sexta-feira, 3 de abril de 2015

Lista de Cientistas da Atualidade que Professam o Cristianismo




Olá, leitores. Sinto muito por estar inativo há um bom tempo, mas estou sendo absorvido pelas minhas atividades pessoais (que aliás são científicas!) e isso fez eu não ter quase nenhuma oportunidade de postar aqui. Mas as oportunidades surgem - e o que temos pra hoje?

Bom, muitos ateus ainda hoje vêm com aquele velho argumento de que a fé e a razão são incompatíveis, que não há lugar para o cristianismo na ciência... aquelas velhas falácias de sempre que qualquer um que já tenha lido algum artigo neste blog sobre isso vai saber refutar. A última que eu ouvi é que "mostrar que houve cientistas cristãos na história é fácil, afinal eles não sabiam sobre a evolução ou sobre a relatividade... quero ver citar algum cientista cristão vivo ou ativo".  Bem, primeiro vou deixar claro que nem a teoria da evolução nem a relatividade possuem conflitos com a fé cristã ou mesmo com a existência de Deus. Segundo, se a própria base da ciência foi estabelecida graças a princípios cristãos, porque não haveriam cientistas cristãos vivos e ativos hoje em dia? A lista é extensa.

Sem mais delongas, compilo a lista que peguei do Wikipedia em inglês. Antes que alguém reclame, todas as informações estão muito bem referenciadas.

Lista de Cientistas Cristãos da Atualidade


Parte 1: ativos entre 2000 e 2014 mas falecidos atualmente.


Sir Robert Boyd (1922-2004)
Um britântico pioneiro na ciência espacial que foi vice-presidente da Royal Astronomical Society . Ele lecionou sobre fé, sendo um dos fundadores do Research Scientists' Christian Fellowship e um importante membro do seu predecessor Christians in Science . [1]

Padre jesuíta espanhol/catalão e um dos matemáticos mais importantes de seu país. Foi membro da Academia Real de Ciências e um professor de Matemática na Universidad Complutense de Madrid e foi Reitor da Universidad de Deusto de 1974 a 1977.

Richard Smalley (1943-2005)
Um laureado com o Nobel de Química conhecido pelos buckyballs (ou fulerenos). Em seus últimos anos, ele renovou o interesse no cristianismo e apoiou o criacionismo científico.

Mariano Artigas (1938-2006)
Doutor em Física e Filosofia, pertenceu à Associação Europeia para o Estudo da Ciência e Teologia e também recebeu uma bolsa da Fundação Templeton por seu trabalho na área da ciência e da religião. [2]

J. Laurence Kulp (1921-2006)
Membro da denominação cristã Irmãos de Plymouth, liderou importantes estudos sobre os efeitos da radiação nuclear e chuva ácida. Ele era um defensor proeminente nos círculos da American Scientific Affiliation em favor de uma Terra antiga e contra a geologia do dilúvio. [3,4,5,6]

Arthur Peacocke (1924-2006)
Sacerdote anglicano e bioquímico , suas ideias podem ter influenciado as visões anglicana e luterana acerca da evolução. Vencedor do Prêmio Templeton em 2001. [7]

John Billings (1918-2007)
Médico australiano que desenvolveu o método de ovulação Billings de planejamento familiar natural. Em 1969, Billings foi feito um Cavaleiro Comandante da Ordem de São Gregório Magno (KCSG) pelo Papa Paulo VI. [8]

Russell L. Mixter (1906-2007)
Famoso por conduzir a American Scientific Affiliation (ASA) para longe do anti-evolucionismo, e por sua defesa do criacionismo progressivo . [6,9]

O físico nuclear alemão que é o co-descobridor da fórmula de Bethe-Weizsäcker. Escreveu A Relevância da Ciência: Criação e Cosmogonia sobre o cristianismo e os impactos morais da ciência. Liderou a Max Planck Society de 1970 a 1980. Depois disso ele se aposentou para ser um pacifista cristão. [10]

John Archibald Wheeler (1911-2008)
O físico teórico americano que foi um grande responsável por reavivar o interesse na relatividade geral nos Estados Unidos após a Segunda Guerra Mundial. Um dos colaboradores mais recentes do Albert Einstein, ele tentou alcançar a visão de Einstein de uma Teoria do Campo Unificado. Ele também é conhecido por popularizar o termo 'buraco negro' , e por cunhar o termo 'buraco de minhoca' . Ele foi um Unitário (seita cristã) por toda a vida. [11,12]

Stanley Jaki (1924-2009)
Padre Beneditino e Distinguished Professor of Physics da Seton Hall University, New Jersey. Ganhou o Prêmio Templeton e defendeu a idéia de que a ciência moderna só poderia ter surgido em uma sociedade cristã. [13]

Nicola Cabibbo (1935-2010)
Físico italiano, mais conhecido por seu trabalho sobre a interação nuclear fraca. Ele também foi o presidente do Instituto Nacional de Física Nuclear italiano de 1983 a 1992, e desde 1993 até sua morte foi o presidente da Pontifícia Academia das Ciências do Vaticano.

Allan Sandage (1926-2010)
Um astrônomo que não refletiu realmente sobre o cristianismo até depois dos quarenta anos de idade. Ele escreveu o artigo A Scientist Reflects on Religious Belief e fez descobertas relacionadas à Cigar Galaxy M82. [14,15,16,17]

Ernan McMullin (1924-2011)
Ordenado em 1949 como um sacerdote católico, McMullin foi um filósofo da ciência que lecionava na Universidade de Notre Dame . McMullin escreveu sobre a relação entre cosmologia e teologia, o papel dos valores na compreensão da ciência, bem como o impacto da ciência no pensamento religioso ocidental, em livros como Newton on Matter and Activity (1978) e The Inference That Makes Science (1992). Ele também era um especialista sobre a vida de Galileu [18]. McMullin também se opôs design inteligente e defendeu a evolução teísta [19].

Joseph Murray (1919-2012)
Um cirurgião católico que foi pioneiro na cirurgia de transplante. Ele ganhou o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina em 1990. [20]

Ian Barbour (1923-2013)
O físico que escreveu o Christianity and the Scientists em 1960, e When Science Meets Religion em 2000. [21]

Charles H. Townes (1915-2015)
Em 1964, ganhou o Prêmio Nobel de Física pelas contribuições ao trabalho em eletrônica quântica que levaram ao desenvolvimento do MASER e do LASER.Em 1966, ele escreveu The Convergence of Science and Religion. [22,23]

Parte 2: Cientistas vivos / ativos atualmente


2.1 Ciências Biomédicas


Neurocirurgião norte-americano formado em Harvard, mais conhecido pelo seu livro, Proof of Heaven, no qual ele descreve sua experiência de quase-morte em 2008 [24]. Em uma entrevista recente, o Dr. Alexander disse: "É a hora para a ciência do cérebro, a ciência da mente, a física e a cosmologia saírem do jardim de infância para o primeiro ano e perceberem que nunca vamos realmente entender a consciência com essa mentalidade materialista simplista. " [25]

Werner Arber (1929)
Microbiologista suíço e geneticista. Junto com pesquisadores americanos Hamilton Smith e Daniel Nathans, compartilhou o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1978 pela descoberta de enzimas de restrição. Em 2011, o Papa Bento XVI nomeou Arber como Presidente da Pontifícia Academia, o primeiro protestante para manter essa posição. [26]

O paleontólogo que foi uma figura crucial na revolução sobre o estudo dos dinossauros em 1960 e conhecido pela teoria de que alguns dinossauros eram de sangue quente . Ele também é um pregador pentecostal que defende a evolução teísta e tem escrito sobre a religião. [27,28]

Ex-presidente tanto da Linnean Society of London e do grupo Christians in Science. Ele também escreveu God and the Biologist: Personal Exploration of Science and Faith (1996). Lecionou na University College London por mais de 20 anos [29,30]

Derek Burke (1930)
Acadêmico e biólogo molecular britânico. Anteriormente foi vice-reitor da Universidade de East Anglia, Burke tem sido um consultor especialista para a  House of Commons Select Committee on Science and Technology desde 1985.


Ben Carson (1951)
Neurocirurgião americano, possível candidato à presidência dos EUA em 2016 pelo Partido Republicano. Ele é creditado como sendo o primeiro cirurgião a separar com sucesso gêmeos siameses unidos pela cabeça. Carson afirmou: "Eu não acredito em evolução .... Eu simplesmente não tenho fé suficiente para acreditar que algo tão complexo quanto nossa capacidade de racionalizar, pensar e planejar, e tem um senso moral do que é certo e errado, só apareceu. "[31]

Professor de Neuroimunologia na Universidade de Cambridge e um neurologista consultor honorário dos Hospitais Addenbrooke e Hinchingbrooke. Está envolvido na investigação de novos tratamentos para a esclerose múltipla. Seu interesse de pesquisa amador, na base neurológica para a experiência religiosa, veio da gestão de um pequeno grupo de pacientes com experiências espirituais devido à epilepsia do lobo temporal e ele tem dado palestras sobre este assunto em diversas universidades. Coles foi ordenado na Igreja da Inglaterra em 2008 e agora é um pároco na Igreja de St Andrews, Cambridge, ao lado de seu trabalho médico e científico. [32]


Atual diretor do National Institutes of Health e ex-diretor de os Instituto Nacional de Pesquisa do Genoma Humano dos EUA. Ele também escreveu sobre assuntos religiosos em artigos e no livro A Linguagem de Deus: Um cientista apresenta evidências que Ele existe, disponível em português. [33,34]

Darrel Falk é um biólogo norte-americano e ex-presidente da Fundação BioLogos. [35]

Charles Foster é um escritor científico sobre história natural, biologia evolutiva e teologia. Fellow da Green Templeton College, em Oxford, da Royal Geographical Society e da Linnean Society of London [36], Foster defende a evolução teísta , em seu livro O Gene Altruísta (2009). [37]

Biólogo britânico, agraciado com o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina de 2012 pela descoberta que células maduras podem ser convertidas em células-tronco. Em uma entrevista com EWTN.com sobre o tema do trabalho com o Vaticano, em diálogo, ele diz: "Eu não sou um católico romano. Eu sou um cristão, da Igreja da Inglaterra ... Eu nunca vi o Vaticano antes, de modo que é uma nova experiência, e eu sou grato por isso. " [38]

Brian Heap (1935)
Biólogo que foi Mestre na Faculdade de St. Edmund, University of Cambridge e foi um membro fundador da Sociedade Internacional para a Ciência e Religião. [39,40]

Médico e Consulting Professor no Instituto de Neurociência de Stanford. Além de ensinar na Universidade de Stanford, Hurlbut serviu por oito anos no Conselho de Bioética do Presidente dos EUA e é conhecido nacionalmente por sua defesa de transferência nuclear alterada (ANT). [41]

Ganhador do Prêmio Nobel Americano de Química, em 2012, e Professor dos departamentos de Fisiologia Molecular e Celular da Faculdade de Medicina da Universidade de Stanford. Kobilka frequenta a comunidade católica na Universidade de Stanford, na Califórnia. [42]

Criacionista evolutivo, detém a cátedra de Professor de Ciência e Religião no St. Joseph's College na Universidade de Alberta, Canadá. Em co-autoria com Phillip E. Johnson, Lamoureux escreveu Darwinism Defeated? The Johnson-Lamoureux Debate on Biological Origins (1999). Lamoureux também escreveu Evolutionary Creation: A Christian Approach to Evolution (2008) [43].

Freira beneditina norte-americana com uma graduação em microbiologia. Seu campo de interesses incluem os fungos e os efeitos da decaimento e putrefação. [44]

Renomado Teólogo anglicano, que tem escrito sobre a relação entre ciência e teologia, como em sua obra A Scientific Theology. McGrath detém dois doutorados da Universidade de Oxford, um Ph.D. em Biofísica Molecular e um Doutorado em Divindade em Teologia. Ele respondeu ao neo-ateísmo em vários livros, como por exemplo O Delírio de Dawkins, disponível em português. A partir do início de 2014, McGrath será o New Andreas Idreos Professor of Science and Religion na Universidade de Oxford. [45]

Professor de biologia da Universidade Brown, escreveu Finding Darwin's God. [46]

O paleontólogo britânico que fez sua reputação através do estudo dos  fósseis de Burgess Shale. Ele foi o co-vencedor da medalha Charles Doolittle Walcott  e também ganhou uma Medalha Lyell. É ativo no Faraday Institute no estudo da ciência e da religião e também é notável em discussões sobre a ideia de evolução teísta. [47,48,49]

Neurocientista na Universidade de Stanford, membro da Academia Nacional de Ciências dos EUA, Newsome é também co-presidente da Iniciativa BRAIN, "um esforço de planejamento rápido para um estudo de dez anos sobre a forma como o cérebro funciona." [50]. Newsome é cristão e tem escrito sobre sua fé: "Quando eu discutir religião com os meus colegas cientistas ... eu percebo que eu sou uma raridade - um cristão sério e um cientista respeitado" [51].

