas às argumentações que lhe foram direcionadas por AQUELES QUE NÃO CRÊEM! Abraço! No fim de tudo não precisaremos de mais provas pois o próprio fim será a prova definitiva!!!

    ResponderExcluir
  25. Grato Vanildo,

    Na verdade, a plataforma para o anticristo reinar e dominar a Terra já está a muito tempo, sendo montada diante de nossos olhos, e ainda assim é espantoso ver tantos crentes cristãos cegos, indiferentes, omissos e pior!... até envolvidos com os sistemas políticos, econômicos e religiosos deste mundo corrompido e entregue ao inimigo.

    Na UE (União Européia) de onde surgirá o futuro dominador mundial, o inimigo está usando todos os meios e sistemas em todas as áreas para cercar e impor mundialmente suas leis/regras/normas/controles de forma oculta e dissimulada e não divulgada abertamente, mas contudo, perceptível para os amantes e estudiosos da Palavra, pois trata-se dos sinais, que antecedem a Vinda Invisível do Salvador para raptar os salvos! (Arrebatamento).

    Este vídeo é uma amostra reveladora do que está ocorrendo lá:

    http://www.youtube.com/watch?v=1WFC-QX0CVs

    Toda a série é muitíssimo interessante!

    Na paz...

    ResponderExcluir
  26. Waw!

    E eis que eu venho a esse site graças a um compartilhamento de um de seus artigos no Facebook e, dando uma olhada nos posts ao lado para ver se tinha algo mais de interessante, vejo a minha antiga wiki de apologética cristã Teonis Wiki sendo citada como parte de um artigo! \o/ A primeira vez que vejo aquele projeto render algum fruto para além do seu próprio autor! :P

    É uma pena que eu tenha tido que praticamente abandoná-la por falta de tempo e necessidade de correr atrás de outros projetos :T Diga-se de passagem, se alguém deseja editá-la, sinta-se à vontade! :) Espero que o conteúdo nela apresente-se de alguma ajuda para os estudos apologéticos brasileiros :)

    Abraços!

    Momergil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, Momergil. Parabéns pelo seu trabalho.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
  27. Olá, Respostas ao Ateísmo,

    em Atos 5:1-10 um casal de cristãos vêm a falecer após venderem uma propriedade e não repartirem os lucros com a comunidade cristã. Isso não vai contra a justiça de Deus? Pois o casal comete esse pecado e, a história dá entender que, somente por isso eles morrem. Deus como um ser misericordioso não os perdoaria? E, caso eles não se arrependessem, não permitiria que eles continuassem vivos?

    Se puder me responder fico agradecido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Felipe,

      isso não vai nem um pouco contra a justiça de Deus (apesar de nos padrões dos dias de hoje parecer algo absurdo). A Bíblia diz que o salário do pecado é a morte (Rm 6.23), e como aqui não é especificado o tipo de pecado, podemos concluir que qualquer pecado, qualquer violação à santidade de Deus leva à morte. Esta é a inclusive a explicação teológica para o porque morremos. A Bíblia diz que o homem foi criado com a possibilidade de viver eternamente, mas que graças ao pecado este direito lhe foi negado. O fato de continuarmos vivos a cada dia, sem morrer, é uma expressão da misericórdia de Deus, já que não conseguimos parar de pecar e portanto pela justiça de Deus merecemos a morte.

      Quando a pessoa se torna um cristão, Deus realiza na pessoa um ato em nível judicial: todos os pecados da pessoa são perdoados através do pagamento da dívida que foi feito por Jesus. Bem, mas o que acontece depois ? A pessoa pode continuar pecando à vontade, sem arrependimento? Não. A primeira frase que Jesus usou em suas pregações públicas é "arrependam-se" (Mt 4.17). O arrependimento continuo deve acompanhar a vida cristã, senão a pessoa não está levando a sério o ato de amor de Jesus pela vida dela e pode então não ser "um cristão de verdade", mas apenas um cristão nominal, mas que não tem salvação.

      Bom, agora no caso específico do texto que voce citou, o que ocorreu é que aquele casal tinha um pecado do qual não se arrependia. Quando a pessoa não se arrepende de seu pecado, Deus não pode perdoá-la. E a pessoa que não tem o perdão de Deus está sujeita à misericórdia dEle apenas. Isso quer dizer que ele não tem nenhuma "obrigação" de mantê-la no mundo dos vivos, a não ser que seja necessário para cumprir algum propósito seu. Assim, Deus não cometeu nenhum "excesso de maldade", porque (1) todos morremos mesmo, a hora certa só Deus sabe (2) eles não eram "cristãos de verdade". E a morte daquele casal serviu a um propósito muito específico na ocasião. Os primeiros capítulos de Atos contam os primeiros passos da História da Igreja, época que ficou marcada por vários acontecimentos milagrosos que eram uma confirmação de que aquele movimento todo era da parte de Deus. A morte do casal por algo aparentemente tão pequeno comoveu toda a comunidade de cristãos e os levou a perceber o quanto o pecado é uma coisa tão séria. Certamente eles nunca mais foram os mesmos depois do ocorrido, e tiveram a disposição de buscar santidade renovada, fazendo com que os primeiros passos da Igreja se dessem com a menor corrupção possível.

      Espero que eu tenha conseguido explicar bem, escrevi meio rápido e podia ter dado outros detalhes, mas aí o texto facilmente passaria do limite de caracteres para o comentário.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    2. Foi um pecado aberto, deliberado e consciente de MENTIRA. Combinaram uma coisa com os apóstolos, e fizeram outra. Desprezaram a Deus... por isso o juízo imediato, para provar diante dos crentes e incrédulos da época, que de fato Deus estava no meio dos apóstolos!

      Excluir
  28. David Sousa,

    Obrigado pela resposta. Bem, gostaria de dizer que com essa mensagem não estou defendendo um ponto de vista, apenas fazendo questionamentos que tenho a fim de saber se eles demonstram incoerência suas respostas, em vez de simplesmente aceitá-las sem reflexão.

    Sobre a questão do preço do pecado ser a morte, Deus sendo perfeito não usaria algum critério para decidir quando vai tirar a vida de alguém? Se há casos em que a pessoa comete várias pecados, os quais causam mais sofrimento para outros seres sencientes, e mesmo assim Deus permite que essas pessoas continuem vivas, por que um pecado que não causou tanto sofrimento, no caso do casal citado em Atos, foi passível de punição imediata pela morte de Deus?

    O apologista William Craig já argumentou (principalmente quando abordo o problema probabilístico do mal) que nós não estamos em posição de julgar o sofrimento, ou as atitudes da parte de Deus, necessário para que Deus chegue ao seu propósito: levar a maior quantidade possível de pessoas decidirem livremente servir a Deus. Porém, se a alegação de Craig é verdade, é evidente que também não estamos em condição de dizer que Deus não poderia chegar ao seu objetivo através de outros meios menos desconfortáveis.

    Por exemplo, não podemos dizer que se Deus permitisse aquele casal viver isso prejudicaria o desenvolvimento do Cristianismo. Você poderia argumentar que: "Como Deus é onisciente, justo e amoroso, logo, Ele tomará as melhores atitudes para alcançar seu propósito". Mas tal afirmação é exatamente o que se quer provar, isso não seria petição de princípio?

    Ah, eu vi alguns argumentos contrários ao Cristianismo de um neo-ateu, por exemplo, este vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=eOd4NFLasGk, nunca vi ninguém que tivesse um bom conhecimento em apologética respondendo-o, você poderia contra-argumentar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Sobre a questão do preço do pecado ser a morte, Deus sendo perfeito não usaria algum critério para decidir quando vai tirar a vida de alguém?"

      Que ele usa isso é óbvio. Deus não é aleatório. Mas seja lá qual for o critério usado, nós não podemos saber de forma a testar a reprodutibilidade, como fazemos na ciência. Tudo aquilo que não conseguimos testar a reprodutibilidade parece aleatório para nós. Eu estou estudando teoria do caos recentemente, e é bastante interessante como algumas equações mesmo tendo uma matemática bem definida, resultam em valores aparentemente aleatórios. Isso é chamado de 'caos determinístico'. Muitos fenômenos complexos na natureza são resultados disso, a própria ação humana é um exemplo disso (nós não temos padrões de comportamento exatos 100% do tempo). Sendo a mente de Deus em um nível acima da nossa capacidade, não conseguiríamos entender os critérios que Deus usa para fazer suas ações no mundo.

      "(...) por que um pecado que não causou tanto sofrimento, no caso do casal citado em Atos, foi passível de punição imediata pela morte de Deus?"