Martin Nowak (1965)
O biólogo evolucionista e matemático mais conhecido pelo trabalho em dinâmica evolutiva. Ele leciona na Universidade de Harvard. [52]

Botânico destacado envolvido no Projeto Eden. É o atual presidente do grupo Christians in Science. [53]

Bióloga evolucionária que trabalha na Universidade de Stanford desde 1972. Ela escreveu o livro Evolution and Christian Faith: Reflections of an Evolutionary Biologist. [54]

Paleontóloga da North Carolina State University, que acredita firmemente na sinergia entre a fé cristã e a verdade da ciência empírica [55,56]

2.2 Química


Gerhard Ertl (1936)
Vencedor em 2007 do Prêmio Nobel de Química. Disse uma vez em entrevista que "Eu acredito em Deus. (...) Eu sou um cristão e eu tento viver como cristão (...) eu leio a Bíblia, muitas vezes, e eu tento entendê-la." [57]

H F Schafer.jpg

Agraciado com o Prêmio da American Chemical Society em Química Pura de 1979, e pesquisador destacado no ramo de Química Teórica e Modelagem Molecular. Ele escreveu Science and Christianity: Conflict or Coherence? e é signatário do famoso movimento Dissent From Darwin (aliás, se vocês forem neste site, acharão outras centenas de cientistas destacados cristãos que não estão aqui nesta lista). [58]

Marcos Nogueira Eberlin (1959)
Tenho orgulho de registrar aqui um cientista brasileiro ativo e cristão declarado, e ainda na minha área de atuação que é a Química.
Marcos Eberlin é membro da Academia Brasileira de Ciências, membro fundador e participa do comitê executivo da Sociedade Internacional de Espectrometria de Massas (IMSS) e Fundação Internacional da Espectrometria de Massa (IMSF). Ganhou o Prêmio da Academia Brasileira de Ciências de 2004 e o Prêmio da Ordem Nacional do Mérito Científico em 2005. 
Um dos destaques na sua pesquisa foi a descoberta da hoje chamada Reação de Eberlin. Ele escreveu um e-book sobre Design Inteligente chamado Fomos Planejados e tornou-se presidente da Sociedade Brasileira do Design Inteligente (SBDI).

2.3 Física e Astronomia


Físico de partículas britânico e Professor Emérito de Física na Universidade de Glasgow. Formado em Cambridge, Bussey está envolvido na busca do bóson de Higgs, e trabalha em grandes aceleradores de partículas internacionais, como o Large Hadron Collider do CERN e o DESY em Hamburgo. Ele tem dado muitas palestras sobre questões relativas à fé e cosmologia cristã.

Aastrônomo britânico que ganhou o Prêmio Nobel de Física em 1974 (junto com Martin Ryle) por seu trabalho na descoberta de pulsares . Ele também foi condecorado com a Medalha Eddington da Royal Astronomical Society em 1969. Hewish é cristão [59] e escreveu em sua Introdução ao livro Questions of Truth, de John Polkinghorne em 2009: "A presença fantasmagórica de partículas virtuais desafia o senso comum racional e não é intuitivo para aqueles não familiarizados com a física. A crença religiosa em Deus e crença cristã ... podem parecer estranhas ao pensamento de senso comum. Mas se as coisas físicas mais elementares se comportam desta forma, devemos estar preparados para aceitar que os aspectos mais profundos de nossa existência estejam além do nosso entendimento de senso comum". [60]

Físico austríaco autor do modelo Thirring em Teoria Quântica de Campos. Ele é filho do físico Hans Thirring, co-descobridor do efeito Lense-Thirring na relatividade geral. Também escreveu Cosmic Impressions: Traces of God in the Laws of Nature. [61]

Físico nuclear italiano e ex-presidente do Istituto Nazionale di Fisica Nucleare. Ele já trabalhou com o Vaticano sobre as relações entre a Igreja e Ciência. [62,63]

George Coyne (1933)
Jesuíta, astrônomo e ex-diretor do Observatório do Vaticano.

Astrônomo jesuíta norte-americano que trabalha no Observatório do Vaticano.

Físico de partículas britânico e sacerdote anglicano que escreveu Science and the Trinity (2004). Vencedor do Prêmio Templeton de 2002. [64]

Astrônomo que se formou no Goshen College e em Harvard. Gingerich é um cristão menonita e tem escrito sobre as pessoas de fé na história da ciência. [65,66]

Físico de partículas britânico que escreveu vários livros sobre a relação entre religião e ciência, como Science and the Renewal of Belief, Grounds for Reasonable Belief e Doing Away With God? [67]

Padre católico, membro da Pontifícia Academia de Teologia, membro fundador da Sociedade Internacional para a Ciência e Religiã . Ele também é um físico matemático que tem escrito artigos sobre física relativista e geometria não-comutativa . Seu livro interdisciplinar Creative Tension: Essays on Science and Religion saiu em 2003. Por este trabalho ele ganhou o Prêmio Templeton. [68]

Notável físico americano da Carnegie Mellon University. Ele tem escrito sobre questões de ciência e religião. [69]

Professor de Sistemas Complexos nos Departamentos de Matemática e Matemática Aplicada na Universidade da Cidade do Cabo na África do Sul. Ele foi co-autor de The Large Scale Structure of Space-Time com o físico Stephen Hawking da Universidade de Cambridge, em 1973. É considerado um dos teóricos mais importantes do mundo em cosmologia. Ele é um Quaker ativo e em 2004 ele ganhou o Prêmio Templeton.

Astrofísico americano laureado com o Prêmio Nobel de Física  por sua descoberta com Russell Alan Hulse de um novo tipo de pulsar, uma descoberta que abriu novas possibilidades para o estudo da gravitação. [70]

Físico britânico. Ele foi Goldsmiths' Professor of Materials Science e atual Diretor de Pesquisa da Universidade de Cambridge, Professor de Física Experimental no Instituto Real de Londres e Fellow do Selwyn College, Cambridge. Humphreys também "estuda a Bíblia enquanto não está no seu trabalho diário como um cientista de materiais." [71]

O físico teórico que desenvolveu o formalismo HPO (History Projection Operator). Leciona no Imperial College London. Além de ser um físico, ele é um filósofo e teólogo. [72,73]

Frank Tipler é um físico matemático e cosmólogo, segurando uma cadeira compartilhada nos Departamentos de Matemática e Física da Universidade de Tulane. Tipler é autor de livros e artigos sobre o Ponto Ômega, que ele afirma ser um mecanismo para a ressurreição dos mortos. Sua teoria teológica e científica possui controvérsias, mas ele tem alguns adeptos; por exemplo, teólogo cristão Wolfhart Pannenberg defendeu sua teologia [74] e o físico David Deutsch incorporou a idéia de Tipler de um Ponto Ômega. [75]

Gott é um professor de Ciências Astrofísicas na Universidade de Princeton. Ele é conhecido por desenvolver e defender a duas teorias cosmológicas com o status atual de ficção científica: a viagem no tempo e o Argumento do Juízo Final (DA). Quando perguntado sobre suas visões religiosas em relação à sua ciência, Gott respondeu que "Eu sou um presbiteriano. Eu acredito em Deus, eu sempre pensei que era a posição humilde para se tomar. Eu gosto do que Einstein disse:..'Deus é sutil, mas não malicioso.' Eu acho que se você quer saber como o Universo começou, isso é uma questão legítima para a física. Mas se você quer saber por que Ele está aqui, então você possivelmente terá que procurar - pegando emprestado a frase de Stephen Hawking - a mente de Deus." [76]

Prêmio Nobel de Física em 1997 pelas suas contribuições à técnica de resfriamento de laser. É membro fundador da Sociedade Internacional para a Ciência e Religião [77]

Cosmólogo Inglês que fez escritos notáveis sobre as implicações do princípio antrópico. Ele é um membro da Igreja Unida Reformada e deísta cristão. Ganhou o Prêmio Templeton em 2006. Ele já ocupou o cargo de Gresham Professor of Astronomy. [78,79]

Criacionista da Terra Jovem australiano cujos interesses de pesquisa incluem radares de ruído ultra-baixo e osciladores criogênicos de microondas de estabilidade ultra-alta. [80,81,82]

Stephen Barr (1953)
Físico que trabalhou no Brookhaven National Laboratory e contribuiu com vários artigos para o Physical Review, bem como Physics Today. Ele também é um católico que escreve para o First Things e escreveu Modern Physics and Ancient Faith. Ele leciona na Universidade de Delaware. [83]

Físico canadense e evangélico, que tem vários livros publicados sobre a relação entre ciência e religião, como The Language of Science and Faith: Straight Answers to Genuine Questions e Saving Darwin: How to be a Christian and Believe in Evolution.

Físico e geólogo. Meyers escreveu Signature in the Cell e Darwin's Doubt. Trabalhou como um geofísico para a Atlantic Richfield Company. Meyer ganhou seu Ph.D. em História e Filosofia da Ciência em 1991. Diretor do Centro de Ciência e Cultura no Instituto Discovery e vice-presidente e membro sênior do mesmo instituto. [84]

Padre católico, é o Diretor de Pesquisa do Centro Ian Ramsey para a Ciência e Religião na Universidade de Oxford. [85] Ele também é um físico de partículas, cujo trabalho anterior contribuiu para a o experimento DELPHI no CERN. [86]

Físico teórico argentino, especialista em Teoria das Cordas, mais conhecido pela sua notável descoberta do princípio holográfico - a correspondência AdS / CFT . [87]

Ela é chefe do Laboratório de Exoplanetas e Astrofísica Estelar do NASA Goddard Space Flight Center. Além disso, ela foi co-descobridora do cometa 114p / Wiseman-Skiff. É Fellow da American Scientific Affiliation e em 2010 tornou-se a nova Diretora da American Association for the Advancement of Science's Dialogue on Science, Ethics, and Religion. [88]

Pamela Gay (1973)
Astrônoma americana, educadora e escritora, mais conhecida por seu trabalho em podcasting astronômico. Recebeu seu Ph.D. pela Universidade do Texas, Austin, em 2002.

Leitor em Física Teórica pela Universidade de Oxford. Antes de seu cargo na Oxford ele lecionou Química Teórica da Universidade de Cambridge, onde ele também foi Diretor de Estudos em Ciências Naturais. Tem escrito para o Fórum BioLogos. [89]

Físico teórico canadense e cristão evangélico praticante, conhecido por ter publicado vários artigos em periódicos junto com Stephen Hawking . [90]

Professor do Departamento de Física da Universidade de Baylor e chefe da Divisão de Universo Primordial, Cosmologia e Cordas (EUCOS) do Centro de Baylor de Astrofísica, Física Espacial e Pesquisa de Engenharia (CASPER). Sua especialidade de pesquisa recente é a fenomenologia de cordas e o modelo de construção de cordas. [91]

Físico espanhol jesuíta, ex-professor de Física na Universidade de Barcelona.

Professor de Ciência e Engenharia Nuclear no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). Seu interesse primário de pesquisa é a física de plasma e suas aplicações práticas. Ele e sua equipe no MIT projetaram, construíram e operaram o Alcator C-Mod Tokamak, uma instalação experimental internacional cuja plasmas confinados magneticamente são protótipo de um futuro reator de fusão nuclear. [92] Ele tem falado com a American Scientific Affiliation sobre as interseções do cristianismo com a ciência, [93] e com o Fórum Veritas também. [94]

2.4 Engenharia

Ele é Professor Emérito de Ciência de Materiais na Universidade de Stanford. Ele é membro da American Scientific Affiliation. [95]

Donald Knuth (1938)
Cientista da Computação Americano e cristão luterano. Escreveu The Art of Computer Programming e 3:16 Bible Texts Illuminated. [96]

2.5 Outros


Matemático e Físico Teórico, ganhou a Medalha Lorentz, a Medalha Max Planck e o Prêmio Thomas Lewis. Foi classificado em 25º na Enquete Global de Intelectuais em 2005. Ganhou o Prêmio Templeton e participou de uma das Palestras Gifford, uma série anual promovida para difundir o estudo da Teologia Natural. Ele é famoso por seu trabalho em Eletrodinâmica Quântica.

Co-presidente do Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima e ganhou a Medalha de Ouro da Royal Astronomical Society. Ele também é ex-vice-presidente do grupo Christians in Science. [97]

John Suppe (1943)
Professor de Geologia na Universidade Nacional de Taiwan, Emérito em Geociências da Universidade de Princeton. Ele tem escrito artigos como "Thoughts on the Epistemology of Christianity in Light of Science." [98]

Eric Priest (1943)
Uma autoridade sobre Magnetohidrodinâmica Solar que ganhou o Prêmio George Ellery Hale, entre outros. Tem palestrado sobre Cristianismo e Ciência na Universidade de St. Andrews e é membro do Faraday Institute. Ele também tem interesses em oração, meditação e psicologia cristã. [99]

Robert Wicks é um psicólogo clínico que tem escrito sobre as interseções de espiritualidade e psicologia . Wicks, por mais de 30 anos tem ensinado em Universidades e escolas profissionais de psicologia, medicina, enfermagem, teologia e trabalho social, atualmente na Loyola University Maryland. Em 1996, ele recebeu a Holy Cross Pro Ecclesia et Pontifice , a mais alta medalha que pode ser atribuída a leigos (não-clérigos) pelo Papado por causa do distinto serviço à Igreja Católica Romana.

Mike Hulme (1960)
Mike Hulme é Professor de Mudanças Climáticas na Escola de Ciências Ambientais da Universidade de East Anglia (UEA), e é o autor de  Why We Disagree About Climate Change. Sobre sua fé cristã, ele disse: "Eu acredito porque eu não descobri uma explicação melhor da beleza, da verdade e do amor do que aquela que emerge de um mundo criado - que veio à existência pela vontade - por um Deus que personifica beleza, verdade e amor." [100]

Michael Reiss é um bioeticista, educador, e sacerdote anglicano britânico. Foi Diretor de Educação da Royal Society de 2006 a 2008. Reiss fez campanha para o ensino da evolução [101] e é Professor de Educação em Ciências no Instituto de Educação da Universidade de Londres, onde também é Pró-Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento. [102]

Professora de Arte e Ciências no MIT, Diretora e também fundadora do Affective Computing Research Group do MIT Media Lab, co-diretora do grupo Things That Think Consortium, e cientista-chefe e co-fundadora da Affectiva. Picard diz que foi criada como ateia, mas se converteu ao cristianismo quando jovem. [103]

John Lennox (1945)
Matemático, Filósofo da Ciência e conselheiro pastoral. Seus trabalhos incluem The Theory of Infinite Soluble Groups e God's Undertaker – Has Science buried God?. Debateu recentemente com Richard Dawkins sobre religião [vídeo]. Ele ensina na Universidade de Oxford. [104]

Diretor do Thrive Center para o Desenvolvimento Humano e Professor de Psicologia da Fuller Graduate School of Psychology. Além de ser um pesquisador na Universidade de Oxford, Barrett é um cientista cognitivo especializado na Ciência Cognitiva da Religião. Ele publicou Ciência Cognitiva, Religião e Teologia pela Templeton Press em 2011. Barrett foi descrito pelo New York Times como "um cristão praticante que acredita em um Deus Todo-Poderoso, perfeitamente bom e onisciente, que trouxe o universo à existência, como ele escreveu em uma mensagem de e-mail. 'Eu acredito que o propósito para as pessoas é amar a Deus e amar uns aos outros'. " [105]

Diretor do Faraday Institute e autor de Rebuilding the Matrix – Science and Faith in the 21st Century. Ele também supervisiona um Grupo de pesquisa em Câncer e Imunologia no Instituto Babraham. [106]

Médico e inventor que criou a MRI (Imagem por Ressonância Magnética). Ele é um Criacionista da Terra Jovem e havia uma controvérsia sobre o porquê de ele não recebeu o Prêmio Nobel de 2003, em Fisiologia ou Medicina, uma vez que ele quem teve a ideia e trabalhou no desenvolvimento da técnica de ressonância magnética em medicina.

Referências


  1. José Angel García Cuadrado. "Mariano Artigas (1938-2006). In memoriam.". Acesso em 15 Jan 2015.
  2. "Science: Man and Strontium 90". Time. February 18, 1957. Acesso em May 5, 2010.
  3. Numbers, Ronald (November 30, 2006). The Creationists: From Scientific Creationism to Intelligent Design, Expeed Edition. Harvard University Press. pp. 624 páginas. ISBN 0-674-02339-0.
  4. "22 Peacocke". Acesso em 15 Jan 2015.
  5. "Science in Christian Perspective". Acesso em 15 Jan 2015.
  6. Science in the Contemporary World. Acesso em 15 Jan 2015.
  7. "The Bruce Medalists: Allan Seage". Acesso em 15 Jan 2015.
  8. Science and the Spiritual Quest. Acesso em 15 Jan 2015.
  9. "Ernan McMullin dies - NCSE". Acesso em 15 Jan 2015.
  10. Hughes, Mark: Daily Telegraph, 09.10.2012
  11. "The 50 Smartest People of Faith". The Best Schools. Acesso em 15 Jan 2015.
  12. "Untitled Document". Acesso em 15 Jan 2015.
  13. InterVarsity Press. "R. J. Berry". Acesso em 15 Jan 2015.
  14. "Richard Dawkins & Daniel Dennett vs. Francis Collins & Benjamin Carson". Internet Archive. 2001-03-10. Retrieved 2013-05-20.
  15. "Faith and the Human Genome". Acesso em 15 Jan 2015.
  16. "Darrel Falk - The BioLogos Forum". BioLogos.org. Acesso em 15 Jan 2015.
  17. "Biography". Acesso em 15 Jan 2015.
  18. The Selfless Gene. Acesso em 15 Jan 2015.
  19. "Founding Members of ISSR". Acesso em 15 Jan 2015.
  20. "Main". Acesso em 15 Jan 2015.
  21. Little Falls native wins Nobel Prize in chemistry". TheCatholicSpirit.com. Acesso em 15 Jan 2015.
  22. "Denis O. Lamoureux Webpage". Acesso em 15 Jan 2015.
  23. Karen Gaudette (May 16, 2007). "The mother of cheesemaking has art down to a science". The Seattle Times. Acesso em 2009-01-18.
  24. "Evolving Truth". Acesso em 15 Jan 2015.
  25. "Neuroscience: Solving the brain". Nature News & Comment. Acesso em 15 Jan2015.
  26. "Of two minds". Acesso em 15 Jan 2015.
  27. Barlow, Rich (27 September 2008). "Mathematics and faith explain altruism". The Boston Globe.
  28. "Dinosaur Shocker". Smithsonian. Acesso em 15 Jan 2015.
  29. "Schweitzer's Dangerous Discovery". Discover Magazine. Acesso em 15 Jan 2015.
  30. J. C. Polkinghorne; John Polkinghorne; Nicholas Beale (16 Jan 2009). Questions of Truth: Fifty-One Responses to Questions about God, Science, and Belief. Westminster John Knox Press. p. 12. ISBN 978-0-664-23351-8. Acesso em 27 July 2012.
  31. Thirring, Walter (May 31, 2007). Cosmic Impressions: Traces of God in the Laws of Nature. Templeton Press. ISBN 978-1-59947-115-0.
  32. Russell Stannard, Science & Wonders, p74
  33. "Joseph H. Taylor, Jr.". Acesso em 15 Jan 2015.
  34. Cambridge University. April 17, 2011. Acesso em 2011-04-23. "The new study is based on earlier research which Professor Humphreys carried out with the Oxford astrophysicist, Graeme Waddington, in 1983. This identified the date of Jesus’ crucifixion as the morning of Friday, April 3rd, AD 33 – which has since been widely accepted by other scholars as well. For Professor Humphreys, who only studies the Bible when not pursuing his day-job as a materials scientist, this presented an opportunity to deal with the equally difficult issue of when (e how) Jesus’ Last Supper really took place."]
  35. David Deutsch (1997). "The Ends of the Universe". The Fabric of Reality: The Science of Parallel Universes—e Its Implications. London: Penguin Press. ISBN 0-7139-9061-9.
  36. "J. Richard Gott on Life, the Universe, and Everything". Archived from the original on 28 September 2007. Acesso em 15 Jan 2015.
  37. "Founding Members of ISSR". Archived from the original on 7 March 2005. Acesso em 15 Jan 2015.
  38. "Where Is the Best Clock in the Universe?". arXiv blog. MIT, Technology Review. Acesso em 2011-11-18. The widespread belief that pulsars are the best clocks in the universe is wrong, say physicists.
  39. Hartnett, John; Luiten, ere (2011). "Colloquium: Comparison of Astrophysical and Terrestrial Frequency Steards". Reviews of Modern Physics (Cornell University Library, Reviews of Modern Physics, vol. 83, 2011) 83: 1–9. arXiv:1004.0115.Bibcode:2011RvMP...83....1H. doi:10.1103/RevModPhys.83.1. “We have re-analyzed the stability of pulse arrival times from pulsars and white dwarfs using several analysis tools for measuring the noise characteristics of sampled time and frequency data. We show that the best terrestrial artificial clocks substantially exceed the performance of astronomical sources as time-keepers in terms of accuracy (as defined by cesium primary frequency steards) and stability. ...we show that detailed accuracy evaluations of modern terrestrial clocks imply that these new clocks are likely to have a stability better than any astronomical source up to comparison times of at least hundreds of years.”
  40. "Starlight, Time and The New Physics tour with Dr John Hartnet". creation.com. 2012. Acesso em 23 February 2012.
  41. "Discovery Institute". Acesso em 15 Jan 2015.
  42. "erew Pinsent - Home". Acesso em 15 Jan 2015.
  43. "DELPHI Notes". Acesso em 15 Jan 2015.
  44. "Universe and Multiverse, Part 1". BioLogos.org. Acesso em 15 Jan 2015.
  45. "Prof Ian Hutchinson, MIT.". Acesso em 15 Jan 2015.
  46. Hutchinson, Ian. "Science: Christian and Natural. Acesso em 28 July 2014.
  47. "The Scientism Delusion?". Veritas.org. Veritas Forum. Acesso em 28 July 2014.
  48. "janfeb09email". Acesso em 15 Jan 2015.
  49. "3:16 Bible Texts Illuminated". Acesso em 15 Jan 2015.
  50. "I’m a believer". Acesso em 15 Jan 2015.
  51. "Today: Tuesday 28 July 2009". BBC News. 2009-07-28.
  52. Petricevic, Mirko (2007-11-03). "A scientist who embraces God". The Record (Kitchener, Ontario: Metrole Media Group Ltd.). Acesso em 2008-05-06.
  53. "Darwin's God". The New York Times. 2007-03-04.

90 comentários :

  1. Valeu David! esta lista será muito interessante pra meus debates na Net.
    Na verdade, cada vez mais cientistas estão rejeitando a mitologia transformista darwinista.
    Já são quase 1000 cientistas PhD além de tantos outros não PhDs e inúmeros médicos/cirurgiões e pessoas inteligentes e sensatas em várias áreas de atuação, que rejeitam o mito.
    Sem contar que muitos cientistas ateus também rejeitam essa falácia mentirosa travestida de ciência!

    Sds.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "mitologia transformista darwinista"
      Por favor, diga-me que você possui pelo menos um conhecimento biológico extenso para dizer isso.
      Se é um cara que não fez nem o fundamental ainda, peço que pare de cagar pela boca.

      Excluir
    2. Caro Marlon,

      não é ele que está dizendo isso, são os atualmente quase 1000 signatários do Dissent from Darwin. São cientistas sérios e renomados que tem colocado em dúvida a teoria da evolução, ou pelo menos a forma como ela é tratada hoje em dia no meio científico, quase como que uma ideologia, em vez de uma teoria científica. Falta filosofia da ciência pra esse povo.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    3. "... peço que pare de cagar pela boca."

      Volte vc pro ensino fundamental e aprenda a ter um pouquinho de educação... não faz mal.

      Mas não o culpo, na verdade a blindagem do mito religioso darwinista só aumenta! é o desespero em ver seu dogma destruído.
      É o que os crentes ateus fundamentalistas darwinistas acreditam. Que o incrível universo surgiu de um NADA-ACASO-CAOS e a vida criou-se a si mesma numa LAMA inorgânica em ambiente estéril e hostil através de magia, e que magia conduz seres vivos a mudarem de forma radicalmente; desde amebas até girafas, elefantes, GENTE!
      Os crentes darwinistas ACREDITAM com uma fé descomunal e formidável, que entidades inexistentes como MÁGICA, nada, acaso, sorte, caos: de forma cega, irracional, amoral, impessoal, incogniscível, sem planejamento, sem projeto, sem inteligencia, sem ordem, sem intenção, sem direção e simplesmente por magia é que preenche a lacuna da origem do formidável universo e da complexa e multiforme vida aqui!

      Deverias sair um pouco de teu mundinho fechado fundamentalista xiita, onde “macacos” viram gente, e enxergar mais a realidade.

      Excluir
    4. nossa, sua ignorância me dá dó. Nem preciso comentar porque você já demonstrou ser daqueles que não entendem nada.

      Excluir
    5. Marlon,
      O FATO é que até hoje nenhuma publicação científica, mostrou alguma prova/evidência empírica científica sólida e irrefutável factual com visível, evidente e acentuada transformação morfológica de um ser a caminho, em desenvolvimento, para mudança real em outro ser DIFERENTE, nos fósseis ou vivos. (macroevolução).

      Excluir
    6. Pelo jeito que você fala parece que fez até uma revisão sistemática nos anais de biologia hein... Só que é fruto da ignorancia, como percebemos. Cara, se você é tão cético assim com relação a isto, por que não é também com sua fé? Qual seu critério?
      Ao menos posso te dizer que com relação à evolução você pode entender e provar. Já com deus aí complica kkkk
      Preciso ser sarcástico porque se eu te mostrar a foto de um girino e dizer que ele pode chegar a ser um anfíbio um dia você não vai acreditar kkkkk

      Excluir
    7. Caro Marlon,

      pelo menos comigo, o critério é praticamente o mesmo. Evolução é uma teoria com muitos problemas, e o maior deles, eu diria, é o fato de alguns usarem essa teoria como um pressuposto filosófico naturalista para negar Deus desde o princípio. Colocam uma teoria científica num lugar no qual ela não deveria estar, que é o de verdade absoluta. Eu particularmente não acredito nem desacredito na evolução, ela é uma teoria, se ela estiver certa ou errada isso não diz nada em relação a Deus ou ao cristianismo.

      Mas em relação a minha fé, eu tenho provas dela, e são abundantes. Tenho os resultados de todos os meus estudos de história e arqueologia sobre a Bíblia. Tenho os resultados de todos os meus estudos de filosofia sobre a existência de Deus. E por último, mas não menos importante, tenho os resultados da própria ação de Deus na minha vida, todos os dias. Eu seria louco se negasse o cristianismo com tantas provas à minha disposição.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    8. Marlon,
      a evolução não passa de um dogma religioso travestido de ciência. Muitos cientistas e pessoas inteligentes e sensatas já perceberam isso.
      Já a base dos cristãos não é apenas fé. A razão, a lógica, a cognição, as descobertas, os FATOS são elementos importantes na construção da fé cristã; e inclui-se aí também, o método científico. Não cremos num deus obscuro longínguo abstrato irracional impessoal indiferente incomunicável. As experiências que eu e bilhões de cristãos no mundo tem com Jesus são inegáveis com inúmeros depoimentos de vários tipos.
      Por isso não tenho fé suficiente pra ser ateu.

      Sds.

      Excluir
    9. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    10. Existem 2,268,000,000 de cristãos no mundo. 546 dos Nobels foram ganhos por estes indivíduos, o que representa 14, 38% da população de cristãos na Terra.

      Existem 1,152,000,000 de ateus/agnósticos/sem-religião no mundo. 87 dos Nobels foram ganhos por estes indivíduos, o que representa 22, 04% da população de ateus/agnósticos/sem-religião na Terra.

      Existem 21,600,000 de judeus no mundo.167 dos Nobels foram ganhos por estes indivíduos, o que representa 38, 07% da população de judeus na Terra.

      Aplicando o princípio de proporcionalidade concluímos quê:

      Em primeiro lugar no quesito inteligência estão os judeus com 38,07% de sua população vencedora de Nobels;

      Em segundo lugar no quesito inteligência estão os ateus/agnósticos/sem-religião com 22,04% de sua população vencedora de Nobels;

      Em terceiro lugar no quesito inteligência estão os cristãos com 14,38% de sua população vencedora de Nobels.

      http://digitalcommons.unl.edu/cgi/viewcontent.cgi...