      Como eu disse, não temos como chegar à razão exata, mas encontramos indícios. Uma possibilidade é a lição que aquelas mortes iriam trazer para os outros membros da Igreja, e que de fato resultou em um maior comprometimento dos outros cristãos.

      De certa forma, você mesmo já tinha respondido a pergunta ao falar sobre o Wiliam Craig.

      "Por exemplo, não podemos dizer que se Deus permitisse aquele casal viver isso prejudicaria o desenvolvimento do Cristianismo."

      Não podemos dizer isso, realmente. Mas isso é só uma consequência de que NÃO PODEMOS PREVER AS AÇÕES DE DEUS. E isso não se trata de uma petição de princípio porque não estamos de fato tentando PROVAR que uma ou outra atitude de Deus é a melhor. Nós simplesmente admitimos isso baseando-se no conceito que Deus é perfeito. Essa é talvez a razão pela qual não pode haver uma resposta lógica definitiva ao problema do mal, só podemos nos basear no fato de que não há como provar que um mal moral existente no mundo é totalmente sem sentido ou propósito. (Leia esse artigo: http://www.respostasaoateismo.com/2011/06/o-problema-do-mal-parte-3.html )

      Excluir
    2. Sobre o vídeo, me parece apenas um amontoado de apelo emocional e generalização.

      Primeiro, mostrar um ateu bonzinho e um cristão malvado não quer dizer todos os ateus são bonzinhos, muito menos que todos os cristãos são malvados.

      Segundo, no cristianismo não se trata de quem faz mais atos bons ou menos atos ruins, não são exclusivamente os atos de alguém que o tornam aptos para a salvação. A salvação é um dom dado gratuitamente por Deus, por meio da fé e do arrependimento. Não importa se um ateu fizer caridade a vida toda e não se arrepender da sua rebelião contra Deus.

      Terceiro, até onde eu sei Chaplin não era ateu, era agnóstico; e Hitler não era exatamente cristão, ele tinha crenças sincretistas com paganismo germânico e existem citações suas de que ele usava a religião apenas como forma de manipular o povo. Existe farto material na internet sobre isso, basta pesquisar por "Hitler não era cristão".

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
  29. Eu concordo que não podemos testar esse critério (caso ele exista), mas não há somente um motivo para não compreendermos um critério, há no mínimo dois:
    (1) O critério é complexo (como, por eemplo, o caos determinístico que você citou); ou
    (2) Não existe critério, e é exatamente por isso que não o encontramos. Como você sabe racionalmente que no caso do Deus bíblico estamos diante do caso (1)?

    ResponderExcluir
  30. Gostaria também de te fazer um pergunta sobre esse assunto: http://reflexoessobredeus.blogspot.com.br/2013/01/resposta-uma-carta-interessante.html, e se alguém não tem paciência para refletir sobre o assunto e a intuição dela lhe disser que o Cristianismo não é verdadeiro? Ou se ela acreditar, mas não conseguir seguir os princípios bíblicos? É justo ela ser condenada por isso? Por último, algo bem pessoal, se alguém quer refletir sobre o Cristianismo, por onde deve começar? Eu estou lendo a Bíblia e alguns artigos de William Craig. Mas encontro dificuldades, por exemplo, de achar que William Craig é imoral por defender determinadas opiniões políticas ou éticas (no caso do Dr. Craig especificamente, o fato de, até onde eu saiba, ele não ser vegetariano, o que me parece incoerente, se a Bíblia prega que o cristão deve ser amoroso, isso deveria incluir os animais (por que não?) e sobre a questão da homossexualidade, defendida no artigo "Uma perspectiva cristão sobre a homossexualidade"). Além do mais, após eu ler a Bíblia, analisar alguns argumentos de alguns apologistas (o único apologista que li até agora foi William Craig), se eu continuar sem fé, com dúvidas sobre o Cristianismo, quando parar? Quando concluir que não há evidências suficientes a favor do Cristianismo? E quando começar a ler os contra-argumentos aos apologistas, como saber que estou preparado? Abraços. Por último, algo bem pessoal, se alguém quer refletir sobre o Cristianismo, por onde deve começar? Eu estou lendo a Bíblia e alguns artigos de William Craig. Mas encontro dificuldades, por exemplo, de achar que William Craig é imoral por defender determinadas opiniões políticas ou éticas (no caso do Dr. Craig especificamente, o fato de, até onde eu saiba, ele não ser vegetariano, o que me parece incoerente, se a Bíblia prega que o cristão deve ser amoroso, isso deveria incluir os animais (por que não?) e sobre a questão da homossexualidade, defendida no artigo "Uma perspectiva cristão sobre a homossexualidade"). Além do mais, após eu ler a Bíblia, analisar alguns argumentos de alguns apologistas (o único apologista que li até agora foi William Craig), se eu continuar sem fé, com dúvidas sobre o Cristianismo, quando parar? Quando concluir que não há evidências suficientes a favor do Cristianismo? E quando começar a ler os contra-argumentos aos apologistas, como saber que estou preparado?