      Excluir
    11. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    12. Andrei Sakharov -ATEU - físico,ganhou o nobel da paz em 1975

      Erwin schorodinger -ATEU- físico, GANHOU O NOBEL DE FÍSICA EM 1933

      Eugene Wigner - ATEU - Físico teórico, ganhou o nobel em 1963

      Georges Charpak -ATEU- Físico, ganhou o nobel de física em 1992

      Hans Bethe -ATEU- Físicp, nobel de física

      Harold Urey - ATEU - Ganhou o nobel de química de 1934

      Igor Tamm -ATEU- ganhador do nobel de física em 1958

      Iéne Joliot-Curie -ATEIA- Ganhou o nobel de química em 1935

      Jack Steinberger - ATEU- Ganhou o nobel de física em 1968

      Jean Baptiste Perrin-ATEU- Ganhou o nobel de física em 1926

      James D. Watson -ATEU- Ganhou o nobel de medicina de 1962

      Excluir
    13. Existem 2,268,000,000 de cristãos no mundo. 546 dos Nobels foram ganhos por estes indivíduos, o que representa 14, 38% da população de cristãos na Terra.

      Existem 1,152,000,000 de ateus/agnósticos/sem-religião no mundo. 87 dos Nobels foram ganhos por estes indivíduos, o que representa 22, 04% da população de ateus/agnósticos/sem-religião na Terra.

      Existem 21,600,000 de judeus no mundo.167 dos Nobels foram ganhos por estes indivíduos, o que representa 38, 07% da população de judeus na Terra.

      Aplicando o princípio de proporcionalidade concluímos quê:

      Em primeiro lugar no quesito inteligência estão os judeus com 38,07% de sua população vencedora de Nobels;

      Em segundo lugar no quesito inteligência estão os ateus/agnósticos/sem-religião com 22,04% de sua população vencedora de Nobels;

      Em terceiro lugar no quesito inteligência estão os cristãos com 14,38% de sua população vencedora de Nobels.

      http://digitalcommons.unl.edu/cgi/viewcontent.cgi...

      Excluir
    14. que lista inútil não serve pra nada.

      Excluir
    15. e qual é a resposta que era para deixar aos ateus??? explique ai essa lista e esse blog não deixam nada de coisa alguma de resposta.

      Excluir
    16. Rodrigo Netto,

      Você leu o texto? Eu disse logo no segundo parágrafo. Esse texto é uma resposta a uma alegação que ouvi de um ateu: "mostrar que houve cientistas cristãos na história é fácil, afinal eles não sabiam sobre a evolução ou sobre a relatividade... quero ver citar algum cientista cristão vivo ou ativo".

      O fato é que ainda hoje ainda existem muitos cristãos contribuindo para a ciência, e a fé deles em nada atrapalha isso (pelo contrário, até ajuda). Isso também serve de resposta a outra alegação comum entre os ateístas: a de que fé e razão são incompatíveis.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    17. Na Renascença, houve uma fusão de teorias esotéricas da Antiguidade, como o "Corpo Hermético", atribuído a Hermes Trimegisto, com experimentos de cunho científico: era a alquimia, que serviria de base para a química moderna. Um notável exemplo dessa mistura é o alquimista, médico, astrólogo e ocultista Paracelso, cujas pesquisas a ciência bem pôde aproveitar. Mas esses progressos eram vistos com suspeita pela Igreja. "Alguns cientistas eram associados com o Demônio, heresiarcas sempre sujeitos às tentações que o diabo fez a Cristo no deserto", diz Gildo Magalhães.
      Não causa espanto que figuras fundamentais como Kepler e Descartes tenham causado suspeitas entre doutores da Igreja. O alemão Goethe, que além de escritor e poeta romântico era homem de ciência, mostra essa conexão intelectual em seu "Fausto".

      No entender de Gildo Magalhães, o perigo do misticismo é que ele não pode se adequar ao uso da razão. "Pelo menos desde o Iluminismo, só a razão pode criticar a razão, que é o que a ciência tenta fazer", diz. Por esse motivo, há cientistas que esconjuram o ocultismo, como Carl Sagan em seu livro "O Mundo Assombrado por Demônios".

      Excluir
  2. Gostei da quantidade de cientistas que acreditam no Deus cristão. Em breve eu estarei na lista, já que pretendo fazer pós-doutorado em Biologia Molecular, e entrarei na lista de dissidentes de Darwin. Obs: Você acredita na evolução? Apesar de eu não acreditar, eu respeito a opinião de cristãos que acreditam. :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que Deus te abençoe e te tornes um grande apologista neste meio!

      Excluir
    2. Graças ao Espírito Santo que nos ensina e todos os apologéticos que, posso realmente afirmar, são apaixonados pelo Pai Criador, hoje me sinto muito mais equipado racionalmente para viver a minha fé.
      Quando era despreparado o bombardeio neo-ateista me deixou cheio de dúvidas e, como já li uma vez, "Graças a Deus por eles, pois foram a mola propulsora para minha fé".

      Que Deus te abençoe Dr. Felipe e Irmão Cícero.

      Excluir
    3. "Irmão" Adriano, reflita:
      Durante sua fase com "neo" ateus e religiosos, qual vertente te instigou a estudar, buscar respostas, se auto questionar e repensar suas crenças?
      Agora, qual vertente te deixou feliz por acomodar-se na fé, por não saber nada e nada buscar, que te contenta em ser cada vez mais ignorante acerca do mundo que o cerca e ainda te recompensa por isso?
      Não estou tentando te converter ou nada disso, apenas saiba que o raciocínio é marca existencial dos homo sapiens e que ele se devidamente usado, vai sim trazer dúvidas e questionamentos, e quanto mais o faz, melhor você descobre.
      Já os ignorantes vivem cheios de certezas e ignoram fatos, versões e provas em prol de um achismo interior que pouco lhes traz fisicamente.

      Excluir
    4. Parabéns, Felipe Gabriel! Faça ciência para a glória de Deus, como os primeiros cientistas fizeram.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
  3. O argumentum ad verecundiam ou argumentum magister dixit é uma expressão em latim que significa apelo à autoridade ou argumento de autoridade, é uma falácia lógica que apela para a palavra de alguma autoridade a fim de validar o argumento. Este raciocínio é absurdo quando a conclusão se baseia exclusivamente na credibilidade do autor da proposição e não nas razões que ele apresentou para sustentá-la.

    pt.wikipedia.org/wiki/Argumentum_ad_verecundiam

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Evandro,
      não é simplesmente na "autoridade" do cientista, e sim nas razões como vc mesmo admite, ou seja nas pesquisas/estudos que ele efetuou na área científica.

      Excluir
    2. Como o Evandro disse, realmente é apelo à autoridade. Pois nenhum destes cientistas fizeram artigos em nome da religião e sim em prol científico. Se o fizessem, perderiam o prestígio, mas enquanto a fé deles se limita ao "cercadinho pessoal" isso não quer dizer que fé e ciência coexistem. Apenas significa que eles conseguem viver com o duplipensar.

      Excluir
    3. Marlon e Evandro,

      entendam meu argumento, eu expliquei no segundo parágrafo do texto. Em primeiro lugar, meu argumento NÃO É:

      1 - Os cientistas A, B, C, ..., X, Y, Z, ... são cristãos.
      2 - Logo, o cristianismo é verdadeiro.

      Obviamente ISSO é um apelo a autoridade. Mas meu argumento não é esse. O meu argumento é ESSE:

      1 - Algumas pessoas dizem que há incompatibilidade entre ciência e religião. É impossível hoje em dia, ser cientista e cristão ao mesmo tempo.
      2 - Os cientistas A. B, C, ..., X, Y, Z, ... são cristãos e têm boas razões para isso, segundo eles próprios.
      3 - Logo, a afirmação (1) está errada.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    4. Então vamos ao seu raciocínio:
      1 - Algumas pessoas dizem que há incompatibilidade entre ciência e religião. É impossível hoje em dia, ser cientista e cristão ao mesmo tempo.
      2 - Os cientistas A. B, C, ..., X, Y, Z, ... são cristãos e têm boas razões para isso, segundo eles próprios.
      3 - Logo, a afirmação (1) está errada.
      Errado. Método científico (e falo isso no sentido mais amplo do que apenas "ciência") é mutuamente excludente da religião. São incompatíveis. Enquanto um preza pela observação dos fatos, submissão de testes, formulação de teorias que comprovem ou expliquem tal fato, a religião utiliza-se de seus dois gumes para funcionar:
      1- Diz que algo foi feito de x maneira por um deus, assim, precisamos procurar os fatos que justifiquem tal afirmação.
      2- Busca responder questões empíricas com misticismo e tal argumento, quanto mais obscuro e intangível, melhor para ela, pois a áurea de "supremo" permanece.
      Assim, ambas se excluem totalmente. O método científico visa por à prova e derrubar quaisquer alegações sem fins, enquanto o método religioso parte da proposição já formulada e busca por fatos que comprovem, mesmo que de forma pobre.
      Exemplo:
      Científico: Aqui estão os fatos, que conclusões podemos tirar deles?
      Religioso: Aqui estão as conclusões de deus, que fatos podemos usar para justificá-las?
      Portanto, sim, é impossível hoje em dia, ser cientista e cristão ao mesmo tempo. A menos que tenha visto algum deste cientista utilizar nomes divinos em suas teses e artigos ou utilizar como citação bibliográfica, a bíblia. Como disse em meu comentário, eles mostram apenas que são duplipensares. Sugiro que procure o que é. Mas para resumir, é como se fosse a velha frase "em casa de ferreiro o espeto é de pau" ou seja, sendo um ferreiro uma pessoa que manuseia com aptidão o metal, seria fácil supor que ele utilizasse em sua casa, porém, ele opta por madeira e portanto é possível que uma mesma pessoa tenha pensamentos conflitantes a um nível que achar tolerável. Isso resume por que sua "lógica" está errada.

      Excluir
    5. "Portanto, sim, é impossível hoje em dia, ser cientista e cristão ao mesmo tempo."

      “É em nome da ciência que proclamo a Jesus Cristo como Filho de Deus. Minha concepção de ciência, que valoriza muito a relação entre causa e efeito, simplesmente me obriga a reconhecê-lO. Minha necessidade de adorar encontra em Jesus sua mais plena satisfação”.
      "Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima."
      Louis Pasteur - notável médico e cientista francês.

      “Somente um principiante que não sabe nada sobre ciência diria que a ciência descarta a fé. Se você realmente estudar a ciência, ela certamente o levará para mais perto de Deus.”
      James Tour – Nanocientista.

      Excluir
    6. Cicero, só vi opiniões deles aí.. E eu tenho a minha. Mas fora do campos dos achismos, cite aí algum estudo deles baseados na fé ou que usaram a bíblia como fonte.

      Excluir
    7. Caro Marlon,

      "Método científico (e falo isso no sentido mais amplo do que apenas "ciência") é mutuamente excludente da religião. São incompatíveis. Enquanto um preza pela observação dos fatos, submissão de testes, formulação de teorias que comprovem ou expliquem tal fato, a religião utiliza-se de seus dois gumes para funcionar:
      1- Diz que algo foi feito de x maneira por um deus, assim, precisamos procurar os fatos que justifiquem tal afirmação.
      2- Busca responder questões empíricas com misticismo e tal argumento, quanto mais obscuro e intangível, melhor para ela, pois a áurea de "supremo" permanece."


      Há um equívoco bem claro no seu raciocínio, meu caro. É o fato de que a religião e a ciência atuam em campos distintos da realidade. Os dois não se tocam, um não pode dizer algo sobre o outro porque falam de coisas diferentes. Explico:

      A ciência trata apenas da realidade física (natural), porque o método científico está limitado a responder perguntas de coisas que podem ser medidas, testadas e reproduzidas. Perceba que isso NÃO quer dizer que só aquilo que é mensurável, testado e reproduzido EXISTE. Mas isso quer dizer que só aquilo que é mensurável, testado e reproduzido é acessível ao método científico. Daí você tem duas posturas possíveis diante disso: uma é reduzir TODA a realidade ao que pode ser provado cientificamente - o que se chama "naturalismo" e é uma extrapolação injustificada - e outra é pensar que podem existir coisas que não são acessíveis pelo método científico. A área que estuda essas coisas chama-se metafísica.

      A grande maioria das afirmações proferidas pelas religiões é de natureza metafísica: por exemplo, a existência de uma causa transcendente para o Universo, a existência de valores morais absolutos, o valor intrínseco do ser humano, o conceito de pecado, salvação, etc. Essas coisas não acessíveis pelo método científico. Isso quer dizer que a ciência NADA pode dizer acerca da veracidade dessas coisas.

      Note que o contrário é válido também. Assim como a ciência não pode dizer nada sobre se afirmações metafísicas são verdadeiras, a religião também não pode dizer NADA sobre afirmações científicas. Por exemplo, as religiões não podem dizer qual a idade do Universo, nem de que forma a vida surgiu na Terra, etc. Essas são áreas que cabe à ciência descobrir, e é um erro usar a religião para dar respostas pré-definidas para essas coisas. A única afirmação que o cristianismo pode fazer sobre o Universo e a vida é que eles foram projetados por Deus. Isto não tem como verificar cientificamente. Agora, COMO foram projetados ou como surgiram é uma questão INTEIRAMENTE científica.

      (continua)

      Excluir
    8. (continuação)

      "Científico: Aqui estão os fatos, que conclusões podemos tirar deles?
      Religioso: Aqui estão as conclusões de deus, que fatos podemos usar para justificá-las?"


      Isso não passa de um espantalho, como eu acabei de explicar acima. E repito: é um ERRO usar a religião para fazer afirmações de nível científico. Mas tem um detalhe aqui também que talvez você queira levantar. Por exemplo, os cristãos acreditam na veracidade integral da Bíblia. Mas existem muitas formas diferentes de ver isso: uma delas é que isso é uma questão de fé e é direito da pessoa acreditar nisso se quiser. Outra (e é a que eu prefiro) é que a veracidade da Bíblia pode ser deduzida de outros fatos que podem ser comprovados. O centro de toda a mensagem da Bíblia é a vinda de Jesus à Terra e a sua morte e ressurreição. Essas coisas podem ser investigadas cientificamente através da história e da arqueologia, por exemplo. E é interessante que existem evidências históricas muito fortes para que a ressurreição de Jesus tenha realmente acontecido (isso é tema para outra discussão). E se Jesus realmente ressuscitou, como tinha prometido antes, isso prova que tudo o que ele falou era verdade, inclusive prova que o conteúdo da Bíblia é verdade, porque Jesus garantiu que aquelas palavras eram verdadeiras.

      "Portanto, sim, é impossível hoje em dia, ser cientista e cristão ao mesmo tempo. A menos que tenha visto algum deste cientista utilizar nomes divinos em suas teses e artigos ou utilizar como citação bibliográfica, a bíblia."

      No passado era comum os cientistas colocarem menções diretas a Deus em seus trabalhos. Isso deixou de ser "politicamente correto" por volta já do século XX, quando passou a haver um movimento muito forte de ateísmo dentro da ciência.

      Novamente, reitero que uma coisa não tem nada a ver com a outra: não tem porque um cientista citar a Bíblia para confirmar seus trabalhos porque são planos de discussão diferentes.

      Não é impossível ser cientista e cristão. Você acabou de ver uma lista com uma centena de exemplos aí em cima. Eu mesmo sou cientista (pelo menos estou terminando meu mestrado) e cristão. Não há nenhuma espécie de contradição entre a ciência e a fé. Uma busca o conhecimento sobre o mundo físico, e a outra sobre o mundo espiritual. As coisas espirituais não são acessíveis à ciência. A própria crença em Deus é uma motivação forte para ser curioso em relação a conhecer o Universo, como uma forma indireta de conhecer a Deus. Foi assim que os primeiros cientistas como Kepler, Copérnico, Galileu, Newton, Lineu, Pascal, Boyle, etc., pensaram. E muitas descobertas científicas serviram e ainda servem para fortalecer a nossa fé, em vez de o contrário.

      Procure saber o que os primeiros cientistas pensavam sobre isso, o que os cientistas atuais como os da lista acima pensam sobre isso... só aqui neste artigo tem dezenas de cientistas que escreveram livros para explicar suas visões sobre ciência e religião. Procure ler alguns deles, e aí você vai poder falar alguma coisa sobre o assunto.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    9. Amigão, pelo que entendi você escreveu, escreveu e a única coisa que fez foi destoar planos diferentes para ciência e religião. Como se tivesse "tirando o time de campo" para assim ganhar a discussão por falta de oponente à altura.
      Isso pode ser desonestidade intelectual e digo isso porque deus é metafísico, mas ele teve de deixar coisas muito físicas para tentar dizer que existe.
      Mas, tentando manter a discussão, digo que em plano natural mesmo (aliás, tudo o que somos nos remete a isto, nossos sentidos são adaptados apenas para sermos naturais) podemos desmistificar e desconstituir "evidências" advindas da bíblia. Aliás, muito se tem feito, mas como a fé não se baseia em explicações e provas, mas sim em proselitismo, doutrinação e medo, muitos ainda se veem crendo.
      Seguindo a sua linha, se for provado que jesus ressuscitou, então tudo na bíblia é verdadeiro. Interessante. Então sigo a mesma linha e digo que se eu puder desconstruir ao menos 1 afirmação dela também ela pode ser provada falsa. Vai dizer o que, que isso seria desonesto né?
      O fato é que você faz o que se espera de alguém na defensiva: Tem um fundamento e ataca o que vai na contramão deste. A própria frase de seu blog é esta:
      “Destruímos argumentos e toda pretensão que se levanta contra o conhecimento de Deus.”
      Ou seja, "já tenho opinião formada e vou rebater tudo o que for contra ela". E desculpe, não dá pra debater com alguém assim.
      Aliás, a contradição que eu esperava ver já se manifestou desde o primeiro post e agora ela só ficou pior. Diz que deus é metafísico mas tenta como louco provar fisicamente (ainda pela ciência) sua existência.
      A verdade é que vocês religiosos precisam ser mais unidos e discutirem mais com vocês mesmos, pois o colega ali em cima postou que sim, deus é físico e inclusive os cientistas provam isso. E percebam ao conversarem com vocês mesmos, a diferença de deuses que possuem. Já vi cristão que acredita em inferno, outros não, que deus é bom, outro que pode punir, que ouve milagres outros não creem, tudo isso dentro da mesma corrente. isso é que é contradição. Mas, como o objetivo é acreditar e não conhecer, saber, tá valendo né? Já eu prefiro ficar de fora desse circo aí.

      Excluir
    10. Marlon,
      os dois cientistas que citei respondem exatamente a sua afirmação; estando inclusive sim; seus estudos/pesquisas de acordo com a Bíblia em Dn 12:4!

      Excluir
    11. sim cicero, e foi ótimo ter dito isto para que você inicie uma discussão com o David sobre quem tem razão se é o religioso que afirma que a ciência e religião estão em planos diferentes para fugir da discussão ou o religioso murro-em-ponta-de-faca que tenta provar por meios físicos uma coisa que não existe.
      Ateus não tem esses tipos de dilemas contraditórios. Mas sigam aí, que vença o melhor! Aí, depois vão debatendo com judeus, islamicos, budistas, zoroastristas, hinduístas para ver quem esta certo.

      Excluir
    12. Marlon,
      Vc parece muito ignorante e leigo... lamento. Estude mais, foi justamente devido aos cientistas cristãos do passado e hoje que a humanidade está muitíssimo melhor saindo das trevas da ignorância.

      Excluir
    13. kkkk eu leigo né... Vindo de um boçal como você que não sabe nem argumentar é um elogio. E pra ver se você entende de uma vez por todas, a ciência mesmo feita por cristãos advém de provas, questionamentos e evidências. Não há espaço para "crentelhisse" em trabalhos acadêmicos. Ou seja, diante de um artigo, independe a religiosidade do sujeito, o que importa é a contribuição que ele faz na área, que, se for grande como a de Darwin, Einstein, Sagan e tantos outros, levam pra longe essa necessidade de acreditar em algo que não existe. E não digo apenas do deus critão não, muitos outros já foram derrubados há milênios e hoje só vemos como mitologia. Com o seu vai acontecer o mesmo, mesmo que leve milênios como as demais.

      Excluir
    14. Não leigo, os contos de fadas transformistas darwinistas já foram refutados por inúmeros cientistas e estudos que evidenciam a impossibilidade de uma evolução ás cegas irracional, amoral, impessoal, não dirigida, não ordenada, não inteligente.
      Quanto a Einstein, apesar de não aceitar diretamente o Deus bíblico judaico-cristão fez várias declarações Teístas admitindo o início do universo e vida, a uma Causa Inteligente Criadora.
      E Sagan disse:
      “Existem muitas hipóteses em ciência que estão erradas. Isso é perfeitamente aceitável, eles são a abertura para achar as que estão certas.” - se encaixa perfeitamente na evolução.
      "Ausência de evidência, não é evidência de ausência" - se encaixa perfeitamente nos vários eventos bíblicos.

      Mas o Deus judaico-cristão possui fortes evidências em várias áreas do conhecimento humano, sendo Auto-manifestado nas coisas criadas visíveis e invisíveis e em vários temas:
      cosmológico, teleológico, ontológico, moral, religioso, o mal, a alegria, causalidade, experiências, histórias-profecias cumpridas, Jesus, mistos, citações de ateus, consciência, razão, forte princípio antrópico, etc qual vc prefere?

      Excluir
    15. kkkkkkkk
      bla bla bla... bla bla bla
      O que eu prefiro? Deixar você falando sozinho, já que adora fazer isso com seus amiguinhos imaginários.

      Excluir
    16. Agora sim foi convincente ironias não e falta de respeito não ajuda no debate. Vi diversas citações do crente ignorante com fontes.

      Já o ateu culto só vi falta de educação e argumentos falaciosos além de atacar espantalhos.

      A ciencia tem teorias diferentes para varias coisas e muitos artigos cientificos sofrem retratação. Nesse sentido cristãos na forma de expressar sua fé discoradarem não é um problema em si só mais uma falácia.

      Excluir
    17. com certeza iso vai dar casamento

      Excluir
  4. É falso que a base da ciência seja cristã.

    A origem da ciência está na G´recia antiga, pré-cristã.

    E a ciência moderna apareceu no renascimento, em que, conforme o nome indica, se tratou de recuperar e aprofundar as tradições científicas gregas da antiguidade.

    Aliás, os primeiros cientistas estiveram sempre em risco de vida devido á igreja.

    O próprio Galileu foi preso, proibido de aprofundar os seus estudos e ameaçado de morte pela inquisição papal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Pedro. Obrigado pela participação.

      A cultura e a filosofia da Grécia pré-cristã abraçou o uso da razão, mas isso não quer dizer que eles originaram a ciência. A origem da ciência está no método científico, que foi desenvolvido inicialmente pelo monge católico Roger Bacon no século XIII.

      Veja bem, toda a filosofia grega era extremamente racionalista, meditativa. A ciência é algo antagônico a isso, ela se baseia no experimento. Por isso, os gregos nunca conseguiriam ter inventado a ciência. O filósofo que chegou mais perto disto foi Aristóteles, que foi o último grande filósofo da Grécia. Mas mesmo assim, o método aristotélico era bem diferente do método científico - se baseava em observar e formular uma explicação racional para o fato, e parava por aí. Aristóteles acreditava, por exemplo, que os corpos caíam e a fumaça subia porque os quatro elementos (terra, ar, água e fogo) procuravam seus lugares naturais no Universo. Essa explicação era racional para ele, e portanto era verdadeira. Não havia nenhum tipo de teste da afirmação, como se faz corriqueiramente na ciência.

      No auge da escolástica, na Idade Média, a filosofia cristã absorveu grande parte das ideias de Aristóteles, e isso levou a alguns atrasos no surgimento da ciência exatamente por essas ideias antagônicas. Foi por causa do aristotelismo, por exemplo, que a Igreja condenou Galileu. Não por causa da ciência. A ciência estava em pleno desenvolvimento naquela época, o próprio Papa financiava as pesquisas dele. Mas quando verificaram que a ciência entrava em conflito com o aristotelismo, que já estava praticamente dogmatizado na época, isso causou uma confusão, mas que o tempo curou não muito depois, com a teoria de Isaac Newton.

      O cristianismo ofereceu toda a base filosófica para o surgimento da ciência - eu explico isso melhor na série de textos a seguir: http://www.respostasaoateismo.com/2011/08/alma-da-ciencia-anotacoes-do-primeiro.html - e o aristotelismo, na verdade, só atrapalhou esse surgimento.

      E não é verdade também que os primeiros cientistas estiveram em "risco de vida". Desafio você a citar UM, apenas um cientista que tenha sido morto pela Igreja. Não existe. Você talvez lembraria de Giordano Bruno, mas a verdade é que ele não era um cientista. Ele não fez absolutamente NENHUMA contribuição ao conhecimento científico. E sua condenação foi por ideias teológicas (sobre a natureza de Deus, de Cristo e de Maria) e não por física ou matemática.

      Galileu não foi executado pela Igreja, em vez disso foi preso, mas por seu ensino contrário ao aristotelismo (que dogmatizava o geocentrismo). Além disso as ideias de Galileu eram muito novas e não havia confirmação e justificação suficiente na época, o que só veio depois com Newton. Por isso foi natural o ceticismo das pessoas em relação a suas afirmações na época.

      Ainda deve-se notar que a maioria dos grandes cientistas, desde o surgimento da ciência, até o século XIX, foram cristãos e não se envergonhavam disto, muito pelo contrário, faziam questão de dizê-lo.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    2. Desafio você a citar UM, apenas um cientista que tenha sido morto pela Igreja.

      LUCILIO VANINI
      ETIENNE DOLET
      MIGUEL SERVET
      HIPATIA DE ALEXANDRIA
      GIORDANO BRUNO
      Quer mais?

      Esse site é muito tendencioso. Pra afirmar que não existem cientistas mortos pela Igreja são categóricos em negar. Mas a existência de um ser que sequer há provas ficam dando nó em pingos dágua pra justificar.
      Como já disse, desonestidade intelectual tremenda.

      Excluir
    3. Mesmo que fossem cientistas e tivesse ocorrido isso; a "igreja" (ICAR) que vc se refere, também perseguiu os próprios cristãos fiéis seguidores de Cristo e sua Palavra.
      A Inquisição e a ICAR hoje, continuam bem longe dos ensinos de amor, justiça e igualdade exarados do NT. Lembre-se que disse Jesus:
      "nem todo que diz Senhor, Senhor entrará no céu".

      Além disso, mesmo assim, a Inquisição não matou mais que umas 2000 pessoas num período de 400 anos! bem diferente do comunismo ateista que matou mais de 100 milhões desde o séc. 20 e CONTINUA MATANDO!! em muitos países de ideologia ateista do extremo oriente.
      http://www.youtube.com/watch?v=1U6aR_jgda8

      Excluir
    4. Marlon Ferrari

      Lucilio Vanini - condenado pela Igreja por heresia teológica.
      Etienne Dolet - condenado pela Igreja por heresia teológica.
      Miguel Servet - condenado pela Igreja por heresia teológica.
      Hipátia de Alexandria - linchado por uma multidão por motivos políticos.
      Giordando Bruno - condenado pela Igreja por heresia teológica.

      Apesar de essas pessoas terem também se interessado por ciências, nenhuma delas foi morta por causa da ciência, mas sim por se declararem cristãos mas ao mesmo tempo ensinarem coisas contra o ensinamento oficial da Igreja, o que era crime na época.

      Então quero mais exemplos, por favor, esses são desonestos.