    ResponderExcluir
  31. David,

    O meu comentário anterior ficou repetido, é porque o texto ficou grande demais, eu tive que separá-lo em partes para publicar e acabei colando o mesmo texto duas vezes.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  32. Excelente tema e comentários David.
    Um tema predileto para os ateus é onde o salmista diz: " nunca vi o justo mendigar o pão " como se isso fosse uma regra, e não uma exceção, isso só demonstra o quão equivocado está o que defende a alegação.

    Um outro problema que foi citado aqui é a da moralidade, dando a ilusão de que o ateísmo oferece a melhor resposta, sendo que no mundo ateísta não há objetividade, sendo assim, o ateu não pode nem alegar que está do lado da verdade enquanto o seu oponente não. Se nada no universo, e nas questões da vida, faz nenhum sentido para o ateu, então pq devo aceitar que justa e unicamente o ateísmo faz sentido onde tudo, e não somente algumas coisas não fazem sentido?
    Se nada faz sentido, então o ateu não pode defender nem a sua cosmovisão e muito menos dar sentido a qualquer coisa, incluindo o que vem a ser a própria verdade, dando um tiro nos próprios pés.

    Sobre o problema do mal, alem do problema citado anteriormente, a evolução não oferece nenhuma resposta para a resolução do mesmo, já que a evolução está focada na eliminação dos mais fracos e sobrevivência do mais apto, mas isso por si já implica desígnio, algo que não deve fazer parte do dicionário ateísta. A evolução não resolve o problema da existência moral do mal, ela não está "interessada" nisto, e mesmo que estivesse, ainda sim não faria sentido algum no mundo ateísta. Vale lembrar que a existência do mal em termos morais, prova que existe um padrão objetivo cuja evolução não pode se respaldar, o que implica que tudo aponta para uma moralidade fora do campo naturalista randômico.

    Até mais querido.

    ResponderExcluir
  33. Ateu papagaiando as suas conjecturações vazias é que ñ falta, agora vão lá encontrar alguma verdade em algo ou em alguém em quem eles próprios ñ acreditam!? Interpretar literatura bíblica com cegueira de conhecimento, é só escutarem a opinião de uma ateu fanático... Pura perda de tempo! Ò_ó

    ResponderExcluir
  34. "padrão moral cristão aos poucos mudou esta realidade no Império Romano, fazendo com que muitos anos depois a escravidão fosse abolida naquela cultura. "

    A escravidão NUNCA foi abolida no Império Romano, mesmo depois de um século de cristianismo.

    A escravidão só foi efectivamente abolida no Séc. XIX, por via do estado LAICO.

    O cristianismo NUNCA se preocupou em abolir a escravidão.

    Ainda nos EUA era praticada no seu estado mais duro, tipo antiguidade, até á década de 60 do Séc. XIX.

    Se na Europa a sua importância foi reduzindo, foi por razões económicas.

    Algumas positivas, outras negativas. Isto é, se os escravos melhoraram um pouco, a esmagadora maioria da população caiu numa situação de semi-escravatura, desde os finais do Império Romano CRISTÂO, até ao fim da sociedade de antigo regime, no Séc. XIX.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpa meu caro, mas você está redondamente enganado. Tirando casos de escravidão que poderiam estar presentes em aldeias aqui e ali na qual a Cristandade não chegou a surtir efeito, o sistema econômico da Europa foi substituído pelo sistema feudal onde não haviam escravos, mas pessoas que trabalhavam para o senhor feudal nas suas terras em troca de ficarem com parte do trabalho produzido enquanto parte do trabalho ficava com o senhor do feudo enquanto os próprios trabalhadores não eram de forma alguma "propriedade privada" do senhor feudal.

      A escravidão só veio a voltar bem mais tarde com a escravidão dos negros em torno da questão das colônias na América.

      Abraços e tenha um bom dia!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...