      Excluir
    5. Você continua se sujando pra limpar sua fé, mas eu não quero saber por que foram condenados. Coloque aí o que cada um fez, as contribuições que fizeram e a gente continua, caso contrário, vou achar que você está novamente sendo desonesto.

      Excluir
    6. Como sei que você não vai ser honesto, coloco aqui o MOTIVO por quais eles foram mortos:

      Lucilio Vanini - queimado vivo por propor uma tese onde os homens evoluíam dos macacos.
      Etienne Dolet - enforcado e queimado por circular com obras literárias de sua autoria.
      Miguel Servet - queimado vivo por negar tradições católicas baseado em sua obra "Restituição do cristianismo".
      Hipátia de Alexandria - morta por cristãos devido à visão cosmológica (científica, livre pensar e não doutrinação) diferente do patriarca católico vigente, Cirilo, que era conservador da Igreja e desaprovava as visões científicas.
      http://www.hojeeuvi.com/textos/a-historia-de-hipatia-de-alexandria-uma-mulher-alem-de-seu-tempo
      http://www.infoescola.com/biografias/hipatia/
      Giordando Bruno - Por defender a tese de Kepler e formular a teoria do cosmos infinito.

      Você é um desonesto e basicamente não é diferente daqueles que dizem que a ditadura militar não matou ninguém com visão política oposta no Brasil.

      Excluir
    7. Eles podem ate ser religiões mais sera que eles pensam em religião da mesma maneira que as pessoas ignorantes? ou ser dizem cristãos para evitar discussões religiosas.

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Não foram mortos por motivos científicos mas si por heresia teológica e rebeldia, conforme foi dito. Você mesmo cita Kepler (esse, sim, um cientista) e Giordano Bruno como defensores de uma mesma tese, sendo que o primeiro nunca teve problemas e era um cristão fervoroso, e o segundo teve e era um rebelde mala sem alça que vivia espalhando heresias contra a Igreja e foi excomungado pelos calvinistas, anglicanos e luteranos.

    ResponderExcluir
  7. só se sabe se a laranja é doce experimentando-a, fica a dica.

    ResponderExcluir
  8. Se me pagarem viro cientista de cristo tambem rsrs

    ResponderExcluir
  9. A pessoa que escolhe ser cientista não impede de ter uma religião. Somente tem que separar o trabalho e a preferência religiosa. Se não separar, haverá conflito e não terá sucesso na sua profissão.

    ResponderExcluir
  10. Cristãos são engraçados, ainda mais essa nova onda de cristãos querendo parecer religiosos racionais e científicos, são o último suspiro de algo que já deveria falecido há muito tempo: superstição. Não entendi o que estão querendo provar com essa lista. Existem muitos cristão cientistas, eles praticam a sua ciência retirada dos ensinamentos de cristo? Eles oram ou falam com o seu sentimento especial de deus pra delinear experimentos? Eles por acaso, ao invés de usar religião, usam os princípios epistemológicos, que dão origem as técnicas e métodos de estudo da ciência para fazer ciência? O último caso é o verdadeiro claro, pq mesmo o religioso mais fervoroso que existe, não consegue derivar ciência da religião. O máximo que conseguem é desenhar uns argumentos incompletos pra dizer que o mundo é um milagre, e por isso é preciso uma força inteligente por trás de sua criação, ou seja, se fantasiam de filósofos pra dizer que a ciência provou o deísmo, pra então corrompoer o argumento já falho e dizer que a ciência prova o teísmo cada vez mais.

    Na verdade, o que essa lista prova é que a chamada "sabedoria" de cristo não é suficiente, que vc precisa mesmo é de galileu, karl popper e etc. Pois a religião implora por confiança e credulidade, quando a ciência exige ceticismo e experimentação. Vcs argumentam contra si mesmos, sem perceber.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernando,
      a ciência veio de Deus, e já estava profetizado que ela se multiplicaria nos últimos tempos.

      Excluir
    2. reparem a diferença de profundidade lógica e intelectual entre um ateu e um cristão. só digo isso...

      Excluir
    3. Para um ateu, a lógica e o intelecto humano, vieram do limo/lama por mágicas transformistas de acidentes ao acaso às cegas.
      Para um cristão, o Criador Inteligente Pessoal implantou tais atributos na matéria inanimada.

      Qual seria mais lógico, coerente e racional?? só digo isso...

      Excluir
    4. Cicero, só tenho como entender o que vc disse como uma pergunta sem ponto de interrogação. Não entendo afirmações sem razão, religiosos gostam de ser tratados nesse tom, não ateus, então, a minha resposta a vc é: não. A ciência não veio de deus, deus pede confiança e fé, pune dúvida e recompensa credulidade. Sobre o limo/lama ateias, não confunda as possibilidades derivadas da liberdade de pensamento que o ateísmo proporciona com o ateísmo em si. O ateísmo é um passe-livre para investigação sobre as respostas que a religião da, sem ensinar se quer qual é a pergunta. Depois que nós livramos ou se nem chegamos a conhecer essas respostas religiosas/dogmas, buscamos respostas por nós mesmos e chegamos a respostas como a evolução, por ser a melhor, mas o ateísmo também está ligado, mesmo que não comprometido, a suspensão de crença simplesmente, a não saber e não tendo respostas boas, aceitar temporariamente que não há respostas. Uma vez que aceitar que não se tem respostas é melhor do que imaginar suposições aleatoriamente, para preencher a necessidade da pergunta sem resposta.

      Marlon, obrigado, entendi como um elogio haha

      Excluir
    5. Cicero, quem afirma que algo veio da lama são vocês!
      E como muito bem dito pelo Fernando, ateu não precisa "crer" em nada, daí vem o ateísmo ok? Ele é livre pra pensar o que quiser. Se ele não gostar ou não quiser aprender qualquer coisa ligada à ciência, que seja. Vocês possuem muito preconceito em julgar que só porque alguém é ateu ele é amigão de darwin. Não é assim.
      E tentar avaliar o caráter de qualquer pessoa por ela saber ou não a teoria da evolução não é ridículo demais, até pra você que não sabe bulhufas dela?
      Por favor...
      Fernando, nem foi elogio porque acaba sendo constatável em qualquer discussão. Cristãos sempre na mesma teclinha e os mais agnósticos/ateus sempre com visão ampla, lúcido conhecimento em várias áreas e com boa capacidade de argumentação e coerência.

      Excluir
    6. Fernando e Marlon,
      Vcs são ateus, mas a própria mente inteligível do incrédulo é parte da revelação de Deus, testemunhando contra sua defesa irracionalista sem causas inteligíveis, do mundo e da vida originadas pelo puro acaso às cegas.
      Sem o controle soberano do universo e a revelação de Deus a nós, não saberíamos absolutamente nada e ficaríamos numa total ignorância e caos.
      Os céticos pressupõem e aplicam, mesmo inconscientemente (ou até sabendo!) os princípios básicos da cosmovisão teísta cristã para entender o mundo.

      Se Deus inexiste então por que existe o universo em vez do nada?
      Gênesis cita uma Causa Inteligente Criadora (Designer) para o surgimento do incrível e ordenado universo e da complexa e multiforme vida a partir do nada-ex-nihilo.
      Pergunto: o que seria mais complexo? um celular, um micro, uma tv, uma bicicleta ou o universo?

      Excluir
    7. Os defensores do D.I. apontam que a perfeição mecânica e complexidade “irredutível” dos sistemas bioquímicos não poderia se originar de processos naturais progressivos, logo evolutivos, e como demonstro o design inteligente implica não só numa divindade criadora como igualmente no processo evolutivo (e as demonstrações nem mesmo são originais minhas, mas na verdade, amplamente conhecidas pela comunidade científica e filosófica dedicada ao tema).

      Mas se implica numa divindade atuante sobre os seres vivos e sua bioquímica, não necessariamente implica em uma única, exatamente a linha de argumentação apresentada por Thomas Hart – de que a existência de um relógio não implica em ser projetado/construído por um único designer/artesão. Logo, por este raciocínio similar e simples, podemos também afirmar que se há a atuação de uma divindade num filo biológico qualquer, não necessariamente esta atuação de dá por uma mesma divindade neste filo ao longo de sua história evolutiva.

      Exemplificando, se o olho e seus mecanismos bioquímicos de um amniota foi desenhado e modificado no processo evolutivo por uma divindade, a modificação para um olho superior oticamente como o das aves de rapina pode ter sido ação de outra divindade, talvez com maior simpatia por aves que por mamíferos.

      Poderíamos também deduzir (mesmo numa monstruosa construção lógica destas) que os predadores seriam fruto de uma divindade mais poderosa, ou mesmo os parasitas de uma mais malévola, ou os vegetais de uma mais preguiçosa, as bactérias de uma mais simplória, os insetos de uma mais imaginativa, e assim ad infinitum.

      Igualmente em grande volume, poderíamos, pela linha de nossa argumentação, afirmar que a partir do grande trabalho do designer que produziu os diversos designs do Cambriano, sobreviveram apenas os pouco imaginativos posteriores, limitados aos poucos designs básicos que hoje temos, ou que o laborioso trabalho que conduziu aos magníficos ungulados carnívoros, foi destruído por alguma divindade invejosa, perturbando uma o trabalho da outra, aliás, tema de mitologia que à exaustão foi explorado pelos gregos.

      Em suma, afirmar que há a ação de uma divindade não implica em sustentar uma metafísica já destruída, na expressão de Heidegger, brilhantemente difundida pelo professor de filosofia Cirne Lima, que conduza à aceitação inequívoca de uma divindade judaico-cristã, aos moldes de Aquino, e sim, à uma progressão de dúvidas, mais que certezas, pois além de teleologia alguma ser evidente na natureza, menos ainda nos seres vivos, não está na existência dos processos e sistemas biológicos a sustentação para a existência inequívoca de uma divindade, pois como vimos acima, se antes a primeira argumentação simplória poderíamos tender a Jeová, agora podemos ter Zeus, ou Brahma, ou Odin, etc, entre milhares frente aos milhares de filos dos seres vivos, a terem evidência nos designs que julgamos divinos e irredutíveis pelo pífio argumento de Paley.

      Concluindo, pelo que vimos, uma argumentação pelo design inteligente mais pulveriza a fé do que a unifica. Não é a marcha para as certezas, mas para uma confusão inimaginável mesmo ao compilador Ovídio em Metamorfoses.

      Excluir
    8. Caro,
      O DI é a opção mais racional, lógica, sensata e coerente para explicar o surgimento dos sistemas biológicos multiformes, em virtude dos seguintes fatos observáveis:
      -A complexidade especificada e a complexidade irredutível são indicadores ou marcas seguras de design nos sistemas biológicos e empregam subsistemas de complexidade irredutível interdependentes. E designs implicam um Designer Criador.
      -Os mecanismos naturalistas ou causas não-dirigidas não-ordenadas não-inteligentes e randômicas não são suficientes para explicar a origem da complexidade especificada e irredutível nos seres orgânicos.
      -Várias estruturas irredutivelmente complexas são compostas de elementos harmônicos e interativos nos seres que contribuem para o funcionamento do todo, de forma que a remoção de qualquer das partes faz com que ele cesse de funcionar.
      -Analogia: nosso cérebro é muitíssimo melhor, mais rápido, sofisticado e complexo que nossos melhores computadores criados por humanos (designers). Logo, o cérebro exige um Criador Inteligente.

      Na verdade, o argumento de Paley cada vez se fortalece mais, com as novas descobertas da biologia molecular. Estruturas inter-dependentes em micro e macro escala, funções, órgãos e componentes das células finamente ordenados inter-ligados.
      Justamente o naturalismo ateísta, rejeita a natural tendência humana de ver um propósito, ordem, inteligência, desenho e uma causa nos efeitos naturais, e acreditar que o Universo em si é um efeito sem causa, sem origem, sem um, sem inteligência, sem Projetista, sem um Legislador - visto as inúmeras leis científicas universais existentes. Algo fruto do acaso e caos às cegas acidental desordenado irracional, ou seja... ANTINATURAL.

      Excluir
    9. Incrível como a mente humana se torna tão intensa quanto mais lacunas comporta, pois sem coerência só resta a vontade e a fé, que não vem da natureza, mas do próprio ser humano. Seria muito bom se vcs teístas percebessem, mas já vi que o desespero é maior, a tentativa de buscar a racionalidade é o salto para longe da fé que vai destruir vocês mesmo, a minha preocupação é que no fim do teísmo, haja uma comoção tão grande que vcs se voltem contra si. Veja bem como é exatamente o que está acontecendo, mais e mais lideres religiosos buscando poder para suas igrejas e cada vez mais buscando meios sordidos de escravizar o povo intelectualmente com medo, preconceito e ódio a tudo que não é igual a eles.

      Pois bem, o di inteligente é uma forma de raciocínio cíclico quando tanto. Ele tenta explicar fenômenos naturais com jargões próprios e depois diz que segue que para os jargões existirem eles precisam estar corretos, só isso. Existe algo que acontece com ordem aparente e vcs atribuem a isso o nome de design, portanto se algo é chamado de design, então o designer é real: Não. Isso é nada mais que uma brincadeira com palavras, é uma forma de raciocinar tão baixa que é digna do resígnio que se rende aqueles que querem ter a resposta antes da pergunta, "deus criou tudo" é uma proposto a qual vcs se comprometem antes mesmo de terem o prazer de sofrer com as perguntas existênciais, só esse fato já é o bastante para que o argumento de vocês sejam lido com escárnio, vcs não encontram respostas por exploração, mas por compromisso a uma tradição. Di é nada mais que isso, uma mentira fervorosa que é repetida e nunca provada, mas desprovada como já foi várias vezes e de várias formas. Não segue também que a inteligência é sempre criada pq uma inteligência eventualmente criará a outra, vc não tem respeito a lógica se quer, vc poderia dizer que é minimamente provável que o evento da criação da inteligência artificial seja um sinal de que a nossa também foi criada, e o seu comentário poderia ser ouvido com respeito se quer, mesmo que fosse tão inútil quanto qualquer outro artigo da fé é para explicar o mundo natural, mas vc prefere afirmar por amor a sua fé, mesmo que ela fira todas as leis naturais que existem nesse universo. Pois continue, e seja feliz, só saiba o seu lugar e saiba quem é, um supersticioso, de pensamento místico, mágico e crédulo, não um pensador racional.

      Excluir
    10. Fernando - Seria muito bom se vcs teístas percebessem, mas já vi que o desespero é maior, a tentativa de buscar a racionalidade é o salto para longe da fé

      A base dos cristãos não é apenas fé. A razão, a lógica, a cognição, as descobertas, os FATOS são elementos importantes na construção da fé cristã; e inclui-se aí também, o método científico. Não cremos num deus obscuro longínquo abstrato impessoal indiferente incomunicável.
      Interessante que a própria Bíblia profetizou o crescimento/multiplicação da ciência em Dn 12:4.
      O ônus é de vcs em provar a inexistência de Deus diante do incrível universo finamente ajustado e da complexa e multiforme vida aqui. Quem fez tudo? Acaso foram os deuses ateístas: NADA-ACASO-CAOS-SORTE??!!

      Veja bem como é exatamente o que está acontecendo, mais e mais lideres religiosos buscando poder para suas igrejas e cada vez mais buscando meios sordidos de escravizar o povo...

      Essa questão deixemos pra Deus julgar no final. Igrejas, religiões, denominações, padres, pastores não salvam ninguém e nunca foi passaporte pro céu.
      Jesus disse claramente: "Nem todos que dizem Senhor, Senhor, entrarão no reino dos céus".

      Existe algo que acontece com ordem aparente e vcs atribuem a isso o nome de design, portanto se algo é chamado de design, então o designer é real:

      Uma explosão amoral, impessoal, irracional, inanimada, material ter dado origem a seres morais, pessoais, racionais e inteligentes. Do nada ao tudo, do caos a ordem, do sem sentido ao sentido.
      Na origem e ordem da vida, em suas constâncias e harmonias, nas fartas evidências empíricas materiais/não materiais ao nosso redor no mundo natural em suas leis precisas, corroboram um Criador Legislador Ordenador Inteligente Pessoal.
      O princípio antrópico é fortíssimo. O universo manifesta criação organizada e inteligente, é razoável supor um Projetista Inteligente Incausado Ilimitado, isto é uma NECESSIDADE!

      vcs não encontram respostas por exploração, mas por compromisso a uma tradição. Di é nada mais que isso, uma mentira fervorosa que é repetida e nunca provada, mas desprovada como já foi várias vezes e de várias formas.

      Sua interpretação. Onde? quando? quem? refutou o DI/CRIADOR INTELIGENTE?
      Por ex. máquinas criadas pelos homens são estáticas, mortas, únicas, logo mais fácil sua criação, mas ainda assim demandam um fabricante inteligente.
      Imagine as múltiplas e complexas formas de vida na natureza se reproduzindo, se adaptando! vc tem ideia do que seja o DNA???

      Ou seria também, seu texto acima, fruto de combinações fortuitas de elementos químicos vindos do LIMO um dia???!!! teria a matéria (elementos químicos) qualidades de ideias, pensamentos, conceitos, razão, moral, ética, justiça, bondade, perfídia, maldade etc exclusivos nos humanos??? Prove que uma evolução puramente biológica-química-material geraria tais atributos!... boa sorte.

      Excluir
    11. Fernando - Não segue também que a inteligência é sempre criada pq uma inteligência eventualmente criará a outra, vc não tem respeito a lógica se quer,...

      Certo! vamos falar de lógica. O famoso cético Carl Sagan declarou:

      “a neuroquímica do cérebro é surpreendentemente ativa, o circuito da máquina mais maravilhosa que qualquer outra inventada pelos homens” (Cosmos p.278).
      Sim, certamente ele não foi inventado e nem surgiu casualmente de acidentes fortuitos cegos, com seus 20 milhões de volumes de informação, mas foi minuciosamente projetado por uma Grande Mente, assim como máquinas projetadas e construídas por humanos.

      Sagan, em suas declarações traía sua fé ateísta!
      Como mais essa:

      “Os seres humanos emergiram de um processo poderoso, mas aleatório” (Cosmos p.282).
      Como pode ser aleatório, se foi poderoso!? – isso implica, ordem, direção, organização, complexidade e inteligência!
      Logo, suas próprias declarações atestam a necessidade de uma Causa Inteligente pra origem do Universo e do homem.
      A boa analogia do computador e cérebro humano é perfeita!

      O super computador “Roadrunner“ pertencente ao “Los Alamos National Laboratory” estabeleceu um novo recorde no que toca a velocidade de computação, um avanço que pode despontar uma nova era no que toca à análise científica de sistemas complexos.

      O evolucionista ateu olha para o Roadrunner e fica maravilhado (“Que bela máquina!”). No entanto, o mesmo ateu olha para o bem mais eficiente e bem mais complexo e poderoso cérebro humano e diz “Obviamente que ninguém fez o cérebro! É óbvio que ele é o resultado de apenas alguns milhões de anos de evolução aleatória às cegas não-direcionada, não-inteligente, não ordenada, não projetada e não-pessoal!”

      Bem... as CIÊNCIAS exatas como a matemática, comprovam o mito bizarro darwinista.
      A evolução aleatória é tão absurda dado que a probabilidade do surgimento de uma molécula de DNA simples, calculada pelo Dr. Frank Salisbury, da Universidade Estadual de Utah, EUA, é de 1 em 10 elevado a 415 (1 dividido por 1 com 415 zeros à direita), o que é considerado impossível matematicamente falando.
      E considera-se já uma impossibilidade matemática 1 dividido por 10 elevado a 50.

      Ou, as chances da molécula mais simples de proteína ter surgido ao acaso movido por forças cegas segundo o matemático suiço Charles Cuye é de 1:10 seguidos de 160 zeros! Edwyn Conklin biológo da universidade de Princeton disse: "A probabilidade de vida originada acidentalmente é comparável a probabilidade dum dicionário completo surgir numa explosão em uma tipografia".
      É como se as pirâmides do Egito ou a Torre Eiffel tivessem surgido por si só. Ora, a obra-prima requer um Artista, o desenho requer um Desenhista!
      Mas eu duvido que a ciência mude algo para a dos crentes evolucionistas desesperados em defender sua religião transformista dogmática!

      Excluir
    12. Uma rocha pode ser poderosa, uma montanha imponente, um vento aconchegante. É nesse tipo de confusão que se baseia o que vc acha que é racional: o seu argumento. Essas expressões são antropomorfizações. Os seus argumentos se revolvem em duas presunções, se é altamente improvável, então deus é a única real explicação, se parece ordenado e desenhado, então precisa de um ordenador e um desenhista. Acho que já falei o que penso sobre isso, odeio me repetir, odeio mais ainda quando é numa conversa com alguém que adora se repetir.

      Concordamos sobre algumas coisas pelo que percebi, no escárnio contra a fé, desespero intelectual, religião e dógmas. É o bastante para mim. Tu argumenta fazendo afirmações vazias, por isso não aceito suas afirmações sobre o cristianismo não ser só fé e continuo dizendo: esse movimento para a razão, por mais falastrão que seja, significa o fim da fé e da credulidade, um dia a próxima geração de teólogos e crentes vai conferir o ceticismo que já penetrou a teologia, não contra a ciência e seus artigos científicos como a evolução, mas contra a própria crença e ai será o fim pro seu lado do debate. Não será a ciência a demolir a crença e a superstição, muito menos a fé, mas a epistemologia que vcs mesmos aprendem, lhe desejo que continue aprendendo sobre ela, nada mais.

      Excluir
    13. Tu argumenta fazendo afirmações vazias, por isso não aceito suas afirmações sobre o cristianismo não ser só fé

      O que vejo na verdade, é somente seu delírio nonsense, então as descobertas em várias áreas do conhecimento humano atestando vários eventos e personagens bíblicos é baseado em fé??!!

      não contra a ciência e seus artigos científicos como a evolução...

      Amigo, chamar a evolusuperstição de ciência é uma afronta e infâmia contra a verdadeira ciência empírica.
      A iniciativa científica busca a explicação causal das coisas, na qual carece o mito darwinista.
      O cristão Francis Bacon, o pai da ciência moderna, afirmou que o verdadeiro conhecimento é "o conhecimento das causas".

      Mas evolução é religião, e não ciência, como os próprios crentes darwinistas admitem!

      “At the time I rather pooh-poohed what Mr. Gish said, but I found myself thinking about his words on the flight back home. And I have been thinking about them ever since. Indeed, they have guided much of my research for the past twenty years.Heretical though it may be to say this – and many of my scientist friends would be only too happy to chain me to the stake and to light the faggots piled around – I now think the Creationists like Mr. Gish are absolutely right in their complaint. Evolution is promoted by its practitioners as more than mere science.Evolution is promulgated as an ideology, a secular religion — a full-fledged alternative to Christianity, with meaning and morality. I am an ardent evolutionist and an ex-Christian, but I must admit that in this one complaint – and Mr. Gish is but one of many to make it – the literalists are absolutely right. Evolution is a religion. This was true of evolution in the beginning, and it is true of evolution still today.”
      (RUSE, Michael “How Evolution Became a Religion: Darwinians Wrongly Mix Science With Morality, Politics.” National Post Saturday, May 13, 2000).
      Michael Ruse, an evolutionist philosopher of science who previously defended evolution as science has now stated that evolution is actually religious in nature.

      "De fato, de uma certa forma a evolução tornou-se uma religião científica quase todos os cientistas têm aceito essa teoria e muitos estão preparados a ‘dobrar’ as suas observações para com ela se encaixarem"
      (H.S. Lipson, Professor of Physics, University of Manchester, UK, "A Physicist Looks at Evolution," Physics Bulletin, vol. 31, maio de 1980, pg.138).

      “A evolução pode ser considerada como uma espécie de religião mágica. A magia é simplesmente um efeito sem causa, ou pelo menos sem causa competente. “acaso”, “tempo”, e “natureza” são os pequenos deuses mantidos nos templos evolucionistas.”
      (Randy L. Wysong – Instrutor de fisiologia e anatomia).

      David M. Raup, um evolucionista, admite livremente:
      "Nos anos posteriores a Darwin, seus defensores esperavam encontrar progressões previsíveis, estas ainda não foram encontradas - mas o otimismo é difícil de morrer e alguma pura fantasia tem penetrado nos livros didáticos."
      ("Evolution and the Fossil Record," Science, vol. 213, julho de 1981, pg. 289).

      Parece que "pura fantasia" é o termo politicamente correto para "mentiras calculadas".

      Excluir
    14. Teístas e seus argumentos de autoridade, uma pessoa disse uma opinião metafórica que parece com o que vc tá dzendo, então vc está certo? Isso é ser racional pra vc? Nunca um teísta vai falar sobre questões permeante a religião com coerência, é muita paixão e ego em jogo. Até sua epistemologia é ultrapassada, não se fala mais em causa-efeito, se fala em relações e funções, como se poderia falar em causa e efeito, quando esses valores são simples referências semânticas definidas pela perspectiva? Como se poderia falar sobre causa num mundo de contexto, espectro e relações? Causa e efeito ficou no grecia e sua filosofia clássica, quanto mais adentramos o reino das coisas sub atomicas, mais a lógica humana e intuitiva da qual vc se prevalece se torna obsoleta. "O mundo é um efeito, e deus é a causa", raciocínio digno da infância intelectual da humanidade, finalmente estamos crescendo e vc é prova disso, a epistemologia que vc aprende, mesmo que lentamente, um dia vai destruir o que vc mais ama, eu estou só aguardando

      Excluir
    15. Fala Fernando! Sensacional seus argumentos cara. Gostei muito da sua visão sobre os múltplos "deuses relojoeiros" que poderiam existir para construir algo e não apenas um. Isso quebra filosoficamente a frasezinha "para tudo há um criador", porque podem ser vários, ou nenhum hehe. Muito inteligente.
      Mas cara, não vale a pena debater com esses daqui, acredite, já tentei. Fé é fé. Eles vão continuar crendo naquilo que eles querem.

      Excluir
    16. Até porque eles só tem uma tecla pra bater: Deus existe. Mas não conseguem refutar a existência dos outros 3 mil catalogados, nem oferecem explicações que permitam diferenciar o deus cristão como sendo o causador de tudo, no máximo, balbuciam algo como "deus existe, tá aí."

      Excluir
    17. Teístas e seus argumentos de autoridade,

      E em qual autoridade científica eu devo crer? na sua?!

      "O mundo é um efeito, e deus é a causa"

      Fernando é um efeito, e o nada, acaso, acidentes cegos,(entidades inexistentes) são as causas transformistas de lama em milhões de anos. Raciocínio digno da infância intelectual e da irracionalidade bizarra dos fundamentalistas neo-ateus.
      Até o famoso cético David Hume disse: "jamais afirmei uma proposição tão absurda como a de que algo pode surgir sem uma causa".

      Relógios ainda requerem bons relojoeiros... mesmo que não pensam e se reproduzem.

      Excluir
    18. Olá, Fernando Martins. Desculpe a demora em responder, mas atualmente minha falta de tempo só me deixa acompanhar os comentários a cada 2 ou 3 meses. Estou tentando diminuir esse intervalo.

      Como a discussão aqui avançou bastante, vou me ater a apenas uma frase que você escreveu no início:

      "Na verdade, o que essa lista prova é que a chamada "sabedoria" de cristo não é suficiente, que vc precisa mesmo é de galileu, karl popper e etc. Pois a religião implora por confiança e credulidade, quando a ciência exige ceticismo e experimentação. Vcs argumentam contra si mesmos, sem perceber."

      Meu caro, você comete o mesmo erro que o Marlon Ferrari em outro comentário. A ciência e a religião não tratam das mesmas coisas. É claro que nenhuma das duas é suficiente por si própria para abraçar a completude da realidade. A ciência, com seu método científico, propõe explicações para os fenômenos naturais. Responde a perguntas do tipo "como?", "quando?". A religião trata de uma dimensão da realidade que a ciência não consegue alcançar, a dimensão espiritual. Trata de Deus e seu relacionamento com o homem. Ela tem acesso a perguntas mais profundas acerca da realidade, que a ciência não tem, como o "por quê?".

      A religião cristã, particularmente, defende que há uma revelação da parte de Deus para a humanidade. A "fé" que essa religião exige não é uma credulidade cega como você parece acreditar, mas é uma espécie de confiança que carrega uma prova dentro de si mesma. A fé gera a própria revelação de Deus dentro da pessoa, de forma que Deus se torna uma verdade evidente pra ela. Sobre a fé, eu recomendo alguns textos aqui do meu blog que você pode ler (tem 5 textos nesse link):

      http://www.respostasaoateismo.com/search/label/F%C3%A9


      Mas a fé tem a ver apenas com a DIMENSÃO ESPIRITUAL da realidade, você acredita em Deus e tem um relacionamento com ele, e só. Isso EM NADA exclui a necessidade e o prazer de buscar conhecimento a partir da natureza.

      Aliás, é só pressupondo Deus e uma ordem racional no Universo que se pode derivar um valor EM SI na natureza, de forma que ela seja digna de estudo. Um ateu, em princípio, não teria qualquer motivo para estudar a natureza além de interesses puramente práticos. Mas a ciência se desenvolveu no final da Idade Média justamente porque os cristãos estavam ávidos em conhecer a natureza, como uma forma indireta de conhecer o próprio Deus. Hoje em dia, tudo bem, há muitos ateus cientistas, mas eles estão apenas pegando carona nesse interesse pelo mundo físico que começou com os cristãos séculos atrás.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
  11. Caro David,
    Não irei discutir com alguém que define fé como "uma espécie de confiança que carrega uma prova dentro de si mesma". Não sei se percebeu o tamanho do absurdo que diz, mas basicamente essa sua explicação serve para qualquer coisa, desde homem tendo fé que sua esposa não o trai, até para outras crenças, seja cristã, nazista, muçulmana.
    Já que você tocou no ponto que eu teria errado, também gostaria de fornecer uma crítica. Acabei vindo a esse blog pelo título e até então nenhum post faz jus a ele. Vejamos onde ele erra:
    1- Não dá "respostas ao ateísmo", isto é, não prova a existência de nenhum deus seguindo os processos e sistemas conceituais que fariam um ateu crer.
    2- Não contra-argumenta princípios fundamentais da ciência com uma ciência superior ou entendimento científico distinto. Isso por si só era o que esperava.
    Em vez desses pontos que mencionei, está apenas defendendo um ponto de vista com base em pontos de vista da mesma crença, o que não me interessa.
    E antes de sair e parar de acompanhar o blog, deixo aqui a minha síntese de que as explicações aqui tentadas não corroboram com a existência deste deus em específico. Os mesmos argumentos são os mesmos que podem ser usados com qualquer outro fenômeno. Aliás, o que vocês não percebem é que existir um deus implica na existência ou na possibilidade da existÊncia de mais de um deus também. E antes que tentem saber se o deus jeová ou deus alá existe, melhor saber se há algum, mas eu já adianto aquilo que muitos dize há 200 anos: Até agora, nada!
    Eu até poderia me despedir com "A paz de Cristo", porém, como ele não veio trazer paz, vide Matheus, então nem falo nada. Se o deus de vocês e o seu profeta só vieram trazer guerra, o mínimo que posso fazer é não passar a mensagem (fútil) deles à diante.
    Até a próxima,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marlon Ferrari,

      minha explicação sobre fé foi bastante resumida. Eu te dei uma lista de cinco textos de minha autoria nos quais eu explico melhor a minha definição. Se você quer continuar com um pré-conceito do que vem a ser fé, tudo bem. Mais seria mais honesto da sua parte procurar saber do que eu estou falando antes de tirar uma conclusão.

      Gostaria de responder às críticas que você fez:

      1- Quem disse que responder ao ateísmo é provar a existência de um Deus? Todo mundo sabe que é impossível provar a existência de Deus, no sentido matemático ou científico. É possível até fornecer argumentos, e eu faço isso no blog, mas esse não é bem o meu foco. O meu foco é mostrar através das respostas como muitas afirmações tipicamente ateístas são incoerentes ou incompletas, e encorajá-los a buscar outra opção. Este próprio artigo é um exemplo. O objetivo dele não é provar que Deus existe, mas quebrar o preconceito que existe na mente de muitos ateus, que acham que a fé é oposta à razão, ou que prejudica a ciência.

      2- Contra-argumentar a ciência? Se você acha que era isso que eu deveria fazer, você passou longe de entender o objetivo deste blog. O meu objetivo é justamente o contrário. É conciliar a ciência com a fé cristã, mostrar que não são opostos, que na verdade existem até ligações bem fortes entre os dois.

      Aliás, o que você quis dizer com "Os mesmos argumentos são os mesmos que podem ser usados com qualquer outro fenômeno"? De quais argumentos você está falando? Poderia dar um exemplo concreto?

      "o que vocês não percebem é que existir um deus implica na existência ou na possibilidade da existÊncia de mais de um deus também."

      Não mesmo, e existe um argumento muitos simples para isso: a Navalha de Ockham. Deus é entendido como a causa transcendente da existência do Universo. A Navalha de Ockham é um princípio racional que diz que não é inteligente postular mais causas que o necessário. Até hoje, tudo o que sabemos sobre o Universo leva a crer que o Universo começou a existir em algum momento no passado. E tudo que começa a existir possui uma causa. Esta causa, por sua vez, não começou a existir, porque ela criou o próprio tempo. O jeito mais racional de entender essa causa é admitindo que é apenas uma só causa, segundo a Navalha de Ockham. Apenas um "Deus" (ser pessoal criador do Universo) é suficiente para expicar a existência do Universo (ou porque existe algo em vez de nada).


      "E antes que tentem saber se o deus jeová ou deus alá existe, melhor saber se há algum, mas eu já adianto aquilo que muitos dize há 200 anos: Até agora, nada!"

      Se você espera que venha ser dada uma resposta para a existência de Deus pela ciência, vai esperar sentado. Eu canso de dizer aqui nesse blog que Deus está além do escopo do método científico. Deus não é um fenômeno regular da natureza ou uma lei, é um Ser pessoal com vontade própria. Ele não pode ser testado com experimentos porque os resultados não podem ser reproduzidos (não funcionam segundo leis naturais, mas sim segundo a livre vontade de um Ser). A filosofia fornece respostas acerca da existência de Deus, e no século XX ressurgiram argumentos muito fortes para a existência de Deus. Eu falo um pouco sobre isso nesse texto aqui: http://www.respostasaoateismo.com/2014/09/o-renascimento-da-filosofia-teista-no.html

      Entretanto, entre os círculos acadêmicos, sempre vai haver resistência a aceitar a existência de Deus, porque cremos que o homem está manchado pelo pecado e interiormente inclinado a rejeitar Deus e estar em rebeldia contra Ele. Apesar de a existência de Deus ser evidente de vários modos, aceitar este fato é de certa forma lutar contra si mesmo e as próprias inclinações.

      Excluir

    2. "Eu até poderia me despedir com "A paz de Cristo", porém, como ele não veio trazer paz, vide Matheus, então nem falo nada. Se o deus de vocês e o seu profeta só vieram trazer guerra, o mínimo que posso fazer é não passar a mensagem (fútil) deles à diante."

      A paz que Cristo oferece não é a paz política, mas sim a Paz interior. Ele diz que veio trazer guerra porque a mensagem que Ele oferece entra em conflito com as inclinações naturais dos homens que o rejeitam, e por isso existem os conflitos. Mas existe a Paz interior que só Cristo pode oferecer, que te coloca em Paz com Deus e tira as vendas que te fazem rejeitá-lo apesar de toda a evidência disponível. Se você estiver precisando de paz interior, seria bom considerar essa possibilidade.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
    3. Há dois mil anos atrás o filósofo, orador Cícero já dizia que era impossível formar um só verso de Ênio pescando ao acaso as letras do alfabeto. No entanto, vinte séculos depois Darwin diria que a evolução aleatória às cegas faz coisas muito mais espantosas (e muitos abraçam isso como uma verdadeira religião). Mais complexas que a Divina Comédia ou Os Lusíadas!

      Amigo, creia na ciência e o que ela nos informa e demonstra.
      O físico Edmund Whittaker afirma:
      "É mais simples postular a criação ex-nihilo - vontade divina - constituindo a natureza do nada".
      Ou seja, estando totalmente de acordo com o princípio da navalha de Occam!

      "Deus nunca fez um milagre para convencer um ateu porque suas obras comuns já mostram provas suficientes" - zoólogo PhD - Ariel Roth.

      A maior lacuna dos ateus é: explicar por que existe algo - o universo - quando não é necessário que exista nada.
      A inexistência de tudo no mundo é possivel, mas o mundo existe. Por que? Se não há causa para sua existência, não há razão para o mundo existir.

      Os ateus admiram a beleza da natureza um pôr-do-sol bonito e ficam impressionados com o céu estrelado admiram a beleza natural como se fosse feita para eles e ainda assim não creem no Criador que a tenha feito.

      Os ateus se orgulham de ser racionais. Mas para que ser racional se o universo é o resultado do acaso irracional? Não há razão para ser racional num universo aleatório. E para que seguir um propósito nesta vida se não há objetivo nem significado final para a vida, nem destino após ela? Logo, o maior orgulho dos ateus não é possivel sem Deus.
      Mesmo um ateu pensante, não pode ser fruto do acaso cego irracional.

      Excluir
    4. Deus não existe.

      Os CRISTÃOS admiram a beleza da natureza um pôr-do-sol bonito e ficam impressionados com o céu estrelado admiram a beleza natural como se fosse feita para eles. Se "Deus nunca fez um milagre para convencer um ateu porque suas obras comuns já mostram provas suficientes", é p q ele não existe, e se para vocês o q existe pode ser usado para provar a existência de deus, então eu também posso usar o mesmo artificio. Como vocês mesmo dizem q deus é bom e amoroso, então eu posso provar q ele não existe, mostrando as milhões de crianças q todos os anos morrem de fome, agressões e até sofrem estupros.

      Excluir
  12. Maribol Sinuca, não comete esse erro de fazer proporção no quesito inteligência. Por favor! Obviamente existem mais cristãos no mundo. Como o cristianismo cresceu rápido e de maneira desorganizada, se comparado ao judaísmo, quem foi se convertendo ao cristianismo não teve explicações de como sua fé funciona no berço. Aliás, não teve nem muito incentivo aos estudos. Não que nossa fé repreenda isso, mas porque historicamente, judeus, pobres ou ricos, sempre souberam que precisavam educar suas crianças em tudo o que fosse possível desde cedo. Isso não acontece no cristianismo. Exatamente por isso, tu vai ter mais cristãos e a proporção de prêmios será menor. Mas, aí vem a questão: O cristianismo deixou as pessoas "menos inteligentes" ou suas várias formas de viver e contatos com estudos é que não permitiu a vinda de mais prêmios?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Unknown!

      É um argumento furado pegar qualquer característica de comportamento social e querer associar unicamente a religião. A sociedade é um fenômeno complexo, e sempre há múltiplas causas que contribuem para uma situação. No caso, como você bem observou, é o aspecto sociológico da religião (e não a religião em si) a causa principal dessa estatística.

      Esse é um erro comum que ateus cometem, por exemplo naquela relação entre países desenvolvidos e ateísmo.

      Abraços, Paz de Cristo.

      Excluir
  13. Não adianta questionar os fatos. Eu publiquei quem ganhou mas prêmios. Então Unknown, não cometa esse erro q colocar justificativas sem base. A instituição religião tem uma tendencia a não valorizar os estudos dos seus fiéis. Afinal das contas, para igreja não é vantajoso fiéis q estudem.

    ResponderExcluir
  14. Quem gosta pegar qualquer característica de comportamento social e querer associar unicamente ao outro, é a instituição religiosa. A igreja a milênio faz isso como justificativa para perseguir, torturar e matar. Até hoje em dia se ver muitas religiões q cometem absurdo em nome de um deus.

    ResponderExcluir
  15. Otimas fontes e referencias, muito bom, melhor que 99% de paginas ateus que são sensacionalistas

    ResponderExcluir
  16. Parabéns Cícero, Parabéns David pela paciência , infelizmente vocês estão discutindo com os verdadeiros "fanáticos religiosos", eles substituem Deus por Marx, Darwin ou qualquer outra coisa que personifique o "Neo Ateísmo", mas no fundo continuam falando besteiras como sobre algumas que li da Idade Média postadas por eles, me pergunto se esses caras já leram Pernoud ou Gimpel, se entendem o trabalho de Newton e sua intenção desde o início, fico surpreso com uma interpretação canalha sobre números tentando associar alguma superioridade intelectual ao ateísmo. Felizmente eu conheço e respeito muito outros amigos ateus que não se converteram a essa corrente , aliás, pouco se importariam em vir comentar em um site que refutaria o ateísmo. Abraços, novamente, parabéns pela paciência. Desculpem qualquer erro de digitação, estou com muito sono após um dia cansativo de trabalho ; espero que isso eles ainda tenham também, pois é dignificante.

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já postei em minha página do face pois essa matéria é incrível!!!

      Excluir
  18. Geeeente, estou encantada em encontrar essa matéria tão rica e tão especial.
    Sou psicóloga e amo saber que a lista de cientistas como Augusto Cury, outrora ateu, totalmente desacreditado no Cristo da Cruz, hoje fala com amor e muita doçura desse Cristianismo e com mais sabedoria e respeito fala aos descrentes que foi estudando Jesus que toda mudança começou. Parabéns David Sousa

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...